PplWare Mobile

Indústria automóvel: Em quanto é que os condutores portugueses foram enganados?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Miguel Batista says:

    E quantos milhões é que o Estado Português ganhou em impostos com o combustível?
    No final de contas a história é sempre a mesma!
    Como diz o ditado: “Quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão “

  2. hsff says:

    Isto parece-me mais um estudo que aparece para justificar certo tipo de medidas. Se a fraude é o modo de vida da industria automóvel esta deve ser altamente penalizada. O que temos visto é os automobilistas, que nestes casos são as vitimas, a pagar pelos infractores. Mais uma anormalidade que é vista como normal.

  3. Carlos Pereira says:

    Por isso comprei um Tesla model S e não tenho problema desses, consumo 0 e estacionamento onde quero gratuito. Ja fiz 12341km e paguei 0…

    • unknown says:

      “Ja fiz 12341km e paguei 0…”
      Suponho que o carro devem te ter oferecido pelo natal.. Sim porque pelo preço disso eu meto combustivel o resto da minha vida

    • nfcg says:

      tretas, isso é falso, diga quanto aumentou a sua factura da luz por mes ou isso nao é um gasto????

    • censo says:

      …quando precisares de assistência de uma empresa falida…depois diz aqui como foi a experiência.

    • Sérgio J says:

      Deixa ver se percebi, gabas-te de estar a viver à nossa pala? Claro que não estás a cometer nenhuma ilegalidade, mas sabes bem que isso não será para sempre. Estás a ter uma benesse por estar a ser um pioneiro. Mas mais uma vez a energia do teu carro não é gratuita, era como se o governo decidisse pagar o gasóleo a uma pessoa.

    • Napoleon Bonaparte says:

      És um genio!
      E também já compraste o teu iPhone?!

    • Dani says:

      Parabéns pela excelente compra e por estar a ajudar a mudar o mundo para melhor.

      A parte do “paguei 0” é um eufemismo, já que ao comprar o carro paga em avanço a electricidade disponibilizada pela Tesla nos supercarregadores.
      Certamente também para pela electricidade ao carregar em casa.

      Cumprimentos

      • Joao says:

        ” ajudar a mudar o mundo para melhor”
        Onde?
        A energia em Portugal é gerada em 60% numa turbina de agua a queimar madeira com libertação de CO2 num ano sem seca!, muito mais do que um carro a gasolina.
        Lá fora domina a energia nuclear.

    • Pedro Coelho Silva says:

      Excelente opçao! Infelizmente o model S & X não são acessíveis a carteira da maioria dos portugueses, mas isso vai melhorar substancialmente com a chegada do model 3. Motores a combustão é tecnologia do século XX o futuro é elétrico.

  4. Sérgio J says:

    Mas alguma vez se confiou nas especificações de consumo de algum fabricante de equipamentos? Os valores são só referências, para comparação entre produtos. Para as mesmas condições os valores são aqueles, mas todos sabemos que no mundo real teremos consumos diferentes. TODOS quando compramos viaturas novas ou usadas calculamos consumo das viaturas e quanto está a gastar por mês. Não sei qual o objectivo da T&E com esta noticia.

    • Dani says:

      O objectivo é mostrar os valores “propositadamente falsos” que os construtores automóveis divulgam. É fácil, basta ver no título do estudo: “numa manipulação que abrangeu toda a indústria automóvel”

  5. albino negro says:

    1º – Ainda havia alguém que acreditasse nos valores de consumo médio publicitado pelas marcas?
    2º – Haverá mesmo alguém que compre um carro novo tendo como principal factor de decisão de compra os consumos? ou, dentro da mesma gama de viatura que quer comprar toma outros factores como principal factor de decisão?

    Ao responder a estar questões vamos chegar a conclusão que, provavelmente ninguém liga aos valores de consumo anunciados.

    • Durval Ferreira says:

      1º – Havia, os governos (por causa da massa e afins…), e algumas instituições/associações como as que aparecem agora a colar-se muito indignadas à “novidade”… o que será que andaram estes anos todos a fazer?…Distraídos!!!
      2º – Há, ou haveria antes da novidade… os do ponto anterior, se não continuarem desatentos. Os restantes acrescentavam dois a três litros aos valores das marcas e faziam as comparações. Como é mais ou menos tudo igual, outros factores tornam-se mais importantes na decisão de compra.

    • Pedro says:

      a questão nao é essa, existem regras e para diferente patamares ha impostos, incentivos, multas, taxas e taxonas, mas nao tinha grande mal, se todos usavam o mesmo standard e não adulterassem os testes na altura dos ensaios. A Volkswagen (e dentro do grupo que tb engloba), criaram uma subrotina de propósito para que o motor se comportasse de um modo mais ecológico para poder viciar os valores na altura dos testes. Uma funcionalidade que iria estar desligada aquando nas maos dos clientes e bem fora dos supostos standards de condução. O problema é que as restrições sao cada vez mais apertadas e a investigação/desenvolvimento de novas tecnologias para os motores diesel é extremamente cara para alem de levar tempo e as soluções podem originar maiores males que o mal que querem corrigir.. (corrida ao minério raro, com recurso a equipamentos que acabam por poluir bem mais que a poupança dos carros que vao usar esses minérios para reduzir um pouco mais a taxa de poluição)
      Se merecem a condenação, sim foi bem merecido, há mais e piores, também é verdade e as alternativas podem ser piores. As tecnologias levam tempo a desenvolver-se e começam a desviar-se muito em prol do dinheiro, só quando as coisas estão negras é que alguem descobre a careca a alguem e o resto da industria aproveita a situação e lança uma nova moda/consciência e recomeça tudo de novo ..e quando se vai a ver haverá sempre alguém que sai fora das regras e depois descobrem que a emenda foi pior que o soneto.

  6. Rui Magalhães says:

    Gráfico muito esclarecedor

  7. falcaobranco says:

    Isto é daqueles assuntos que iriamos estar aqui SEMANAS inteiras a falar, mas apenas digo isto… é pouco os carros, ou praticamente nenhuns, que façam os consumos que as marcas anunciam… porque os testes deles são completamente diferentes dos de estrada… porque, se ninguem sabe, eles metem os carros num rolo, sem passageiros e sem carga e anunciam os valores… da minha parte eu não fui enganado, porque o meu carro é dos poucos que faz aquilo que a marca anuncia… mas eu sozinho a conduzir… porque com carga…esqueçam!!!

    • Vitor says:

      ainda para mais quando ja vêm com computadores de bordo que registam as médias de consumo. O consumidor só não detecta a discrepância porque não quer…ha bem, mas há aqueles combustiveis que dão mais kilometros e limpam ao mesmo tempo o motor 😛

      • Alvega says:

        “ha bem, mas há aqueles combustiveis que dão mais kilometros e limpam ao mesmo tempo o motor”, calculo que o tenhas dito por ironia, mas lamento ter de ser eu a dizer-te, SIM é VERDADE, existem mesmo, e nao me venhas com tretas da DECO e outros que tais, como este estudo que este tópico aflora, sao ENCOMENDADOS, refletem aquilo que quem paga quer.
        Quanto aos combustíveis ditos aditivados, eu demonstro-te, mostro-te, explico-te que diferem sim e para MUITO melhor. Claro que para isso teremos que colocar a “mao na massa”, se estiveres disposto a isso ?

        • Vitor says:

          enquanto não houver estudos independentes a confirmarem um beneficio principalmente na carteira, porque tudo depende do custo para o consumidor, pode ser simplesmente um placebo. Muita gente gostava de poder escolher os produtos catalogados como os de melhor qualidade mas a qualidade é sempre mais cara (depois os parâmetros de qualidade para cada um de nós tb é diferente) se houvesse melhores condições porque no final o que conta é o guito. Mas pode ser simplesmente um placebo, porque não há estudos a confirmarem o que essa industria tenta vender ao consumidor. Isto sem falar na questão ambiental, porque duvido muito que essa industria tenho como principal preocupação o meio ambiente..
          Quais são os estudos sobre os gases ou a perigosidade dos gases desses combustíveis? Era interessante analisar o que é realmente verdade ou mentira nos dias de hoje… com tanta informação controversa e interesses/lobbis, simplesmente deixei de acreditar em metade do que a industria dos grandes lobbis nos tenta vender.

  8. Bruno says:

    Mas não andam a dizer que os motores diesel já desde o euro4, são mais limpos e menos prejudiciais que os motores a gasolina? O problema é que ha países que são obrigados a renovar as frotas (e dpx estamos a enviá-los para outros países, como se noutros países eles vão poluir menos..) isto para se cumprir as normas mais rigorosas e depois ha paises que aindam estão foras das normas.. depois os incentivos para os eléctricos é uma fantochada, Custam o dobro e não existe uma rede de carregamento rápidos (nem a pagar) e são carros que possuem uma pegada CO2 bem superior (ja para n falar na autonomia)..

  9. Alvega says:

    Quanto ao tópico, e ao contrario do usual, tem sim uma quase totalidade de respostas “inteligentes, assertivas”, que acrescentam algo ao assunto, estou deveres agradado, e surpreendido, ainda assim deixo a minha opinião, como sempre, desde que rebentou a “bronca” da VW, eu desde logo aqui e em outros forum, defendi que nao era exclusivo da VW o “contornar” das regras pré estabelecidas, a meu ver todos o fazem, com diferentes graus de gravidade, evidentemente, mas adiante. Quanto os consumos “aldrabados”, desde que a minha memoria me permite e os meus conhecimentos técnicos, avalizam, desde a 50 anos garanto que era e é um modus operandi, usual, mas como todos o fazem, nao há “espiga”, como alguém disse acima e bem, é apenas um valor de referencia para permitir comparações e acima de tudo argumentário para “facturar”, seja vender , mais , muito mais.
    Onde é que nesta treta toda entra o consumidor ?
    Ha, pois é o tipo que paga, de resto serve para pouco, aliás como ultimamente, por estas bandas e é quase o santo grall, é um tipo comprar um qualquer “pópó”, pagar os impostos, iniciais, os anuais, os eventuais (multas), e de preferencia nao tirar o dito cujo da garagem, pois vai “poluir”, ocupar o espaço publico, e estorvar os ciclistas, trotinetes, skates,e pior, muito pior, retirar o lugar de estacionamento onde os carros eléctricos, tem de “comer”, seja carregar a dita bateria.
    Comprem lá o carrito, paguem e de seguida atirem o mesmo ao rio, e regressem de transporte publico, o ESTADO paga o passe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.