Quantcast
PplWare Mobile

Eletricidade: Clientes com fatura mais baixa no mercado regulado?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. jorge santos says:

    Então o SOCIALISMO fica mais barato para os cidadãos do que o CAPITALISMO? Quem diria, dirão muitos que não entendem o que são ECONOMIAS DE ESCALA…

    • Não digo says:

      Nada de novo, já se sabe a muito, o problema é que quem saiu não pode voltar

    • André Silva says:

      Esta mudança só prova a falência do CAPITALISMO.
      Como o capitalismo não consegue regular / nivelar os preços, acontece o que estamos a ver.
      Deixe esse ódio, porque ainda vai desejar estar num governo socialista.
      O capitalismo é tudo menos Estado, mas quando estão apertados, os Estados de cada país é que têm de suportar os seus devaneios.

      • Urtencio says:

        O socialismo também provou a sua incompetência! TAP..CP..SNS..SSOCIAL.. e todo os serviços administrativos do país que o que podemos dizer é que existe porque funcionar tá quieto!

        Uma coisa é certa, temos problemas nestes serviços?
        Temos!
        A solução é estourar com dinheiro dos portugueses para cima dos problemas para ver se resolve?
        Estes últimos anos claramente mostraram nos que não!

      • GM says:

        Muda-te para a Venezuela. Vais ver o que é bom para a tosse.

      • PML says:

        Quem quiser ler nas entrelinhas verá que o socialismo está falido. Não deixa de ser uma ironia que para o mercado regulado ser mais barato, estão todos os cidadãos a pagar por isso. Ou seja, estão todos a subsidiar este valor. É o mesmo caso da gasolina – o governo faz passar uma lei que limita os lucros das gasolineiras e que poderia baixar até 10 cent esse valor caso ativasse a cláusula. No entanto o que faz – dá o cheque gasolina que sai do bolso de todos, quer andem de carro ou não. Dizer que isto é socialismo… Deveria Socialismo empresarial em que empresas privadas são sempre ajudadas pelo estado em deterimento da pessoas que aí vivem. Nem é sicoalismo nem capitalisto – é o pior dos dois mundos.

    • Brucetuga says:

      Não é verdade! O mercado regulado, como o nome indica, significa que não podem mexer nos preços mas o Estado compensa essa regulação. Por isso, pagamos todos e as empresas que tentam fazer lucro do seu investimento vão à falência por concorrência desleal!
      Se dúvidas ainda existirem, vejam aqui:
      https: //observador.pt/2021/09/21/governo-anuncia-pacote-de-430-milhoes-para-travar-precos-da-eletricidade-das-familias/

  2. Elton says:

    Afinal …
    Privatizar água luz gás é um dos piores erros dos nossos governos.

    • alt.menino says:

      100% – Os governos são deles e para eles, para nosso desgoverno. É a forma fácil que o ser humano têm sempre ao delegar resposabilidades ou interesses nossos em terceiros, declarando estes como pessoas responsáveis e de bem sem os conhecer de lado algum. Na maioria das vezes o dito governo é um desgoverno vergonhoso, que nos trás um enorme desconforto nas mais variadíssimas formas. Pecados se os há ? Que paguem aqueles que os cometeram….. votar é delegar ou imputar uma resposabilidade a terceiros, não se tem direito a devolução em caso de mau negócio.

  3. Tonheco says:

    Água e energia deveria ser da tutela do estado, são bens essenciais. O problema é o socialismo que é corrupto e gasta muito mais do que deveria, depois quando está apertado de dinheiro tem de vender o que tem valor.

    A porcaria da TAP que não é necessária para nada continua pública e a devorar dinheiro.

    • GM says:

      Concordo. A energia deveria ser produzida por empresa estatal, EDP, e distribuída por outra entidade, REN, em que ambas poderiam ser a mesma, e detidas pelo Estado. A energia produzida, essa sim, poderia ser vendida a entidades privadas, e aí a concorrência seria entre elas, nada mais. E o Estado não se metia na comercialização. Se uma determinada empresa fosse à falência, fazia-se o funeral, nada mais. Os clientes dessa empresa, teriam de contratar os serviços de comercialização com outra empresa. No que respeita à água/tratamento de efluentes, seriam adstritos aos municípios / associação de municípios. Simples. E estas áreas basilares, produção e distribuição, estariam nas mãos do Estado, não de outros Estados.

  4. Manuel Costa says:

    Há um erro grave no artigo: o que está mais barato é o termo fixo, que no regulado varia entre 14 a 47 cêntimos, por dia, no liberalizado está entre 22 a 96 cêntimos por dia. No preço da energia são muito semelhantes. Só que se pagam mais 9 a 25 euros no fixo os 3 euros poupados em energia não compensam a diferença.
    O meu pai pagava 50 euros no regulado, quis ir para a Iberdrola, passou a pagar 63 euros e diziam que tinha 23% de desconto… nas horas de vazio. Voltou para o regulado. 13 euros mensais dá mais 4 facturas anualmente.
    Façam a conta ao valor por kw e ao fixo, é que no comercial, o fixo chega a subir 25% em cada aumento e as pessoas culpam os impostos… quando o operador até diz oferecer 1% por ser factura electrónica e 1% por débito directo, que não se aplicam ao termo fixo, onde estão os 18% a 600% de lucro do operador.

  5. Ruca says:

    Existe forma de passar do liberalizado para o regulado.

  6. Miguel says:

    Já se sabia que as empresas iriam querer uma fatia do bolo, para mudar dão tudo depois aos poucos vai subindo.
    Cá em casa 70% da energia é solar mas mesmo assim fiquei no regulado.

  7. andre says:

    o mercado regulado é mais barato por mérito e eficiência própria ou porque é subsidiado pelos nossos impostos? Se há muita eficiência no mercado regulado porque é que uma empresa privada não contrata esse mesmo gestor para implementar essa mesma eficiência na sua empresa? muita coisa cheira a esturro, mas na verdade não tenho todos os dados para avaliar.

    Por outro lado duas empresas faliram é isso a beleza do capitalismo, se fossem empresas do estado já estávamos a enterrar dinheiro nelas.

    Lucro é o maior propulsor do mérito e é com mérito que melhoramos continuamente.

    • André Silva says:

      O mercado regulado é sujeito a metas de eficiencia, no entanto, caso haja um desvio (para cima ou para baixo) no preço da energia é suportado por nós nos CIEGs que pagamos anualmente.

    • PeterJust says:

      “duas empresas faliram é isso a beleza do capitalismo, se fossem empresas do estado já estávamos a enterrar dinheiro nelas” esta frase é um atestado de burrice de todo o tamanho, então estas empresas que faliram não vão ficar a dever aos fornecedores, empregados, estado, etc, diz a essas empresas, aos empregados e ao estado, que o capitalismo é uma beleza mas, vão berrar o dinheiro. A beleza do capitalismo, é convencer burros como tu que que é um sistema perfeito, até te chegar o lume ao rabo e por exemplo, quando tiveres uma doença que é demasiado cara para o que vales, que num sistema capitalista, não é quase nada, não vais ser mais que lucro fácil num caixão.

  8. Nuno Miguel Fernandes says:

    Título tendencioso ninguém foi obrigado a nada quem não queria passar para o mercado regulado podia simplesmente passar para outra empresa. Mas se no regulado é mais barato então melhor

  9. xyr says:

    Por isso mesmo nunca saí do mercado regulado…..

  10. Miguel says:

    Qualquer pessoa pode voltar ao mercado regulado! Mas o mercado regulado terminará em 2023 ou 25 se não me engano… eu mudei há poucos dias, por uma questão de poupança!.. Não vão na cantiga dos descontos, façam as contas por vocês mesmos no kw e na potência contratada, é isso que influência a vossa factura final. Débito directo e factura electrónica já se usa para quase tudo hoje em dia…

  11. Miguel says:

    Para mudarem para a tarifa regulada têm que perguntar ao vosso comercializador actual se oferece tarifa regulada. Só podem mudar de comercializador (querendo ir para tarifa regulada) se o actual não oferecer serviço de tarifa regulado. Passam vos uma declaração de “empresa sem oferta de tarifa regulada” – há um prazo limite para a empresa fazer essa comunicação, não me recordo agora… e mudam para o regulado! Na teoria este procedimento, na prática não devem pedir declaração do comercializador ao Mudarem. Não há muitas empresas a oferecer tarifa regulada, mas não é muito importante, o valor é igual em todas elas – regulada!.. lol… Quando mudei dei conta que havia a Goldenergy e SU… São 2 ou 3 empresas apenas… Espero que seja informação útil…

  12. Nuno Miguel Fernandes says:

    a melhor forma de confirmarem se estão a poupar ou não é verem no final da factura uma frase que lá vem indicada do género” se optasse pela tarifa regulada pagaria – ou + (x valor) do que o tarifário actual.
    Logicamente se disser que pagariam menos é porque não estão com o melhor tarifário! isto excluindo taxas e impostos

  13. Luis says:

    Só falta dizer no artigo que a SU Eletricidade apenas permite novos contratos para clientes abrangidos pela tarifa social. Os restantes podem aderir à GOLD Energy que têm um tarifário equivalente ao regulado.

  14. Luis says:

    Só falta dizer no artigo que a SU Eletricidade apenas permite novos contratos para clientes abrangidos pela tarifa social. Os restantes podem aderir à GOLD Energy que têm um tarifário equivalente ao regulado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.