PplWare Mobile

MEO, NOS e Vodafone: Banda larga em 588 freguesias precisa-se!


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Mota says:

    Acho muito bem. Sobretudo para niveis administrativos é fundamental!

    Agora falta lançar fibra a nivel nacional e acabar com a m***a dos contratos.

    • Flavio Ferreura says:

      Tu deves gostar de pagar boxes e instalações, olha que eu não

      • luis verdasca says:

        sim, porque a box é tão cara que é preciso pagar o seu valor eternamente, 5 euros por mês.
        e a instalação deve ser outro roubo. realmente, é melhor ter um contrato de permanência em que se paga 30% mais do que é oferecido aos novos clientes e quase se é insultado quando há um qualquer problema ou incumprimento por parte do fornecedor do serviço.

        • joao alves says:

          uma box custa (pelo menos custava) acima de 100€ um telefone desses que davam as pessoas (sem fios) acima de 80€ o técnico (se empreiteiro) 25€ de mão de obra, fora o cabo que é preciso esticar ate casa da pessoa cada poste de madeira que fosse preciso 50 € (por poste). É claro que as empresas precisam de ficar com o cliente por algum tempo para compensar o investimento feito, mas claro que algumas abusam

          • Flávio Ferreira says:

            Mesmo só que as pessoas não percebem e querem pagar isso tudo, e que tudo bem que se paga os 5 euros mensais da box, mas se passase a não haver fidelização pagava-se isso e não iria baixar o preço do pacote pelo contrário até aumentava

      • Ricardo Raimundo says:

        Sem dúvida! Quando a minha fidelização à Vodafone terminar quero refidelizar-me para continuar a pagar metade da mensalidade.
        Acho sim que devia haver uma maior flexibilidade para casos concretos. Por exemplo se um cliente tiver que mudar de casa (ou país) para um sítio sem cobertura da operadora.

    • David says:

      Podes ser serviços sem contrato, basta pagares uns valentes €€€ e voilá.

  2. Moro numa freguesia em Cascais onde a cobertura indoor por parte da meo é fraca e muitas das vezes inexistentes, a nível de 4G a NOS não possui cobertura, após contactos indicam que este ano a nível de investimento na rede não haverá novidades para esta zona, apenas fica a sobrar a Vodafone que se encontra a trocar antenas e bts em todos os sites, penso que a modernização e expansão da rede na Vodafone esteja a acontecer a nível Nacional. Quando estive em Marvão a NOS era a única a não ter 3G, embora tivesse excelente cobertura 3G da Orange, Movistar e Vodafone ES.

    • luis verdasca says:

      sim, a vodafone tem andado a melhorar a rede em algumas zonas.
      mas porquê trocar em vez de simplesmente mudar? trocar implica tirar de um lado para meter no outro, o que acaba por custar menos à empresa mas lixa uns clientes para beneficiar outros. o ideal, se forem honestos e houver orçamento é melhorar a capacidade das que precisam.

    • Bruno says:

      Onde vivo a nos não tem nem 3G! Só EDGE

  3. Miguel says:

    Em matéria de banda larga móvel não me queixo, mas isto das operadoras é uma vergonha, á vários meses que no local onde tenho residência existe um enorme placar (mesmo á entrada da aldeia) de publicidade da NOS a dizer que a fibra já chegou, mas o que é certo é que a fibra está do placar de publicidade para traz, para a frente onde a aldeia se situa não existe fibra, VERGONHA!

  4. eu mesmo says:

    fico contente em ver “LAMAS DE MOURO” – “MELGAÇO” na lista, pois a rede lá é 0%, nenhum operador lá tem rede, o MEO tem la qualquer coisa dependendo do tempo hehe
    de resto tenho Vodafone 4G “em todo o lado”.

  5. joao says:

    Lol, ridiculo. Estado a obrigar as empresas privadas a gastar dinheiro onde nunca vao ter retorno do investimento, quando ele proprio nem o TDT tem a funcionar correctamente em todo o pais e esse sim ja pagamos impostos para isso….enfim país da treta…

    • MLopes says:

      o estado não obriga ninguém a gastar dinheiro. as empresas precisam de banda para trabalharem e essa tem um custo. parte do custo passa por disponibilizarem serviço em diversos locais. outro modo de fazer passaria pelo estado cobrar muito mais pelas licaneças e pela banda e instalar ele mesmo serviços nesses locais só que não teria sentido algum fazer isso.
      nenhuma empresa é obrigada a comprar, só vai aos leilões e só opera no mercado quem quer. e mais, eles sabem muito bem quais são as condições.
      a menos que sejas acionista de uma operadora não te preocupes com os gastos deles. exploram os trabalhadores e roubam os clientes e não te vejo insurgires-te contra isso.

      • joao says:

        meu caro MLopes, faço apps para smartphones e durante 3 anos usamos ADSL…nunca tive necessidade de fibra. mudamos agora para fibra..sabes as melhorias? Trabalhei antes desta, numa outra que facturava 10milhoes de euros por ano..sabes a internet que tinham para 40 pessoas? exacto..ADSL…Se querem “brincar” para ir sacar jogos e afins..tens razão a fibra é “necessária”.
        Agora dizeres que as empresas precisam de banda larga, por amor de deus…vai trabalhar que isso passa….quando nem existia internet nem sei como as empresas trabalhavam….precisam de email e pouco mais….estou a falar de 99% por cento das empresas….quanto aos roubos que as operadores fazem..isso é outra história não vem para aqui chamado para este tópico….abre eu que eu apoio-te.

    • Joao 2348 says:

      Também era o que faltava!
      Quer dizer as operadoras opõem-se totalmente à entrada de mais operadores reais no mercado, tem praticamente todas as frequências à disposição deles… e só metiam onde queriam! Se assim fosse só metiam nos grandes centros urbanos e onde tivessem os amiguinhos dos administradores… e o resto do país ficava a navegar à velocidade do ADSL.

      As empresas é para servirem as pessoas, e desse bom servir é que deve advir as receitas que permitem pagar a infra-estrutura e melhorá-la.

      Caso as empresas se recusassem, seria totalmente a favor de serem extintas e o estado voltar a ter uma operadora, pois pelo menos aí o mesmo esforçar-se-ia por ir metendo em todo o lado mesmo (primeiro onde estão os partidos que estão naquele momento no governo, claro, mas depois a pouco e pouco chegaria ao resto do país)… pelo menos é mais fácil pressionar o governo que as empresas privadas que podem simplesmente dizer que não, pelo menos até o estado as obrigar através de algum mecanismo legal para esse efeito.

      Aliás o estado poderia criar as infra-estruturas para não existir duplicação de investimentos, que depois as empresas privadas exploravam (operadores virtuais), similarmente ao que aconteceu com o acesso de 56 Kbps e ADSL (no caso do ADSL a certa altura acho que a PT (que era simultâneamente a dona da plataforma e operadora…. conflito de interesses óbvio!) pôde voltar a dificultar a vida aos outros operadores).

      • joao says:

        as operadores podem opor-se ao que quiserem para novas operadoras…cabe ao estado opor-se a isso e deixar entrar quem quiser..o povo agradece com mais concorrencia..se assim não o faz..é porque recebe luvas para não o fazer…

      • joao says:

        quanto ao resto dos teus comentarios..sao tao ridiculos que nem comento…ainda deves estar na idade escolar..nao fazes ideia do que falas….continua a estudar que isso passa…

  6. Manuel says:

    O ridículo disto é que não são apenas freguesias, são concelhos inteiros! E vários!!!
    Andam a vender pacotes ao pessoal e depois não cumprem o que oferecem e ainda se dão a desfaçatez de exigir permanencias obrigatórias!

  7. Célia soares says:

    Fico triste quando não vejo aqui a freguesia onde estou a viver, quando na zona só temos internet a uns 2 megas. A nos promete 4g até 40 megas quando na realidade à noite nem a 1 mg funciona. Não existem previsões para melhorias.

  8. Fernando Maurício says:

    Moro na Freguesia de Santa Maria Maior em Lisboa. Sou cliente Vodafone que me serve bem. Mas gostava de ter a mesma Vodafone em banda larga. Para quando será?

  9. José Santos Rosa says:

    Na Mealhada uma povoação a 4km da Cidade da Mealhada aldeia denominada Travasso, ficou esquecida a Banda Larga ficou até a Cinca (Fabrica de Azulejo) e por ai ficou, sou cliente da PT desde meus 16 anos tenho 46 anos e não tenho MEO Banda Larga ou fibra, a população do TRAVASSO precisa deste serviço.

  10. joao terra says:

    acho muito bem, Portugal não é só Porto e Lisboa… e melhorar os serviços, a nível de estabilidade como funcionalidade.

  11. Vicente says:

    Ridículo é o mínimo… que posso dizer da Anacom, e das nossas operadoras!!! sou cliente NOS (era cliente optimus) e desde sempre tive Internet dentro da rede do Metropolitano de Lisboa… desde de Novembro que ZERO (sinal de rede existe, mas depois internet… ZERO) parece que alguém desligou o cabo… já lá vão 5 meses, já reclamei diversas vezes e nunca admitem o problema… já troquei de TLM e cartão SIM e o problema mantêm-se… contactei a ANACOM…. Resposta ZERO… portanto se isto se passa no centro de Lisboa, imagino no resto do país…. com o regulador como a ANACOM…. fazem o que querem e lhes apetece e nada acontece… excepto ir ao bolso do cliente e serviço ZERO..

    • CC says:

      Na minha empresa (zona grande lisboa) estivemos 5 dias sem telefones, devido a um problema da NOS. Reclamámos por diversas vezes, e apresentámos uma reclamação à ANACOM – a resposta foi que “… a ANACOM não tem competências para resolver conflitos individuais entre utilizadores e prestadores de serviços.” Quanto ao serviço de tlm frequentemente vou atender para a rua, já que nas instalações é frequente não ter sinal (sugestão da NOS: “a antena está a noroeste, por isso tente apontar (???) para lá”).

  12. Marcos says:

    O engraçado é ver a publicidade onde os operadores mostram vídeos que até parece que a banda larga cobre literalmente todo País. XD
    Se a fibra é cara avancem com o 4G e o TDT. Tecnologia há. Falta é vontade. Onde anda a ANACOM? A dormir só pode.

  13. joao says:

    mais algo para sonhar mos muito so estas freguesias o resto nao ?

  14. ZéTóne says:

    Interessante como em Terras de Bouro saltaram uma freguesia que está mesmo entre duas da lista, e não tem banda larga. Também interessante de verificar que a ANACOM não coloca nessa lista algumas freguesias dos Bairros Históricos de Lisboa e Porto e que ainda andam a cobre. Está tudo ok, portanto.

  15. Waopao says:

    e o resto é paisagem…

  16. AlexX says:

    A anacom está num sono constante mas de repente e do nada despertaram para soltar uma piada ao solicitar as operadoras a que apressem um passo que sempre foi e será lento. Preocupados com a banda larga e tanta zona ainda por este País sem sequer 2G ou qualquer outro sinal móvel. Muito menos investimento e mais lucro para as operadoras distribuir banda larga móvel que levar fibra à porta.
    E fui lembrar a anedota que foi a televisão digital, fizeram tantos incautos consumir conversores digital/analógico e depois nem sinal de tv para muitos…

  17. Tico says:

    Petição para se acabar com as falhas de estado na ANACOM / http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT80512

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.