Quantcast
PplWare Mobile

Guerra: Imagens de um drone mostram destruição de tanques russos

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Str says:

    “… Acredito que aquele animal se for obrigado a recuar num acto de vingança é capaz de causar um desastre nuclear numa das centrais e claro depois vai culpar os ucranianos.” Como aqui disse no dia 7, surgem agora os primeiros rumores de que o kremlin estará a preparar mesmo algo desse gênero. Esperemos que sejam apenas rumores. Seria catastrófico

  2. David Guerreiro says:

    O veículo com armamento termobárico é que deveria ter sido destruído, pois esse tipo de armamento é capaz de causar grandes danos.

  3. B@rão Vermelho says:

    Pplware, segundo o filha da Putin, é mentira estás imagens assim como também é mentira que a Rússia está em guerra com a Ucrânia, os Ucranianos é que estão a bombardeia-se uns aos outros.
    E se o filho da Putin diz é porque é verdade.
    O que o filho da Putin se esquece é que está a combater contra alguém que realmente acredita na causa que os leva a guerra, ao contrário dos Russos que são obrigados, basta olhar para a história e percebemos o valar da diferença.
    Os EUA no Vietnam ganharam as batalhas todas mas perderam a guerra, não se consegue vencer uma crença/religião ou autodeterminação, uns estão a lutar pela defessas da sua identidade os outros são obrigados.
    Ainda a menos de um ano novamente os EUA saíram do Afeganistão da mesma forma que saíram do Vietnam.
    Compreendo em parte a preocupação Russa em ter às portas a NATO, da mesma forma como os EUA, não gostou quando os Russos levaram os misseis para CUBA, mas não é motivo para a invasão a Ucrânia.

    • paocomsalada says:

      “Compreendo em parte a preocupação Russa em ter às portas a NATO, da mesma forma como os EUA, não gostou quando os Russos levaram os misseis para CUBA, mas não é motivo para a invasão a Ucrânia.”
      NATO tudo pode ninguém para além deles não pode nada. é o mundo que vivemos, deixa-me triste. porque isto esta a ser condenado porque são os russos… daqui a 1 2 3 anos vamos ver o que acontece, a ver se alguem mais é condenado. A França não vai ser condenada mais a Inglaterra e EUA a pagar bilhões a Libia… fazem parte da NATO, Portugal olha para o lado e assóbia.

      nem é pelo vencer guerra ou ter lados. mas sim ver que o pessoal não é Humano, nem la perto. como disseram na tv os Afgãos não são “civilizados” e nem partilham “olhos azuis e cabelos loiros ou religião” e que ver pessoas com tais caretiscas serem mortas é “triste”.

      É como a policia a cometer crimes, protegem-se uns aos outros.

      • Manuel Joaquim says:

        “NATO tudo pode ninguém para além deles não pode nada”

        Pois então não. A NATO não é uma força invasora, é uma força de defesa e manutenção de paz e só pode intervir em outros territórios quando mandatada pelas Nações Unidas.

        Ora, a Russia faz parte das Nações Unidas como membro permanente, o que significa que tem poder de veto. Ou seja, se a Russia não concordasse com a intervenção na Líbia (o teu exemplo), a Russia poderia perfeitamente ter impedido isso, não o fez, logo está a concordar (não faço ideia se votou a favor ou se absteve) com a intervenção.

        Portanto, não é a “França mais a Inglaterra e EUA” que vão ter que “pagar” as despesas da guerra, nem Portugal assobia para o lado. A tua amada Russia também tem responsabilidades.

        Mais ainda: A NATO interveio na Líbia com um mandato das Nações Unidas e a pedido da Liga Árabe, não por sua iniciativa.

      • Rui says:

        A Rússia merece toda a fúria que lhe possa caír em cima.

        As sansões só devem terminar quando a economia Russa estiver totalmente destruída.

        Invadir a Ucrãnia é um acto criminoso e os russos são por inerência os criminosos aqui, sem qualquer perdão!

        Já agora, quanto é que a FSB lhe paga? São 500€ por mês?
        Já arranjava um tradutor melhor!

        Se quer ajudar a rússia, dê um comprimido ao Putin!

    • David Guerreiro says:

      Além do mais a NATO não é uma aliança ofensiva, mas sim defensiva. Os países da NATO não andam por aí a atacar a Rússia. Portanto, quem não deve, não teme. A NATO foi criada para proteger os seus integrantes da União Soviética, com a desintegração da mesma, passou a ser a Rússia que continua a ter a mesma atitude belicista e agressiva da URSS. A Ucrânia como país independente e livre tem o direito de escolher aquilo que quer fazer, sejam alianças militares ou estratégicas, e nenhum país tem o direito de os tentar deter pela via da força. Uma coisa é a Ucrânia querer pertencer à NATO, outra coisa é ser aceite. Duvido que a NATO aceite um membro que tem parte do seu território ocupado por uma potência estrangeira.

      • B@rão Vermelho says:

        Faz falta uma Rússia forte para equilibrar os pratos da balança com os EUA, mas forte com homem decentes à frente do país, não com um lunático

        • Manuel Joaquim says:

          Se te referes a uma Russia Democrática, Pacifica e poderosa do ponto de vista industrial e financeiro, ai sim, tenho que concordar contigo

          Se te referes a uma potencia militar, ou com ameaças militares e nucleares sempre presentes, então recomendo que penses bem no que dizes antes de o tornar publico.

    • Manuel Joaquim says:

      “Compreendo em parte a preocupação Russa em ter às portas a NATO, da mesma forma como os EUA, não gostou quando os Russos levaram os misseis para CUBA, mas não é motivo para a invasão a Ucrânia.”

      A NATO não é uma forma de intervenção mas sim de PREVENÇÃO E DEFESA, a NATO nunca invadiu um pais e todas as suas intervenções em países terceiros foram MANDATADAS pela ONU (Organização das Nações Unidas, da qual a Russia faz parte).

      Portanto todas as ações da NATO fora do seu território tiveram o aval da Russia, pois a Russia como membro permanente da ONU tem poder de veto.

      Já a Russia, como toda a gente sabe, invadiu outros estados soberanos pela simples razão de controlar os mesmos e “restaurar a glória da união soviética).

      No caso dos misses de cuba, a Russia queria colocar Misseis atómicos em cuba, a NATO não só não tem poderio atómico (os seus membros tem, a NATO não!) como não tem poder para intervir fora do seu território sem o mantado das Nações Unidas que, como já referi, a Russia tem poder de veto. Ou seja, só para deixar bem claro: A NATO só poderia invadir a Russia com o aval da… Russia!

      Pergunto-te então, onde está afinal a ameaça à Russia?
      Afinal quem é uma ameaça para quem?

      • PorcoDoPunjab says:

        Oh Manuel Joaquim, epá, como é que eu vou dizer isto sem melindrar ninguém…

        Vc está a dizer me que o material militar da nato é só de defesa?
        Portanto, deixa cá ver, os mísseis apontados à Rússia nunca poderão atingir a Rússia porque são de defesa, logo, chegando à fronteira, são destruídos, é isso?
        Os aviões caiem, etc?
        Em relação à ONU, mas vc ainda tem ilusões do que é a ONU e quem manda naquilo?
        Sinceramente, olhe, vá ver o Benfica.

    • Asdrubal says:

      Muito se compara a suposta “aproximação” territorial da NATO à Rússia com os mísseis russos em Cuba, mas não encontrei nenhum registo histórico de os Estados Unidos terem bombardeado Cuba nem lá terem colocado poder político segundo a sua ideologia. Cuba continua com o mesmo regime político que há 60 anos atrás, mesmo às portas dos Estados Unidos.

      • PorcoDoPunjab says:

        Asdrubal, não bombardeou Cuba porque fez um bloqueio naval e os mísseis nem chegaram a pôr os pés em território Cubano.
        Tivessem os EUA acordado com os mísseis já instalados e ia ver se havia ou não bombardeamento…

        Tem que me desculpar, mas até uma criança conseguiria analisar melhor essa situação.

        A propaganda é poderosíssima quando usada sobre quem não tem meios para dela se livrar.
        Em resumo, para quem não sabe pensar pela sua cabeça.

        • jota says:

          O EUA estiveram quase a invadir Cuba, o quase é muito diferente de facto consumado, quais foram os misseis da NATO que foram colocados na Ucrânia? Se estiveram quase, o Russia tb se podia ter ficado pelo “quase”, mas não, o Putin avançou mesmo.

  4. Miguel says:

    Manual Joaquim, se bem me lembro a Nato invadiu o Iraque sem ser mandatada pela ONU. Confirmas?

  5. Profeta says:

    Esta guerra e toda combinada. E mais uma mentira que a comunicacao social quer passar ao muindo. Estao a ficar muito previsiveis estes governantes.Mas como em tudo na vida alguma coisa boa saira disto. E pena sao os inocentes que ficam pelo caminho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.