Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: variante brasileira é mais transmissível e ilude sistema imunitário

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Vitor says:

    “A investigação, que teve apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), ainda não foi revista por outros cientistas ou publicada em revistas científicas…”! Acho que esse parágrafo também deveria estar descrito no corpo do artigo…mas isso sou eu que penso!

    • R says:

      Exactamente.
      Para já é mera especulação.

    • Robin Hood says:

      Na verdade, toda pesquisa existe um começo. O sitio só está informando para quem quer saber e acompanhar até seu desfecho, mesmo q o estudo possa dar resultado negativo.

      Mas como hoje as pessoas não sabem o que é notícia e só querem que jornais postem o que querem ouvir/ler.

  2. SANDOKAN 1513 says:

    Variante britânica,variante californiana,variante sul-africana e variante brasileira.Pqp,que sorte a nossa. 😐

    • FAR says:

      “Sorte”? Com a quantidade de gente que continua a ir passar férias fora do país e a disseminar / contrair / misturar variantes? “Sorte”?

      Sorte é não existir (ainda) uma super-variante que invalide completamente a vacina atual, mas com a negligência que se tem visto será uma questão de tempo. Ou “sorte”.

      • José Fonseca Amadeu says:

        Deixa as variantes cruzarem e depois falamos 😀

        • R says:

          Segundo os especialistas, provavelmente já ocorreram (quase) todas as mutações possíveis tendo em conta os nucleotídeos/sequência do vírus. É óbvio que as que permanecem são as mais competentes.

      • Luis Henrique Silva says:

        E pensas que isso já não acontece?
        A vacina foi feita pouco antes de conhecermos tais variantes quase….
        Eu cá digo que a vacina só da para a primeira variante……
        Por exemplo porque raios todos os anos a vacina da gripe é diferente…….

        A vacina não vai fazer grande efeito escrevam o que digo……

        • José Fonseca Amadeu says:

          Por essa forma de pensar, todos os anos repetias vacinas.
          Cada patologia tem o seu tratamento, assim como cada virus a sua vacina, não se pode extrapolar, muito menos quando ainda não temos conhecimento suficiente e provavelmente só daqui por 5 a 10 anos estaremos munidos de toda a informação sobre o covid.

        • R says:

          É só especialistas; são vírus diferentes.
          E nota-se que não faz efeito: dos profissionais de saúde vacinados do Hospital S. João houve 0 casos pós vacina.

      • Rodolpho Morethson says:

        Na verdade não. O vírus vai continuar em circulação com ou sem população vacinada. Isso acontece com vários vírus. No caso do covid-19 a vacina não deixa a pessoa desenvolver as formas graves da doença, mas ela continua pegando e quando pega ainda transmite, numa taxa menor, mas ainda transmite. Sendo assim a vacinação será anual ou até até semestral e nesse meio tempo outra variante vai aparecer.

  3. Marco says:

    “Provavelmete, provavelmente, provavelmente”, “provavelmente é mais tranmissivel, provavelmente é mais patogénica, provavelmente ilude o sistema imunitário” e sai uma notícia com “É”. É mais, É mais, É, ILUDE.
    Não há comentários possíveis…

    O estudo é matemático, são contas, é teórico, não tem qualquer pessoa infetada envolvida, nem uma, quanto mais quantidade suficiente para oficializar esta informação cientificamente.
    “O estudo preliminar é baseado num modelo matemático”…

    Isto é uma propaganda que já ultrapassa todos os limites do razoável.

    • Felipe Cardoso says:

      +1

    • Relvas says:

      Provavelmente tens razão!

    • Ricardo Cordoeiro says:

      O Bill Gates está a tomar conta disto. Faz-te cuidado, rapaz.

    • Alan says:

      “Provavelmente faz as três coisas ao mesmo tempo: é mais transmissível, invade mais o sistema imunitário e, provavelmente, deve ser mais patogénica”
      A probabilidade é que tenha 3 fatores que se agravam, porque duas são certezas, a certeza é a transmissibilidade e que invade mais o sistema imunitário a incerteza é sobre ser mais patogênica.

      Acho que tem que desenhar hahaha

      “Concordo onde está a prova da nova estirpe? Estudo baseado num modelo matemático?!”
      Não, a nova estirpe é identificada após suspeitas em pacientes o qual o teste dá erro de falso negativo, então se analisa e se faz o mapa genético. Bastava procurar como são identificados novas cepas, há várias.
      O modelo matemático é com relação a transmissão.

  4. Wagner says:

    Quer acabar com a “pandemia” no Brasil? Só depois que conseguem tirar o presidente Bolsonaro, até lá vão criar novas cepas, diminuírem os leitos de UTI, registrar morto em acidente ou baleado como covid e por aí vai!

    • NotMe says:

      Estás a falar do mesmo Bolsonaro que disse que o COVID é uma gripezinha e que o Brasileiro é forte, “precisa de ser estudado” – dizia ele.
      Ele tinha a mesma opinião que tu e que o ex-presidente dos EUA.
      Acredito mais no oposto do que estás a dizer, morreu de COVID e registaram como acidente de carro xD

      • Artur Peralta says:

        vais pelos que os media falam… Por isso tens esse pensamento formatado pelas informações que eles passam, mas está bem longe da realidade.

        Já se sabe de médicos pagos para atestar C0VlD, famílias inteiras diagnosticadas com o virus por telefone, …

        Não estou a dizer que o problema não exista, mas existe muita coisa mal contada.

      • Carlos Alberto says:

        Discordo de você quem falou que era só uma gripezinha foi o “médico Drauzio Varella” a mando de uma emissora de tv popular no Brasil com o intuito de proteger o carnaval festa da promiscuidade do Brasil.

        https://www.youtube.com/watch?v=Fu51hbO9fSc

        Este mesmo médico que tem uma índole discutível porque prefere visitar e da atenção a preso e estruturador na cadeia no horário nobre.

        A trans Suzy de Oliveira da matéria com Drauzio Varella, foi condenada por estuprar e estrangular Fábio dos Santos Lemos, um garoto de 9 anos. Ele deixou o corpo da criança apodrecer em sua sala por 48 horas À época com 9 anos de idade, o assassinato de Fábio dos Santos Lemos, causou revolta de moradores do bairro União de Vila Nova, na Zona Leste de São Paulo. O garoto foi estuprado, estrangulado e morto por Rafael Tadeu de Oliveira Santos, a Suzy da reportagem de Drauzio Varella, exibida pela Fantástico da TV Globo, no último domingo (1).

        https://www.youtube.com/watch?v=Dp0M3ADJ22Y

    • Alan says:

      O mundo está pouco se lixando para o Bolsonaro, está é preocupada com a nova cepa que é consequência da alta transmissão. Lugares com muita transmissão as chances de mutações perigosas é maior. Brasil brinca com a probabilidade e está pagando caro por isso.

  5. Relvas says:

    “….e ilude sistema imunitário.”

    Nem o vírus se escapa ao “jeitinho brasileiro”

  6. ernez says:

    Podem colocar aqui, a bibliografia que correbora essa informação/estudo, sffv?

  7. JR says:

    Tem a quem sair.

  8. Alan says:

    A vacina não causa a doença, isso é fato. A pessoa já estava infectada apenas não tinha manifestado sintomas (leva até uma semana para isso acontecer)

    Essa “seletividade” aparente do vírus, levando umas pessoas a casos mais graves, seria explicado por isso aqui:
    https://medicalxpress.com/news/2021-02-absence-natural-killer-cell-receptor.html
    Há isso e alguma relação com o interferon.

    Isso dá uma luz para a criação de remédios eficazes.

  9. Silvio says:

    Variante brasileira te iludi dando a dizer que é covid mas só rouba sua carteira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.