Quantcast
PplWare Mobile

Garantia dos produtos passa de dois para três anos em 2022

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Miguel says:

    Boa, tenho receio que aumente os preços injustamente, mas…

    • João says:

      Se um fabricante tem de assumir o risco de avaria durante mais um ano vai ter de transferir o custo do rico para o cliente.
      Além disso esta alteração tambem pode implicar alterações nos produtos que obviamente serão pagos pelo clientes.
      Isso é mais do que obvio.

      • Há cada gajo says:

        Não, isso vai ser é um pretexto. Qual é o produto que com mínimo de qualidade não dura 3 anos sem problemas ? É verdade que há pessoas que tratam tudo com os pés, mas…

        • João says:

          Uma Worten tem à venda milhares de produtos.
          Todos terão qualidade suficiente para durar 3 anos sem problemas?

          • Há cada gajo says:

            Queres meter no mesmo barco o quê ? Escovas de dentes e máquinas de barbear ??

          • Zé Fonseca A. says:

            E porque não?
            A minha escova de dentes custou 200€, minha maquina de barbear quase 300€ e a minha aparadora 180€, não seria de esperar que durassem mais que 3 anos?

          • Paulo Santos says:

            Zé Fonseca A., dar por uma escova elétrica 200€? É que para quem acha que os VE são caros, dar 200€ por uma escova elétrica é surreal.

          • Imf says:

            A minha TV da Samsung, faltava 1 mes pára o fim da garantia, deixou de ligar…
            Passado 1h ou 2 voltou a ligar…
            Nesse mês ainda ponderei levar a garantia, mas is dizer o que?? Por 2 vezes ele nao ligou! Chegava a loja e se fosse preciso ficava 1 semana sem se desliga.
            Conclusão o problema foi se agravando e agora com 3 anos ja não liga.

            É uma gama barata da Samsung, nao não é.
            As vezes penso que alguns produtos estao propositadamente feitos para avariar passdo aquele tempo.

            A verdade é que tenho muitos outros eletrodomésticos e produtos da marca e não tem problemas nenhuns, mas que esta TV, ter começado a dar problemas mesmo na data limite da garantia é estranho… ou azar, não sei

          • Zé Fonseca A. says:

            Paulo, tudo o que compro tem de ser o melhor do mercado, não precisa de ser segmento de luxo mas precisa de ser o melhor a nível funcional, pesquiso horas a fio antes de comprar o quer que seja, não acho que os EVs sejam caros, nunca disse isso até porque tenho um carro a combustão de 70k, simplesmente há que ter noção e jamais compraria um EV, mesmo que isso fosse uma obrigatoriedade iria sempre para alemão.
            Curioso ou não tudo na minha mão dura longos anos e acaba por compensar ter comprado mais caro produto A ou B do que comprar gamas médias e andar sempre a trocar ou porque não tinham função X ou porque avariou ou porque se deixa de usar.

            IMF, a minha tv no escritório foi o primeira Bravia da Sony, custou quase 10.000€ na altura em 2005 e ainda me serve para tudo, só deixei de usar como tv principal porque não tinha 4K nem refresh rate decente para jogos.

        • Miguel says:

          Exacto… o produto mesmo com a garantia de 2 anos não deveria ter problemas após isso..
          Supostamente para um dispositivo, por exemplo uma TV durar os 3 anos sem problemas não deveria ser feita nenhuma actualização… apenas se algum componente estiver em risco deve ser trocado, mas isso é algo que nunca devia estar lá em primeiro lugar..
          Por isso digo injustamente…

        • Filipe says:

          Comprei um smartphone em que a bateria durou 9 meses, foi trocado em garantia por um smartphone novo e a bateria durou 11 meses, na garantia novamente trocaram a bateria e com menor utilização durou 2 anos até voltar a dar problemas. Marca: Vodafone

          Se fossem os 3 anos de garantia, continuava a “puxar” pelo smartphone mais uns meses, que ainda ia novamente para garantia uma 3ª vez. Pode ser que com o alargamento do período de garantia, forneçam produtos com melhor qualidade, ou terão mesmo despesa com as garantias.

    • Manuel Costa says:

      Vão aumentar mas, ainda não é por isto.
      A legislação que obriga a ter peças de substituição durante 3 anos, é que pode levar a um aumento.

  2. Gil Reis says:

    A apple com o seu ano de garantia, até se manda aos arames

    • João says:

      Um ano de “Garantia Apple” + 2 anos de garantia segundo os requisitos da lei.
      O meu MBP tem “Garantia Apple” de 3 anos. Custou uns “trocos” a mais…

    • Keyboardcat says:

      A garantia adicional na EU é assumida pelo vendedor/distribuidor e não pelo fabricante. O vendedor é responsável por negociar os termos com o fabricante.

      No caso da Apple se comprares um produto na Apple Store tens garantia de 2 anos oferecida pela Apple. Já tive um iPhone reparado pela Apple nesse período.

      Agora se comprares num revendedor então tens que usar esse mesmo revendedor para reparações passado 1 ano de garantia. Mas isso é válido para muitas outras marcas.

      • Tadeu says:

        É verdade que a garantia de fabricante da Apple é de apenas 1 ano, mas não é verdade que a garantia duma compra em Portugal só pode ser assumida pelo vendedor/distribuidor.
        A lei diz que o consumidor, numa compra efectuada em Portugal, pode pedir ao fabricante ou representante do fabricante para fazer a reparação abrangida pela garantia legal de 2 anos, não tem que ser necessariamente o vendedor.

      • Joao says:

        Se comprares directamente à Apple, a apple tem te assumir os 2 anos de garantia.

      • Manuel Costa says:

        A Apple dá 2 anos de garantia… seja comprado no revendedor ou na marca.
        O problema da Apple é que o écran tem 6 meses de garantia e a bateria 90 dias. O resto são 2 anos.

        • Imf says:

          O problema da garantia da Apple, também já comeca a parecer outras do género.

          É que o teu pc começa a dar problemas de gráfica.

          Em vez de repararem so o problema “de fabrico”, ( de borla), passam te uma factura da substituição do teclado (100€ exemplo), mais a carcaça ( 300€)…
          So porque tens uma tecla meia lixada e porque a tuw carcaça apresenta uma pequena amolgadela.

          Conclusão pagas 400€ detro da garantia, porque tens outras componentes ” danificadas” dito pela marca

          E pagas e nao chora.
          Conclusão pagas te tudo, so a marguem de lucro da apple foi menor

    • Vitor says:

      1 ano dizem eles. Passam a ideia q são a regra à excepção. Cai quem quer.

      • Tadeu says:

        Já leste o que aparece na garantia da Apple?

        • Miguel Gonçalves says:

          Podem dizer o que quiserem, a “lei” deles não se pode sobrepôr à lei do país…

          • Tadeu says:

            parece-me claro que não leste a garantia então:
            “Para as compras feitas pelos consumidores em Portugal, o período para reclamação por defeitos de inconformidade relacionados com o contrato de venda é de 2 anos a contar da data de entrega, nos termos do Decreto-Lei n.º 67/2003 de 8 de abril (em versão alterada).”

        • João says:

          A garantia/suporte Apple como acontece com quase todos fabricantes é muito superior ao que a lei obriga.
          No entanto se o período de suporte foi inferior à garantia obrigatória por lei, no período restante qualquer equipamento será reparado ao abrigo da lei.

        • Bruno Rodrigues says:

          Acho curioso como alguns pensem que o que a Apple escreve tem força de lei. Eles não podem sobrepor-se à lei do país. E se o cliente terá de se chatear e mover meios legais para fazer valer os seus direitos, acho que é caso para pensar duas vezes se deve comprar algum produto a uma empresa que se acha uma empresa-estado.

  3. DFS says:

    Certamente que os produtos acabarão por subir um pouco de preço, mas ganhamos na garantia e possivelmente os produtos serão alterados para durar mais tempo o que é positivo.
    É também positivo haver peças de substituição pelo menos durante 10 anos, contudo muitas vezes o preço é tão elevado que vale mais a pena comprar um produto novo o que é um desperdício de recursos.

    • João says:

      Não contes com alterações ao produto para durarem mais.
      O cliente vai pagar o aumento do risco de avaria dentro do período de garantia

    • Tadeu says:

      Será preciso muito mais do que Portugal para levar a uma alteração nos produtos.

      • Toni da Adega says:

        Portugal nao é o unico país europeu com 3 anos de garantia.

        • Tadeu says:

          MAs será dos poucos países em que há 3 anos de garantia em que em que é o consumidor que está em vantagem relativamente ao ônus da prova durante todo o período. E é o ônus da prova que mais faz pender o direito para a reparação.
          Certamente não achas que é a mesma coisa ter 3 anos de garantia em que passados 6-12 meses passa a ser o consumidor a ter que provar a existência de defeito!

        • Blackbit says:

          E eu a pensar que era uma directiva comunitária…

          • João says:

            A diretiva em si não é lei nem quem qualquer força de lei.
            A Diretiva da UE obriga os países a legislar, mas não o briga a que a lei seja igual em todos os países.

  4. hs says:

    Lá se vão as compras de natal, o pessoal vai esperar para Janeiro.

  5. Paulo Sérgio Monteiro Santos says:

    Se o pequeno comercio já tem uma luta titânica para combater e lutar contra grandes superfícies que tem equipamentos expostos e trocam com mais facilidade. Os pequeninos que encomendam um ou dois equipamentos e cliente por exemplo não quer ou não gosta, lá o desgraçado do lojista fica com o equipamento e o prejuízo.

  6. Paulo Sérgio Monteiro Santos says:

    O Consumidor é defendido, muito bem. Mas quem defende o pequeno comerciante.

    • Joao says:

      O que é que isto tem a ver com o pequeno comerciante? Isto afecta principalmente os fabricantes. Para o vendedor é indiferente.

      • Paulo Sérgio Monteiro Santos says:

        Aí é que enganas, tenho um pequeno negócio equipamentos informáticos, e quando o cliente vem reclamar muitas vezes sem razão e pretende outro equipamento ou o dinheiro de volta, nenhum fornecedor aceita o equipamento quem fica a arder somos nós. É MUITO BONITO PARA QUEM COMPRA. Conheço quem adquira um portátil e antes dos 14 dias foi entregar e exigiu o dinheiro de volta, só porque sim ou porque se arrependeu de gastar tanto dinheiro. Tenho imensas histórias para contar que parecem anedota. Só é bom para defeitos e avarias, mas a grande parte são provocadas por má utilização. Já vi de tudo… Enfim

        • hs says:

          Acho que Isso só se aplica se forem compras á distância e o produto devolvido conforme foi entregue devidamente embalado.
          Basta informar o cliente das condições gerais de venda onde deve constar isso, caso contrario comprava um portátil para o exame depois entregava antes de 15 dias entre outras coisas.

        • David Guerreiro says:

          Já por várias vezes referi essa situação, e ainda há outra, que é imensos fornecedores de hardware apenas darem 1 ano de garantia nos produtos de venda aos profissionais, que por sua vez passam a ter de dar 3 anos ao consumidor final. Se no caso de marcas conhecidas há sempre a hipótese de depois pedir RMA, muitas marcas de origem chinesa não há cá nada disso. E quem fica a arder é o pequeno comerciante.

        • Pedro Feliciano says:

          Para não me alongar muito, a grande machadada nos “pequenos” profissionais é esta: “Para efeitos de reparação ou substituição, o consumidor deve disponibilizar os bens, a expensas do profissional.”
          O custo do transporte para que o produto seja reparado, passa a ser suportado pelo vendedor. E a sua devolução ao cliente também. É o “fim da macacada”!!! Os preços vão subir e não será pouco.

  7. Uma Opinião says:

    Só para esclarecer uma questão:
    Parece-me que, no fundo, as coisas não vão mudar assim tanto no que concerne à garantia dos bens móveis.
    Passo a explicar. Do que depreendi, a garantia passa sim para os 3 anos.
    Nos 2 primeiros anos, basta o consumidor dizer “Boa tarde, o meu telemóvel tem o problema x”, e presume-se logo que existia este defeito no momento da compra, sendo que cabe ao vendedor provar o contrário.
    No último ano de garantia, já é o consumidor que tem de provar que o telemóvel teria aquele problema no momento da entrega.
    Ou seja eu acho que vai ser difícil o consumidor fazer esta prova, até porque implicaria ir para a Resolução de Conflitos de Consumo.

  8. AqueleAmigo says:

    Nada contra a Apple (Até pq uso) mas eu não entendo qual é o problema do pplware em usar fotos de outros smartphones que não sejam iphones para artigos sobre “equipamentos” de uma forma global..

  9. wtvlol says:

    Devia ser de 5 anos.

  10. Sergio says:

    Basicamente aquele preço extra do seguro que costumam ver ao lado do preço de um produto vai ser o acrescento que vao pagar em 2022 😉
    Depois a conversa vai ser a falta de chips ou de contentores que encareceu o produto.
    Estamos a passar uma fase ingrata para o cliente, wortens radios populares media markets e afins.. quase tudo alinhado a nível de preços com um detalhe que nunca vi. E se não tiver um preço igual, basta pedir e mostrar ao gerente um preço mais baixo num concorrente, e o gerente baixa o produto.
    Para mim é consequência da nova lei alfandegaria para produtos vindos de fora da UE, as grandes stores portuguesas antigamente com essa concorrência não se sentiam tão confortáveis nos preços, porque sabiam que o cliente facilmente ia buscar fora mais barato.

  11. Confuso says:

    Que lei europeia é esta que foi transposta agora, porque encontro-me na Alemanha e até agora nenhuma das lojas a quem perguntei sabe desta alteração de garantias…estão a enganar-me para não ter de esperar até Janeiro ou aqui (que devia ser dos primeiros países a ter isso) não tem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.