PplWare Mobile

Multibanco: Cuidado ao fazer pagamentos, há uma novidade


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. RF says:

    Essa é mais uma mudança à Portuguesa.. primeiro fazem, depois informam.. ahh espera, afinal ainda não informaram nada, nem a dita comunicação social nos jornais da noite alertaram para isso!
    Obrigado pplware!

    • Daniel says:

      Na verdade não há diferença alguma, nos terminais antigos em que tinham contrato VISA também os cartões VISA faziam pagamento por VISA, e só faziam pagamento por VISA Electron/Multibanco quando não tinha esse contrato VISA (o terminal). A única diferença é que aqui dá a hipótese de escolher qual o canal, coisa que antes não dava (era VISA sempre que tivesse canal VISA contratualizado naquele terminal, recaía para VISA Electron quando não tinha contratualizado e o contrato do cartão permitia).

      No entanto concordo, embora na prática nada tenha mudado excepto dar mais opções (as opções por omissão são iguais às que existiam antes na prática), a informação deveria ter sido dada pois é sempre útil saber que agora tem-se opção de escolha quanto ao canal a usar.

    • FR says:

      Gostei do facto de o artigo referenciar a SIC e dizeres tal coisa. Aliás, a informação que aqui está, é igualzinha ao que foi dito na reportagem.

      • Vítor M. says:

        Sim, de facto refere a Sic e ainda bem que foi falado, mas o RF tem razão quando diz que deveria ter sido veiculado pelas fontes oficiais há vários meses, no limite antes de começar. Concordas?

        • sómaisum says:

          Eu recebi dos dois bancos onde tenho conta um comunicado oficial (carta de um, e mensagem online na versão online banking).

          Mais oficial que isto…?

        • Cristiano Alves says:

          Vitor devias corrigir o artigo, porque tem informação errada…
          Não existe qualquer problema para os cidadãos, e nada mudou de significativamente. Alias mudou para melhor porque ate ao momento quem tinha um contrato de Visa Credito, tinha de pagar sempre dessa forma, e agora pode pagar como DEBITO…

          • Vítor M. says:

            Boas. O artigo não está errado, até porque se leres as declarações da SIBS nem percebes bem que menu terá o utilizador ao certo para escolher.

            Há vários casos de pessoas que pagaram com um cartão supostamente de débito e o valor foi parar à conta crédito desse cartão, saindo no final do período estabelecido. Basicamente o artigo mostra os cenários (se bem que ainda vamos ver mais quando de facto estiver generalizado esta nova novidade).

            Há mais informações associadas que devemos conhecer, mais não seja devemos questionar o nosso banco.

    • Sérgio Pimenta says:

      +1

    • joao valente says:

      Eu recebi informação da CGD, dizia o seguinte:

      Os TPA vão apresentar um novo ecrã onde poderá selecionar a marca de pagamento (Multibanco e Visa/Mastercard).

      Independentemente da marca que escolher, em nada muda a forma de funcionamento dos seus cartões da Caixa Geral de Depósitos.

      Os pagamentos feitos com cartão de débito são debitados na conta à ordem e os pagamentos feitos com cartão de crédito são debitados na conta cartão.

      Podemos escolher a marca, as características que tem o cartão não altera!!!!

    • Rui says:

      o unico sitiu que vi informarem isso foi na primark do colombo, a senhora da caixa a fazer uma explicação rapida no momento do pagamento…

  2. Pirata says:

    Gosto do pormenor do cartão introduzido ao contrário…
    É se o cartão não for VISA?

  3. Pedro says:

    Pirata,

    Provavelmente não tem contrato autorizado.
    Cerca de 90% dos pagamentos em Portugal são processados através da rede VISA/VISA Electron.

    Monopólio dá nisto.

  4. Andre Silva says:

    Continuo na minha…. Até ser introduzida esta alteração todos os pagamentos (nos terminais que os suportavam) eram todos feitos em modo Visa/Rede Emissora do Cartão. Nunca nenhum deles foi feito em modo Multibanco… Qual é o alarme no meio disto tudo?
    Exemplo… vou ao continente ás compras e pago com o meu cartão multibanco no dia a dia…. aparece-me no talão do TPA a seguinte sigla: VISA DB N — passou como visa? Sim passou, mas visa débito! Vai á conta bancária.
    Paguei com o meu cartão de crédito… aparece VISA CR N — passou como visa? Sim e foi á conta cartão (vulgo plafond).
    Fui á mercearia do Senhor Mário ali na esquina que apenas tem multibanco, aparece no talão apenas MB.
    Diferenças para os consumidores? Nenhuma!
    Apenas no meu caso tenho um cartão visa dual que mesmo nos terminais que suportem apenas multibanco funciona, aparecendo no extrato como transação na rede multibanco.

  5. AM says:

    Observem bem o que diz o terminal!
    Carreguem na seta para baixo!
    Arre!

  6. Filipe says:

    Segundo me informaram o custo está do lado da loja e não do consumidor. Para o consumidor é indiferente pagar por Visa ou MB. No caso do comerciante é que se for pago com a opção Visa, tem que pagar uma comissão maior.

  7. Ricardo Magalhães says:

    Por norma os cartões MB não são VISA. Há problema?

    • Andre Silva says:

      Boa tarde Ricardo Magalhães.
      Por norma os cartões MB, vulgo débito, são emitidos com base numa emissora internacional (Visa/Mastercard/Maestro) são as mais comuns em portugal.
      Independentemente da rede que use, não trará custos adicionais para si em Portugal.

  8. Luís says:

    Mais uma mudança para pior e para ir ao bolso dos outros encapotadamente, ou não estivéssemos no país do xico-espertismo.

    • Callavero says:

      @Luís Lindo Lindo é mandar um bitaite para o ar, sem ter percebido do que se comenta, esse sim é o xico-espertismo do portugues quando tem acesso a redes socias e espaços de opinião …

  9. Limbus says:

    “conformar ”
    Predefinição da treta, só para enganar o pessoal.

  10. eduardo jaime neves says:

    Olá,

    Para quem reclama do monopólio, ou é de facto um visionário e aí “i rest my case” ou então viaja muito pouco. A existência da UNICRE poupa-nos fortunas em transações interbancárias. Certo, ganham noutros casos, mas muitas pessoas não ficariam muito contentes se pertencessem à caixa agricola e de cada vez que usassem uma caixa BPI tivessem que: Ou aceitar e largar 1.5 euros (valor exemplo das Filipinas) ou sujeitar-se e andar alguns mts/kms em busca de um ATM da CA.

    Tenham juízo.

    Quanto a esta medida, não aquece nem arrefece. Isto serve, por exemplo, para que usa os VISAS do BPI, que enquanto à saldo de conta corrente, nunca vão a visa, a menos que seja num terminal só de VISA. Quanto a mim, ou vão terminar os mono-terminais ou os mono cartões. Por mim tudo bem, muita vantagem em só ter um cartão em vez de dois.

  11. Vitor Lopes says:

    Para o consumidor não tem qualquer relevância, tem sim para a empresa onde for efetuado o pagamento, porque a percentagem do visa é superior, exceto nos postos de abastecimento, se o cliente pagar com visa paga uma taxa ao seu banco

    • Jeremias says:

      Se fosse mais caro a maioria dos comerciantes só aceitavam Multibanco. O meu cartão é visa electron e sempre me foi retirado o dinheiro da conta a ordem. Sempre foi assim e continuará a ser. Multibanco é fantástico para fazer levantamentos e outras operações nas caixas, mas para fazer pagamentos seja em Portugal, Espanha ou na Islândia vou escolher Visa. Senão qualquer dia regresso a 1985 onde para ter um cartão para utilizar no estrangeiro tinha de pagar uma anuidade astronômica.

  12. Senpai says:

    Então e escolho que opção?

  13. Redin says:

    Provavelmente deve ser por causa disso que os pagamentos por PayPal que não encareciam o produto (pelo menos, ainda não me tinha apercebido disso), agora já estou a pagar taxas que não estava a espera.

    • Andre Silva says:

      Redin,
      No seu caso paga taxas porque provavelmente faz compras fora de Portugal e consequentemente da zona euro.
      Eu apenas paguei taxas no paypal quando mandei vir um jogo do ebay do UK, em que paguei a conversão + taxa de processamento de transação internacional. Mas isso já pagava.

  14. tiago says:

    Por acaso já tinha reparado nessa situação em varios terminais mas não fiz caso e tambem não perguntei ao operador da caixa, pensei que fosse alguma definição do terminal mas tambem não me faz diferença nenhuma porque apesar do meu cartão ser Visa, precisamente, não tive gastos adicionais por se trata apenas de um cartão de débito apenas…e não de crédito…

    Agora, claro, o pior disto é para o pessoal que tem os dois cartões num só cartão e não tem atenção…

    • Jorge Santos says:

      Não há dois cartões num só. Há cartões de débito e de crédito. O Tiago compreendeu bem a questao. Ao usarmos o cartão de débito a transação será sempre a crédito.

      • soueu says:

        existem os dois cartoes num so sim,caso do cartao Contacto do Credito Agricola.faz de credito e debito,tempos que selecionar a opçao pretendida quando pagamos,tendo por predefeniçao o pagamento a credito caso nao se selecione Mb.

  15. Jorge Santos says:

    Visa, Visa Electron, Maestro e MasteCard são marcas de pagamento na maioria dos casos associadas à cartões de débito. Quando aparece a opção de escolha no terminal ninguém está a pedir aos clientes para pagarem a débito ou a crédito. Nos cartões de débito ao escolherem qualquer uma daquelas marcas o pagamento será SEMPRE a débito! Se for usado um cartão de crédito a transação será feita a crédito. A notícia contém incorrecções e seria bom os jornalistas tentarem esclarecer bem o tema antes de escrever notícias pouco claras e que só ajudam a criar confusão.

    • Vítor M. says:

      Não é verdade. Muitos cartões trazem as duas contas associadas. Se as pessoas num posto de abastecimento escolherem, sem prestar atenção, crédito, podem pagar a taxa extra.

      As marcas Visa, MasterCard ou American Express estão associadas sim a cartões de crédito, já o Maestro, por exemplo, a débito.

      O facto das pessoas terem cartões com as duas contas associadas ao cartão pode gerar custos que os consumidores podem não estar a contar. Assim como o valor pode desaparecer da conta corrente do cartão de débito e estar na conta do cartão de crédito que se não sair a 100% também pode gerar juros ao consumidor.

      Isto em grosso modo, para estarmos todos atentos 😉

  16. André Branco says:

    Rapaziada… Desde sempre que os acordos com os comerciantes são feitos maioritáriamente pelos acordos Visa, MasterCard Etc. estes acordos em nada imputam custos aos consumidores.

    Em vez de se fazerem de vitimas agora, pensem que antes o Default era os pagamentos por norma internacional e agora sim, começam a poder fazer por MultiBanco com taxas mais baixas para os comerciantes. Por isso, em vez de estarem a gerar uma onda de indignação, façam o favor de escolher MultiBanco se o puderem escolher em vez de “ah e tal agora é só meter ao bolso etc…”

    Esta possibilidade é melhor para o comerciante e só depende de nós! Agora se vocês decidem usar cartões de crédito para pagamentos normais pergunto, alguma vez fizeram pagamentos com o cartão de crédito que fosse à conta extrato???

  17. sonhador2150 says:

    Ah por acaso no outro dia vi isto quando fui pagar, opa optei pelo multibanco pq não sabia a diferença entre as duas e sabia que não estava usar um cartão de credito.

  18. Nuno Baioneta says:

    Acho que não faz o mínimo sentido no sistema de cartões portugueses. Esse sistema é utilizado em países que utilizam cartões que têm as duas opções, por exemplo no Brasil, em que o mesmo cartão pode ser utilizado para pagamentos a crédito e a débito.

    • Norberto says:

      E por cá é igual, como em quase todo o resto do mundo.
      Cartão de débito só para pagamentos a débito.
      De crédito para pagamentos a crédito ou débito.

  19. Norberto says:

    Tanta confusão e desconhecimento nos comentários. A ver se ajudo um pouco.
    Há cartões de débito e de crédito.
    De débito é o vulgarmente chamado de cartão MB, o cartão que ao usar debita imediatamente o valor do saldo da conta.
    De crédito, é o que tem um saldo que se pode utilizar e pagar a crédito após 20 a 50 dias (normalmente).
    O MB, (as máquinas multibanco) são uma empresa independente, a SIBS, que em Portugal explora e gere as máquinas.
    As redes dos cartões existentes são também empresas independentes, Visa, Mastercard, Amex, Unibanco … etc.
    Se eu ao pagar numa loja, restaurante, supermercado ou compras online NÃO pago mais por ser de crédito.
    Normalmente quem cobra mais pelo pagamento com cartão de crédito são as bombas de combustível mas isso é de conhecimento público. Qualquer outra empresa que aceite ambos, paga é uma comissão maior ao banco, o cliente não paga mais.
    Por ex: o Pingo Doce há tempos deixou de aceitar pagamentos com cartão de débito ou crédito para pagamentos de baixo valor. Como não queriam suportar essa despesa, proibiram.

  20. Wazer says:

    A predefinição é que realmente está mal, mas mais uma vez vergamos os nossos hábitos aos interesses europeus ou de grandes grupos económicos.

    Quando se pede as pessoas para restringirem as compras com crédito, para uma maior educação financeira, eis que surge o inverso encapotado e o governo nada vez. Noticias tardias, nem a defesa do consumidor, nem media. Uma vergonha, mas se fosse para publicitar um serviço ou empresa de um “amigo” apareciam as noticias encomendadas. Por defeito deveria de ser a opção de débito direto, ou seja, multibanco. Quantas pessoas não foram já enganadas, e toda a gente assobia para o lado. Vergonha.

    Pessoalmente já sabia da noticia desde que apareceu, e tomei esse cuidado porque olho sempre para o visor.
    Algo terá que mudar.
    Obrigado pela noticia mesmo assim.

    • sómaisum says:

      Predefinição?
      Depende do que o raio do estabelicimento e/ou banco escolheu.

      Já apanhei Visa predefinido, e já apanhei MB, tudo sempre no mesmo cartão.

      Se o comum dos mortais não olha para o que está a fazer no acto do pagamento, a culpa não é dos outros. Erros acontecem a toda a gente, assim como já me “tentaram”, sem crer suponho, debitar um valor com mais um digito, (in)felizmente não tinha esse dinheiro na conta, isto porque existe a mania do OK Pin OK.

      A culpa era minha, ou de quem pos o valor?

    • Malicx says:

      Rapaz
      Antes não escolhias e o que acontecia? A débito pagavas zero a mais, certo?
      Agora escolhas a opção A ou a opção B pagas zero a mais.
      Ao escolher MB está a ajudar o comerciante que vai pagar menos taxas. Já percebeste?

      Tanta vontade de complicar.

      • vitor says:

        da maneira como está, é pior para o comerciante pois por defeito está pagamento a crédito e nos pagamentos a crédito as taxas sao maiores para os comerciantes… ao incutirem mais taxas aos comerciantes os comerciantes vao começar a passar essas custas ao cliente final.. tão simples quanto isso.

        O pior é que os cartões vieram para facilitar e com isso pagavamos anuidades e taxas nas transações (quer clientes quer comerciantes), e neste caso estão a complicar a vida às pessoas, com mais anuidades e mais taxas é um contracenso.

        E as leis quando mudam, é por apenas por interesses economicos e nos dias de hoje como nao ha tanto dinheiro a circular e as receitas das taxas estao a baixar, estas leis de nada protegem o consumidor final. Só servem para grupos economicos continuarem a ganhar à grande e à francesa como nos dias das vacas gordas. Hoje pagas para ter o dinheiro no banco, e pagas por usares o teu dinheiro.

  21. José Duarte says:

    Há dias aconteceu-me um caso caricato. Tenho um cartão de débito do Santander (que diz MasterCard) e faço pagamentos sempre como débito. Mas num estabelecimento paguei (não sei se foi já com este modo de escolha, não dei fé) o dinheiro não me saiu da conta.

    Perguntei no meu balcão e disseram-me que o débito estava na conta a crédito desse cartão. Fiquei confuso, mas então o cartão não é de débito?

    Afinal parece que não, aquele cartão tem duas contas associadas, mas a de débito é predefinida. O dinheiro passado 40 ou 45 dias, já não posso precisar, o dinheiro saiu da minha conta á ordem. Conclusão: não percebo patavina mas só sei que fazem de nós gato sapato.

    • Norberto says:

      Pelo que diz o seu cartão é de crédito, que funciona sempre como de débito (chamado cartão multibanco).
      Pelos vistos ao pedir o cartão, o seu banco deu-lhe (vendeu-lhe melhor dizendo) cartão de crédito.
      Confirme quanto lhe cobram por ano pelo cartão!!
      “Neste caso emprestam-lhe o dinheiro até ao limite do saldo que lhe deram, e debitam na sua conta provavelmente ao dia 20, isto sem juros. Quem paga é o comerciante onde o Sr. comprou.
      Por ex:
      – se fizer uma compra a crédito no da 1 de junho, debitam na sua conta 50 dias depois, ou seja dia 20 de julho.
      – Se fizer dia 30 de junho, debitam na mesma altura e teve 20 dias depois.
      Convém é saber qual o limite de crédito que tem … e usar com moderação, senão a se vai o orçamento)) e começam as dores de cabeça!

      • vitor says:

        “Pelos vistos ao pedir o cartão, o seu banco deu-lhe (vendeu-lhe melhor dizendo) cartão de crédito.
        Confirme quanto lhe cobram por ano pelo cartão!!”
        Os cartões de débito também pagam anuidades! e eles só não vendem como alugam os cartões.. quanto mais os clientes falharem com incumprimentos, mais ganham os bancos, eles facilitam o credito porque é no crédito que os bancos vao roubar mais dinheiro, até um dia que volta a estoirar tudo. Credito mau parado e depois quem paga pelas créditos mal dados, o dinheiro do zé povinho que tem as contas em dia e pagam os seus impostos. Este ladroes do sec XX1 estao bem protegidos, imparidades de nao sei o quê, empresas multinacionais e ricalhaços com creditos nao cumpridos, e quem vai tapar os buracos destes ladroes? o estado com a ajuda da mediocridade classe politica que temos sucessivamente no governos durante os ultimos 30 anos.

    • Norberto says:

      Pelo que diz o seu cartão é de crédito, que funciona sempre como de débito (chamado cartão multibanco).
      Pelos vistos ao pedir o cartão, o seu banco deu-lhe (vendeu-lhe melhor dizendo) cartão de crédito.
      Confirme quanto lhe cobram por ano pelo cartão!!
      “Neste caso emprestam-lhe o dinheiro até ao limite do saldo que lhe deram, e debitam na sua conta provavelmente ao dia 20, isto sem juros. Quem paga é o comerciante onde o Sr. comprou.
      Por ex:
      – se fizer uma compra a crédito no da 1 de junho, debitam na sua conta 50 dias depois, ou seja dia 20 de julho.
      – Se fizer dia 30 de junho, debitam na mesma altura e teve 20 dias depois.
      Convém é saber qual o limite de crédito que tem … e usar com moderação, senão a se vai o orçamento)) e começam as dores de cabeça!

  22. A says:

    posso dizer que tanto o totta actualmente mas no passado foi o bcp hoje já não, tanto, gostam muito dos chamados cartões mistos tanto podem ir a débito como a crédito, que foi o caso aqui relatado e é em relação a estes cartões mistos que a opção MB ou Visa / Mastercard não é indiferente e provavelmente também nas gasolineiras aí há que ter esse cuidado, agora esta muidança têm o problema que não foi comunicada e já devia ter acontecido era há 20 anos atrás agora e comunicar nada pela calada da noite é que não se faz…

  23. Sujestão says:

    É incompreensível o ser humano, que ao fim de tantos anos a evoluir, e ter conseguido extinguir doenças e xenofobias, não tenha acabado com o pecado da ganancia (ou capitalismo). Sugestão, dado que grande parte do ano são os português que efectuam pagamentos a opção por defeito deveria ser Multibanco, e a maquina deveria identificar directamente um cartão de crédito, caso este fosse utilizado. A para disto as contas ordenado (serviço mínimo bancário) só deveria ter o cartão de multibanco, quem quisesse Visa teria de adquirir um segundo cartão (para a eventualidade de viajar).

  24. Cláudio Fraga says:

    Curioso, estava a ler hoje esta notícia e vi as explicações da SIBS e fico com muitas dúvidas, a saber:

    Diz a SIBS:

    – Esta alteração decorre de um regulamento europeu de taxas de intercâmbio de cartões (Regulamento UE 2015/751 de 29 de abril de 2015) e foi, portanto, implementada pela SIBS na Rede MULTIBANCO.

    Há mais de um ano e só agora vem a público este esclarecimento… poderia ter saído pelo menos em Abril deste ano não?

    – De acordo com o regulamento, sempre que um cartão de pagamento disponibiliza várias marcas de pagamento, como acontece com uma parte significativa dos cartões emitidos em Portugal (os quais integram simultaneamente a marca MULTIBANCO e uma outra marca internacional), o seu titular passa a ter a possibilidade de escolher, no próprio terminal, a marca que pretende utilizar para efetuar aquele pagamento específico.

    Mas então no terminal temos de dizer se queremos Visa, mastercard, maestro, american express, electron??? Não é só débito ou crédito???? Hmmm vocês estão estranhos a explicar SIBS…

    – O pagamento a crédito só será efetuado caso o cliente utilize um cartão com esta modalidade para efetuar a operação.

    Mas então se um cartão, como acontece na caixa agrícola ou no santander, em que os cartões são debito e crédito, o pagador de se enganar não vai pagar as compras com o de crédito e isso não terá um custo se for beber ao plafond mensal da conta? E se for num post de abastecimento? Vocês expliquem bem isso às pessoas sff.

    – Caso o cartão seja de débito, a operação será sempre efetuada nesta modalidade, estando o consumidor apenas a escolher fazer a compra através da marca MULTIBANCO ou de outra marca internacional (Visa, MasterCard ou American Express, por exemplo).

    Mas neste caso não deveria ser logo predefinida primeiro o débito para as pessoas, como usualmente fazem, não terem de ir às setas puxar para baixo e escolher o mais comum nas compras do dia a dia? Porque complicam? Gostava de perceber sinceramente!!!!

    – O cliente pode continuar a fazer o pagamento através do “verde, código, verde” a que está habituado, não havendo qualquer implicação no seu pagamento.

    Se eu for pagar num posto de abastecimento com o meu cartão santander, aquele vermelho de débito que diz MasterCard e fizer isso, se eu pagar 50 cêntimo de taxa, vocês devolvem-me esse dinheiro? Querem apostar como não devolvem?

    – A opção dada ao consumidor não é, portanto, entre a operação ser realizada a débito ou a crédito, mas sim com a marca MULTIBANCO ou outra marca internacional. A seleção referida não tem implicações para o cliente.

    Mas então para que colocaram isso? As pessoas não têm já cartões diferentes? Não estarão a complicar o que durante décadas foi enraizado na sociedade?

    – Caso o cartão ou terminal de pagamento só aceite uma marca, não é conferida ao cliente a opção de selecionar a marca através da qual pretende fazer o seu pagamento.

    Até nisto iremos ver coisas engraçadas…

    – A alteração imposta pelo referido regulamento visa promover a transparência e a concorrência do mercado europeu de cartões, através da uniformização dos requisitos técnicos e comerciais na utilização deste instrumento de pagamento.

    Transparência para quem? O cliente ao pagar se não estiver atento e tiver activa a conta débito e crédito no seu cartão, pode nem saber se pagou a conta a crédito ou a débito…. vamos explicar à sociedade co mais de 55 anos esta transparência…

    – Os comerciantes e consumidores que tenham qualquer dúvida relacionada com este tema deverão contactar o seu banco ou instituição de pagamento.

    Sim, o banco é que podia descomplicar, pois quando se abre uma conta além do cartão de débito, vem o de credito, de pagamentos MBNet… os contactless… os códigos banca online, banca directa…. ufa que é tudo tão simples!!!

  25. Carlos Costa says:

    Mais uma grande obra da geringonça,chefiada pelo bo$ta,com o apoio INCONDICIONAL do camaradovski Jerónimo e das esganiçadas do bloco de esterco!!

    • José Rodrigues says:

      O amigo não deve saber ler, ou então gosta apenas criticar por criticar…
      Esta alteração decorre de um regulamento europeu de taxas de intercâmbio de cartões (Regulamento UE 2015/751 de 29 de abril de 2015) , pelo que pode ver é um regulamento de 2015, altura em que a PAF estava no governo, e não a “geringonça”…
      Antes de falar mal, que tal informar-se um pouco antes? Só lhe ficaria bem, e além disso iria estar a falar mal das pessoas certas, as relacionadas com a famosa PAF….

  26. Oak says:

    A diferença no comerciante em vez de pagar 0.5% por transaçãp MB vai pagar 1.5% por transação visa.

  27. JCS says:

    Eis mais uma forma habilidosa de nos irem à carteira, principalmente para os mais distraídos. Acho isto asqueroso e o argumento é dúbio. Estamos fartos de pagar pelos erros dos bancos e agora mais uma vez embora de forma subtil somos “atacados”.

  28. Gonçalo Moreno says:

    Qualquer comerciante (não o colaborador) coloca LOGO MB… Qual é o comerciante que prefere pagar mais 1% de taxa Crédito por escolha se pode colocar logo MB e se não passar por falta de provisão voltar a passar aí sim em Crédito

  29. A. says:

    este problema são os bancos que o criaram ao ter cartões Mistos, simultâneamente de débito e crédito e sim não faz sentido nenhum que a opção por defeito não seja a rede MB.
    Eu por exemplo não me supreende nada que o totta esteja na lista dos que adoram cartões mistos há que aumentar comissãoes de alguam forma já que não é mais o factor de financiamento à economia que dá dinheiro aos bancos e sim as comissões nem que seja pelo ar consumido! já não deve faltar muito se as pessoas deixarem….

  30. abiper says:

    “Sabe que pode estar a pagar as suas compras por cartão crédito e não de débito?” É falso.
    Mas pode acontecer ao levantar dinheiro em deteminadas caixas automáticas que não tenham o logotipo MB são raras mas existem.

  31. HMBPSS says:

    Desculpem, mas o artigo está errado do principio ao fim.
    Se o cartão é de débito o pagamento será sempre a crédito. Se o cartão é de crédito, o pagamento será a crédito.
    Em primeiro lugar: que tipo de cartão tem na mão? Débito ou crédito? Nada se alterou no cartão ou na forma como o pagamento é feito (a débito ou crédito)
    Aquilo que o consumidor vai escolher é a marca/rede sob a qual o pagamento é feito. Isto é algo que não sendo novo, não é do conhecimento geral: quando um pagamento é feito, o comerciante paga comissões ao banco que lhe colocou o TPA e essas comissões podem variar consoante a marca/rede é Multibanco, Visa, MasterCard ou American Express.
    Ou seja, nada se altera para o consumidor. mas para o comerciante sim.
    Então porquê optar? Porque se o cartão do consumidor oferecer outros beneficios (programas de fidelização, seguros, etc.) só serão atribuidos se a marca/rede utilizada for a que emite o cartão, e essa é a que estiver na frente do cartão. Geralmente Visa, MasterCard ou Amex (são poucos os cartões unicamente Multibanco).
    Nada disto ocorre por manigãncia dos bancos! isto é resultado de um Regulamento Europeu que entrou em vigor a 9 de junho e se alguém é beneficiado são os comerciantes!

    • Cláudio Fraga says:

      Comentário todo distorcido HMBPSS… não tem ponta por onde se lhe pegue.

      Então se o cartão é de débito pode igualmente ser de credito, não sabes que há cartões com as duas funcionalidades?

      Que tipo de cartão tem na mão? Nem tu sabes, podes ter um que te dizem ser de débito e numa máquina ele passar o pagamento para crédito, como há casos, vários até.

      O que há já nalgumas máquinas é a opção Crédito ou Débito, e a que está em primeiro lugar, como diz no vídeo da SIC e neste artigo é o de crédito porque é o mais usado internacionalmente. Fiquei confuso foi com a declaração da SIBS, já viste se numa pagamento tiveres um menu com as opções:

      Visa
      MasterCard
      American Express
      Electron
      Maestro
      Amex

      …. será de bradar aos céus!!!!!!

      O consumidor vai ter aqui uma tarefa nova, vamos ver é se esta alteração não traz implicações quando este se enganar a escolher.

      Depois dizes uma coisa que te estás a contradizer:

      “Ou seja, nada se altera para o consumidor. mas para o comerciante sim.
      Então porquê optar? Porque se o cartão do consumidor oferecer outros beneficios (programas de fidelização, seguros, etc.) só serão atribuidos se a marca/rede utilizada for a que emite o cartão, e essa é a que estiver na frente do cartão”

      Hmmmm achas que os bancos dão alguma coisa ao cliente sem este dar o porco primeiro????

      • Malicx says:

        Cláudio.
        Essa cabecinha está confusa. Nada mudou para o consumidor com já foi explicado.
        O caso dos cartões mistos mantém os mesmos problemas que já existiam. Agora sim existe a possibilidade mais clara de escolher.

        É de rir.

    • HMBPSS says:

      Um pequeno lapso de escrita: se o cartão é de debito NUNCA paga a crédito. Cartões com dupla funcionalidade não são frequentes. Aí o portador deverá ter o cuidado de saber que cartão comprou. E já antes pagaria a débito ou crédito….não é de agora.
      Esqueçam a analogia debito=multibanco e visa=credito. É falsa e só confunde!
      Nas maquinas só aparecerão 2 marcas: multibanco e uma das outras. Não há cartões com visa+mastercard ou mastercard+amex.

  32. BMS says:

    Ora bem, a ver se consigo esclarecer a questão dos cartões de uma maneira simples e fácil de entender …
    Começando com os cartões, quem os emite e a que rede pertencem …
    Um cliente de um Banco X, soliticita um cartão de débito associado á sua conta corrente …
    O Banco X emite um cartão de débito que está associado, por exemplo, á rede multibanco.
    Logo, o cliente do Banco X, pode usufruir em qualquer TPA dos serviços desse mesmo cartão.
    O Cliente do Banco Y, abre uma conta e como oferta é-lhe oferecido, um cartão de crédito, associado á rede Visa … Logo, o cliente tem duas opções de pagamento, uma será de débito, mediante o uso da confirmação do valor a pagar, Pin e Confirmação. Ou então, pressionando na tecla verde nos terminais duas vezes, o respectivo crédito. mas, isto é do senso comum.
    O que está aqui em causa, é as redes a que esses cartões pertencem.
    Em Portugal, existem que eu conheça a rede Multibanco, a rede Visa Electron, a rede Master Card Maestro, etc.
    Esta dedicam-se exclusivamente a transacções por débito em conta.
    Em termos de cartões de Crédito, aí será a Rede Visa, Master Card, American Express etc.
    A questão é mesmo, o pagamento da taxa de suporte do TPA, que pode ser feita em rede Multibanco, vulgo, por meio de terminais associados a um banco, ou então por meio de uma rede de cartões internacional, sendo que as taxas a pagar serão muito maiores.
    O contrato do TPA pode ser feito por meio de um banco, o qual está inerente á Rede Multibanco, pertença da Sibs. A Sibs por sua vez, tem associações com estas redes internacionais VIsa, MasterCard, etc.
    para pagamento com cartões de qualquer rede, sendo que a primazia é dada aos cartões pertencentes á rede do cartão usado.
    Como o leitor HMBPSS disse e passo a citar “quando um pagamento é feito, o comerciante paga comissões ao banco que lhe colocou o TPA e essas comissões podem variar consoante a marca/rede é Multibanco, Visa, MasterCard ou American Express.”
    A questão, neste caso, será qual a rede utilizada por nós para o pagamento das taxas inerentes á utilização comercial do TPA.
    Se para pequeno comércio, é mais favorável a Rede Multibanco, opta-se por essa opção.
    Se é para o grande comércio, é indiferente …

    Espero que tenha conseguido resumir algumas coisas …

  33. José Eduardo says:

    O PORQUÊ DE UMA ALTERAÇÃO “TÃO GRANDE” SE OS CLIENTES NÃO SÃO BENEFICIADOS EM NADA… eu explico!

    No ano passado o parlamento europeu aprovou limites máximos sobre as taxas de cartões de pagamentos (credito ou debito) a pagar pelos comerciante. A saber, estas não podem ser superiores a 0,2% nos cartões de debito e 0,3% nos cartões de credito.
    MAS esta diretiva só se aplica aos cartões particulares e UNIPARTIDOS (são cartões que só disponibilizão UMA marca de pagamento, Exº só pagam através da marca VISA, ou mastercard, ou american express, etc…
    MAS…. como em tudo na vida existe excepções e esta é das grandes:
    Quando os cartões são TRIPARTIDOS (são cartões que permitem efetuar pagamentos de varias formas, VISA, ou mastercard, ou american express, entre muitas outras) ou empresariais, as taxas a pagar pelos comerciais já não são limitadas e sobem 4,5,6 vezes mais (pois deixam de estar abrangida pela nova diretiva europeia)
    Se o pagamentos for a credito, então as referidas taxas são ainda mais elevadas, podendo mesmo ultrapassar os 2% do valor da compra, daí que por defeito, a opção credito ser a 1ª a ser disponibilizada pela maquina de pagamento (caso o cartão disponha dessa facilidade)
    Daí, o interesse da sibs em disponibilizar varias modalidades de pagamento sobre o cartão, sem que ninguém o tenha pedido, pois é a forma de justificar a manutenção das taxas e na sua grande maioria um aumento muito significativo das mesmas e desta forma não assumir a verdadeira razão de o porquê desta alteração, justificando-se que o faz para “promover a transparência e a concorrência do mercado europeu de cartões”.
    Como já devem ter compreendido, o principal motivo desta alteração nada tem a ver com a intenção de “promover a transparência e a concorrência do mercado europeu de cartões” mas sim com um agravamento das taxas a pagar pelos comerciante. Digamos que é uma forma simpática de contornar a lei, pois o CONSUMIDOR FINAL NADA GANHA com esta alteração, NADA.
    Quanto ao consumidor final á partida dificilmente é afetado diretamente, pois este representa o agente que possibilita a cobrança destas taxas ao comerciante. Alias quanto mais pessoas usares cartões de pagamento, mais taxas são cobradas aos comerciantes. Contudo quanto mais elevadas forem taxas a pagar pelo comerciante, mais caro será o produto adquirido pelo cliente final, pois os comerciantes certamente irão repetir este custo nos produtos adquiridos por todos nos.
    Bom dia.

    • vitor says:

      o consumidor nao ganha, nao! vai PERDER porque as taxas acrescidas vao começar a refletir no cliente final..preços maiores para colmatar as taxas acrescidas nos pagamentos por cartao ou então os comerciantes vao deixar de aceitarem esse pagamentos por cartão e assim dificultar o pagamento aos clientes…

    • Jeremias says:

      Caro José Eduardo efectivamente o regulamento europeu impôs esses limites de custo 0,20% (débito) e 0,30% (crédito) mas para as taxas de intercâmbio bancário (comunicado da Sibs), que não é obrigatoriamente o custo final para o comerciante. Mas estes limites foram impostos para cartões europeus de marcas internacionais (Vis e MasterCard ). MB não é uma marca internacional é uma marca nacional. Os esquemas domésticos europeus estão fora do âmbito do regulamento. Ou seja hoje o MB ao senso comum pode parecer ser a alternativa mais evidente mas amanhã, após estar enraizada a rotina da sua escolha no TPA, poderá alimentar muitas casas mal geridas que andamos a ‘salvar” no nosso país. Eu opto por pagar como sempre paguei com o meu cartão Visa de Débito . Quando necessito de utilizar crédito utilizo o outro meu cartão que é um MasterCard de crédito. Ambos têm a opção Multibanco mas o que eu ganho com isso? Nada…perco tempo a optar por algo que já decidi quando solicitei os meus cartões as instituições que mos facultaram.

  34. F.morais says:

    Ola Bom Dia

    Não sei ate que ponto será verdade, a comissão da taxa ser suportada pelo comerciante se for pagamento Visa: Sendo assim eles teriam o cuidado sempre de alertar o cliente …. o que não acontece..

    • vitor says:

      acontece sim, no lidl ja reparei que ha o cuidado de informar o cliente a mudar a opção, mas isso depende das pessoas que estao nas caixas, muitas podem estar-se a marimbar para o que o hipermercado pague mais ou menos de taxas, como são pessoas normalmente exploradas e com ordenados minimos, podem muito bem ignorar as directivas da casa de informar as pessoas a mudarem o modo pagamento..
      Experimenta mazé ir as lojas onde existe multibanco e quem manuseia o pagamento é o proprio comerciante e aí vais ver como ha muitas lojas tem esse cuidado enorme em evitar pagar essas taxas abusivas, isto se nao nao encontrares muitas, ja sem terminal multibanco ou a informarem que nao aceitam pagamento com aqueles cartao de crédito especifico..

      • vitor says:

        e pensa la na dose que é um caixa estar a avisar cada clientes que passa na caixa..para juntar à lengalenga do: “quer saco?”, “quer factura?”, “quer os selos do picachu?”, “tem cartão de fidelização?”, “quer descontar os talões?”, o e ainda “nao se esqueça de mudar a opção de pagamento!” dita 500 vezes por dia, 7 dias por semana, 4 semanas por mês..

  35. Tiago Miranda says:

    alguem me pode ajudar? eu fiz uma pagamente via multibanco, coloquei a entidade corretamente, mas enganei me na referencia mas eu nao tinha reparado, e entao acabei de fazer o pagamento, e foi aceite, só depois é que vi que me enganei e como é obivo o dinheiro nao entrou onde eu queria, mas saiu da minha conta, sabem se posso fazer alguma coisa para voltar a ter o dinheiro? ja falei com o meu banco mas eles nao podem fazer nada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.