Quantcast
PplWare Mobile

Dependência energética do estrangeiro: Portugal ocupa a 11ª posição

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Cunha says:

    Para quando a reativação do pego e Matosinhos?
    Para quando uma central nuclear de nova geração em Portugal?

    Pois…. Portugal tem de salvar o planeta não pode pensar nessas parlemices.

    • Grunho says:

      Matosinhos funcionava com 100% de energia importada. E o Pego não muito longe disso. E central nuclear é um brinquedo que nas mãos de portugueses dá acidente certo ao fim de poucos meses. E o preço disso era “só” evacuar o país inteiro.

    • André Silva says:

      Cunha é facil, mas em vez da média do megawatt estar nos 200 e muitos euros, passava para 400 e muitos certamente… A tonelada de carvão andou a rondar os 400 dolares (subida galopante), cada grupo de sines a pleno vapor consumiam 116ton/hora.
      É fazer as contas

  2. Secadegas says:

    Portugal é provavelmente o único país da Europa que podia vender energia em vez de comprar. Infelizmente é desgovernado por incompetentes e corruptos que já nos meteram atrás de países que até á bem pouco tempo nem infraestruturas tinham, caso da Polónia e (incrível) Roménia.
    Mas pronto, devo dar o meu apoio e apelar á malta para continuar a votar PS ou qualquer outro partido com assento parlamentar nos últimos 40 anos. Rumo á quarta bancarrota!!!

  3. Gervásio says:

    todos os paises indo para o nuclear e portugal indo para a GRETA com energia verde

  4. José Orlando says:

    A vida tem destas coisas engraçadas. Há muitos anos atrás quando duvidava do que me eram ensinado na escola sobre a segunda guerra mundial, dos descobrimentos e até da verdadeira intenção do 25 de Abril de 1974, houve um ex-boina vermelha que combateu em África que me indicou para olhar para a primeira crise do petróleo em 1973. Essa mesma crise terminou, penso eu um mês antes do 25 de Abril de 1974. E para qualquer entendedor sabe que não há guerra sem combustível. E lá veio o 25 de Abril e deixamos de gastar imenso na compra de combustível para continuar a guerra sem sentido nas ex-colonias. Nessa altura houve o mesmo tipo de discussão sobre a dependência dos combustíveis fósseis. Quase 50 anos depois lá estamos nós de novo no mesmo dilema. Portugal, penso eu, tem matéria prima para fazer energia nuclear e no entanto, seguindo uma ideologia irracional de focar-se na energia eólica e solar vai-se condenando a dependência do exterior para ser energeticamente independente do exterior.

  5. Volodymyr Zelensky says:

    “A guerra entre a Rússia e a Ucrânia não é apenas um conflito entre os dois países.”. Pois não, não é. Para começar, na verdade é a INVASÃO DA Rússia a território soberano da Ucrânia. INVASÃO! E quanto ao conflito, da parte da Ucrânia é mera defesa. Chamem as coisas pelos seus nomes.

  6. Miguel Real says:

    Até parece que a Arabia Saudita e muitos outros produtores de petrolio são ‘democracias’ hahaha , (dá para rir de tanta ignorancia e esquecimento mas é triste por lá há muito sofrimento graças ao petrolio portanto perfiro ser pobre e não minerar petrolio por cá mas não deu o celema das minas de litio no norte), até parece que Portugal é um pais enorme e com recursos imensos, ‘hello’ realidade diz algo dentro da cabeça no cerebro?. Podemos e devemos diminir a dependencia energetica e aumentar a prudução da mesma pois a prosperidade que qualquer nação depende de tal, (já viram a quantidade de paineis solares que existem na Arabia Saudita grande produtor de petrolio??? e não vos diz nada???). Claro que devemos usar a energia solar, eolica, hidrica, (que não é assim tão ECO), ‘Bio seja o que for’ e projectar e contruir 3 ou 4 centrais nucleares comtemporaneas, ( para preencher o iato das ‘renovaveis’), chamadas MICRO nas 3 ou 4 regioes estrategias de Portugal desde que sejam de ultima geraçao os Franceses, os EUA, a China, a India podem ajudar por razões diversas mas teremos que ter ‘know-out’ made in Portugal, (existem 2 ou 3 reactores por cá). A ilha de São jorge usa agua dessalinizada faz anos, nos Açores usamos GEOenergia, o Alqueva mudou a paisagem alentajana pro bem e pro mal e não só … temos uma boa rede electrica e infraestruturas modernas em muitas coisas mas demasiados veiculos ainda a combustiveis fosseis, (carros, Comboios a diesel … em vez de electricos e demasiados avióes para um pais com 750×250 km) que se tivesse uma boa infraestrutura de carris electrificada evitaria uma quantidade camiões, autocarros, avióes, barcos, carros … e melhoraria a qualidade de vida de muitos Portugueses, (experimente usar a linha de Sintra ou outras no interior Marco-Regua ainda é a diesel). Tambem não somos assim tão pequenos, (na Europa somos um pais médio), e a Nossa historia prova e comprova quanto podemos fazer para evoluir e dar novos mundos ao mundo mesmo com todos os altos e baixos até somos um pais RICO e Evoluido, (reconhecemos os direitos das crianças por cá mas os EUA são o unico pais que não ratificaram outros ratificaram mas assobiam para o lado) até os casais e familias ‘felizes’ sabem que se entendem é a conversar e a PRATICAR o que dizem mas a realidade é bem diferente…

    P.S.: A Alemanha acabou com o nuclear porque era ‘velho’ a inglaterra quer acabar com as velhas e fazer novas e melhores e mais pequenas mas agora o problema é de todos naõ se lembraram disso quando era para fazer o gaseduto Europa/Africa por Espanha ou Portugal e o NordStream2 ta parado e não é só TRETAS é o que?.

    Relativamente a guerra Ocidente/e os outros que chamam de Invasão Russa da Ucrania, (e é uma realidade indiscutivel.), penso quase o mesmo que sobre guerra do Iraque, ( e não a do Kuwait), e de muitas outras guerras: TODOS SOMOS CULPADOS SIM TODOS. se for tudo unha por unha e dente por dente qual será o resultado ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.