Fusão Nuclear – Energia limpa em 2030?

Por António Ferreira para Pplware.com

Destaques PPLWARE

32 Respostas

  1. SergioM says:

    Na imagem diz que é preciso temperaturas de 100 milhões de graus celcius

  2. Fernando Negro says:

    «um pouco de pressão e uma competição saudável seria o necessário para ter a motivação suficiente para que este prazo se cumpra»

    Mentira. A fusão nuclear já podia até ser uma realidade, não fosse o constante subfinanciamento consciente de projectos governamentais no Ocidente – e o encerramento dos mesmos, quando estes têm sucesso (https://www.youtube.com/watch?v=Wbtj29ERG-Y).

    A fusão nuclear está a ser propositadamente adiada pelas mesmas pessoas que andam a propagandear a mentira do “aquecimento global” antropogénico (https://www.youtube.com/watch?v=bSAgCFLgaVI). E, o objectivo de ambas as acções é reduzir a população mundial para números que sejam mais fáceis de controlar (https://larouchepac.com/green-fascism).

    Se os países BRICS (que não fazem parte deste conluio) tiverem possibilidades de investir dinheiro suficiente no projecto ITER (https://www.rt.com/shows/technology-update/new-energy-unlimited-power-710/), poderemos ter a fusão nuclear mais cedo. Caso contrário, só quando se acabar de destruir a sociedade que temos, para dar lugar à pretendida pelas elites ocidentais, é que irá aparecer a energia de fusão.

    • scootard says:

      Parabéns, gostei do artigo, e do teu comentário!
      No estado em que o mundo está não acredito que numa década existam desenvolvimentos nesta matéria, nem tão pouco por exemplo na implementação mais global do hidrogénio como “combustível” na industria automóvel, quanto mais a fusão nuclear…
      Agora um “á parte” acerca deste tema, já em 1997 de uma forma um pouco futurista se falava de algo assim, como quem diz que “não há fumo sem fogo”… Quem se lembra ou viu isto? Eu gostei…
      http://www.imdb.com/title/tt0120053/?ref_=nm_flmg_act_75
      Com pimentos a todos!

      • Fernando Negro says:

        O hidrogénio é uma falácia, ou uma anedota. Pois, gasta-se mais energia a produzi-lo do que a que se obtém em retorno, a queimá-lo – e, para além disso, levanta toda uma série de problemas (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/13-da-gasolina-26724?thread=53604#t53604). Razão pela qual, apesar de já ser possível utilizá-lo como combustível e terem repetidamente apresentado protótipos, nunca se vêem (nem nunca se irão ver) carros movidos a hidrogénio a circular nas estradas.

        Quantos aos filmes de Hollywood, uma boa parte deles pegam em assuntos com algum fundo de verdade e acrescentam-lhes uma série de argumentos mirabolantes, para tentar ridicularizar todo o assunto. Para que depois, quando vai uma pessoa falar com alguém sobre tais assuntos, a resposta seja “este tipo anda mas é a ver demasiados filmes” (http://www.europa-america.pt/product_info.php?products_id=6085).

          • Fernando Negro says:

            Supostos “projectos” que nunca irão sair do papel. Mera propaganda, emitida por agentes das elites de que falo (os grandes interesses económicos, que controlam os nossos políticos), para tentar convencer as massas ignorantes de que há alternativas viáveis aos hidrocarbonetos (que já começaram a escassear).

            Não existem, actualmente, fontes de energia que sejam capazes de substituir o petróleo e o gás natural. Pois, entre outras coisas, as ditas “energias alternativas” apenas conseguem produzir uma pequena fracção da energia que temos, hoje em dia, ao nosso dispor. Como tal, a sociedade (ou Economia) irá entrar, inevitavelmente, em Colapso. (O que esteve quase a acontecer em 2008 – e irá acontecer, dentro de muito poucos meses.) Mas, para que não se espalhe o Pânico por causa disto, convém manter as massas governadas na ignorância e iludidas sobre o assunto, tentando convencê-las de que haverá uma eventual solução para o problema – o que não irá haver, enquanto não for desenvolvida a energia de fusão (e se use depois a mesma para produzir hidrocarbonetos sintéticos: http://www.cnet.com/news/miracle-tech-turns-water-into-fuel/).

            A intenção de evitar o Pânico sobre o inevitável Colapso Económico que se avizinha – e que este ocorra de modo descontrolado – é a mesma razão pela qual até os países BRICS, que querem realmente desenvolver as suas economias, se vêem forçados a alinhar com a mentira do suposto “aquecimento global” antropogénico (o qual, sabem as pessoas melhor informadas, ser uma enorme impostura científica: https://www.youtube.com/watch?v=YrsUQ5jw_B4), tentando fazer as pessoas até sentirem-se bem, com a destruição da sua Economia, por pensarem estas que estão com isso a ajudar o Planeta.

        • João Correia says:

          Este artigo e sobre FUSÃO do hidrogénio em hélio em enormes reatores para produção industrial de eletricidade, não sobre a COMBUSTÃO deste, ou a sua utilização como combustível. Este segundo processo é inviável porque não há muito higrogénio livre na natureza e para se obter este gás a partir da água (fonte praticamente inesgotável de hidrogénio) gasta-se mais energia do que é obtida com a sua COMBUSTÃO (não FUSÃO)

    • int3 says:

      não te esqueças do alumínio na cabeça.

    • Miguel Silveira says:

      O simples facto de dizeres mentira ao “aquecimento global antropogénico” põe-me logo de pés atrás com o que podes dizer posteriormente. Tenho pouca paciência com maluquinhos da conspiração que apresentam factos não assentes em documentos avaliados por pares.

      Além disso blogs existem muitos, e alguns até dizem que a homeopatia resulta e que beber água morna reduz os calos… As únicas fontes seguras são as de constante escrutínio, e não aquelas que quando confrontadas, respondem com “Ah e tal, também estás do lado deles…”.

      PS: Se gostas tanto do youtube, aprende qualquer coisa com este gajo -https://www.youtube.com/user/potholer54

      • Mario says:

        @Miguel Silveira

        Sim o aquecimento global antropogénico é uma grandessima mentira.
        Já agora sabes qual o significado de aquecimento global antropogénico?
        Eu digo-te, significa aquecimento global provocado pelo homem.
        Cabe na cabeça de alguem minimamente inteligente que o co2 faz a temperatura subir da maneira que andaram por ai a apregoar?
        Foi sim um mobil excelente para negociarem ar nos mercados mercados de emissoes de carbono.
        Mas como esse tal aquecimento nao se verificou mudaram subtilmente o nome para alteracoes climaticas, termo tao vago que pode abranger tudo e mais alguma coisa.
        Na decada de 1970 andavam a apregoar que iriamos entrar na nova idade do gelo e tambem nao aconteceu nada disso.
        Antes de te pores logo a escarnecer alguem com o termo teoria da constipacao informa-te primeiro porque neste caso o tolo es tu.
        Começa por procurar no google pelo escândalo do Climategate (amplamente falado na comunicação social) em que se descobriu a falsificação de relatorios por parte do IPCC.

        Quanto ao co2 nao te preocupes com isso

        Nitrogenio 780.000 partes por milhao
        Oxigenio 210.000 partes por milhao
        Argonio 9.000 partes por milhao
        CO2 385 partes por milhao
        Outros 615 partes por milhao

        Mesmo que pela mao do homem chegasse as 700 partes por milhao o que iria acontecer seria as plantas terem mais para respirar e desenvolverem-se mais, havendo mais producao agricola sem ter de gastar um centimo.

        Aquecimento Global?
        Aqui explicam como toda a maquina dessa mentira funciona
        https://www.youtube.com/watch?v=qe-5rJgojRA

        Professor da USP FALA SOBRE A FARSA DO AQUECIMENTO GLOBAL
        https://www.youtube.com/watch?v=3_GPLlJv6x0

        E nao confundas clima com ambiente 😉

        • Miguel Silveira says:

          1º – Sei bem o que é antropogénico, foi por isso que falei nele.
          2º – Se soubesses de ciência e e soubesses de impactos de co2 e efeitos de feedback positivo não usavas a ideia de “senso comum”, o tal de “minimamente inteligente”. Se queres discutir assuntos científicos tens de ter material publicado e avaliado que te apoie. Aproveito e deixo-te aqui uma playlist de youtube de um repórter e investigador cientifico que põe todas as fontes na descrição dos vídeos: https://www.youtube.com/playlist?list=PL82yk73N8eoX-Xobr_TfHsWPfAIyI7VAP
          3º – O termo “alterações climáticas” existe desde 1950 ou antes. Vê a playlist
          4º – A ideia que em 1970 iria existir uma “idade do gelo” veio de uma interpretação errada dos documentos avaliados por pares da altura.
          5º – Nem vou comentar o facto de me estares a chamar tolo, quando eu apresento de onde obtenho as minhas fontes e tu não. (mais uma vez, descrição dos vídeos que ponho aqui)
          6º – Climategate – https://www.youtube.com/watch?v=4OB2prBtVFo&index=24&list=PL82yk73N8eoX-Xobr_TfHsWPfAIyI7VAP
          7º – Co2 – https://www.youtube.com/watch?v=CcmCBetoR18&list=PL82yk73N8eoX-Xobr_TfHsWPfAIyI7VAP&index=35

          Todos os vídeos que postei tem os documentos entregues e avaliados, além de estudos realizador por múltiplas instituições sobre todos os temas que descreveste.

          PS: Tu ao menos pesquisaste alguma coisa, e tentaste apresentar conclusões, ao contrário do Fernando Negro que apresenta a camada superior das noticias e fica satisfeito, mas eu sei de onde tiraste as conclusões. O que te peço é que vejas a playlist que postei e percebas a importância de ir às fontes mesmo que inicialmente sintas que estás a dar o braço a torcer.

          Ah, e sei bem a diferença em clima e ambiente

    • Alvega says:

      Sabes, contra a opinião generalizada dos comentários, podes nao estar totalmente errado.
      Eu já li uns artigos onde é explanada essa tua ideia de limitação de populaça, tipo uns quaisquer Hitler.
      Um foi recente, onde um Bispo ou Cardeal da igreja (alto quadro), de um pais de África, que se queixava de lhe serem impostos programas de planeamento familiar há força, para limitar a população.
      E isto pelos países ditos “amigos”, Europeus e Americanos, fazendo depender a ajuda económica e alimentar do cumprimento dessas exigências.

      Mas por outro lado de que adianta “tu” viveres num “condomínio fechado”, com tudo do bom e do melhor, cheio de “mordomias”, se tudo o mais a tua volta por inabitável ?
      Vao querer Invadir \ Tomar o teu espaço, seja pelo numero, seja pela força, elementar meu caro F.Negro podes até viver numa ilha (EUA), mas é uma questão de sobrevivência, vao lá chegar de um modo ou outro.

      • Fernando Negro says:

        A pressão de que você fala, feita sobre os países não desenvolvidos, para que estes reduzam a sua população, é algo que já foi até tornado público, há décadas, quando foi desclassificado um documento do governo estadunidense, chamado “National Security Study Memorandum 200” (https://www.prisonplanet.com/the-population-reduction-agenda-for-dummies.html). Mas, para além desse documento, há outras provas ainda mais explícitas (https://www.youtube.com/watch?list=PL51C13054212C11EE&v=SyK3o-fl27k) de que a chamada “agenda da redução populacional” é uma realidade (i.e. um facto, relativamente ao qual não poderei eu estar “errado”). Não se dando as pessoas que publicam tais coisas muito ao trabalho de esconder tal documentação, por saberem estas que a esmagadora maioria da população nunca a irá ler.

        Quanto às elites serem ou não afectadas pelos enormes problemas sociais que se avizinham (eu não faço parte de quaisquer elites), é exactamente para evitar quaisquer convulsões sociais que as atinjam é que foram montadas coisas como o “Banco Alimentar Contra a Fome” (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/o-banco-alimentar-contra-a-fome-como-110605). E, com isto termino a minha série de comentários a esta colocação, porque tenho mais que fazer.

  3. Pauli says:

    Isto e altamente perigoso energia nuclear nunca, mais vale carvao que e barato e n faz mal nenhum pois sempre houve vulcões e n havia efeito estufa

    • Tiago Silva says:

      ó meu n sabes mesmo do que estás a falar….

    • JJ says:

      Claramente não percebes a diferença entre fisão e fusão, aconselho que investigues um pouco e vais ver a diferença.
      A fusão nuclear, é segura! O maior perigo é mesmo a central/reactor começar arder e a única coisa que liberta para atmosfera é hidrogénio. E que se saiba o hidrogénio não é poluente nem prejudica a saúde de ninguém.
      Analisa o assunto…

    • Luis Duarte says:

      Este comentário… preferes ter um mundo cheio de CO2 (dióxido de carbono) e com temperaturas insuportáveis para a vida?
      Recomendo veres estes videos:
      https://www.youtube.com/watch?v=9GjrS8QbHmY
      https://www.youtube.com/watch?v=qWoiBpfvdx0 (principalmente este)

    • Daniel D. says:

      O que acabaste de dizer é das coisas mais anormais que uma pessoa pode dizer…
      Carvao nao polui… lol
      o fumo negro que sai dos comboios movidos a carvao é o que, saudavel??

    • Arthur Wagner says:

      Se achas isso, recomendar-te-ei que pesquises mais à respeito a fim de entender melhor quimicamente os conceitos de poluição ambiental. O único risco que tal ação de fato apresenta, é a possibilidade de um acidente no reator, o que ainda assim, acarretaria apenas o estrago físico do meio. Além disso, aconselho que vejas de onde sai essas fontes não renováveis de energia para ter uma ideia do quão danoso é. O que falaste hoje foi a pior coisa que um ser humano dito desenvolvido intelectualmente poderia dizer. Repense seus comentários antes de espalhar bobagens e atrasar o avanço da ciência.

      • Hugo says:

        Sinceramente n vejo qualquer vantagem na nuclear. Se o carvão e tão poluente porque ao pé dos vulcões os solos são tão ricos e as plantas florescem? Os ignorantes ou ambiciosos só vem dinheiro à frente e querem nucleares mas ninguém quer isso

        • Danilo says:

          Hugo, o carvão mineral não é um poluente enquanto enterrado, mas sim quando transformado em CO2, para seu melhor entendimento do assunto, procure saber por que as arvores absorvem o Dioxido de carbono.

        • JJ says:

          O carvão em si não é poluente, até porque é um mineral bastante abundante no planeta. O que é poluente é queimar carvão.
          Os vulcões não queima carvão, no máximo criam carvão…

    • Alvega says:

      Oi…Pauli, andas-te a ler o TRUMP ?
      Mas olha que o tipo nao tem os” 5 litros bem aferidos”.
      Se és um afortunado que nao tem problemas de pulmões, ainda bem para ti, mas nao é dificil pesquisares umas radiografias, e quanto a mudanças de efeito de estufa, qualquer agricultor ou pessoa mais idosa, te explica as mudanças ao longo dos anos, e bem sei que os cientistas gostam de nªs, mas o conhecimento é bem mais antigo, e baseava-se em vivência e factos presenciados.
      O clima mudou ao longo dos tempos, como sempre alias, mas o modo de vida moderno tem potenciado em larga medida essa mudança, quer em rapidez, quer em efeito, há que fazer algo para mitigar isso, pois ainda esta semana o Irão esteve com temperaturas de 53,7 ºc, achas que consegues viver e produzir trabalho num meio desses ?

  4. JJ says:

    Eu acredito que seja possível, mas tem surgir algum projecto independente e com muito dinheiro de modo a não ficar controlado pelo lobby do petróleo.
    Porque a maior parte dos projectos actuais, tem envolvimento governamental, e por sua vez a pressão das petrolíferas acaba por ser grande.
    Assim como aconteceu nos carros eléctricos, que foi preciso surgir uma Tesla, tem de acontecer neste caso.

    • Alvega says:

      Concordo, com parte, achas mesmo que é a Tesla que fez mudar o paradigma dos automóveis ?
      Quando muito contribui-o, em parte substancial, mas é somente uma parte da historia.
      Pois eu acho que o tipo da Huber, fez bem mais, apesar de nao gostar dele.
      Como alguém disse um dia “È a economia…estúpido”, (sem ofensa).

  5. Paulo Rodrigues says:

    Para reduzir a população mundial poder-se-á seguir o exemplo portuga….

    Sejam 30M ou 100M de graus, o que é preciso para tal valor?

  6. Hugo Gomes says:

    Chamem o musk que ele resolve isso

  7. Humberto says:

    Será que isso tem algo a ver com cold fusion, erigido a alguns anos atras sob o codnome “e-cat” de Andrea Rossi

  8. Luís Carneiro says:

    Na europa (França) está a ser construído o maior reator de fusão nuclear. O projeto chama-se ITER e tanto informação sobre o projeto como verificar a evolução do mesmo podem ser seguidos no site deles:
    https://www.iter.org/

  9. Alvega says:

    GOSTEI, do artigo e da generalidade dos comentários.
    Assim sim, apreende-se algo, nao é só TELE-VENDAS.

    Gostava de ainda poder ver o mundo usufruir desta tecnologia, antes de “BATER A BOTA”, em grande escala, entenda-se, e de outras igualmente AMIGAS do AMBIENTE, que por motivos políticos \ económicos, sao deixadas para 2º plano, tipo HIDROGÉNIO, bem sei que é perigoso, e difícil de armazenar, mas quando o homem sonha \ quer, as coisas acontecem e o mundo pula e avança.

    Claro que sou dos que gostavam de dar novos mundos ao mundo, LITERALMENTE, nao é só o E.Musk, nem a NASA, mas igualmente gostava de deixar para as gerações vindouras, um legado, no mínimo, manter este “mundo”, habitável, e tudo o que possa contribuir para isso é BEM vindo.

Responder a SergioM Cancelar Resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.