Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Portugal não vai registar quem se recusar a tomar a vacina

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. darth says:

    mas pode depois pagar os tratamentos no hospital de quem nao se quis vacinar?

    • Miguel says:

      Tratamentos do quê exactamente? De doenças provocadas pelo tabaco e fast food?

    • paulo says:

      entao tu entedes que o estado e que decide por ti! toda a gente deve ser obrigada a ser vacinada é isso?

      • sujeito says:

        Lá por não quereres ser vacinado, não podes obrigar os outros a pagar os teus tratamentos por seres apenas imbecil.

        • O que sera, sera says:

          xD opa es demais…. Sabes la tu que pagas ja.

          Entao tu nao sabes tambem que esta vacina ainda nao tem os efeitos segundarios registados? Vais obrigar pessoas a tomar uma vacina e daqui a anos sofres e que e que paga agora?? Viste alguma vacina para a gripe espanhola que afectou e matou mais em termos de percentagem? E nao digas que a vacina da gripe e para isso xD

          • IDroid says:

            Quando a pandemia da gripe espanhola acabou, mal eles perceberam o que tinha acontecido…e naquela época tinham mesmo tecnologia para desenvolvê-la em menos de um ano /s

          • ToFerreira says:

            “ainda nao tem os efeitos segundarios registados”… isto são umas palermices sobr a forma de mentiras, atrás doutras, vindas dos “especialistas”.

          • Cristiano says:

            ToFerreira, os ditos efeitos secundários estão divididos em curto, médio, e longo prazo. Visto a fase III da vacina ter tido duração de cerca de 2 meses, apenas temos os efeitos a curto prazo. Não sejas ignorante.

          • ToFerreira says:

            Crsitiano, os efeitos secundários estão divididos em frequência, não em prazos, e estão descritos na bula da Comirnaty, ja a leste?

        • Spoky says:

          Também pagas tratamentos de drogados, pessoas com SIDA / HIV, diabetes e muito deles por falta de descuido com a saúde e com esses queres pagar é?

          Hahaha, o pior é que já pagas, Sujeito não mandas uma para a caixa.

          • F Gomes says:

            Diabetes não pode ser incluída no mesmo grupo de “drogados” e SIDS/HIV como vc afirma. Diabetes não é uma “falta de descuido com a saúde”. A diabetes pode ser hereditária ou causada por vários factores que nada têm a ver com o triste exemplo que mencionou. A diabetes mellitus é uma doença na qual os níveis de açúcar no sangue (glicose) são anormalmente elevados, porque o organismo não produz insulina (hormona que permite a passagem da glicose para o interior das células) suficiente para atender às suas necessidades. Quando a insulina não atua, o organismo entra em hiperglicemia (excesso de açucar no sangue) deteriorando progressivamente os vasos sanguíneos. Por esta razão, as doenças cardiovasculares como a angina de peito, o enfarte agudo do miocárdio e a morte cardíaca súbita são mais frequentes em doentes diabéticos do que na população em geral.

          • Cristiano says:

            F Gomes, a maior parte dos diabéticos é tipo 2, que sim, é causada por fraca dieta. Grande parte do mundo é metabolicamente doente.

          • stayawayestaline says:

            Não vale a pena. É como falar com uma parede. Os covidiotas estão de tal maneira afundados na sua paranoia, que todo o conceito de autodeterminação e dos mais elementares direitos humanos lhes passa completamente ao lado.

            Não têm qualquer problema em contribuir para um SNS que não descrimina toxicodependentes/fumadores/alcoólicos/obesos/criminosos/irresponsáveis-variados/etc. Já quem desconfia e recusa a administração de uma substância desenvolvida em contra-relógio, sob fortíssimas pressões políticas e económicas, é um perigoso sociopata que deverá ser imediatamente marginalizado, qual delito de opinião!

            Entregam-se à tão ignorante quanto portuguesa atitude do “os outros têm que viver em função de mim e quem não concorda comigo está errado porque eu estou sempre certo”. Não compreendem que não podem impor o seu ponto de vista nem tomar decisões pelos outros. Muito menos compreendem que esses outros também pagam os mesmos impostos para o mesmo SNS.

        • AlexX says:

          Parece teres uma agenda ou trabalhares para alguma farmacêutica. Para ti então são todos por algum e qualquer motivo imbecis, parasitas e inúteis. Menos tu que és o iluminado. Ora conta lá e pela tua lógica de pensamento, porque tens que pagar tratamentos de hiv a pessoas que andaram enroladas com quem não deviam? Ou hepatite, quem os obrigou a emborracharem-se até destruir o fígado? Porque tens que pagar tratamentos de cancro a quem não quis saber da qualidade dos alimentos que come e da vida que leva? Porque tens que pagar tratamentos de fracturas ósseas a quem teve um qualquer acidente por culpa própria? Porque há-de ser este caso diferente e para quê todo esse rancor? Tens medo barrica-te sozinho em casa, deixa os outros viver e tem calma que ainda tens muitas outras despesas públicas bem mais caras para pagar.

        • Miguel says:

          E quem paga o tratamento de fumadores e alcoólicos?

        • Nuno T. says:

          O SNS é um sistema universal, tendencialmente gratuito e solidário. Não lhe cabe discriminar um grupo específico de pessoas quanto a tratamentos. Não só seria eticamente reprovável como colocaria em causa os princípios dum sistema de saúde público.
          Pelo teu esquema então ninguém deveria pagar pelos teus (ou doutros) cuidados de saúde já que não fazemos ideia das maluquices que fazes com o teu corpo.

        • jorgeg says:

          o sr trabalha e paga impostos? Ou e apenas um ibecil que tem medo do ccp virus, se sim fique em casa!

          Como o sr Miguel referiu acima “Tratamentos do quê exactamente? “

      • darth says:

        nao. ha direito de tomar uma escolha, e ha depois o dever de se responsabilizar por essa escolha.
        se o estado te da uma proteccao contra a doenca e tu rejeitas, deves ser responsabilizado caso depois cries custos ao erario publico.

        • Suspeito says:

          Nem mais…

        • José says:

          Belo comentário! Devo presumir nota 20 na disciplina de lógica, no curso de filosofia.
          Um indivíduo com 20. 30, 40, 50 anos, a quem o Covid-19 é, no mais, uma febre, uma dor de garganta, perda temporária de olfacto e/ou paladar, a ser tratado em casa com paracetamol, como o meu primo, tio, tia? De que se está a falar? Que custos ao erário público? Mas que psicose é esta? A vacina vai proteger do quê? Só morre quem tem mais de 65 anos e/ou comorbidades, para que estão a vacinar gente, que nesta fase já está imune, ou com idades a quem o Covid-19 é benigno? Isto não é a peste negra.
          Mas numa coisa concordo, se essa “bela” lógica fosse coerente: qualquer escolha política com custos para o erário público deveria ser responsabilizada. Mas para isso o voto teria de deixar de ser secreto. Ou então eutanásia aos 65 anos, atendendo que a partir dessa idade os custos ao erário público aumentam de tal modo que nem se fazem seguros de saúde para essas faixas etárias.
          Um génio da lógica e o deus dinheiro como fundamento desta, que raciocínio lógico.

      • Carlos Fernandes says:

        O estado decide por ti, porque na sociedade em que vives, tu através das eleições transferes-lhes esse pode. Se não queres ser vacinado, passas a incumprir uma regra ou uma lei, por isso terá uma “punição”. No entanto, este Governo optou por não obrigar, ninguém.

        • PhotoShot says:

          Mas, se a minha memória não me falha, deu a opção às empresas de recusarem empregar alguém que não tenha aceite ser vacinado. Como é que eles tem certesa se a pessoa foi vacinada ou não.
          “Se perguntares, ela diz-te!” Sim… as pessoas são uma santinhas e podemos confiar numa pessoa que não conhecemos de lado nenhum…
          Não digo que haja um registo das que não querem ser vacinadas, mas deveria de haver um documento que diga que foram.
          Hum… agora que penso… o boletim de vacinas talvez dê… xD

        • José says:

          Curioso como 5% de homossexuais justificam o casamento; 0,5% de minorias justificam Leis de protecção e outras benesses., etc…
          A dita democracia representativa tem, neste país, representado muita coisa, excepto os eleitores. Porque razão, nesta lógica, se há-de impor o que quer que seja a uma minoria?
          Ou os critérios variam conforme as conveniências?

    • Spoky says:

      Tu pagas os tratamentos nos hospitais quando tens relações sexuais sem preservativos?
      Pagas tratamento quando andas a mais de 120Km e tens um acidente?
      Pagas tratamento quando comes fast food todo o santo mês e necessidades de ir ao hospital?
      Pagas tratamento por não respeitar as regras do COVID quando o apanhas? Pois… muitos não respeitam, apanham e o tratamento é gratuito.

      Isto só para teres noções básicas. É totalmente inconstitucional, injectar algo no próprio corpo! Não me venham com tretas.

      • LR says:

        “É totalmente inconstitucional, injectar algo no próprio corpo!”.
        Só por curiosidade, diz-me lá que artigo da Constituição Portuguesa diz que é inconstitucional levar uma vacina de forma voluntária? Já vi que além de expert em medicina e saúde pública, também és expert em Direito Constitucional. Que mais predicados tens?

        • Bruno says:

          Ele não te vai conseguir responder: a resposta a essa pergunta não vem no Youtube.

        • Spoky says:

          A vontade.

          Pensava que fosses mais inteligente mas pelos vistos:

          Artigo 3.º

          Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

          Liberdade diz te algo?
          Segurança pessoal diz te algo? Se eu não me sentir pessoalmente seguro a tomar a vacina?

          Artigo 5.º

          Ninguém será submetido a tortura nem a penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes.

          Tratamentos desumanos? É obrigarem alguém a tomar algo que não queira no seu próprio corpo.

          https://dre.pt/declaracao-universal-dos-direitos-humanos

          Tem mais, mas nem me vou dar ao trabalho. De te fazer o trabalho de casa, já que este nem o soubeste fazer.

          Sim Bruno, realmente não consegui ;(

          • LR says:

            Não, não conseguiste. Pensa um pouco: se o acto de vacinação fosse abrangido por esses artigos (e sinceramente, não vejo como uma vacina VOLUNTÁRIA pode ser considerada tratamento desumano), toda e qualquer vacina seria proibida.
            Pegando no artº3, “todo o individuo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal”. Ora está provado por evidência cientifica que as vacinas têm um efeito positivo na qualidade de vida e manutenção da saúde (direito à vida), são voluntárias (direito à liberdade) e contribuem para a segurança de saúde pública, para quem as toma, bem como para quem não as pode tomar por motivos médicos, e beneficia da proteção dada pelas pessoas que as tomam (segurança pessoal).
            Portanto, como vês, os teus argumentos caem por terra, sem grande esforço. Miúdo, não queres tomar, não tomas, é um direito teu. Só não tens o direito e muito menos a legitimidade de dizer que os outros não devem tomar, já que ninguém te perguntou, nem tens capacidade ou legitimidade moral ou legal para o fazer. É que a tua liberdade acaba quando começa a dos outros.
            E por agora chega, até porque um burro só é burro enquanto lhe dermos palha…

          • André J. says:

            Spooky, fique a saber que o artigo 5º não encaixa na sua defesa e é inútil por mais argumentos que tenha, mas também o artigo 3º cai por terra devido ao facto de estarem do outro lado profissionais a afirmar que a vacina não tem problemas muito pelo contrário.

            Informo-o ainda, que neste país no limite os cidadãos podem ser obrigados a levar uma vacina. Este tema foi discutido durante vários meses entre juristas.
            Estamos num estado de direito e como tal as necessidades da maioria prevalecem sobre as individuais. Obviamente, caso fosse necessário para atingir a imunidade de grupo.

            Para terminar pode estar descansado que estas vacinas são voluntárias.

        • José says:

          ARTIGOS N.º 25º e 26º, DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA

          Estes são os artigos que impedem a vacinação obrigatória. Porém, direitos fundamentais não são entendidos como direitos absolutos por muitos constitucionalistas, à luz do que se faz na prática. Por isso, dependendo da rigidez do papel, a Constituição serve bem para limpar o cú.

          PS: que tonteira é essa de “vacina de forma voluntária”? Se é voluntária, claramente não atenta contra qualquer direito.

    • acs says:

      Então quem quiser toma a vacina que pague do próprio bolso…. É cada comentário sem nexo.

    • Luis says:

      Era o que mais faltava tu vires mandar postas de pescada sobre as minhas decisões de tomar ou não a vacina.. eu pago e bem impostos bem altos para a porcaria do SNS atender me SEMPRE que eu for lá, paguei impostos para isso, quem trabalha lá ganha dos meus impostos por isso não tou bem a perceber qual é o teu problema

      • ToFerreira says:

        Mais uma idiotice das do costume… Pagares impostos dá-te o direito a USARES o SNS, não a ABUSARES do SNS, percebes a diferença?

        • Luis says:

          Abusar porque? Onde estou eu a abusar do SNS? Nem meto lá os pés há mais de 10 anos, durante este tempo todo descontei impostos bem altos e não usufrui de nenhum serviço de lá, porque raio é que se eu apanhar covid (que obviamente ninguém tem culpa de apanhar se andar protegido) não posso usufruir do que eu pago e continuo a pagar durante anos?? Oh amigo a coisa é simples, devolvam me então os impostos que eu vou ao privado

          • ToFerreira says:

            “para a porcaria do SNS atender me SEMPRE que eu for lá” isto é abusar, não usar. É para o SNS o atender SEMPRE que PRECISAR, não sempre que for lá, entendido? É que os se precisar de certos tratamentos, os seus impostos não chegam nem para metade (no privado então, nem lhe pegam), e portanto vai usufruir dos impostos de muitos outros, entendido?

          • Luis says:

            Qual é a parte que não entendeste que não vou há mais de 10 anos e quando vou é porque tinha mesmo de ser? Qual é a parte que não percebeste que durante mais de 10 anos descontei o suficiente para ter outras escolhas com esses impostos nos privados? Volto a dizer, se o SNS não serve para atender as minhas necessidades (e não, não serve bem se vê as consultas adiadas anos e as cirurgias nem falo!) Então que me devolvam o dinheiro para ir onde eu quiser

  2. sujeito says:

    Tudo bem, mas se ficarem infectados podem ser eles a pagar do próprio bolso os custos ao invés do SNS?
    É que não me apetece muito andar a pagar para que parasitas da sociedade recebam tratamentos para esta doença especifica.

    • Spoky says:

      O SNS quem paga somos nós com impostos…

      Injectar algo no corpo de alguem não pode nem deve ser obrigatório! É um direito cívico e humano.
      Desrespeita as normas da humanidade.

      E também tens certos desempregados que vivem a conta dos subsidios da Segurança Social e não querem trabalhar. E esses também não queres fazer nada? Pois é.

      E eu não me apetece pagar parasitas como tu na sociedade, que querem obrigar a injectar algo no corpo humano, no qual é inconstitucional, viola o nosso direito e o nosso bem comum.

      Estão a injectar algo que não é natural, no nosso corpo. Ninguem tem certezas de que reações poderá vir a provocar a longo prazo.

      E tu estas disposto a pagar os tratamentos a quem a Vacina desenvolva uma condição autoimune? Dúvido, tu e os restantes. Quando o problema vêm, assobiam para o lado.

      Sujeito, não me faças rir.

    • Ângelo says:

      É complicado, porque então teriam de entrar em conta outros factores. Deixa de merecer acesso ao SNS os:

      – Fumadores
      – Quem come fast food, bebe bebidas açucaradas e outros alimentos não saudáveis
      – Quem bebe bebidas alcoólicas, mesmo que não em excesso
      – Quem tem sexo fora do casamento
      – Quem não faz exercício regularmente
      – Quem teve qualquer tipo de acidente em que a culpa é sua, mesmo que por negligência
      – etc

      É fácil dizer baboseiras demonstrando intolerância e implacabilidade… Até um dia ter de enfiar o chapéu.

      • sujeito says:

        Fala por ti…

      • Miguel says:

        E olha que as complicações resultandes dessas situações são muito piores que covid-19.

      • Carlos Fernandes says:

        Completamente de acordo, no entanto, tudo o que menciona só afeta a saúde dos que praticam esses atos e aumentam as despesas do SNS. Já uma vacina tem uma área mais abrangente, não é feita para curar, mas sim prevenir uma disseminação de um vírus inconscientemente.

      • Hélio Musco says:

        Dos pontos que mencionaste, todos tem uma razão de saúde excepto o sexo fora do casamento. Qual é a diferença entre sexo dentro e fora do casamento?

        • PhotoShot says:

          Á partida, sexo dentro do casamento já sabes o que a casa gasta… Se tu não sabes, o problema é outro… xD
          A nível de saúde, a não ser que já saibas que a tua esposa/marido tenha uma doença sexualmente transmissivel, é mais seguro com o teu conjuge do que com qualquer outra pessoa.
          E se a pessoa decidiu casar é porque aceitou um compromisso de fidelidade, que tem implicações caso queiram quebrar o compromisso.
          Quem decide viver junto sem se casar (talvez é o que te estás a referir), á partida será seguro, mas a confiança é menor comparado a alguém casado (esta é a minha consciencia, que pode diferir de outros).

          • Hélio Musco says:

            Ou seja, o sexo é igual dentro e fora do casamento, a questão está nas pessoas.
            Não é por te casares com tens ao lado há +20 anos que a confiança/amor/respeito vai aumentar, se assim fosse os divórcios não existiam. O mesmo se aplica para STDs, isto é, só porque as pessoas estão num casamento, elas não ficam imunes, aliás quem é mais aventureiro nesta área sabe bem os cuidados que deve ter.

    • Luis says:

      Era o que mais faltava tu vires mandar postas de pescada sobre as minhas decisões de tomar ou não a vacina.. eu pago e bem impostos bem altos para a porcaria do SNS atender me SEMPRE que eu for lá, paguei impostos para isso, quem trabalha lá ganha dos meus impostos por isso não tou bem a perceber qual é o teu problema

  3. sujeito says:

    Gosto da lógica desta “ministra”: ‘Todos os profissionais de saúde que têm contacto direto com doentes são candidatos elegíveis para a vacinação. Estamos a seguir uma lógica de prioridade e à partida esses profissionais não entrarão logo nos prioritários’

    Ok, não sabia que (ao contrário do resto do Planeta) os que prestam os serviços de saude arriscando a própria vida em Portugal não são prioritários… Isto dito pela escória do costume.
    Ok, pelos vistos os inuteís habituais é que são prioritários.

    • Tatso says:

      Tu sim que és um grande imbecil por seres mal educado, invejoso e frustrado. Lá por estares habituado desde o berço a conviver com escória dentro da tua própria casa, poupa os outros à tua diarreia mental expressa em palavras desprovidas de qualidade e inteligência.

    • Nuno T. says:

      é o que dá não prestar atenção ao que se lê…
      A questão de prioridade é sobre os profissionais de saúde que já estiveram infectados pelo vírus. Primeiro serão vacinados aqueles que nunca estiveram infectados. Parece mais do que lógico!!!!!!!

      • sujeito says:

        Lê lá o texto outra vez para veres que afinal ela disse mesmo o que escrevi…

        • Nuno T. says:

          A questão não está nela ter dito o que escreveste, mas tu não teres lido o que vem antes da citação e que dá contexto ao que é dito, identificando quais são “esses profissionais” que “não entrarão logo nos prioritários”

        • João Reis says:

          Li e voltei a ler e o comentário do Nuno T está correto. Você deveria voltar à escola primária e ler textos de interpretação, pois parece que essas lições não ficaram bem registadas!

    • J. C. Lopes says:

      A ministra falava dos profissionais de saúde que já estiveram infetados. <Pois esses, pressupõe-se que á tenha, algum grau de imunidade.

    • acs says:

      são prioritários mas há pessoa que corre bem mais risco. A maior parte das mortes são em lares e pessoal com sérios problemas ou doenças cronicas. Não deviam ser eles a prioridade máxima?

    • Samuel MG says:

      Todos os profissionais de saúde estão a ser vacinados!! Vai te informar e para de escrever comentários sem fundamentos, nem nexo.

  4. Aj says:

    os idosos nos lar é que não são prioridade, o governo convém é ter menos pensões a pagar.

  5. Mastermind says:

    Qualquer que fosse a decisão nesta matéria em Portugal, as pessoas ou entidades responsáveis serão sempre “presas por ter cão e persas por não ter cão”. Há sempre alguém com opinião distinta e mais ou menos pessoal (e ainda bem), e há sempre alguém que apoia. Quanto a mim, acho mal que se faça qualquer tipo de registro de quem não queira levar a pica (em muitos dos casos resume-se a isso, o que não deixa de ser cómico). Agora, se eu gerisse um lar de idosos ou uma instituição de saúde, no futuro não permitiria a entrada a pessoas que não apresentassem um comprovativo de vacinação.

    • Nuno T. says:

      Sem dúvida que é debatível, mas neste caso acho que não faz muito sentido criar uma lista específica de pessoas que recusam vacinar.
      A tua ideia continuará a ser possível já que haverá um registo de quem está vacinado como com qualquer outra vacina.

    • Spoky says:

      Se tivesses SIDA / HIV também gostavas que exigissem um comprovativo se tens ou não? E depois aplicassem “no futuro não permitiria a entrada a pessoas que não apresentassem um comprovativo se têm ou não SIDA / HIV”

      Pois é.

      • Nuno T. says:

        Esse exemplo não consegue excluir a opção!! Formas de contágio diferentes e estigmas diferente!
        Neste momento as pessoas infectadas com o COVID são identificadas e estão obrigadas a ficar de quarentena. Para entrar nalguns locais é necessário fazer e mostrar análises.

        • acs says:

          Uma coisa é estares infetado, outra coisa é estares imune. Se o pessoal que toma a vacina está protegido para quê tanta preocupação.

          • PhotoShot says:

            Infelizmente não está protegido… Já houveram casos reincidentes em vacinados.
            Mas avacina ainda não é 100% eficaz.
            E mais, a vacina atual proteje-te contra os efeitos diretos do COVID mas ainda não se sabe se protege contra os efeitos indiretos, como por exemplo falta de oxigenação no cérebro e noutros orgãos do corpo. Já aconteceu pessoas assintomáticas sofrerem com os efeitos indiretos do virus. Do que vi até agora, pelo menos uma enfermeira deixou de poder exercer a sua atividade por causa disso.
            Mas isto são coisas que só se sabe a longo prazo…
            O ideal é esmo o distanciamento social, mascara e desinfeção regular das mãos.

      • ToFerreira says:

        Mais uma idiotice detetada: alguém com HIV não constitui risco acrescido para os utentes do lar. Não sabes sequer as formas de transmissão do HIV?
        Presumo que também não saibas as do SARS-Cov-2 e o risco que representa alguém vacinado ou não.

    • acs says:

      Não o vão fazer porque é ilegal. Simples. Não há cá discussão. Ainda não vivemos na china e temos uma constituição e organismos para nos defender.

    • Luís Costa says:

      ” Agora, se eu gerisse um lar de idosos ou uma instituição de saúde, no futuro não permitiria a entrada a pessoas que não apresentassem um comprovativo de vacinação.”

      Nem mais , “lar de idosos ou uma instituição de saúde” …. ou uma escola ou um restaurante ou hotel ou qualquer outra empresa …..

  6. ... says:

    Governo de me$?%!¡.
    Todas as vacinas são registadas mas como deve haver algum cao grande lá no governo que tem medinho de apanhar a vacina e agora anda a por estas leis de merda.
    Camada de parasitas.

    • ... says:

      O caro @… (copiou o nick que uso à muito),enganou-se.
      -as vacinas registadas e “alguém” do governo ter medo de tomar as vacinas não implica que tenha poder de impor leis.
      As vacinas,dado a rapidez de desenvolvimento e aprovação,tem características jurídicas que confrontam com o Código de Nuremberga,ou pensou que as farmacêuticas pediram imunidade jurídica por conspiração?
      Parece que o seu pensamento se inclui nessa parasitagem que tanto despreza.

      Cumprimentos.

  7. Hidelberto says:

    Todos a tomar e quem nao tomar é aumentar a idade de reforma para os 75 anos e aumentar impostos e IVA para 40%….vao loogo todos a correr a minha frente!

  8. CheCosta says:

    Nem precisa.. afinal já regista quem toma! Para que fazer 2 listas

    • ToFerreira says:

      Nem mais.
      Todos – quem tomou = quem não tomou

      • Nuno T. says:

        Mas isso não seria equivalente a uma lista de quem recusou tomar.
        Seria também problemático obter uma lista de “TODOS”, pois o que se poderia arranjar seria uma lista de pessoas inscritas no SNS que inclui pessoas que já morreram e pessoas que vivem no estrangeiro, ficando de fora pessoas que não estão inscritas (muitos estrangeiros).
        Seria igualmente necessário cruzar essa lista com a lista de “quem tomou”, o que deve estar protegido pela lei de protecção de dados.

  9. Suspeito says:

    Só vejo pseudo intelectuais da treta que não querem ser vacinados, mas querem de certeza apanhar o SARS/CoV2 para darem despesa ao SNS (Isto se não tiverem o azar de sucumbir à doença) e serem no fim vacinados à força.

  10. acs says:

    Tudo preocupado com quem não toma a vacina. Se vão tomar a vacina porque se preocupam por quem não toma? Estão protegidos, sigam a vossa vida. Nem vai haver vacina para todos. Vai ser igual à da gripe. Inocentes.

  11. MarcoP says:

    Srs, após ver os comentários, cada um com a sua “razão”, permitão-me:

    As vacinas que tomámos todos quando eramos pequenos infantes não eram obrigatórias, fazendo parte do plano de vacinação. No entanto fomos inoculados, para quê, para proteger a população em geral, começando por nós!
    Neste caso, estamos a falar de uma pandemia que não afeta apenas quem não quer ser vacinado, mas sim todos os que nos rodeiam e estejam em contacto direta e indiretamente.
    Tendo em conta a gravidade e proporções que esta situação toda está a tomar, não acham que mais que uma obrigatoriedade, é um DEVER CÍVICO?

    Quanto às outras patologias que os “outros” têm e temos de pagar do nosso “bolso”, a maioria afetam apenas que não tem cuidado consigo mesmo e, não afeta todos os que o rodeiam da mesma forma que o COVID afeta.

    • Miguel says:

      Essas tais vacinas para infantes, já alguma vez te deste ao trabalho de pesquisar a taxa de mortalidade das doenças a que elas se destinam?

      • Miguel says:

        * Hepatite B, Tetano, tuberculose…são doenças muito menos contagiosas que o covid-19, mas muito mais mortais.
        No caso da tuberculose que é a mais contagiosa, é fácil isolar infectados devido aos sintomas e a numeros reduzidos de assintomáticos,

      • Nuno25 says:

        Miguel, o problema deste vírus não é apenas a quantidade de pessoas que morre. Essa visão é demasiado simplista e básica. Vai ver a quantidade de pessoas que estava nesta mesma semana em cuidados intensivos com gripe em 2019. Aposto menos de 5. Agora ronda 500… E simplesmente internados? A diferença ainda é maior. E passado 6 meses de teres sido infectado ainda teres falta de ar? A gripe fazia isso? Achas que existe algum sistema de saúde no mundo que suporta isso? E se não houvessem os cuidados de distanciamento e regras de higiene ( mesmo não sendo perfeito) quantas mais mortes iam haver?

    • António says:

      Permita-me um desabafo.
      Já alguém se perguntou das patologias futuras provocaras pelas vacinas?
      Não estou a favor, nem contra. Mas parece que ninguém para para pensar.
      A vacina é “vendida” como um milagre, que vai inocular a grande maioria das pessoas. Mas no fim o vírus acabará por desaparecer, como tudo na vida. Nada é eterno.
      Como é que a civilização chegou até aqui, durante milhares de anos. Foi com as vacinas? Não existiam, e mesmo assim cá estamos.

      • ToFerreira says:

        Isso é pura treta! Toda a comunidade cientifica se perguntou da possiveis consequencias futuras, e quem a toma conscientemente, entende os riscos de a tomar, mas também entende os riscos de não a tomar e essa é a diferença.
        A civilização também chegou aqui sem os cuidados de saude que temos, para que haver hospitais e afins?

      • PhotoShot says:

        É verdade… quando todas as pessoas morrerem e os animais morrerem o virus vai desaparecer… Tens toda a razão…
        LOL

      • Nuno T. says:

        Vacinas existem há mais de 100 anos e estão mais do que comprovados os seus benefícios para a saúde na sociedade. Deixem de tomar vacinas e vejam a mortalidade infantil a disparar de forma galopante, depois venham com a história que os virus desaparecem e que nada é eterno… A maioria dos virus não desaparecem, como se pode constatar pelos milhares de anos de história de pestes com os mesmos virus.

  12. ToFerreira says:

    Os profissionais de saúde com formação e experiência na área aderem em massa, os especialistas das redes sociais, formados com vídeos do YouTube e especializados em sites brasileiros manhosos não querem e ainda lançam mentiras para o ar para incentivar outros a aderirem à parvalheira.
    Os libertinos que por aqui andam, esquecem-se que a liberdade deles termina onde começa a dos outros. Ninguém deve ser obrigado a tomar nada, mas têm de haver consequências para quem toma essa decisão, pois essa decisão também traz consequências (potencialmente nefastas) para os outros.

    • Spoky says:

      Se tu tomas e ficas imune, qual é a tua preocupação? Oh rapaz… A Gripe A também nunca desapareceu e todos os anos existem casos, devem também ser responsabilizados?

      É com cada um, acreditas tanto na Vacina, que duvidas da sua eficácia! Hahahah

      • ToFerreira says:

        Agradeço-te por confirmares o que afirmei. És só mais um desses especialistas de algibeira, que não sabe sequer o que é ao certo uma vacina, e que mesmo assim tens certezas, ou fortes convicções sobre as mesmas, equanto eu tenho dúvidas, como apontaste – “O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as pessoas idiotas estão cheias de certezas”.
        No meio dos teus devaneios, presumo que nuncas tenhas parado para pensar que há pessoas que não podem ser vacinadas e que ficam no entanto protegidas pela vacinação dos restantes, ou então pensaste, mas… pimenta no rabo deles é pimenta para ti.
        Pesquisa sobre imunidade de grupo e pára de dizer bacoradas tipicas de um ignorante a mandar bitaites sobre o que não entende, “oh rapaz”.

      • Parasitas says:

        Devo confirar no Spoky, chalupa da verdade, doutor especializado pelo youtube e páginas de Teorias de conspiração.
        Ou médicos e cientistas que dedicam anos da sua vida na área de especialização.
        Escolha dificil.

    • AD9 says:

      A isso é que eu respondo +1
      Nunca vi o movimento anti vax tão forte em Portugal (com as desculpas mais esfarrapadas) e tanta descrença no pessoal que andou anos a estudar e que deve perceber um bocadinho mais do que o resto.
      Mas pronto se passado tanto tempo e tanto recomendação de epidemiologista, virulogistas, restantes entendidos não convenceu o pessoal não me parece que mesmo com o exemplo do pessoal médico as opiniões mudem, infelizmente.
      Quanto a pagar concordo que o SNS já foi pensado para ser comunitário ou seja a nível de tratamentos acho que não deve ser pago ou que deve pagar a parte correspondente. Quanto a nível de estadia é que já é diferente e se vai estar a usar uma cama que pode vir a ser precisa então devia pagar uma taxa por esse serviço.

      • Miguel says:

        Não há movimento anti vax nenhum. Há sim pessoas que não querem levar vacina para uma doença com tão pouca probabilidade de danos em pessoas saudáveis.
        A razão é a mesma porque nunca tomaram a vacina da gripe, mesmo todos os anos morrem milhares de pessoas com gripe.
        o covid é uma sindemia, apenas ataque os mais frágeis.

        • Nuno25 says:

          Informa-te melhor. Muita gente saudável de idade adulta com problemas respiratórios durante meses. Sem pre condicionantes. A gripe mata dez vezes menos e fica curada rapidamente sem sequelas. Não precisa de internar centenas e centenas de pessoas. É uma sindemia porque dizes tu? O que diz a maioria dos cientistas não vale nada pois não?

        • AD9 says:

          Primeiro sindemia não é mais fraco que pandemia, alias a parte final vem de pandemia por isso eu fazia uma pesquisa melhor do significado.
          Segundo, “danos em pessoas saudáveis”? Diz isso ao pessoal de 30 ou 40 anos, sem problemas de maior que ainda sente os pulmões a arder.
          Terceiro, essa frase final é uma anormalidade. Nós temos a obrigação de proteger os mais frágeis. Eu se tomar a vacina não é tanto por mim, é pelos avós de 90 e alguns anos, pelo meu tio com cancro no pulmão, por ajudar uma associação e interagir frequentemente com “os mais frágeis”. Não vou a correr para a conseguir até porque acho que só devia ser disponibilizada a toda a gente depois de se ter a certeza que toda a gente dos grupos de risco a obteve mas sim penso tomar não por mim, ou não só pelo menos, mas muito por quem me rodeia.

        • ToFerreira says:

          Cá estão as mentiras do costume, sem vergonha nem medo…
          Não é verdade que ataca apenas os mais frágeis! Há idiotas anti vax, sim! E há quem, na ignorância, queira ser vacinado sem hesitação, depois há quem esteja informado e apesar das dúvidas entende o bem maior que ela representa – como é o caso dos profissionais de saude. Como sempre também vem a lengalemga da gripe, como se isto fosse uma gripe e ainda falta aí uma ou duas das idiotices do costume, que virão certamente nos comentários seguintes.

    • ... says:

      Caro @ToFerreira,

      “Os profissionais de saúde com formação e experiência na área aderem em massa”
      -depreendo que os 120 “profissionais” de saúde de Viseu que se recusaram a vacinar,ou não são profissionais,ou o seu argumento autoritário não tem autoridade.

      Cumprimentos.

      • Phacos says:

        Caro @…

        Desculpe mas o seu argumento é que não tem autoridade, só porque 1% dos profissionais de saúde se recusam não invalida o argumento de que “Os profissionais de saúde com formação e experiência na área aderem em massa”. Pois a meu ver, se mais de 80% dos profissionais de saúde aderirem já se pode dizer que aderiram em massa.

        Cumprimentos

        • ... says:

          Caro @Phacos,errou!
          -não apresentei conclusão,apresentei um dilema que o @ToFerreira poderá esclarecer.

          Se o argumento do @ToFerreira se fundamenta na autoridade dos profissionais de saúde,os profissionais de saúde que recusam vacina também são autoridade ou a recusa lhes retira autoridade?Caso não retire,quem pretender seguir essa autoridade de não se vacinar está legitimado.

          Apresentar valores estatísticos por fundamentar,não só falhou na essência do discutido,como não acrescentou substancia ao discutido.

          Cumprimentos.

          • Phacos says:

            Caro @…

            Tendo em conta por e simplesmente o seu comentário, eu, naturalmente não consigo saber se está a tirar uma conclusão ou a criar um dilema o que eu vejo é uma afirmação e a afirmação que fez está errada, pois a afirmação “Os profissionais de saúde com formação e experiência na área aderem em massa” não pode ser contrariada só por um pequeno grupo se recusou, e penso já ter explicado no comentário anterior o porque.
            Agora vamos ao tal dilema que neste novo comentário propõe.
            “Se o argumento do @ToFerreira se fundamenta na autoridade dos profissionais de saúde” Não, ele fundamenta a importância da opinião dos profissionais de saúde, que pela especialidade devem perceber um pouco mais do assunto que nós, e não a autoridade.
            “os profissionais de saúde que recusam vacina também são autoridade ou a recusa lhes retira autoridade?” Naturalmente que individualmente são o que se chama profissionais de saúde, mas mais uma vez o @ToFerreira nunca falou em serem ou deixarem de ser autoridade mas sim que os profissionais de saúde, apesar das duvidas entendem o bem maior que a vacina representa.
            “Caso não retire, quem pretender seguir essa autoridade de não se vacinar está legitimado.” Mais uma vez temos de substituir “autoridade” por opinião, e sim a opinião desses profissionais é legitima, mas naturalmente que quem pretender seguir a opinião desse pequeno grupo de profissionais de saúde não está a seguir a opinião da generalidade dos profissionais de saúde que a meu ver é o que está em causa. Naturalmente um grupo grande, seja ele qual for, terá sempre opiniões dissidentes, mas essas opiniões não invalidam que haja uma opinião generalizada e que, a meu ver, essa sim deve ser a seguida.
            Se 80% dos especialista me dizem, fundamentando claro, que a melhor opção é a A e 20% dizem que é a B, eu que não sou especialista naturalmente sigo a A.

            Na minha humilde opinião, apresentar valores, estatísticos ou não, acrescenta sempre substancia a qualquer discussão, pois são argumentos tão ou mais validos do que palavras.
            Eu não fundamentei os meus valores porque não achei relevante, pois como digo no próprio comentário se é 1% ou 20% é totalmente irrelevante. Mas se quiser eu fundamento. Até dia 28 (nos primeiros 2 dias) já tinham sido vacinados 7585 profissionais de saúde, dois dias depois é normal pensar que estaremos no dobro disso. Se tomarmos os números da noticia que fala, que são 140 e não 120 e também dobrarmos estamos a falar de 1,8%. Naturalmente pode haver mais do que o noticiado, mas eu tenho quase a certeza que não serão muitos mais.

            Cumprimentos

          • ... says:

            Caro @Phacos,a sua humilde opinião desmorona quando admite que os valores que apresenta não estão fundamentados,e por tal,os troca por outros mais apropriados ou convincentes, igualmente infundados.

            E não estamos a falar de opiniões dos profissionais que recusaram a vacina,falamos na autoridade que o @ToFerreira apresentou desses profissionais de saúde como validade para a toma universal da vacina.
            -basta um profissional de saúde recusar ser vacinado,e o argumento do @ToFerreira perde a validade,e ele tentou convencer usando o termo em massa,como se falasse de um rebanho com o mesmo sentido autoritário de “seguir” que o caro @Phacos usou agora.

            E se não entendeu que apresentei um dilema,por sinal bem explicito com o uso dos “ou”,admite que apresentou uma resposta precipitada e sem deliberação.Ou seja,não acrescentou substância ao discutido,além do óbvio,falhar a essência desse discutido.

            Cumprimentos.

      • ToFerreira says:

        Ponto 1: eu não disse que foram todos, disse que foram em massa, foi a grande maioria.
        Ponto 2: há várias razões para alguns profissionais não aderirem: grávidas, em amamentação, a tentar engravidar/pensar engravidar em breve, alergias, doenças graves, anteriormente infetados, etc.

        • ... says:

          Caro @ToFerreira,não esclareceu como o seu argumento autoritário mantém a autoridade.

          Como sabe que as 120 recusas se enumeram apenas pelas razões que enumerou?Viseu poderá ter um problema com tantos profissionais de saúde a quererem engravidar,ou grávidas,ou alérgicos,ou doentes graves ou anteriormente infetados;convenhamos,Viseu não é Lisboa ou Porto em números de profissionais de saúde activos,inferir que as 120 recusas são por razões que inviabilizam serem prestadores de saúde,algumas até motivo para baixa médica,logo,nem serem convocados para vacinação , é incoerente da sua parte.

          E se o seu argumento se fundamenta na confiança dos profissionais de saúde na vacina administrada(sejam todos,ou em massa,ou outro quantificador),as razões que enumerou não serão justificação para recusar uma convocação para serem vacinados;apesar de gravidez,doença grave,etc,esses profissionais tem confiança na vacina…ou não?

          Cumprimentos.

          • Phacos says:

            Caro@…

            Contra um argumento destes “-basta um profissional de saúde recusar ser vacinado, e o argumento do @ToFerreira perde a validade, e ele tentou convencer usando o termo em massa, como se falasse de um rebanho com o mesmo sentido autoritário de “seguir” que o caro @Phacos usou agora.” não há resposta possível. Isto sim é um argumento de alta qualidade. Então basta 1 argumento contrario para eu ou qualquer outro já não poder afirmar que os profissionais de saúde estão a aderir em massa??? A minha mente acabou de explodir. A minha mente é muito pequena para tamanha sabedoria.
            Esta discussão consigo fez-me lembrar porque é que eu tinha parado à uns anos de fazer comentários na internet.

            Cumprimentos

          • ... says:

            Caro @Phacos,

            Parece que deixou de fazer comentários na internet no passado por incapacidade de entender o/os ponto/s em discussão.Já reparou que apresenta um argumento de outra linha mais acima?
            -o argumento da autoridade é validado,no caso em apreço das vacinas,e apresentado pelo @ToFerreira,pelo termo em massa;120 num grupo restrito a profissionais de saúde em Aveiro é massa!Quando,o próprio argumento de autoridade implica coesão,logo,basta UM para por em questão a validade dessa massa fora dos 120.

            Mas como já apresentou aqui anteriormente,falha o ponto,que não são números ou estatísticas,é a validade de 120 profissionais terem recusado serem vacinados.E terei de repetir,se os profissionais de saúde são a autoridade a “seguir”,qual deles está errado?E mais uma vez,esses 120 profissionais não tem a mesma autoridade dos que decidem tomar a vacina?

            Consegue entender o óbvio?

            Cumprimentos.

  13. Xnelox says:

    Eu não quero dar despesas à SNS com a minha saúde, prefiro que os meus impostos sejam usados para alimentar e dar cuidados a presidiários que merecem mais que uem desconta

  14. SANDOKAN 1513 says:

    Eu já recebi a SMS no meu telemóvel.Quando receber o pedido para me ir vacinar vou logo.Graças a Deus tenho já tenho a vacina da gripe em dia(tomei-a,como sempre,no início do mês de Novembro),e agora mal me seja pedido para ir ao Centro de Saúde ir tomar a vacina contra o COVID-19 vou logo tomá-la.Homem prevenido vale por dois.

    • Spoky says:

      Cuidado, vê la se não te vale por 1.

      Espero bem que estejas bem financeiramente… Caso ocorrer um probleminha, já sabes.
      Toca a escarrar dinheiro.

      • AD9 says:

        Oh Spoky desculpa mas o teu argumento não é que as pessoas são livres de escolher?
        Então porque é que estás a atazanar o juízo de quem é a favor que se tome??
        Ou as pessoas so sao livres se forem da tua opinião?

      • ToFerreira says:

        Qual “escarrar dinheiro”?! Mais uma aldrabrice vinda de onde?! Um poço sem fundo de mentiras idiotas…

      • Hélio Musco says:

        Neste momento já foram vacinada milhões de pessoas em todo o mundo com a nova vacina da Pfizer, ainda nenhum caso se encontra nesse ponto que indicas, i.e. problemas graves, mas mesmo assim a ideia de que a vacina vai fazer os homens inférteis, as mulheres virarem lésbicas e as crianças mais burras continuam na narrativa dos que são contra a vacina…tudo isto sem uma única prova.

    • Miguel says:

      Gripe? Mas tens problemas de saúde?

  15. Zé Duarte says:

    Há aqui pessoas que parece que se pudessem faziam amor com a vacina e depois obrigavam os outros a fazer amor com a vacina também.
    Fiquem com a minha! Não me importo de esperar até Julho.

    • AD9 says:

      Tal como tens pessoas que quase querem obrigar os outros a não tomar.
      É o 8 ou 80, bem-vindo a internet.

    • ToFerreira says:

      Há aqui pessoas que vão comprar pão mas não se sentem padeiros, vão com o carro à revisão e não se sentem mecânicos, mas fala-se numa doença e vacina novas, e viram especialistas, formados em medicina no Youtube, com especialidade em virulogia tirada num site brasileiro e doutoramento em epidemiologia, tirada numa vez que foram acompanhar um familiar ao hospital.

    • PhotoShot says:

      Se houver em Julho tens muita sorte xD
      Se fores ao site para saberes quando vais ser vacinado dizem “A terceira fase ocorrerá após a conclusão da segunda fase, que deverá ter início a partir de abril de 2021”, mas os do grupo da 2º fase eles dizem que não se sabe quando serão vacinados… LOL

      • LR says:

        Tens alguma dificuldade em interpretar um texto, verdade? A terceira fase começa após a conclusão da 2ª fase, que deverá ter início (a 2ªa fase) a partir de abril. Portanto: 2ª fase = a partir de abril.

  16. darksantacruz says:

    De aplaudir esta atitude do estado português afinal ainda existe democracia.

  17. ernez says:

    Ou seja, o principal foco de transmissão do vírus em Portugal é o serviço nacional de saúde, já com 20% dos seus funcionários contaminados, “então” mas não são eles os heróis em Portugal, desculpem o meu desabafo mas qualquer coisa não está correta, tal como muitas outras, em Portugal, enfim, não sei o que diga de este Portugal que esconde, escamoteia tudo.

    • PhotoShot says:

      Elestêm conhecimento sobre como tratar doentes e arriscam a vida para nos ajudar. Se eles estiverem incapacitados de exercer a sua atividade por motivo de doença, não há quem os substitua. Daí eles terem prioridade.

  18. Infinity says:

    Morrem mais pessoas à fome e outras doenças do que o covid-19, para o estado isso já não é prioritário.
    Também é o que a comunicação social aproveita e vende so sobre o covid-19, desde que começaram a distribuir as vacinas, o telejornal é só sobre covid-19, “a vacina vai do ponto a ao b”, “a vacina vai ser dada a esta pessoa, o que sentiu?” e pronto é as noticias que temos, o estado bem pode aplicar algum imposto sobre qualquer coisa que o ze não sabe.
    Acho que a melhor prevenção é simplesmente o uso da mascara e o distanciamento social.

    • PhotoShot says:

      Ainda não há vacina para a fome…
      Sabes, quando fazes uma doação de roupa e comida o que acontece depois?
      Na maioria das vezes é vendida.
      Falo com conhecimento em Cabo Verde e São Tomé e Principe.
      Noutros locais pode já não ser assim, mas pelo menos ali é assim.

      • Infinity says:

        É verdade, o mesmo com a comida / roupa que é revendida. Devia haver pena pesada para quem o faz. Mas como o estado e alguma entidades atiram um pouco de areia para os olhos do ze, o ze ignora.
        Para a fome há remedio, em vez de dar estupidos aumentos aos gestores da TAP por arruinarem a empresa, com esse dinheiro dava para resolver alguma coisa. Enfim, é o país que temos e vamos continuar a ter.

    • ToFerreira says:

      E que conhecimentos/experiencia tens para contrariar a maioria da comunidade cientifica?

      • Infinity says:

        Não deves ter noção de como funciona a comunicação social hoje em dia de certeza, não so a nivel nacional. Alem que estou a referir-me a numeros/ano de outras causas de morte que simplemente sao ignoradas pelos meios de comunicação social pois isso não vende.

  19. ervilhoid says:

    já há certezas de que quem tomar a vacina não vai contagiar outros? pelo que li não. pergunto se isso não anula a imunidade de grupo..

    já agora, esta é gratuita, as próximas duvido, pergunto também se nas próximas vão gostar de pagar

    não sou anti vacina, mas ver pessoas a exigirem que se pague futuros internamentos por não tomarem a vacina é muito mau, até já vi comentários piores noutros sítios

  20. Ricardo says:

    Mesmo depois de levar a vacina é preciso continuar a usar máscara e manter o distanciamento social, então para que serve a vacina?

  21. informado says:

    Mesmo depois de ter tomado as duas doses da vacina PODE CONTRAIR A COVID-19. É ISTO QUE OS POLÍTICOS NÃO QUERM DIZER NEM TRANSMITIR À POPULAÇÃO!

    O vírus não vai desaparecer com a vacina.

    • Phacos says:

      Meu caro

      Realmente, e penso que é do conhecimento geral, nenhuma vacina é 100% eficaz, logo, evidentemente que uma pequena percentagem (neste caso especifico 5%) pode contrair COVID-19 mas 100% desses casos, pelo menos até agora, são casos de infeções ligeiras. Ainda não foi reportado nenhum caso de infeção grave após vacinação.
      Agora se o vírus vai ou não desaparecer com a vacina, só tempo dirá. Mas com a vacinação da maior parte da população podem acontecer 1 de 2 coisas, ou se atinge a famosa imunidade de grupo e o vírus desaparece ou então deixa de ser uma doença grave e temos de viver com ele como já vivemos com a gripe. O importante aqui não é o vírus desaparecer, claro que era o ideal, mas pelo menos fazer com que não seja uma doença tão grave que entope os SNS pelo mundo fora e com isso provocar casos trágicos como se viveu em Espanha e Itália em que tiveram de escolher que vivia ou morria ou então o descurar de outras doenças por não haver meios por estar tudo entupido com o COVID-19.

      Cumprimentos

  22. vindiesel says:

    as vacinas/medicamentos tem de passar por um período de teste de 10 anos para serem, considerados seguros , vacina que ficou pronta em menos de 1ano e impossível saber os potenciais efeitos secundários pq não foram cumpridas todas as etapas de testes nem os períodos de espera para garantir a total funcionalidade e quais os efeitos secundários .
    tanto que so quando começou a vacinação e apareceram varias pessoas com reações alérgicas graves (reino unido)foi aconselhado a quem tem alergias graves ou doenças autoimunes que não sejam vacinadas ..
    nao me inspira a mínima confiança a vacina e como tal por minha escolha e sendo doente autoimune nao vou tomar algo que desconhecem os efeitos que pode vir a ter para a minha saúde futuramente.
    Deve ser dado o direito de escolha sobre a vacinação .
    Qaunto ao sns nao usufruo dele a mais de 20 anos , portanto se o governo decidir tomara uma decisão inconstitucional de forcar /penalizar quem decidir que nao quer tomar , e so mais uma .
    nao vejo ninguém a comentar os aumentos milionários dos administradores TAP empresa a beira da falência e que vai dispensar 3000 trabalhadores mas pode fazer aumentos de 11mil euros nos ordenados de topo , que so por acaso são todos PS

  23. nuno a says:

    O propósito da vacina é activar o sistema imunitário, de modo a que seja mais rápido a identificar o corpo estranho no nosso organismo e assim conseguir combate-lo, antes que ele se replique de tal maneira que quando o nosso sistema imunitário o começar a combater já vá tarde de mais.

    O virus veio para ficar, lá por existir uma vacina não quer dizer que o vírus vai deixar de existir, a vacina contra a gripe foi criada em 1938 e hoje em 2020 existe gripe, não é a mesma variante é uma evolução da mesma e tal como a gripe, o covid-19 também vai evoluir e continuar a existir.

    La por se estar vacinado, não significa que se fique automaticamente imune, a imunidade só será criada quando o nosso sistema imunitário conseguir reagir automaticamente ao vírus sem qualquer outro tipo de estimulo, como todos somos iguais mas diferentes um individuo A pode criar imunidade sem tomar vacina e um individuo B pode nunca criar imunidade e ter de levar a vacina indefinidamente pelo resto da vida.

    Quem tomar a vacina também pode transmitir o vírus, pelo mesmo meio que também o pode apanhar, mais uma vez, a vacina serve para ajudar o nosso sistema imunitário a reconhecer o vírus e assim agir mais rapidamente.

    Quem não toma a vacina corre o risco de ter uma recuperação mais difícil e demorada ou de ate não recuperar, no entanto não é por não tomar a vacina que vai colocar mais pessoas em risco do que um individuo que tomou é exactamente o mesmo.
    Os cuidados para evitar a transmissão é que tem de ser levados muito a sério, um individuo que tenha todos os cuidados e não tome a vacina tem mais probabilidade de não transmitir o vírus do que um individuo que tome a vacina e não tenha os mesmo cuidados.

    O que tem de decidir é , quero tomar a vacina e ter uma salvaguarda extra, ou não quero tomar a vacina e arriscar que tenho um sistema imunitário forte o suficiente para superar a doença. Mas acima de tudo, quero ou não quero infectar o outro?

    • Phacos says:

      Caro nuno a

      Concordo com quase tudo o que disse exceto com a frase “no entanto não é por não tomar a vacina que vai colocar mais pessoas em risco do que um individuo que tomou é exactamente o mesmo”.
      Apesar de a frase que diz em seguida para sustentar tal afirmação ser verdade, e até entender o motivo para tal comparação, mas se na mesma situação as duas pessoas tiverem o mesmo cuidado, que a meu ver é um pressuposto mais valido para esta comparação, naturalmente a vacinada terá uma carga viral muito inferior, logo a possibilidade de infetar outras será menor, não desaparece mas diminui.

      Cumprimentos

  24. Sardinha Enlatada says:

    Este virus nasceu de uma mentira e vai morrer de outra mentira. Isto e tudo uma etapa ja repararam ? Aparece um virus com os sintomas de uma gripe (va-se la saber se nao e o virus da propria gripe) depois para matar o virus vem com a historia da vacina. Isto e o que fazem nos filmes, para as pessoas acreditarem que e real. Por exemplo num filme de piratas como sabem que sao piratas ? Pelos tiques e vestuario e fala e comportamento. Com o virus e a mesma coisa, para ser visivel para as pessoas (mas de forma abstracta) vem com a historia de se ter de usar mascara e o gel de alcool. Porque ? Porque e dessa forma que as pessoas (mesmo nao entendendo o porque) vem que alguma coisa deve existir porque estamos a usar mascara e a usar o gel. E agora a milagrosa vacina da a ideia que e a cura para isto tudo. O facto e que com ou sem vacina, nos proximos anos nada vai ser como antes. Ja sabem que formula usar para meter a maioria das pessoas carneirada. E com a comunicacao social a ajudar a festa, e um prato cheio.

    • AD9 says:

      Nossa senhora… O único carneiro inocente aqui és tu! Desvalorizar a doença é uma coisa, agora chegar ao ponto que tu chegas é só infantil mesmo.
      Quer dizer para além de teres uma conspiração mundial ao nível político, também tiveste milhões de especialistas que nunca os contradisseram e centenas de milhões de médicos, enfermeiros e restante staff que também deixaram a trama continuar ou que após anos de estudo e de prática não conseguem sequer identificar uns dos virus mais comuns que existem… Foram todos subornados??
      Já toda a gente percebeu que és um negacionista ao extremo mas nem tu podes ser tão surreal e acreditar sm tamanho conjunto de balelas. Esse nivel de negação está quase ao nível do terraplanistas!

      • Reis says:

        Uma rapariga foi morta por causa de um coagulo nas costas e as p… das médicas da cuf c… para o problema da rapariga, e disseram que era problema da cabeça dela. APRENDAM A SER MÉDICOS COMO DEVE SER!

        • Reis says:

          Nos EUA eles fazem testes da cabeça ao pés e não saem do hospital até saber a causa da doença, só eles para se preocuparem com o ser humano.

          • AD9 says:

            Claro, claro. Não te esqueças é de acrescentar “se tiveres como pagar os tratamentos”. Sendo que uma operação ao joelho que me custou pouco mais de 100 euros lá podia custar 15000 mas de resto sim impecável.
            Mas com esse ódio todo ao país, e com a queda que a aviação e a habitação sofreram é uma boa altura para dar o salto fora, arrete

  25. Sardinha Enlatada says:

    Sao os especialistas que dizem isso ou es tu com a tua diarreia verbal ? Voces tem de olhar para a historia e perceber o erro que estas pessoas cometeram no passado com o mesmo tipo de virus a gripe A. So nao foi mais longe porque entretanto tambem comecaram outra mentira a escala mundial, a recessao economica dos paises. Se nao consegues ver evidencias e acontecimentos sequenciais o problema e teu. Ainda em relacao a gripe A eu me lembro bem de ver uma noticia das mexicanas com uma mascara na cara e a dancarem. SE isso era motivo para dancarem ? Oi ? Entao um suposto virus mortal como a gripe A e andaram a promove-la com danca ? Essa parte escapou-vos a voces nao e ?

    • AD9 says:

      Claro, é tudo mentiras, isto é pior que o Truman show, daqui a bocado.
      Encontra palavras de um virulogista que confirme metade do que tu dizes. É a mesma coisa desses movimentos “pela verdade”, garanto-te que não encontras ninguém da área envolvido nisso, porque achas que isso é?
      Chamas diarreira verbal mas tu é que andas á meses a desinformar As pessoas e a ir contra as indicações dos especialistas usando só e unicamente a tua palavra de expert, acho que sim, é coerente.

  26. Reis says:

    Estão todos com pressa. A vacinação ainda não está a 100%, faz muito bem os países baixos não querem tomar já a vacina, ainda vão morrer muitos mais após a tomar!

  27. Aluada says:

    nao vao colocar no boletim de vacinas se tomou?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.