Quantcast
PplWare Mobile

Musk acha que os meios de comunicação incentivam os atiradores nos EUA

                                    
                                

Fonte: CNBC

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Nuno says:

    Sem duvida, a televisão e a internet incentivam muito a isto

    • UnhuZpt says:

      Parabens por um comentario completamente despasado da realidade e sem qualquer sentido.

      • Nuno says:

        porque achas que é mentira ? quantos destes andam em grupos do discord que so incentivam a isto, que foi o que incentivou o gajo que fez isto na faculdade de ciencias andava nestes grupos do discord

      • deepturtle says:

        o comentário é básico mas facto é que assenta na realidade.
        e se não fosses tão ingénuo, perceberias que isto acontece há décadas porque violência, polémica, sensacionalismo vende mais. E vende mais porque prende a atenção do espectador. A questão é que, com o advento da inteligência artificial, isto é feito de forma sofisticada com recurso a algoritmos complexos. o Facebook foi descoberto a fazê-lo e todas as grandes empresas fazem-no de alguma forma. Só pensam no dinheiro e não nas consequências sociais. E influenciam tanto ou quanto mais influenciável a mente for. Agora imagina a mente das crianças ou jovens com tanta porcaria disseminada a acumular com outros problemas e carências!

  2. Profeta says:

    Pode ser mas para os desencorajar e tirar-lhe as armas das maos.

    • David Guerreiro says:

      O problema é conseguires fazê-lo. Iria suceder o mesmo que sucede em toda a América latina, onde todo o criminoso tem armas, e o cidadão de bem não tem como se defender. Concordo que as leis deveria ser bem mais restritas, com quem pode ter acesso a armas, obrigando a avaliação psicológica, treino, etc. Só aí iria-se descartar uns tantos malucos.

  3. Castro says:

    pobre homem… gosta de ter atenção nos media e depois acha que todos os outros sofrem do mesmo problema… Como se uma cultura de violência, desumanizada e de exclusão social, não estimulasse mais violência.

  4. Tiago Rodrigues says:

    E andam médicos, a estudar durante uma vida inteira, e chega a ” dona “, o ” guru ” e provavelmente o próximo presidente dos USA, e tira o tapete a tudo e todos…

    CORTEM A NET.

  5. AlexS says:

    Continua a propaganda e a censura…quando é que os jornais vão começar a noticiar situações onde foram as armas que salvaram vidas?
    Quantas vidas as armas* já salvaram ? Começando pelas mulheres?
    Nem precisando de disparar, só por mostrar.
    Porque é que não há tiroteios semanais nos milhares de clubes das armas nos EUA?

    • David Guerreiro says:

      Aliás, embora os EUA possuam uma lei que permite mais facilmente ter acesso a armas, tem muito menos homicídios do que todos os outros países do continente americano (excetuando o Chile e o Canadá). Países que têm um controlo muito rigoroso nas licenças de armas, mas todo o criminoso tem uma.

      • Castro says:

        será que queres mesmo comparar os Estados Unidos com países com altos problemas de criminalidade organizada, pobreza extrema, e em que muitas das instituições do estado funcionam mal ou têm altos problemas de corrupção?
        Porque será que não tentaste comparar com o Canadá e a Europa?

  6. Abílio Portas says:

    Concordo com ele plenamente!
    A comunicação social gosta de sangue para reportar e dar cobertura e quando não o encontram das duas uma, ou procuram-no, ou falam sempre dos mesmos assuntos.
    E é assim a televisão.

  7. Tiago says:

    Concordo com ele. O mediatismo, a cobertura dos ataques como se fosse um jogo de futebol. Os media vivem da miseria dos outros, sao uns abutres.

  8. Sérgio says:

    É claro que o Elon não quer que estas coisas sejam falada na comunicação social, ele quer continuar vender os seus lança-chamas e outros brinquedos do género.
    Não vai qualquer dia um miúdo levar o lança-chamas para a escola e cremar tudo a frente…

    • Rui says:

      ELe nem vende armas ahah o lança chamas foi um edição limitada que ja nem se vende ahahah perdes te uma boa oportunidade para estar calado

  9. Grunho says:

    Os meios de comunicação incentivam tanto os atiradores nos EUA como na Europa ou no Japão. A psicologia deles é igual em toda a parte. A diferença está em que nos EUA os atiradores têm acesso a armas de fogo com a mesma facilidade de esferográficas ou ainda mais, enquanto que na Europa e no Japão têm de andar ao murro e ao karate.

  10. David Guerreiro says:

    Há um problema muito grande a nível da saúde mental nos EUA, que nunca foi abordado pelos sucessivos governos. Há imensas pessoas a sofrer de transtornos graves, que não são tratadas, nem sequer acompanhadas. Nalguns casos há aqueles que fazem com que a polícia os mate, porque se colocam na rua com uma arma na mão à espera disso, há outros que entram num local público qualquer e desatam os tiros.

  11. AlexX says:

    Nada de novo e tem razão, quanto mais atenção os meios de comunicação dão a acontecimentos de ordem negativa quaisquer que eles sejam, mais casos vão haver. Os meios de comunicação são desde há muito tempo uma fonte de influência negativa para pessoas de má índole ou que optaram por ser más, tornando maldade em normalidade. Notícias positivas não provocam raiva e como tal não vendem.

  12. PTO says:

    Ou seja, na opinião deste iluminado, o assassinio de dezenas de crianças (ou quaisquer outros cidadãos) não deveria ser a noticia principal dos canais de informação?

    Era só uma pequena nota já no fim das noticias, tipo: “já agora, informa-se ainda que hoje no sitio tal foram mortas x dezenas de pessoas por mais um mass shooter. Boa noite e até amanhã”.

    É isto, não é, ó Musk?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.