Quantcast
PplWare Mobile

Bill Gates sugere que os mais ricos devem pagar mais impostos

                                    
                                

Fonte: GatesNotes

Autor: Marisa Pinto


  1. Joao Ptt says:

    Para depois o estado derreter o dinheiro em porta-aviões, submarinos, pontes megalómanas, viagens para Marte e outras coisas muito “úteis” ao mesmo tempo que negligência toda a infra-estrutura que realmente interessa, que deixa a criminalidade ocorrer em larga escala, deixa pontes e diques em péssimo estado, rios poluídos e por aí em diante.

    O estado cobrar mais aos ricos porque têm mais, não tem lógica nenhuma, só se lhes prestar mais serviços do que aqueles que presta aos outros (policias à porta, bombeiros à porta, assistência em viagem, acesso privilegiado e mais rápido a serviços públicos, etc.), aí tudo bem, aí concordo que paguem mais que os outros.

    Não existe problema em ser-se rico, e ter rios de dinheiro, existe problema é quando não se faz bom uso da mesma, ao não garantir que a mesma é aplicada de forma a que terceiros possa beneficiar da mesma através de trabalho honesto, dignamente bem remunerado e devidamente reconhecido e apoiado assim os próprios realmente se esforcem para serem cada vez melhores.

  2. Carlos says:

    Concordo com o Bill Gaitas.

    Mas já que ele não contribui com os Impostos que acha que deve, porque não atuar onde pode e aumentar ou premiar os colaboradores das empresas do seu império?! Dessa forma ele receberia menos (vendo a sua riqueza distribuída por quem a realmente cria) e dessa forma reduzindo o gap salarial.

    Ao fazer isto, certamente que outras grandes, na tentativa de capturar ou reter o talento, iriam seguir o mesmo caminho e dessa forma o mercado e a distribuição de riqueza se auto-regulariam.

    O problema é que é fácil delegar a decisão para outros. Ainda assim acho bem que se fale e que se traga a lume que a taxação de riqueza deva ser mais favorável aos mais desfavorecidos, sem nunca esquecer que caso se taxe em demasia também se alicia os que mais são taxados a fugir para outros países…

    • ze says:

      No imperio dele agora são só empresas humanitarias, por isso ele fala do alto do seu pedestal uma vez que passa o dinheiro por lá ficando livre de impostos.

      Se te referias à Microsoft convido-te a ver a politica de salarios da Microsoft, podes mesmo olhar para Portugal que é dos piores sitios, ninguém ganha menos de 1500 liquidos, todos têm direito a acções e prémios, além de outros fringe benefits flexiveis.
      Se todas as multinacionais pagassem como a microsoft ou investivessem o que ela investe no nosso país talvez puxasse tudo para cima.

      • RM says:

        Mas o que ganhamos deve ser directamente proporcional ao que produzimos.

        • ze says:

          Não necessariamente, o que ganhamos deve ser proporcional à importância que o nosso trabalho tem, aquilo que vai diferenciar, aquilo que produzimos deve ter impacto nos premios de produtividade e não no vencimento base.

          • RM says:

            Correcto. O que queria dizer era que deve ser proporcional ao valor daquilo que produzimos.
            Os prémios de produtividade são sem dúvida um bom incentivo para aumentar a motivação/produtividade de um trabalhador.

          • ze says:

            Se receberes o proporcial ao que se produz muita gente ficaria rica e deixaria de trabalhar lá, já para não falar que as empresas ficariam muito menos lucrativas e deixavam de conseguir gerar mais investimento.
            Era bonito agora um trabalhador da autoeuropa da linha de montagem passar a ganhar 5k, lá se ia o mercado automovel a baixo com todas as fabricas a fecharem.
            O unico sitio onde isso pode ser feito é em serviços, nunca em bens. E de certa forma já é feito, é olhar para consultores/auditores que ganham bem acima da média do mercado.

        • David Santos says:

          Os sonhos dos mecanismos é acreditar que eles existem na realidade natural

  3. asdasdasd says:

    Eu defendo da ideia de que todos deveriam pagar uma %. A mesma para todos. Os escalões de IRS são uma treta.

    • dunno says:

      proponho 40% pra todos

    • RM says:

      E quem por exemplo ganha 1000€, fica apenas com 600€, o que é mais do que o suficiente, é isso ?

      • Pedro Ferreira says:

        Para ganhar 1000€, a empresa desembolsa muito mais. Pegue no valor total que a empresa dispõe e faça os cálculos. Verá que vai ficar a ganhar. Claro que 40% é uma taxa elevada, nos rendimentos de poupança ou de activos financeiros, a tributação é de 28% (senão estou em erro). Esse valor aplicado a todos os rendimentos, toda a gente ficaria a ganhar. Isentar alguns e cobrar mais a outros não é justiça, é premiar a incompetência. E não se esqueça, a nível de impostos do rendimento do trabalho, paga sempre 11%, portanto taxa fixa só o iria beneficiar enquanto individuo.

    • ze says:

      Não concordo, tirava muito poder de compra aos que ganham menos, concordo sim que deviam existir menos escalões e que o salario minimo devia ser por distrito.
      É facil viver com o salario minimo no interior, é impossivel em lisboa e porto.

    • Pedro Ferreira says:

      Exactamente. Uma ‘percentagem de esforço’ e não uma taxação de riqueza. Premiar o mérito e distingui-lo com justiça são as verdadeiras ferramentas de erradicação da pobreza (principalmente das intelectuais). Também sou defensor de uma taxa sob qq movimentação de transferencia de patrimonio acima dos rendimentos auferidos (falo das heranças, quer de propriedade quer de valor). Isto de perpetuar patrimónios, muitos deles construídos em épocas de escravos e servos, só deturpa o sistema economico.

  4. RM says:

    Concordo com o Bill Gates.
    O problema é que ninguém gosta de pagar impostos!
    Quem é rico e milionário tem conhecimentos e “amiguinhos” a quem podem pagar/dar presentes para os ajudar com esquemas para pagar menos (ou nada) ou colocar o dinheiro em paraísos fiscais.
    Para alguns milionários parece que é um desporto/competição ganhar mais e mais e mais …
    É triste e lamentável que algumas pessoas sejam assim!

    • ze says:

      É essa “competitividade” e vontade de ganhar mais que gera empregos e toca a economia para a frente… Se se dedicassem todos à pesca provavelmente não terias trabalho.

      • Pedro Ferreira says:

        Antigamente também havia vontade de gerar empregos. Só que pagavam com comida e cama e davam uma folga semanal para ir à missa. Grandes ‘empresários’ esses! Visionários! Uma organização é um conjunto alargado de pessoas, quem gere é apenas ‘mais um’ elemento. Embora por vezes pense ser mais do que isso.. E não, isto não é comunismo, é bom senso. Por alguma razão as empresas portuguesas são fracas ‘competitivamente’ quando comparadas com as Microsofts desta vida, as ultimas são literalmente o sonho de qq ‘operacional’ e de qq ‘gestor’.

      • RM says:

        Mas uma coisa é quereres que a tua empresa tenha sucesso e poderes pagar bem aos trabalhadores e outra é quereres enfiar no bolso milhões para quê ? Para investir e ganhar mais! É como uma pessoa querer ganhar o jackpot do euromilhões porque não se contenta com ganhar 1 milhão.

        • Hugo says:

          Mas esse é o eterno problema da nossa espécie A felicidade plena e eterna não existe. Somos gananciosos e isso faz com que nunca estejamos satisfeitos. Na verdade apenas faz com que sejamos infelizes grande parte do tempo que cá andamos.

        • ze says:

          Queres enfiar milhoes no bolso para investires noutros negocios, assim se fomenta a economia. Se não houvessem ricos não haviam oportunidades de trabalho.

    • David Santos says:

      A história existe devia ser levado em consideração não ser só para fazer pó em bibliotecas.

  5. Rui says:

    Atenção que o Tio Bill está a falar dos Estados Unidos, onde um milionário paga menos de 40% de impostos!!!!!

    Por cá, um “milionário” que receba de uma empresa 81.000€ (quase 5.800€ brutos mensais x14), paga 53% de IRS + 11% para a Segurança Social, a somar ao que a empresa já paga de 23,75% para a Segurança Social.

    Resumindo, por cá, recebe quase tanto o estado como alguém que ganhe mais de 5.800€ por mês!!!!!!!

    Ah! E o EUA não têem IVA, têem um imposto semelhante (há estados sem esse imposto!!!!) com uma média de 5%!!!!!!

    • ze says:

      Eu ganho mais que isso e considero-me pobre, nem consigo fazer férias para os sitios que gostaria.
      Impostos assim só os nordicos, mas esses impostos veem-se onde são aplicados.

    • nao says:

      não é assim. “… destes escalões recordamos que apenas o valor do rendimento coletável que supere um dado limite máximo de um dado escalão ficará sujeito à taxa normal do escalão seguinte. Ou seja, alguém que tenha um rendimento coletável de €100.000 não pagará 48% do seu rendimento de IRS. Apenas o valor acima dos €80.882 será sujeito à taxa normal de 48%.” portal das finanças

  6. Joselito says:

    Pra ele vai ser o troco do pão, já para os “ricos” pobres vão ficar cada vez mais pobres sustentando uma multidão de inúteis como no Brasil, onde mais se paga imposto no mundo! Como é bonito ver um super rico meta-capitalista querendo ser comunista, deveria trocar o Windows pelo Linux!

  7. Davi says:

    Acredito que um bilionário ate tenha orgulho em contribuir para os impostos de um país.
    Já os milionarios são os que mais fogem aos impostos. E quando desfalcam as economias são os menos penalizados.

  8. nao says:

    pessoalmente acho que nós como sociedade não deveríamos deixar ninguém ser bilionário. isto porque não considero o facto de alguém ser bilionário automaticamente seja imoral, ser se bilionário é uma consequência de vários factores, trabalho, sorte e capitalismo.

    acho que da mesma forma temos um ordenado mínimo deveríamos ter um ordenado máximo, da mesma forma que tentamos acabar com a pobreza deveríamos acabar com os ultra-ricos.

    a motivação para se ser rico seria a mesma, e seria possível faze-lo como hoje em dia é possível, não haveria
    mais entraves dos que há hoje em dia, não seria nem mais fácil nem mais difícil.
    o que se alterava era o paradigma de “eu quero o dinheiro todo / eu quero o poder todo” ou seja quando se atingi-se o patamar definido pela sociedade, o rico teria de passar a ter outros interesses, família, filantropia etc.

  9. AlexX says:

    Ele está referindo os norte americanos. Em Portugal os mais ricos já pagam mais impostos e não é pouco. E muitos desses ricos ajudam imensas pessoas em dificuldades, acontece que ninguém tem que saber quem ou quantos. Não pensem que é a igreja local quem pratica caridade.

  10. BlackFerdyPT says:

    «…atrevo-me a dizer, que sempre foi muito admirado e acarinhado por grande parte os entusiastas da informática e tecnologias.»

    Realmente, que *atrevimento* dizer uma coisa dessas, quando já muita gente que lê esta publicação é adepta do GNU/Linux. 🙂 eheh

    Quanto aos mais “ricos” pagarem mais impostos,

    Esse é um esquema que os verdadeiros ricos (i.e. as elites) estão sempre a tentar implementar – pois, os verdadeiros e mesmo muito ricos são quem controla os deputados e senadores que fazem as leis, nas quais são incluídos alçapões de que só este último conluio tem conhecimento (ou consegue entender) e que permitem a tais elites não pagar impostos.

    Oiçam e leiam o que tem a dizer, sobre tais alçapões, o ex-candidato presidencial português Paulo de Morais, por exemplo: https://www.jn.pt/local/noticias/porto/porto/paulo-morais-acusa-parlamento-de-ser-centro-de-corrupcao-1882657.html

    Sendo o aumento de impostos sobre a “pequena burguesia” (que é o que se pode chamar a quem não faz parte das elites, mas que ainda assim tenha muito dinheiro) uma maneira que têm as verdadeiras elites de estrangular – para eventualmente eliminar – a pequena concorrência.

    Quanto ao Bill Gates,

    Ele nem sequer era o verdadeiro dono do muito dinheiro que tinha – sendo essa a razão pela qual doou a maior parte deste. O Bill Gates é um mero “testa-de-ferro” das verdadeiras elites – que são quem dá o dinheiro a estes personagens visíveis, para fundar as suas empresas – sendo, no caso específico dele, um mero fantoche da facção liberal-financeira que detém os muito poderosos bancos accionistas da Microsoft, Apple e Google (https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/Gf117d950/21381578_PZC17.png + https://kontrainfo.com/capitulo-6-los-cuatro-grandes-megafondos-financieros-complejo-industrial-militar-la-otan/).

    Leiam o que o coronel de contra-espionagem russa, Daniel Estulin, tem a dizer sobre este personagem: https://twitter.com/search?q=bill%20gates%20from%3AEstulinDaniel

  11. Tvlio Detritvs says:

    Ele que venha para cá e vai ver como paga impostos.
    Aqui é uma roubalheira…pagar para quê? Nada funciona… É só para esses corruptos se encherem.
    Fosse o dinheiro bem empregue, aí a história seria outra, agora em Portugal?
    Quanto mais dinheiro, mais roubo e corrupção.
    Actualmente quem ganha mais de 100 mil euros ano é considerado riquíssimo,multimilionário, pelo fisco Tuga.
    Resultado? 50% ou mais é confiscado pelo estado através de impostos.
    No outro dia estive com um recibo de vencimento de um indivíduo na mão e meti-me a ver aquilo.
    De 10 000 euros brutos de vencimento, onde estavam incluídas muitas horas extra, folgas, etc, levou para casa pouco mais de 5 000 euros.
    Pergunta, descontar tanto, para quê? Sustentar inúteis que não querem fazer nada, parasitas e claro, políticos e negociatas?
    Entrega-se assim o dinheiro a quem comprovadamente não o sabe gerir convenientemente?
    Enfim… países nórdicos desconta-se assim, mas sabe-se para onde vai o dinheiro.
    Aqui tb se sabe para onde vai… para os cofres das mães de alguns…

    • BlackFerdyPT says:

      O dinheiro vai,

      (1) para pagar dívidas (internas ou externas) fictícias/fraudulentas contraídas perante os chamados “banqueiros internacionais” (informem-se sobre o que quer dizer o termo “fractional reserve banking”, ou sobre como tais banqueiros *criam* dinheiro a partir do *nada*, tal como se tivessem uma máquina fotocopiadora em casa: https://www.rt.com/business/327118-switzerland-money-banking-referendum/) e

      (2) para cobrir os prejuízos de “maus investimentos”, em que os amigos no governo do Grande Capital compram as acções de empresas que estão prestes a falir, ou a perder a maior parte do seu valor – para que, desta maneira, se passem os prejuízos para os contribuintes: https://ionline.sapo.pt/491541

      Sendo, por estas e por outras é que, os ditos “banqueiros internacionais” se gabam de terem, por exemplo, criado até o moderno (falso) movimento feminista:

      «“You’re an idiot! Let me tell you what that was about, we the Rockefeller’s funded that, we funded women’s lib, we’re the one’s who got all of the newspapers and television – the Rockefeller Foundation.” Rockefeller told Russo of two primary reasons why the elite bankrolled women’s lib, one because before women’s lib the bankers couldn’t tax half the population and…»

      (Se quiserem ver o “grande quadro” do que se passa, podem procurar por cópias do muito bom documentário “The Money Masters”, que explica como a classe política anda há séculos a ser manipulada e controlada pelos banqueiros internacionais: http://www.themoneymasters.com/)

    • Pedro says:

      Ai sim? E então quando chegar à idade da reforma, não vai receber uma reforma em linha com o que descontou? E durante quantos anos? 5? 10? 15? 20?…

      Acho muito bem que se paguem impostos e que estes sejam progressivos.
      Só tenho é pena que depois os governantes não façam bom uso deles.

    • David Santos says:

      A dívida pública é a chave do problema

  12. R says:

    Vejam o documentário Inside Bill’s Brain: Decoding Bill Gates – ele explica.
    https://www.imdb.com/title/tt10837476/

  13. Miguel says:

    Realidades diferentes

  14. David Santos says:

    Uma anedota isto é o Bill é só uma rapaz propaganda do sistema ele não é o mais rico nem nada que pareça basta saber quem é família Taka da Índia para saber que isto é circo , é triste ver como todos acreditam nisto assim vai o mundo onde o egocentrismo Vaz de todos escravos de famílias da elite ,estude a família de Freud é vai entender….

  15. David Santos says:

    Todos os países do mundo tem dívidas a questão é a quem eles devem ????

  16. Pedro Manuel Soares Lourenço says:

    Este sempre teve manias socialistas e de justiça social.

  17. Martim Santos says:

    Concordo completamente, eu acho que os impostos são um contributo muito bom para os países mas se alguém passou a vida toda a trabalhar para uma boa vida não têm que gastar esse dinheiro para os outros.

  18. Pedro Lourenço says:

    Um homem com uma riqueza gigantesca mas que pensa como os comunistas … é uma coisa muito rara.

    • Tvlio Detritvs says:

      Se pensa que um comunista quer partilhar o que é dele com os outros, engana-se redondamente.
      Um comunista quer para ele o que é dos outros e para ele o que é dele, assim é que é…
      Uma história, que não sei se é anedota ou não, supostamente passada no Alentejo após 25 Abril 74.
      Numa reunião dos sovietes lá da aldeia, grita um, e quem tem 2 casas tem que dar 1 a quem não tem. Muito bem, muito bem, aplaude freneticamente um indivíduo.
      E quem tem 2 terrenos tem que dar a quem tb não tem. Muito bem, muito bem, aplaude o mesmo indivíduo.
      E quem tem mais que 2 galinhas tem que dar a quem não tem nenhuma. Nisso o indivíduo diz que não concorda.
      Perguntam-lhe porquê e ele diz, é que as galinhas eu tenho.
      Moral da história, vc já viu algum comunista que tivesse ganho um chorudo prémio a dividir com os conterrâneos? É que eu não…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.