Quantcast
PplWare Mobile

Ordem dos Engenheiros: Já se sabe o que aconteceu no ciberataque

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Pipoca says:

    Foi medio/baixo risco para a OE, porque para quem viu os seus nomes e emails expostos e agora à mercê de quem os utilizar para email marketing não deve de achar o mesmo.

    • Jg says:

      Verdade! São velhos de Restelo a gerir a ordem que “acreditam” que somos todos “engenheiros” do tempo deles, que mal sabiam escrever e fazer contas (como o engenheiro da ONU) 🙂 bla bla bla…

      • JC says:

        Essa é forte e ofende.
        Quem se licenciou antes de 1973, tinha mesmo de saber escrever. Se desse uma pequena fracção dos erros que agora se lêem nestes comentários, nem da 4.ª classe tinha passado.
        Quanto a fazer contas, tínhamos mesmo de as saber fazer, e bem, pois nem sequer calculadoras havia. A nossa ferramenta era a régua de cálculo (sabe o que é?). E não me consta que tenha havido acidentes por erros de cálculo.
        Um pouco de respeito seria de esperar dos colegas mais novos.

        • PML says:

          E dizer isso do Guterres que foi dos melhores alunos so IST. Sabe ele mais de análise matemática com os olhos fechados do que o Jg quando estudou isso para os exames.
          Dantes efetivamente só algumas pessoas com mais posses podiam estudar, mas isso não quer dizer que não tivessem muita qualidade. Na verdade, tenho até ideia de que o nível de exigência tem diminuído.
          Outro ponto é que dantes havia, mesmo assim, um rácio de 1 para 4 ou mesmo 1 para 5 alunos por vaga. Entear num bom curso era muito dificil. Hoje há mais vagas do que alunos. Mas também sou o primeiro a dizer que continuam a haver aluno excecionais, como sempre houve.

  2. Jg says:

    Embaraçoso, sou membro da OE e não fui informado pela ordem destas informações agora divulgadas, muito menos sobre a alteração ao modo de acesso. Sempre que há eleições parece que a ordem fica entregue a gente mais incompetente, uns atrás dos outros. Uma vergonha, só querem tachos, a ordem não serve para NADA a não ser cobrar.

    • LA says:

      Eu diria que as Ordens, neste pais, não servem para nada, a não ser para encher o bolso de alguns.

      • LG says:

        Concordo. Graças a estes, a palavra – ou melhor – o título “Engenheiro” perdeu todo o significado e mérito. Em Portugal existem 1001 cursos de engenharia disto, engenharia daquli… que no estrangeiro não requer esse título sublinhado…

        Ai o Sr. Eng. X e a Sra. Enga. Y… no estrangeiro? Não existe. Em Portugal? Serve para pagar um extra à OE… e dizer-se “que sou engenheiro mas não sei mais que alguem que estudou em Cambridge, Yale, ETH etc num curso igual sem esse título”

        • Vítor M. says:

          Tanto que abusaram no título que hoje muitas pessoas (vi isso há dias numa entrevista na TV) pedem para serem só identificadas pelo nome.

        • kolas says:

          É agradecer ao Sócrates essa desvalorização, no tempo dele qualquer curso técnico (3 anos chegavam) e já se era Dr., as novas oportunidades “deram” o equivalente ao 12º ano (bastava copiar a parte de trás dum maço de tabaco…), e durante esse tempo nem os Doutores nem os Engenheiros abriram a boca por receio de represálias (creio), por agora aguentem.

      • Jane Doe says:

        Sem as ordens profissionais, quem regulava as profissões e os profissionais? O Estado? A polícia? Entregava-se á sorte?

        • JP says:

          Respondo com uma pergunta, se não houvesse políticos, num estado democrático, quem governaria?

          • Jane Doe says:

            Anarquia. Ou seja, “entregava-se à sorte”, aka “rebaldaria”. Acho que ia correr bem… Não, tenho a certeza que ia correr bem!

      • k says:

        A ordem dos contabilistas, por exemplo, que seria de esperar regular o setor de forma neutra, vende software próprio e faz concorrência desleal ao resto do mercado. Até já foi notícia aqui.

        Já os meteram em tribunal à anos, mas como de costume, nada acontece em tempo útil contra gente grande.

  3. compro essa também says:

    E com um jeitinho até nem foi da Turquia e com outro jeitinho nem foram Turcos … o digital no seu melhor…

  4. El Chato says:

    Epah é o que dar nao aveitar eng informática na ordem.

  5. Pilro says:

    Eu como engenheiro, ti há vergonha se tivesse de pagar para pertencer a este bando de toscos que só querem é o tacho e o dinheiro dos associados lá a cair.
    São de uma incompetência gritante, e obviamente que nenhum turco tem interesse nenhum na ordem dos engenheiros tuga.
    O IP turco foi só para este sapos ficarem a achar que são “internacionais”.
    Foi algum tipo tuga que decidiu ridicularizar ainda mais uma ordem múmia.

  6. Blablabla says:

    Essa dita ordem deveria-se chamar de Ordem dos Engenheiros Civis, ponto final…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.