PplWare Mobile

GNR: 3 mil condutores multados por usarem lugar para deficientes


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. André Rua says:

    Deviam verificar nos centros comerciais também, era uma festa.

  2. Belmiro says:

    Muito bom. Já só faltam as outras dezenas de contraordenacoes diárias surreais…

  3. Miguel says:

    a única alteração de 2017 foi a passagem a contraordenação grave.
    já era proibido e punível.

  4. milkshaker says:

    Muito bem. E a nova lei também é aplicável aos parques de estacionamentos ditos “privados” ( centros comerciais e afins) ? isso é que era de valor. e 30€ parece-me pouco, deveria começar nos 250€ pelo menos.

    • Miguel says:

      na Lei (que não é nova) :

      “Artigo 2.º
      Âmbito de aplicação
      1 – O disposto no presente Código é aplicável ao trânsito nas vias do domínio público do Estado, das Regiões Autónomas e das autarquias locais.
      2 – O disposto no presente diploma é também aplicável nas vias do domínio privado, quando abertas ao trânsito público, em tudo o que não estiver especialmente regulado por acordo celebrado entre as entidades referidas no número anterior e os respetivos proprietários.”

      • Carlos says:

        Isto é muito bonito, mas PSPs já se recusaram a entrar no estacionamento de um centro comercial (Art 2º alinea 2) para verificar e autuar caso fosse mesmo contra-ordenação.

  5. Bruno says:

    Pois, vão ver os super mercados…. LIDL etc… era passar multas até nunca mais,..

  6. José Portugal says:

    Esta lei em si é boa, mas como tudo na vida necessitaria de alguns ajustes. Por semana vejo montes de situações dessas; é raro o dia em que pretendo estacionar nesses lugares, por direito, e estão quase sempre ocupados indevidamente. Se fotografar os infratores fosse válido por lei, isso é que era correto; bastaria fotografar a viatura e espaço envolvente com o sinal bem visível, enviar o ficheiro por e-mail para a GNR e/ou PSP local e isto valer como prova (lembro que o ficheiro tem tudo o que é preciso, nomeadamente: data/hora, o local deveria ser descrito pelo queixoso). Assim garanto que haveria menos ‘chicos-espertos’ a estacionar nos lugares que nos estão reservados. Enquanto assim não for continuaremos a brincar ao faz de conta, se chamamos a autoridade para fazer valer os nossos direitos, isso dá em nada porque quando chegam o infrator já foi embora e ainda se riu na nossa cara, mas este é o país que temos!

    • Danny says:

      Ainda bem que a foto nao é valida. Uma foto significa registar um momento e como tal, iria haver muitos abusos. Por exemplo, imagina que alguém por distraçao estaciona no local. ou melhor, imagina tens dois estacionamentos, um frente ao outro. o condutor, pode passar por cima do lugar para deficientes e estacionar no lugar da frente( lugar para o condutor comum)
      tu no exato momento tiras a foto e fazes todo o procedimento, mas nesse preciso instante o condutor dá conta do erro e muda de lugar ao apenas passou por cima desse espaço. E agora?Já condenaste alguém por um momento.

      • José Carlos da Silva says:

        Opa, por favor… Quem ocupa dois lugares também é por distração? Quem estaciona em lugares reservados é por distração? E quem passa vermelhos, também é por distração? A condução implica todos os sentidos focados no que se faz. Se anda distraído, não conduz. Há casos e casos, mas o que há mais é uma enorme falta de respeito e civismo cada vez mais presente nos dias de hoje. Comportamentos puníveis muitas das vezes. Acho que devia ser pior! Assim podia ser que, mesmo não aprendendo, já pensassem duas vezes numa próxima.

      • Sujeito says:

        Já vi um que devia estar bem distraído, a ocupar 4 (Quatro!) lugares. É muita perícia. E distração.

    • António Fagundes says:

      José, é simples, estacionas o teu carro atrás do infractor e chamas a polícia, era o que faria no teu caso.
      Nota: Para mim ter dístico não significa que se usufrua sempre dele.

  7. Pedro Pinto says:

    Esta é daquelas coisas que já nem ligo!
    Cansei de me chatear com certas pessoas “pessoas” por estarem ocupar esses lugares.
    Infelizmente a polícia é uma vergonha, porque raramente verifica a veracidade e legalidade dos dísticos, já que eles tem assinatura de quem tem portadora de mobilidade reduzida e validade!
    Os centros comerciais e supermercados vão continuar impunes porque a lei continua a beneficiar estas entidades… Além de levarem o nosso dinheiro, não deixam cá nenhum dos impostos e a polícia não pode autuar porque os políticos no querem saber destas pessoas mais frágeis.
    Assim como a 3 idade usa e abusa destes lugares, quem parte uma pata e de carrinhos de bebé.
    Viva à democracia e equidade! Lol

  8. José Canastro says:

    Esses 3 mil condutores talvez sejam deficientes…mentais.

  9. Pedro says:

    Realmente….em vez de andarem com radares escondidos…..passem nas superficies comerciais e nos grandes hipermercados……aposto k em meia duzia de dias conseguiam logo a “cota” mensal de multas….

    Infelizmente existe muito -“dotor” que se acha superior aos outros e usa estes lugares reservados.

    Mas também e infelizmente esta utilização dos estacionamentos para deficientes um reflexo da sociedade e das pessoas que temos……..infelizmente

  10. Rui says:

    Acho muito bem, a coima deveria ser mais elevada.

  11. Ricardo says:

    O mundo está cheio de gente fraca sem valores morais triste.

  12. Jorge says:

    Devia ser 100 vezes mais.
    Passem, por exemplo, no Loureshopping e vão assistir diariamente a “milagres”!!!!

  13. Jose Rodrigues says:

    O que se passa nos supermercados (entre outros) é uma vergonha. Já reclamei, disseram-me nas informações do supermercado que não podiam tomar acção legal, para telefonar para a PSP. Telefonei para a PSP que me disse não poder actuar por ser área privada. Parlamentares e legisladores desinteressados e incompetentes.

  14. Daniel says:

    3 mil condutores que acham que a sua imbecialidade é deficiência…

  15. Rui Slva says:

    Ser deficiente ninguém quer mas os lugares de estacionamento todos querem é que alem de verificarem se teem dístico passado pelo IMT é verificar realmente se pertence ao próprio pk há muitos que usam o dístico sem o respetivo deficiente presente eu conheço casos desses e então os françogueses esses trazem o cartão de lá e usam cá nos carros de matricula portuguesa e sabemos que alguns são cartões que nem lhes pertencem e alem disso não vale a pena chamar a policia pk dizem sempre que ou não teem pessoal neste momento ou não teem viaturas caso GNR de Arcozelo (Gaia) digo isto porque já me aconteceu muitas vezes e cheguei a lá ir falar com o comandante de posto e a resposta é sempre a mesma ” vamos fazer os possíveis para ir-mos lá mais vezes verificar a situação” uma coisa é certa todos os dias existe infrações

  16. Jorge says:

    Só pode estar a brincar não?

  17. Eu says:

    … e só multam quem está no lugar de deficiente. Experimentem multar quem está em 2.º fila, atrás e/ou à frente de estacionamentos e que “é só por 1 min.”… Em Ouressa, Sintra, é mato (até desconfio que é um policia quem estaciona em 2.º fila)… Acho que já não vai lá com multas. Conheço quem partiu o vidro de um carro e o puxou para a frente para conseguir sair… a polícia não pode estar em todo o lado segundo dizem.

  18. José Portugal says:

    Os lugares estão, por norma, bem identificados. E já agora parece que não nos conhecemos ainda.

  19. incredulo says:

    mario, anormal é quem pensa assim, se teem necessidades especiais mereçem tratamento especial, ja tu tambem merecias um tratamento especial…

  20. José Gonçalves says:

    Continuem Srs. da GNR e PSP, pode ser que os/as automobilistas se convençam que este tipo de estacionamento reservado não é um bónus mas sim uma necessidade.

  21. B@rão Vermelho says:

    Eu sofro de doença crônica e altamente incapacitante, mas tenho vários períodos longos sem qualquer incapacidade ou dor, ao ponto de me permitir viajar de mochila às costas, tento fazer a vida o mais normal possível mas há alturas em que me é impossível e so nessas alturas utilizo o lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade condicionada.

  22. Rogério Fernandes says:

    Há forma de avisar a policia de zonas “violadas?”
    Porque se sim, tenho muitas para eles irem passar multa! 🙂

  23. Waaaazzzuuupppp!!! says:

    Rogério Fernandes, foi-me dada a informação por um agente da Polícia Municipal, em que na área de Lisboa se pode entrar em contacto com o nº 217 225 200 caso se veja uma situação de estacionamento indevido para deficientes. Agora na realidade não sei dizer se chegam a ir ao local verificar, ou se fica em “águas de bacalhau”.
    Infelizmente deveria ser a mentalidade de alguns condutores a mudar, porque hoje em dia vale tudo para se arranjar lugar para estacionar sem pensarem em quem realmente precisa destes lugares…

  24. Luís says:

    Rogério Fernandes
    Há forma sim
    Pode ligar para a esquadra da área (se não souber o número de telefone encontra fácil na net se usar um smartfone)
    Pode também usas uma APP que se chama ” Denúncia de estacionamento”

    Espero ter ajudado

  25. JVC says:

    Aqui está o maior! O verdadeiro super Mario.

  26. Nuno Palma says:

    Caro Mário. Não se preocupe que pela sua conversa também tem direito a estacionar.

  27. Adolfo Dias says:

    Eu também acho, sinceramente, que os supermercados como o LIDL e outros deveriam fazer de tudo para honrarem a utilização desses lugares.
    É que se não colocam pessoal a vigiar, então nem vale a pena os colocarem. A menos que o façam unicamente para estarem dentro da lei, com o número mínimo de lugares para deficientes para aprovarem o projeto e depois é cada um por si.
    Se é pela última razão, aí a lei deveria ser também levada à risca após a abertura do espaço e as autoridades deveriam poder autuar com mão pesada essas infrações.

    • Jose Rodrigues says:

      Caro Adolfo; o problema é que os seguranças também não estão autorizados a intervir, ou dito de outra forma, teriam de chamar as autoridades (PSP / GNR).
      No caso por mim vivido há cerca de meio ano no híper do Jumbo, a menina da área da informação disse para avisar a PSP e para meu espanto a PSP disse que era área privada e não podiam intervir nesta questão de transito. Subentendo que as autoridades só podem intervir se houver algo tipo furtos, pancadaria, e afins …
      Se não é assim em todo o País então ainda é mais vergonhoso, apetecendo fazer como aqui já foi comentado.

  28. joao gaspar says:

    A lei devia ser revista no meu pouco saber de leis, o legislador não percebe nada de deficiências, os lugares deveriam ser exclusivos para utentes em cadeira de rodas, quer sejam condutores ou passageiros da viatura, pois esses ‘é que necessitam de lugares mais largos , todos os outro podem estacionar em qualquer lugar mesmo com o dístico. Obrigado

  29. Sergio says:

    No centro de Aveiro estão a trabalhar bem, demoram 10 min a chegar aos locais.. e não estao com meias medidas prendem logo o carro e chamam o reboque, sem aguardar nem um minuto que o dono chegue.
    Os custos para o infractor nestas situações ficam bem acima dos 300€. E acho bem, contudo ha 2 lugares que podiam estar mais bem sinalizados, quem não é de cá facilmente estaciona sem dar conta, uma vez que a sinalização no chão nao existe e o sinal vertical passa despercebido

  30. paulex says:

    Enquanto sociedade, o desrespeito pelas normas de estacionamento (assim como outras) demonstra bem o civismo (ou falta dele) de muitos utilizadores do espaço público. No fundo há um enorme desrespeito pelas liberdades e direitos dos outros: o que importa é o “umbigo” de cada um. Fraca mentalidade! Sempre que alguém utiliza indevidamente o lugar reservado a deficientes/pessoas com mobilidade reduzida, que estaciona em cima do passeio ou em segunda fila, há alguém que sai prejudicado: peões, deficientes, gravidas, idosos, pessoas com cadeiras de rodas ou carrinhos de bebés…

  31. Zilda Ralo says:

    devia de ser possivel fazer cualquer coisa aos carros estassionados nesses lugares, como as leis nao servem para nada neste pais eu risco os carros todos que andam mal na estrada e estassionam em cima dos passeios se vosses teim dinheiropara ter um carro tamem teim para o compor

  32. Eu says:

    Já uma vez telefonei para a polícia e não deu em nada com a desculpa que não tinham “efectivos” para resolver a situação… 10 min. depois apareceu o dono do carro que embora pedi-se desculpa ainda se achava cheio de razão porque quando estacionou em 2.ª fila, estava outro e afins. Faz lembrar a anedota do gajo que telefonou por causa de uma situação destas e a resposta foi a mesma vai daí que informa a policia que tinha uma arma e que quando aparece-se o dono, ele iria tomar conta da situação de maneira que não se repetisse. 5 min. depois aparece a policia, o carro de intervenção, o carro dos cães e o diabo a sete.

  33. falcaobranco says:

    Falta mesmo verificarem é aquele pessoalzinho que anda na faixa do meio da autoestrada que até enerva…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.