Quantcast
PplWare Mobile

Governo vai avaliar os Jogos de apostas Online

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Marisa Pinto


  1. FG says:

    Só não percebo como é que sites de bids tipo bidrivals ou twingle podem ser considerados legais.

    • hugo says:

      concordo. e um roubo descarado. agora em relação as apostas discordo do governo. percebo que queiram abulir o nosso de direito de apostar online, mas não venham com a desculpa do vicio. o que lhes interessa, é os lucros que têm com as casas legalizadas para exercer essa actividade e se usarmos nas “casas” online, nao vêm nem um tostao.

    • Exactamente!
      Isso é que é um verdadeiro roubo!
      Quanto às apostas, o que o governo quer, é óbvio! não é proteger os cidadãos…Querem é impostos!

      • MáRiO says:

        E não estão no direito deles? É que assim esse negócio serve para lavagem de dinheiro entre outras ilicitudes. Um estado que se preze tem que meter ordem na casa! É do conhecimento dos cidadãos que têm que ter direitos e deveres. E é ilegal em qq estado de direito não pagar ao estado sobre lucros sejam eles quais forem. Jogadores: não sejam maus para vocês próprios. Já pensaram nos milhoes de lucro dessas casas de apostas?

  2. chicosoft says:

    LOL este governo vai de mal a pior anda a ter a posturo do estilo, se não os podes vencer junta-te a eles…

    O governo anda a tentar apanhar tudo o que é trocos que o Zé povo possa ganhar…

    PS: Já agora, e nesta linha de pensamento do governo, qualquer dia o que se segue legalizar a prostituição??? Aposto que mexe com muito dinheiro, não é taxado, e se fosse legar haveria controlo de doenças sexualmente transmissiveis…
    Já agora, em vez de pensarem legalizar as drogas leves porque não as pesadas em impostos devia dar uma pipa de massa!!! LOL

    • Paulo Martins says:

      Estas ideias que não cheguem aos ouvidos do Sócrates, senão olha que ele ainda as leva a avante…

    • Gerardo says:

      Enquanto houver procura existirá oferta. Por mais leis que se criem. A lei seca nos EUA o que originou? Contrabando e muito crime. Se as pessoas querem jogar, drogar-se, ir às meninas, etc as pessoas vão. Não és tu nem o estado que as vai proibir. Se a droga fosse legal acabava-se com MUITO crime. Prefiro que quem é drogado se drogue à vontade do que saber que mata e rouba para sustentar o vicio. Mas claro que a droga nunca vai ser legal, é um negócio de milhões de milhões. Quem propuser tal coisa aparece morto no dia seguinte. Por mim legalizava-se tudo (o álcool e o tabaco são legais e eu não uso nenhum dos 2). Claro que a minha liberdade acaba onde começa a do outro, por isso algo que ponha em causa outros não pode ser legal: homicídio pedofilia, etc. Tudo isso que falaste é praticamente legal. Prostituição: Abre o CM, a oferta é tanta que ocupa várias páginas. Droga: passa por exemplo no bairro alto. Jogo: Conheço uns sitios 😉 . Se fosse legal toda a gente ganhava, estado clientes, profissionais os únicos que perdiam era os que ganham agora com a ilegalidade sejam os donos dos casinos sejam homens poderosos que financiam o negócio da droga.

    • Manel says:

      Nao sei se estás a ser irónico, mas eu sou a favor da legalização da prostituição e das drogas leves.
      Isto daria uma grande discussão, mas essas 2 legalizações só iam trazer vantagens para o país. E só não as vêm quem não tira as palas…

      • Depois acontece como na Alemanha há uns anos..lá a prostituição é legal, logo é considerado um “emprego”! Uma certa senhora perdeu o direito ao subsídio de desemprego por recusar trabalhar..como prostituta! Achas isso bem?

    • Navyseal says:

      Qual é o problema da legalização da prostituição?

    • aver says:

      A prostituiçāo, entre adultos, ė legal em Portugal. Nāo há qualquer sançāo nem a quem se prostitui nem ao cliente. O que é crime é o lenocídio (ganhar dinheiro explorando a prostituiçāo de outros).
      Quando dizem legalize-se a prostituiçāo estāo a falar no lenocídio ?

      • Gerardo says:

        Eu estou a falar em ser legal legal. Com estabelecimentos regras, recibos, descontos, etc, etc.

        • aver says:

          Com recibo ? Isso dá logo mais 20% de IVA. Ora um cidadão que já paga os seus impostos não tem que ser taxado dessa maneira 😉
          Não sei se haverá estabelecimentos (leia-se, patrão e empregada(o)s) legalizados na Europa. No bairro da luz vermelha em Amsterdão cada “estabelecimento” é por conta própria. É um assunto complicado, mas que merece ser debatido.

          • Manel says:

            No bairro da luz vermelha em Amsterdão, as montras das meninas são em prédios da Camara Municipal que alugam às meninas por 150€ o turno.
            Fazendo umas contas assim por alto. Se num dia trabalharam 100 meninas (até devem ser mais):
            100*150= 15000€
            Num mês 30*15000= 450000€
            Quase meio milhão de euros que a Camara ganha por mes.
            Se a Camara de Lisboa, por exemplo, fizesse o mesmo com os prédios abandonados, eram logo uma data de vantagens.
            A legalização das drogas leves é simplesmente uma coisa básica a ser feita. Os pontos positivos são imensos. Turismo, emprego, impostos a ser pagos que vão para o estado em vez de se dar dinheiro a criminosos, menos crime nas ruas (o pior que se pode fazer aos “gangs” é legalizar as drogas”), menos dinheiro gasto na “guerra às drogas” que pode ser aplicado no combate a verdadeiros crimes.
            Enfim. Maneiras do estado fazer dinheiro há muitas, mas infelizmente as pessoas que lá estão são um bocado limitadas e as “soluções” que arranjam são sempre as mesmas.

          • Gerardo says:

            Ó Manel não sejas ingénuo, as pessoas que lá estão não são limitadas, são muito espertas. Achas que vão perder o negócio legalizando as drogas? Por mim legalizavam as leves e as duras. Nas quantidades que o cliente quisesse. Já estou a imaginar “linhas” de 1m, era vê-los “cair que nem tordos” 😀 😀

  3. aver says:

    Vale a pena assistir à abertura da porta das slot-machines nos casinos. Ainda deve ser às 15H00. Perto da hora começa a aglomeraçāo. Assim que a porta abre é uma correria, ver os coxos a correr é um espectáculo. Cada um corre para ficar com uma(s) certa(s) máquina(s) em que tem fézada. As confusões que há quando dois querem a mesma máquina apesar de haver centenas disponíveis! O maior pesadelo é largar uma máquina e sair um jackpot a quem vier a seguir.

    Jogos de “fortuna e azar” não sāo comigo. Joguei a minha quota-parte de jogo da “lerpa” (é parecido com a “bisca” mas a dinheiro) mas facilmente degenera em batota. De maneira que ultimamente nāo jogo a dinheiro, nem os chamados “jogos sociais”.
    P.S. Se querem perder o vosso dineiro no jogo, ao menos percam-no nos da Santa Casa. Na distribuiçāo dos lucros uma parte vai para coisas úteis.

  4. Isto acontece porque é concorrência à Santa Casa, logo está a combater com um tacho de alguém….

    Vício pode haver até no berlinde…

    Visto que a maioria destes sites estão sitiados lá fora era o que faltava impedirem o acesso dos mesmos…

    • The Duke says:

      Acho bem que todo o jogo legal baseado em apostas passe pela Santa Casa. Em Espanha o jogo está todo na ONCE, os quais têm um trabalho social impressionante. Cá em portugal é igual. A Santa Casa mantém os lares de idosos, hospitais, e alguns seminários, e mais uma carrada de obras sociais, que só vemos trabalhar no inverno (é qd as TV’s fazem as resportagens)…
      Enquanto que Betwin’s e Betclics, e esses sites de merd@, o dinheiro vai para algum merd@s lucrar sozinho…
      O dinheiro da Santa Casa ao menos vai para obras sociais, e a maior parte do portugueses nem se apercebe disso, por ignorância.

      É por isso que só jogo pela Santa Casa, sueca, lerpa e sobe-e-desce com os amigos. Esses sites não me dizem nada. Se quero algo mais engraçado vou a um casino.

      • Só que esses sites “de merd@” que te referes, pagam entre 90 a 95% do que seria o prémio justo. O lucro deles fica entre os 5 a 10%, dependendo da casa.
        Já na Santa Casa, se fizeres as contas, os prémios que te pagam, são pouco acima de 50% do que seria justo. Ou seja, o lucro deles, mais o lucro do estado (em impostos) é de quase 50%.
        Eu apostar, só em casas de apostas desportivas online.
        Se quiser ser solidário, faço donativos directos.

  5. Redhawk says:

    Basicamente a única preocupação do governo não é a suposta concorrência desleal ou com o facto de puder haver crianças a jogar, é pura e simplesmente o facto de não estar a ganhar dinheiro com isso, isso sim a verdadeira e única preocupação do Estado Português.

    • Miguel says:

      Concordo e acho muito bem que o estado pense assim. Se até quando vou comprar uma carcaça para matar a fome tenho de dar dinheiro ao estado, porque é que a malta que anda a jogar não haveria de dar?

      Nestas coisas é que o estado devia por impostos com fartura, tanto para os vencedores como para as casas/sites que recebem as apostas. Por isso acho muito bem que o estado cobre aquilo que lhe é de direito, até porque o estado somos NÓS! E estas casas/sites estão-nos a ROUBAR.

      Abraço.

  6. keops says:

    O estado português não resolveu esta situação mais cedo porque não quis. Existem diversos países na união europeia em que as apostas já são legais, e existem inclusivé casas legalizadas para o efeito nas ruas.

    A desculpa da “dependência” já é velha e apenas é justificada por dois coisas – o governo que não anda a ganhar dinheiro nenhum com os milhões de euros que são gastos diariamente nestas casas, e a Santa Casa que está preocupada em perder o monopólio destes jogos. O álcool também provoca dependência ao mesmo nível e nunca vi o governo preocupado com isso – pois é, o álcool é taxado com impostos.

    Sendo assim, não tenho problema nenhum em apostar online quando e como me apetecer. O governo já teve mais que tempo para tratar destes assuntos, mas como costume estão mais ocupados a insultar-se e fazer corninhos uns aos outros na assembleia da república do que resolver as questões pertinentes do nosso tempo.

  7. Pedro Almeida says:

    Pela grande maioria dos comentários, vejo que muita gente é contra o estado cobrar impostos sobre este tipo de receitas…

    Então mas vocês querem o que?

    Quando é que a malta percebe que quer tenha votado ou não no Sócrates, ou no X, ou no Y o estado é uma empresa de todos nós e que por isso mesmo todos devemos ter interesse em que de lucro!!! Provavelmente são daqueles que batem no peito a dizer que a crise quando vem é para todos e que se queixam dos prémios dos grandes administradores, como há algum tempo, tanto se falou do Mexia.

    Há um sentido social nos impostos meus caros, o estado não é um burlão que anda aqui a roubar dinheiro à malta nos impostos. Acreditem que há mais cidadãos a roubar o estado, e quando digo roubar o estado é o mesmo que roubar a nós todos, com fugas aos impostos, etc. Contra esses, dúvido que alguns vós tenham reacções tão enérgicas. Aliás, quantos de vós tem realmente atenção, sempre que compram um bem, que essa compra é devidamente registada para que o estado possa cobrar os devidos impostos ?

    Sinceramente às vezes fico um pouco triste com algumas opiniões um pouco generalizadas que vejo pelo meu pais … eu sei que mais do que uma questão de mentalidade é uma questão de cultura…mas acho que já vai durando há tempo demais. Será que nem a crise nos ensina nada?

    • Yoshi says:

      Opah, eu nem sei como dizer isto mas . . .
      Tu vieste em expedição doutro planeta?

      Eu ouvi dizer em cima algo do genero:
      “Só não querem ver se não tirarem as palas.”

      A maior parte do povo nem sequer se dá ao interesse de ver a imagem por detrás da cortina, singe-se ao que lhes é dito sem reflectir no assunto.

      Teoricamente o Estado é o que assegura a continuídade de uma nação, e o primeiro-ministro seria o representativo do povo, porém, o teu querido “Estado”:

      – assina tratados do qual o povo não sabe com que é que estão relacionados sequer (Tratado de Lisboa) sem fazer referendos ao povo (visto que foi este que o elegue);

      – privativa todo o tipo de empresas nacionais que DÃO LUCRO A LONGO PRAZO;

      – elege os representativos (ou “amiguinhos”) das empresas, sem teres direito a um concurso letigioso e transparente.

      Entre muitas outras coisas.

      Outro ponto, a maior parte das empresas que fogem ao fisco são aquelas em que os directores e gestores são esses tais “amiguinhos”, pois assim todos tiram partido dos milhões que não tem que pagar e todo esse grupinho enriquece á custa da produção do Zé Povinho.

      E entretanto vão cobrindo alguma da dívida com o dinheiro do estado, para não levantar muitas suspeitas, pois uma empresa com grandes lucros tem uma margem ELEVADÍSSIMA para pagamento de dívidas.

      E depois quando o “Governo” muda, fazem investigações a essas mesmas empresas (coincidência), e descobrem que têm um buraco de milhares de milhões de euros em dívidas ao fisco que raramente ou nunca virá a ser paga.

      Mas também acredito que haja gente que se aproveite do sistema, que o “Estado” criou, para sair impune destes escandalos e os reproduza na sua própria empresa e ninguém lhes ponha o dedo.

      Já à vários anos que o governo tem sido um Teatro em todo o lado em vários países, porque é assim que tem que ser para a ELITE seguir com a agenda deles, criam-te “esta crise” que foi engrendada por eles, e depois dão-te soluções apelativas que o povo aceitará sem questionar e ver os 2 lados da balança.

      Certamente já deverás ter ouvido falar da solução…
      Nova Ordem Mundial

      Por isso que ninguém me venha dizer que o Governo está a fazer o que o povo quer porque é mentira, aqueles que REALMENTE querem mudar o(s) país(es) e tirá-lo do buraco em que está ou “demitem-se” do cargo em que estão e metem-nos a trabalhar noutro tipo de empresa mediocre sem poder manipulativo nenhum a TODOS os níveis, ou são assassínados por terem poder de ordem pública e uma imagem influenciável que não segue os planos da ELITE, porque os que lá estão de momento são todos marionetas.

      Peço desculpa pelo testamento e se esta opinião estiver a infrigir qualquer regra do forum, podem removê-la.

      Quanto ao tópico, é simplesmente mais uma maneira do governo ganhar dinheiro naquilo em que não tem poder e que vê uma oportunindade fácil a passar-lhe entre os dedos.

      Cumps e obrigado pela compreensão,
      Yoshihiza

    • marcel says:

      peço sempre talão ao meu dealer..
      as minorias (poderosas) que roubam, ao roubar roubam em maior quantia..

    • Gerardo says:

      Se isso não fosse apenas teoria estaria totalmente de acordo contigo. Só que na pratica o estado “é um burlão que anda aqui a roubar dinheiro à malta nos impostos” para dar aos amigos. Os concursos estão todos ganhos, as obras não se fazem por interesse nacional mas por interesse privado. Nestes últimos 10 anos não me lembro de nenhuma grande decisão tomada para bem dos portugueses, é sempre com algum interesse por trás. Aeroporto, TGV, chip de matricula, hospitais privados etc,etc,etc. Até na mer** dos genéricos ficaram salvaguardados os interesses farmacêuticos ao constar na receita um campo para o médico autorizar ou não a prescrição de genéricos. Tenho reparado que todas as receitas que me passam pelas mão estão NÃO autorizadas a passar genéricos. Que calote, se é a mesma coisa então quem devia decidir era o doente, se não, o Estado devia parar de gastar dinheiro em campanhas a dizer que é..

      • Pedro Almeida says:

        Gente desonesta, interesses, corrupção, etc. , houve, há e sempre haverá em todos os sectores da sociedade. A política não é excepção.

        Agora o melhor modo de nós cidadãos combatermos esse tipo de crimes, quando entendemos que eles se praticam num sector fundamental como é a política, não é a fuga ao fisco … muito menos estar-se contra a cobraça de impostos numa actividade como o jogo.

  8. Manel says:

    @ GERARDO

    Não sou eu que o digo…

    http://www.independent.co.uk/opinion/commentators/johann-hari/johann-hari-violence-breeds-violence-the-only-thing-drug-gangs-fear-is-legalisation-2062252.html

    E basta ver o que se passa na Holanda. É legal, a percentagem de pessoas que usam é das menores que há, e criminalidade é praticamente zero.

    As drogas leves não são legais porque não há interesse ao governo americano. E depois os carneirinhos governantes dos outros países vão atrás. A Holanda foi o unico país em que tiveram tomates e alguma inteligência.

    Se não houver trafico de droga a quem é que os americanos vendem armas? Aos cultivadores de tulipas do Afeganistão? Ou às máfias colombianas e mexicanas?…
    E se a cannabis for usada em vez de medicamentos químicos como é que as farmaceuticas roubam o zé povinho?
    Ou se for usada como combustivel, como é que as petroliferas têm lucro?

    Isto parece um bocado teoria da conspiração mas com o que se sabe hoje não há outra explicação.
    Está provado que não é perigoso. Pelo menos não mais que tabaco e alcool. Está provado que causa pouca independência e não está mais ligado à escala do consumo do que o alcool e o tabaco.
    Há declarações de pessoas responsáveis pela guerra às drogas a dizer que é tudo uma perda de tempo e dinheiro e a melhor solução é legalizar.
    Mas se calhar sou eu que sou ingénuo..

    Seja como for, isto é um forum de tecnologia, já me extendi muito neste assunto 😉

    • Manel says:

      * pouca dependência

    • Gerardo says:

      Manel estou plenamente de acordo contigo. Não sei como percebeste o contrário. Eu inclusivamente acho que também devia ser distribuídas as duras. Não digo num café como na Holanda, mas disponíveis para quem quisesse. Mas como tu dizes os interesses são poderosíssimos por trás.

  9. johndays says:

    Penso que nos EUA estes jogos são proibidos e tem alguma lógica. Porquê?

    Ora bem, todos sabemos que são os mais os que perdem do que os ganham, certo? Depois este tipo de sites promove sempre o auto-controlo e não sei quê, mas fazem uma publicidade muito agressiva e campanhas que por vezes são enganosas, para não falar que recebemos mails semanais.

    Nos jogos de sorte ou azar o problema deve-se ao facto das pessoas que perdem também quererem recuperarem o dinheiro perdido, e quando o recuperam iludem-se que ganharam, jogando mais e mais até ficarem sem nada.

    Falo por experiência própria e pelo que assisto, logo é uma opinião com alguma argumentação de conhecimento do jogo. Estes jogos iludem que podemos ganhar $ facilmente, mas não é fácil e é preciso ter-se sorte. O governo pode e deve acabar com este tipo de jogos que fazem mesmo uma lavagem de dinheiro ao povo mais iludido e fragilizado.

    Tens sucesso nestes jogos? Parabéns, mas acredita que maior parte não e destroem as suas vidas por causa disso. Estúpidos? Não sei se são mais estúpidos eles, ou os que fazem-se passar por defensores de um jogo equilibrado e contradizem-se a cada palavra que escrevem.

    • Gerardo says:

      Isso não faz sentido nenhum, porque se vamos proteger o “povo” então porquê ficar por ai? Vamos acabar com as comidas que fazem mal à saúde, vamos só vender um modelo de carro, o com melhor relação preço/qualidade porque o “povo” não sabe escolher e gasta dinheiro desnecessário. Vamos proibir quem não pode de ter filhos porque não tem como os sustentar…… A lista é infindável. Por isso é que não defendo o Comunismo, o estado não deve ser o meu pai, a vida é feita de escolhas e se alguém escolhe o caminho do jogo ou da droga tem de arcar com as consequências (eu não tenho de pagar tratamentos a drogados!) Famílias destruídas sempre houve, seja de acidentes, de hipotecas executadas por bancos, por doença, etc. Chama-se vida.

  10. Joao says:

    Boas, só para informar que irei abrir uma casa de apostas desportivas em Madrid em Outubro, pois em Espanha é legal em apenas 2 cidades, e este franchising (Sportium) já abriu 100 lojas em 2 anos, e mais irão abrir na capital espanhola, pois está a dar muito dinheiro tanto as casas como as câmaras locais… infelizmente aqui em Portugal é completamente impossível, o que é triste pois o monopólio é todo da Santa Casa, mas não me importo nadinha de emigrar…

  11. only_me says:

    para aqueles que dizem que acabam por perder mais do que ganhar..eu digo o contrario…como qualquer outra coisa na vida, com estudo e dedicação é possível ganhar muito mais do que perder…

    • filipe3x says:

      Sem dúvida.

      Eu que estou estou no mundo das apostas desportivas, sei bem do que falas.

      Mas vejo aqui muita gente a confundir apostas desportivas com casinos. Coisas muito diferentes.

      • aver says:

        Finalmente há sistemas que asseguram ganhos nas apostas desportivas ?

        Digo isto porque nunca passei do Totobola, jogado com uma socieade, em que passávamos bastante tempo a preencher boletins para desdobrar as chaves. Nessa altura fiquei com a ideia que havia sistemas que podiam melhorar a relação “probabilidade de sair um prémio” / “custo da aposta”, mas em que a probabilidadade de ter perdas continuava a ser muito maior do que a de ter ganhos.

        Não sei se o @only_me se estava a referir a apostas desportivas.

  12. filipe3x says:

    @Avec

    “Finalmente há sistemas que asseguram ganhos nas apostas desportivas?”

    Sim, há.

    O paradigma das apostas desportivas à muito que mudou deste a introdução das bolsas de apostas, como a betfair. Já não se joga contra uma determinada empresa (casa de apostas), mas sim contra outras pessoas. Uns apostam a favor de um determinado acontecimento, outros apostam contra esse mesmo acontecimento.

    Desde o surgimento desta variante de apostas que o paradigma mudou radicalmente e passou a ser relativamente fácil fazer dinheiro com pouco risco.

    • aver says:

      Acho que percebi a ideia. Não conheço, mas deve ser uma aposta do tipo o Chelsea ganha ao Manchester United por 1 golo de diferença, por 2 golos etc. Por 5 deve ser um prémio elevado em relação ao valor da aposta, mas quem for ao engodo é quase certo que perde o dinheiro da aposta.

      Mesmo assim acho que a tua última frase podia ser: “passou a ser relativamente fácil, a alguns, fazer dinheiro com pouco risco. A maior parte continua a perder o seu dinheiro”. Também só pode, sendo um jogo de soma nula,(o que uns ganham é o que os outros perdem, deduzido da comissão da “casa”) não podem ganhar todos.

      • only_me says:

        sim e verdade, não podem ganhar todos, por isso gosto imenso dos jogadores recreativos,nem é dinheiro fácil, existem perdas,existem ganhos o que interessa é a relação entre ambos, e que claro, os ganhos sejam superiores as perdas..

        a a betfair, é uma casa de exchange,logo basicamente, é um sitio onde “compras” e “vendes” apostas…

  13. Legalizar seria muito positivo para ambas as partes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.