Quantcast
PplWare Mobile

Facebook não contratou empregados negros porque não “encaixavam na cultura”

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. MACnista says:

    Agora a cultura tem cor, face e… e… e…?????, mal deles se não fossem alguns desses que “não encaixam na cultura”, provavelmente nem existia o Facebook!!!!!!!

  2. sed says:

    Uma empresa dirigida por um ze mane, que passou as pernas ate nos amigos e tem um casamento de fachada da nisso, facebook é o um grande mal do seculo depois da covid rs.

    facebook traz nada de bom para a humanidade….vazamentos e mais vazamentos, pouco se lixam para seus dados, e os sites trouxas ainda pedem para logar com facebook, tinham de ser removidos essas permissoes, sites pararem de usar o facebook como ‘login’.

    mas tudo q é errado hoje em dia faz sucesso, eu mesmo postei os vazamentos de dados do facebook e bloquearam am inha conta kkkk mas nem me lixo, tenho mais de 40 contas.

    whatsapp, instagram tudo tb é um lixo do seculo. instagram so pessoas felizes, kkkk, whatsapp grupos de conteudo erotico pipocando.

  3. MACnista says:

    Ainda gostava que me explicassem porque é que o meu coment foi retirado, que eu saiba não feri susceptibilidade de ninguém, antes pelo contrário!!! Certo???

  4. Miguel Gomes says:

    Aqueles 3 senhores foram rejeitados, provavelmente de igual forma que muitas outras centenas ou milhares já foram rejeitados, usando como justificação algo que, provavelmente, usam com todos os outros…

    Mas hoje em dia é preciso ter muito cuidado com as palavras, pois muito rapidamente elas se viram contra nós de forma disparatada…

    • wq says:

      se a citação é real ( “não reflete a cultura do povo negro”), não se trata duma mera coisa disparatada com que deveria ter tido mais cuidado, nem duma justificação que se aplica a todos os outros rejeitados!

      • Miguel Gomes says:

        “Além disso, revelou ao jornal que lhe foi pedido que procurasse empregados que se encaixassem na cultura do Facebook que, aliás, “não reflete a cultura do povo negro”. ”

        Quem revelou ao jornal? Não foi o facebook com certeza…. E duvido muito que alguém com 2 dedos de testa, e a gerir as contratações de uma grande empresa, iria dizer tal frase (penso eu pelo menos…)

        Hoje em dia qualquer assunto que esteja na boca do mundo, associado a uma gigante tecnológica (Facebook, google, apple, etc etc), é pano para mangas por parte dos jornais ou de quem queira 5min de fama.

        Não estou com isto a querer dizer que mentiram, apenas quero dizer que, antes de atirar pedras, convém dar o benefício da dúvida… É fácil de distorcer as entrelinhas de uma conversa ou usar frases fora de contexto para armar problemas.

        • wq says:

          não deixa de ser uma citação, e a ser verdadeira é grave já que não são as qualidades da pessoa enquanto indivíduo que são avaliadas. É o tipo de frase que não tem muitas entrelinhas numa conversa e emprego que não tem nada a ver com uma discussão antropológica sobre cultura afro-americana!

        • Relevante says:

          Concordo, uma pessoa com mais de 20g de miolos trabalhando no front de uma mega empresa não soltaria uma pérola dessas. Além do mais, a matéria começa dizendo que os “3 negros não se encaixavam com a cultura da empresa” que, primeiro, eles devem repetir para vários funcionários de todas as raças e gêneros e, segundo, é MUITO diferente de “não reflete a cultura do povo negro”. Qualquer idiota com mais de dois neurônios, o mínimo de conhecimento de lógica e, principalmente, que não esteja mal-intencionado, consegue perceber a desonestidade intelectual.

    • Bruno Mota says:

      É uma realidade que há muitos não (brancos) que utilizam a capa do racismo como desculpa, justificação, escudo, espada, nas sociedades actuais, sem que realmente tenha havido actos racistas, eu próprio já passei por uma situação assim há muitos anos atrás em Paris, onde enquanto aguardava que a pessoa á minha frente subisse os degraus de um autocarro, estando eu com a minha filha bebê ao colo, uma mulher atrás de mim empurrou-me e insultado dizendo para sair da frente, eu, ao retorquir que não poderia empurrar a pessoa á minha frente, pois para mais era uma pessoa de idade, a mulher que me empurrou começou aos gritos a chamar-me racista, isto porque lhe disse apenas, não me empurre, tem de aguardar.
      E quem perde com actos deste género, é a sociedade em geral, mas mais ainda as verdadeiras vítimas de racismo.

  5. WhoKnows says:

    Atualmente ando a realizar entrevistas de todos os tipos de pessoas.

    Apesar de muitos terem o que é necessário a personalidade não se enquadra para a equipa.
    Muitos deles têm as tecnologias todas mas chegam à parte técnica e chapéu é como se ficassem burros na altura.
    Não olhando apenas o CV temos de ver se a personalidade se adapta à qualidade da empresa.

    Sem ofensa a quem quiser comentar, mas acho que a relação cor não quer dizer nada.

    • Vasco says:

      […] lhe foi pedido que procurasse empregados que se encaixassem na cultura do Facebook que, aliás, “não reflete a cultura do povo negro”[…] Uma coisa é a cultura interna de uma empresa, outra coisa é a assumir que a cultura do “povo negro” (sic) não se encaixa na cultura interna de uma empresa. Uma coisa é fazer uma verificação das características de personalidade de uma pessoa candidata, outra coisa completamente diferente é estabelecer como condição prévia de aprovação dessa candidatura que ela não pertença a um determinado grupo – neste caso étnico -, mas que poderia ser religioso ou social. Estamos de facto perante uma demonstração de racismo institucional, pelo menos ao abrigo da constituição portuguesa. Creio que a mesma interpretação será válida à luz da constituição dos EUA.

  6. Bruno Mota says:

    Quando se deu aquele incidente com o Floyd, e que eu ainda tinha Facebook, na altura fiz um post dizendo que todas as vidas são importantes independentemente da cor da pele, e não apenas BLM, resultado, o Facebook bloqueou-me o acesso durante uns quantos dias.
    Agora saí esta notícia… lol

    • Dc says:

      Não dando razão ao Facebook mas a razão muito provavelmente pelo qual foste bloqueado é que a frase “All live matters” é maioritariamente utilizada pela alt-right nos EUA como forma de protesto contra a BLM mas o que falha em pessoas perceberem é que BLM é um protesto a favor da igualdade e nada tem a ver com só as vidas negras importarem, é unicamente igualdade, nada mais.

      • Bruno Mota says:

        Independentemente de ser ou não utilizada seja por quem for, é um factor não descriminatório afirmar que todas as vidas são importantes. O que é realmente descriminação é afirmar que apenas esta ou aquela raça é importante.
        O BLM não é a favor da igualdade, se fosse o caso o slogan nunca seria BLM, seria ALM, antes mesmo que qualquer outra organização o tivesse utilizado.
        Nunca os BLM disseram uma frase que demonstrem que pretendam igualdade, as frases utilizadas são de supremacia negra.
        Independentemente da cor de cada um, devemos procurar criar pontes em vez de paredes.
        Alguém que afirma que somos todos iguais nunca poderia ser conotado como racista.

        • Dc says:

          “O BLM não é a favor da igualdade, se fosse o caso o slogan nunca seria BLM, seria ALM, antes mesmo que qualquer outra organização o tivesse utilizado.”

          “#BlackLivesMatter was founded in 2013 in response to the acquittal of Trayvon Martin’s murderer. Black Lives Matter Global Network Foundation, Inc. is a global organization in the US, UK, and Canada, whose mission is to eradicate white supremacy and build local power to intervene in violence inflicted on Black communities by the state and vigilantes. By combating and countering acts of violence, creating space for Black imagination and innovation, and centering Black joy, we are winning immediate improvements in our lives.”

          Se tirares um pouco do teu tempo e leres sobre o que realmente o BLM é, se calhar até mudas a tua prespectiva de ver as coisas.

          Quanto ao teu post ter sido retirado, eu sou da opinião que cada um tem direito a sua opinião desde que não vá contra as regras da casa. No teu caso específico se foi como tu disseste não concordo que tenha sido retirado apesar de não concordar com o que disseste.

          • Bruno Mota says:

            Não importa o que dizem sobre eles, importa sim são as suas ações e palavras deles mesmos.

          • Dc says:

            E que acções e palavras são essas?

          • Bruno Mota says:

            Exemplos há imensos daquilo a que me refiro.
            Por exemplo, em que medida saquear lojas, bater em idosos, incendiar veículos, e dizer black power é sinónimo de requerer igualdade?

          • Bruno Mota says:

            Hipoteticamente falando, se eu residisse em África, e visse que as pessoas brancas como eu, eram vítimas de racismo, seguindo a lógica dos BLM e a sua, então eu deveria saquear lojas, incendiar veículos, agredir idosos doutras raças, etc? E dessa forma estaria a exigir igualdade?

          • wq says:

            Bruno Mota, não há justificações mas também há que conhecer um pouco da história dos Estado Unidos para entender tudo o que está por detrás da revolta!

          • Dc says:

            As acções de uns poucos(muito poucos) não invalida a missão do movimento. E parte desses actos extremos foram provados como sendo iniciados pela própria polícia disfarçada de protestantes.
            Pela tua lógica todo o republicano é racista,ou todo o policia branco é racista.

          • Bruno Mota says:

            DC, não foram poucos ou muito poucos. Por essa lógica, se negros forem vítimas de poucos racistas, está tudo bem, certo? São poucos.
            Quem incendiou e saqueou não foram agentes da autoridade, e muito menos foram poucos, há inúmeros videos onde se vêem centenas, milhares de pessoas a saquear lojas.
            Há vídeos onde é visível grupos de 40, 50 pessoas agredirem até pessoas da mesma cor, só porque fizeram frente aos saqueadores.

        • Dc says:

          Primeiro: Muito poucos no panorama geral das coisas. Os EUA tem 300 milhões de habitantes.
          Segundo: Centenas ou milhares? A sério? Milhares? Nem que fosse o caso(que não é), tal como existem vídeos desses criminosos que não são de todo protestantes pela causa BLM e sim oportunistas que se aproveitaram da ocasião para roubar, também existem ainda mais vídeos de protestos pacíficos onde nem uma única pessoa cometeu qualquer tipo de crime e mesmo assim a polícia partiu para cima deles.
          Mais uma vez, os ovos podres não são protestantes pela causa.

          Terceiro: Eu não disse que foi a policia que iniciou isso tudo, o que eu disse foi que há caso comprovados onde se viu policias disfarçados a incentivar a violência.

          Tu tas literalmente a meter todo o movimento no mesmo saco por causa de alguns ovos podres que eu volto a reiterar que são literalmente oportunistas de ocasião e mais uma vez volto a tua lógica, achas bem eu dizer que todos os polícias brancos são racistas porque por diversas vezes muitos foram apanhados, inclusive em vídeo e posteriormente condenados?

          • Marvel says:

            Da mesma maneira que esses movimentos metem os brancos no mesmo saco.
            E mais, o movimento defende a Igualdade como tu dizes atuando sobre a erradicação dos supremacistas brancos, no entanto a supremacia não existe so nos brancos, tambem existe nos negros, árabes, chineses….a diferença é que ha mais brancos que qualquer outra “raça” na Europa e EUA, no entanto se fores até Africa, ou Asia começas a encontrar essas supremacias de outras “raças”, e porque que esse movimentos não se eleva contra isso tambem? Ou melhor, porque que se revoltaram bastante em Portugal com a infeliz morte do rapaz cabo verdiano em Bragança e ignoraram o rapaz branco morto em Lisboa?
            Estas a ver o problema? Estes pormenores geram dúvidas sobre os princípios deste movimento como o Bruno indica, lá esta, All Lives Matter, no entanto aqui Only Black Lives Matter.

    • Filipe says:

      Nesse caso, temos de deixar de olhar para a cor da pessoa mas sim para o “tipo”. Foi detido como criminoso. Violência muito excessiva da parte do agente? Sim. Nisso todos estamos de acordo. Agora todo o folclore a seguir? O mundo está muito mal habituado pois tratam os criminosos, especialmente os detidos, como se estivessem a passar férias. Têm direito a tudo e mais alguma coisa, que nem todas as pessoas cá fora têm.
      E sendo a américa um país onde um miúdo consegue comprar uma arma em qualquer esquina, tanto alarido por violência contra um criminoso, chega a ser ridículo. E depois usarem isso como desculpa para destruir imóveis e afins que estão relacionados em nada com o assunto… Sinceramente…
      Birras nos jogos de futebol, … etc etc etc. O mundo caminha para cada vez pior. Só modas, propagandas e agendas.

      • Bruno Mota says:

        Exacto, concordo plenamente. É o carácter da pessoa que importa, não é a cor.
        E quem quer viver á custa de fait divers sem sentido deveria ser punido, pois está a criar divisões na sociedade, divisões essas que não existiam.
        Exemplo, a associação do Mamadu.
        No dia em que cor não seja critério, essas gentes ficam sem tacho.

      • Bruno Mota says:

        Exacto, concordo plenamente. É o carácter da pessoa que importa, não é a cor.
        E quem quer viver á custa de fait divers sem sentido deveria ser punido, pois está a criar divisões na sociedade, divisões essas que não existiam.
        Exemplo, a associação do M****u.
        No dia em que cor não seja critério, essas gentes ficam sem tacho.

        PS: o comentário inicial igual a este mas com o nome do artista, fez com que o comentário ficasse a aguardar aprovação, talvez assim passe o filtro de palavras.

      • Matreco says:

        Certo e qual foi o crime que ele cometeu que justificou tamanha violência? Os castigos tem de ser proporcionais aos delitos, e certamente não caberá a polIcia decidir quais serão, há tribunais para isso. Para mim o agente que o matou é tao mau como os que fizeram as pilhagens que se seguiram: o primeiro porque usava uma farda e tinha obrigação moral de ser superior nos seus desIgnios e acções, os segundos porque se aproveitaram da morte de um homem para fazer aquilo que fazem melhor: ser delinquentes.

        • Bilhar says:

          O Agente esteve bastante mal na atuação, no entanto não menosprezes o crime em si. Segundo o que foi noticiado, ele tentou passar uma nota falsa, que é um crime federal nos EUA, e ao ser abordado pela policia no sentido de ser detido por isso mesmo, reagiu mal e resistiu à detenção, portanto, o crime não algo muitoooo grave, mas é grave, e o resistir à detenção agravou o crime.
          Quanto ao agente, epa, esteve mal, muito mal, mas vai pagar por isso.

          • Rui F Ribeiro says:

            O agente não foi cristão, em vez de ter imobilizado um gajo XXXL a bater-lhe, devia ter fingido que era saco de porrada, dado uma face, a outra, e baixado as calcinhas…

          • Matreco says:

            Não estou de maneira nenhuma a menosprezar o crime, mas da última vez que vi, a pena por tentar passar dinheiro falso não era a morte. A polícia actuou e bem ao detê-lo e imobilizá-lo mas nada justifica o excesso que foi ajoelhar no pescoço do homem durante tanto tempo. E acredito que a culpa nem seja do agente que o matou: será parte do treino que recebem. Mas mesmo servindo esse facto de atenuante, nada desculpa a insensibilidade que teve para com outro ser humano que lhe estava literalmente a morrer aos pés. Ele já estava mais que imobilizado, será que não dava para lhe tirar o joelho do pescoço nem que fosse só para o caso de ele estar MESMO a ficar sem ar (como se veio a provar que estava)?

      • Dc says:

        A falta de noção, tu achas que os protestos são especificamente por causa do Floyd??
        Eu desisto…

        • Rui F Ribeiro says:

          Nah, os protestos são por matarem bandidagem, e o movimento BLM fundado por terem morto um matulão de 16 anos que fazia desvios no caminho para casa por bairros ricos para roubar apartamentos, tentou matar um homem, mas a familia só publica fotos com 9-11 anos e até de quando era bébé.

        • Relevante says:

          Desista mesmo, quem não tem argumentos, nem pensamento críticos e só sabe colar frases clichês copiadas de internet pq estão na moda, não deveria nem estar opinando, quanto mais tentando convencer.

  7. Jonny says:

    Faz sentido Estados Unidos de America. E brasileiros contratou?

  8. Samuel MG says:

    Como se pode ver nesta noticia o FACEBOOK É RACISTA!! Uma rede social racista deve ser encerrada!!

    • Bruno Mota says:

      Segundo o Facebook, racista são pessoas como eu, que afirmam que todos somos iguais em direitos e deveres independentemente da cor da pele de cada um.
      Mas eles que descriminam pessoas de cor, não são racistas segundo eles próprios.
      Facebook é um enorme perigo para a sociedade a vários níveis.
      É uma esponja para absorção de informação, ferramenta de contra-informação, estúpidificação das pessoas, etc

    • Rui Valdez says:

      Racista porque? O dono da empresa agora não e livre de quem quer que trabalhe na empresa? Na minha empresa também não contrato negros porque sao pouco produtivos.

      • Bruno Mota says:

        Não se o critério for baseado na cor da pele, sexo, ou religião, etc

      • Bruno Mota says:

        Eu defendo e acredito que assim deve ser, e sou de direita e voto Chega. Contudo, direitos iguais, deveres iguais, sem exceção!

      • Vasco says:

        Fique sabendo que está a cometer uma ilegalidade. Se porventura a sua empresa crescer e passar a ter de cumprir com certos requisitos, prepare-se para pagar multas e indeminizações, ou para ter de a encerrar. Você pode admitir livremente quem quiser, mas não pode ter como critério diferenças raciais. Se assim procede, é de facto racista.

      • Samuel MG says:

        Só o teu comentário, Rui Valdez, é racista!! Não se usa n…os mas sim pessoas de ascendência africana!! Sei de empresas que contratam essas pessoas e tiveram um aumento de produtividade!! Exemplos: Google, Microsoft, Canonical (Ubuntu, Origem Africana), etc.

      • Cenas says:

        Não percebo esse argumento de “pouco produtivos”, isso é de quem não tem a mínima noção do que esta a falar e é um xenófobo autentico.

        • Rui F Ribeiro says:

          Caro Cenas, vá ver o triste estado de 99% dos países africanos, e depois tente convencer-me que são produtivos. Nem cuidar deles e dos bens deles…é triste, mas é verdade.

          • Cenas says:

            Meu caro, e achas que a culpa é das pessoas em si? Achas que é porque são pouco produtivas, ou porque os sistemas de governo implementados na maioria dos países africanos são sistemas ditatoriais que determinam o que é feito ou não? É que se formos por essa ordem de ideias, nos portugueses tambem éramos muito pouco produtivos ate 1975 😉 fica a dica. Aqui a questão não por serem negros ou brancos que são pouco produtivos, ha brancos pouco produtivos tambem e em Portugal até são bem mais que a comunidade luso-africana, portanto essa dos negros são pouco produtivos esta completamente errada.

          • Rui F Ribeiro says:

            pré-75 eramos atrasados, tal como muitos países, e já se passaram 60 decadas 😉

            Eu vivi 6.5 anos em Africa, e parece que a especialidade deles é empurrar o trabalho para os outros. Por sermos empreendedores também havia muitas infra-estruturas e muita obra feita, que ainda é > 95% do imobiliário que não sejam palhotas que existem em muitas cidades.

            Você nem sabe do que fala, já saiu alguma vez de Portugal e foi até lá???…Mas veja “The fate of Africa” de Martin Meredith, muito educativo.

            Em comparação a minha mulher é Asiática, e embora seja de um país enorme “ditatorial”….e eles também sejam pobrezinhos, eu até tinha medo de ir de férias, para pagar e aturar gente que não gosta de trabalhar….e fiquei agradavelmente surpreendido. Por muito pobres que sejam, trabalham, fazem pela vida, e mesmo em sitios remotos, em que não pode haver grandes estradas, há sempre Internet e comida, e bebida, um pouco de tudo. Talvez porque não sejam eternas crianças que acham que a culpa dos seus infortúnios e a responsabilidade de trabalhar é sempre dos outros.

            Abraços

          • Rui F Ribeiro says:

            correção quase 60 anos, quase 6 decadas.

          • Cenas says:

            Meu caro, la esta, mais um julgamento sumario. Morei 10 anos da minha vida em Angola, outros tantos na Africa do Sul, 5 anos em Moçambique e agora estou em Cabo Verde, portanto sim, sei o que se passa em Africa por experiência própria, e sim, o problema de Africa são os constantes sistemas ditatoriais que determinam a própria cultura e não os negros serem mandriões. Repara, em todos estes ano encontrei mandriões brancos e negros, mas tambem encontrei o oposto, logo se me disseres, epa, as pessoas podem ser mandrionas? sim é verdade. Dizer os negros são mandriões? Não corresponde à verdade. Falas na Asia como se fosse um exemplo, mas esqueceste do porque que eles tem essa disciplina de trabalho. La esta, tem sistemas ditatoriais (alguns países) mas com intenções diferentes, como a produção de produtos massiva, e isso obriga a que a cultura das pessoas seja a de trabalhar desenfreadamente, e em Africa não ha produções deste tipo, alias, as intenções em Africa são manter as pessoas na ignorância e deixar-lhes a sensação que Africa não tem riqueza, quando é exatamente o oposto, la esta, um pouco como em Portugal antes de 1975, ou seja, com isto demonstro-te que na verdade os negros não são mandriões como pregoas, mas tem uma cultura diferente da tua, logo as impressões que retiras dependem do teu contexto, e se generalizas essas impressões podes cair no erro de estar completamente errado como é o caso. Grande abraço

          • Rui F Ribeiro says:

            Vamos concordar que discordamos, eu nem lhe disse de que país estou a falar, até acaba sendo um país muito similar, mas com uma cor diferente. Eu não concordo na eterna visão das crianças com braço estendido a apontar sempre para os outros e não fazer nada por isso.

            Mas se está em Àfrica, sabe que até tenho razão no que digo.

            Deixo-lhe aqui um texto interessante. https://www.spiegel.de/international/spiegel/spiegel-interview-with-african-economics-expert-for-god-s-sake-please-stop-the-aid-a-363663.html

          • Rui F Ribeiro says:

            De qq forma, escusa de insultar a inteligência de quem lê os seus comentários. Pessoas honestas ou desonestas, mandrionas ou trabalhadoras existem em todas as raças. O problema são as percentagens, e em Àfrica a coisa não é bonita de se ver, nem toda a gente tem estomago e jogo de cintura para lidar com isso.

  9. Vasco says:

    Só me ocorre que de facto o Facebook tem uma cultura interna ultrapassada e, porque não assumi-lo, racista.

    • Bruno Mota says:

      Concordo plenamente.

    • Rui F Ribeiro says:

      Eu já não fui “cultural fit”, ou muitas empresas não as considerei “cultural fit” e mandei-os pastars, e nunca chamamos racistas uns aos outros.

      FB e Amazon são também conhecidos por serem bastante exigentes no processo, e porque se podem dar ao luxo disso.

      Só mesmo negros para virem com conversa de m. da moda da carta do racismo. Haja paciência.

  10. Ze Duarte says:

    Então um albino que deve brilhar mais ao sol que os vampiros do Twilight alguma vez ia contratar negros? Ia ser um contraste…

  11. Luis says:

    And everybody loses their minds… Vamos todos deixar de ser pequeninos sff?
    Nos dias de hoje ou é xenofo, racista, machista, femininista… Podemos só ser normais?

  12. Jonny says:

    Aqui é em Portugal é ao contrario contratam negros e zukas sem problema nenhum. Aliás parecem uma praga

    • Nar6 says:

      Por norma são os que querem trabalhar. Não fossem eles a laborar durante os dois periodos de confinamento não terias comida na mesa por encerramento de fábricas e negócios agrícolas.

      • Rui F Ribeiro says:

        Infelizmente…negros e zukas são os que se sujeitam a empregos e patrões de m_e_4_d_a. Por isso há muitos. Os tugas não pegam em qq emprego, sem contrato estavel e sem salario de jeito.

        • Nar6 says:

          Conheço muitos tugas que preferem o RSI ad

          • Rui F Ribeiro says:

            Não assim tantos…e o RSI não dura muito, e muito menos para quem realmente precisa. Os “profissionais” do RSI em Portugal, são os ciganos.

          • Nar6 says:

            Caríssimo, uma manhã a acompanhar-me nas minhas diligências profissionais diárias e ficaria com as ideias mais refrescadas. Há de tudo um pouco. Em termos de RSI os ditos “tugas” estão em maioria e muitos de longa duração. Sim, conseguem fazer vida com esses valores miseráveis que recebem ((mais biscates que arranjar por fora). A chico-espertice é património nacional e não uma importação. Curiosamente (ou não) os estrangeiros estão em minoria em termos RSI. Aumentou um pouco com a Pandemia, mas mal conseguem trabalho dispensam o apoio até porque há que enviar dinheiro para a família que ficou na terrinha.

  13. jorge says:

    Eu nao posto mais comentarios em outros lugares porque nao tenho facebook, porque muita m&%$a de jornais e afins exigem o login da facebook, ha varios problemas com a sociedade, um deles é que tudo que é ruim é o que mais preferem, depois se queixam que lhes venderam os dados, quanta mais insegurança houver mais eles gostam.

  14. jorge says:

    Os negros teem os mesmos direitos que os brancos, desde que tenham as competencias exigidas pelo posto de trabalho a que concorrem.

    • Bruno Mota says:

      Direitos iguais, deveres iguais. Concordo plenamente. Sem exceções e independentemente da cor, branco, negro, vermelho ou até verde com antenas na cabeça.
      E cotas que são totalmente descriminatórias deveriam ser proibidas.

  15. Davi says:

    E discriminam as pessoas mais velhas. Ageism.

  16. Algo says:

    Espero que esses candidatos Negros encontrem oportunidades de emprego melhores e dignas.

    Eu veria essa rejeição como uma benção pois não há muito que orgulhar de uma empresa inundada em controvérsias e fraudes.

    Essa empresa não só rouba os dados dos utilizadores, afunda empresas que adquire, como copia funcionalidades de aplicações que a mesma não consegue comprar: por exemplo, tik tok.

    O mínimo que pode fazer é apagar os perfis e desativar as contas, mas duvido que farão isso, especialmente com o Instagram.

    Alternativas não faltam, para benefício de muitos, e isso é o que importa.

  17. Robert Soares says:

    nao percebi essa… o que a cultura tem haver com cor? idades? etnias? sexo?
    enfim… gestão empresarial de m****!

  18. SANDOKAN 1513 says:

    “Não há dúvida de que podem fazer o trabalho,mas estamos realmente à procura de uma cultura compatível.” Que vergonha,que discriminação racial.Um gerente de contratação de funcionários dizer isto,olhem que esta.Como o mundo vai,que podridão. 😐

    • Rui F Ribeiro says:

      lol também em muitas entrevistas eu não tinha uma “cultura compatível”, por não querer ganhar um salário da tanga, ou não ir em tretas de conversas dos RH, ou não gostar de certos abusos, ou não gostara de começar a trabalhar para eles antes sequer de ser entrevistado (preencha o seu CV no nosso formato).

      isto é apenas negros a usar a desculpa do racismo, e estamos tão fartos, mas tão cansados, desta conversa constante…

  19. Sergio says:

    É apurar os factos e a verdade, sinceramente a mim já me custa ler estas noticias com fontes credíveis e de forma automatica: ” eiii facebookk racistaaa, nao sei quem racistaaa … all lives metters” , cada vez mais vejo oportunismo nestas situações.

    Há duas semanas estava numa fila de hipermercado, no Continente, loja até grande com caixas normais ou de pagamento automático.
    Meti-me numa caixa normal, coloquei as minhas compras quase todas no tapete.. e aparece um senhor negro atrás só com um artigo.
    Perguntou-me se podia passar, eu disse que se não houvesse caixas automáticas ( ali a 5 metros) que deixaria passar com todo o gosto, mas estando elas presentes e livres na loja, deveriam ser utilizadas.
    Ele respondeu-me, mas eu nao sei usa-las… eu repondi, está lá uma senhora simpatica que nao se importa de ajuda-lo.
    E pronto, foi o caos, começou logo a criticar-me “nao gosta de pretos” e afins… eu la queria saber se homem era preto ou amarelo, simplesmente ja trabalhei num local idêntico e sei o quanto é importante estas pessoas dirigirem-se a estas caixas para aumentar a fluidez. Se a empresa as criou, fez um investimento..

    Mas do nada, ja era o maior racista do mundo, logo numa altura de covid em que ao deixa-lo passar não ia cumprir qualquer regra de distanciamento.

    Lute-se contra o racismo mas com cabeça, o meu pai está em Angola há 7a nos, não há um único dia que não sofra de racismo e não me aparece aqui a choramingar quando volta.

    • Rui F Ribeiro says:

      Eu vivi 6.5 anos em Àfrica. Qualquer branco que tenha lá vivido, sabe que não há gente mais racista que os negros. Só na casa dos outros, é que acham que ser racista é mau, e usam isso como desculpa para tudo e mais alguma coisa que não gostam.

      • Nar6 says:

        Usufruiu do preivilegio de ganhar 100x mais do que um “local” nas mesmas funções?

        • Rui F Ribeiro says:

          Não, você está enganado em várias coisas. Não sou politico, não foi pelas meninas dos meus olhos que estive lá, estive lá porque fui preciso. Não foram 100x, foram 200x, e mereci cada cêntimo do que me pagaram. E se me pagaram o que pagaram, é porque o meu trabalho dava 95% de lucro do salário que me pagavam…

          É tipo o Blade Runner… “Gente, vocês não acreditariam nas maravilhas que vi e FIZ” ;-P

          Vá trabalhar, invejoso de meia tigela…

          • Rui F Ribeiro says:

            Mas tenho uma novidade para lhe dar tb….Indiano não?… bem não interessa. A semana passada um Boer maluco ofereceu-me o fantástico salário de 900 euros para ir trabalhar para Pretória. Acha que já fiz as malas por esse tesouro? Pense nisso ;-P

        • Sergio says:

          Por acaso o meu pai ganha quase o mesmo, simplesmente não tinha procura cá na area dele.
          Quando se candidatou ficou claro que ia exercer na maioria do tempo a sua profissao, mas que tambem seria tutor das suas equipas e que se esperava que quem estivesse na equipa tivesse conhecimento ao final de x tempo.

          Esses mitos de ir para angola e ficar rico já acabaram ha muito tempo.
          Cada situação é uma situação, cá a carga fiscal é tão elevada que muitas das vezes preferia ser empregado e ganhar menos 300€, do que ter o meu próprio negocio e andar sempre preocupado com a chacina fiscal, para alem que para ter esses mais 300€ trabalho se calhar mais 40h em media por mes

    • Rui F Ribeiro says:

      De qualquer forma, confunde-se muito “…ismos” com problemas sociais profundos, e aos negros dá sempre jeito lançar confusão. Não sei porquê, mas os chineses, indianos, ucranianos que andam por cá não se queixam a toda a hora que somos racistas, se calhar porque trabalham…quem tem muito tempo livre, e é racista, dá nisso…pensa e fala em racismo a toda a hora, porque não tem nada melhor para fazer.

    • Rui F Ribeiro says:

      Por acaso voltei, só por um pormenor caricato da sua “história”…do homem não “saber usar as caixas automáticas”…pois, a culpa era sua de ele não saber usar, para eles a culpa é sempre dos outros..

  20. Rui F Ribeiro says:

    Eu já em tempos tive 7 entrevistas na Amazon…e não me queixei de …ismos, de discriminação a raças latinas, por não ter sido seleccionado. Se esses candidatos (ab)usaram da carta da raça, parece que quem os contratou, acertou que eles não seriam um fit cultural, e eram gente obtusa.

  21. Nar6 says:

    Não normalizem o racismo nem qualquer outro “ismo”. Precisamos todos uns dos outros. Existe uma Declaração Universal dos D

    • Nar6 says:

      Não normalizem o racismo nem qualquer “ismo”. Precisamos todos uns dos outros. Existe uma Declaração Universal dos Direitos Humanos que se reflete na Constituição da maioria dos países. Quem não cumpre tem de ser punido.

      • Rui F Ribeiro says:

        Explique-me lá o sistema de quotas em trabalho em Àfrica de 10 negros ou mais para um branco, de eu como branco se perder emprego, ser deportado, e de Moçambique ter na Constituição até há relativamente poucos anos que um homem (branco) a casar com uma Moçambicana não ganhava a nacionalidade. E embora o texto tenha sido retirado, na prática continua na mesma… Estou muito curioso com as suas conclusões.

        • Rui F Ribeiro says:

          E estamos só a falar dos PALOP…se fizer o obséquio de explicar porque os brancos foram “convidados” a abandonar o zim e rsa, e porque os matam, então é ouro sobre azul.

  22. Tuga says:

    Para o bem e para o mal, hoje toda a gente tem direito a tudo e o dever de nada só por que são isto ou aquilo. Não interessa o valor que têm, as capacidades que têm, as aptidões que tem ou o mérito que ganharam. Não. O que interessa é pertencer a uma qualquer minoria etnica ou demográfica ou politica ou de género, para garantir o que quer que seja. E isto é muito pior que racismo. Isto é dividir um sociedade cada vez mais dividida. Assim caminhamos nesta sociedade moderna para um total fracionamento da mesma. Já faltou mais para o “salve-se quem puder”.

  23. AlexX says:

    Cultura que segue encaixando no facebook e sob sua proteção, é o tráfico de pessoas. Funcionou em pleno para vender passagens a quem atravessou o mediterrâneo vindo de África e agora está funcionando para quem entra nos EU vindo do México.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.