Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19 em Portugal: 4000 casos diários e 800 internados em duas semanas?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Zé Fonseca A. says:

    Ja não importa, vejam o Uk, casos a subir em flecha e vão abrir tudo, remover máscaras, abrir fronteiras, abrir bares e discos, número de casos já não significa aumento de hospitalizações por isso é preciso seguir em frente, todo o mundo vai apanhar nos próximos meses/anos, importante é estar tudo vacinado para o impacto ser menor.

    • David Guerreiro says:

      Eles até podiam abrir tudo e manter as máscaras. Está mais do que provado que as máscaras evitam a disseminação do vírus.

    • TugAzeiteiro says:

      Vai até ao Hospital e vê com os teus olhos…. não há aumento de hospitalizações? lol… Entretanto passa pela morgue e vê que idades estão lá por causa do Covid e sem patologias anteriores! A vacina é uma defesa, mas não quer dizer que contraias a doença…

      • Zé Fonseca A. says:

        A minha mulher é medica, embora não esteja na linha da frente, recebo relato todos os dias do que se passa nos hospitais.
        O aumento de hospitalizações é marginal, e mortes são muito reduzidas e só quando existem outras patalogias associadas.
        Como tenho vindo a dizer, vais estar toda a gente vacina e os casos vão continuar a aumentar cada vez mais, deixa de fazer sentido sequer testar pessoas vacinas ou obrigar a quarentenas, onde já existe mais de 50% da população vacina vamos começar a falar em endemia e não pandemia.

    • Tadeu says:

      importa porque em Portugal ainda temos mais de metade da população sem 2 doses de vacinas e estamos a ter um problema com a variante delta que é mais contagiosa e para a qual as vacinas são menos eficazes para evitar contágio. Isso significa que corremos o risco de nalgumas zonas do país termos os hospitais mais sobrecarregados com o COVID, com um impacto sobre a capacidade para tratar outras doenças, para além dos mortos e das pessoas com sequelas.
      Não é certamente altura para Portugal remover máscaras, abrir bares e “discos”…

      • C.S. says:

        Eh pá tu deves perceber disso à brava.

      • Zé Fonseca A. says:

        Já não importa, já não causa stress nos hospitais, é altura de reabrir tudo, os contagios vão acontecer com sem vacina, com 1 dose ou com 2 doses, já não importa, cada vez mais é endemico.

        • Tadeu says:

          como não causa stress se já temos centenas de pessoas internadas nos hospitais? E mais irão ser! Centenas de camas ocupadas, pessoal hospitalar isolado, etc, afecta a resposta dos hospitais. E é expectável que realmente continue a aumentar nas próximas semanas.
          Está demonstrado que 2 doses da vacina diminui a taxa de contágios e internamentos, por isso faz diferença a altura em que se decide abrir tudo e voltar completamente ao normal. Não é com 37% da população com 2 doses que nos podemos comparar à situação do Reino Unido com 60% da população com 2 doses.

          • Zé Fonseca A. says:

            Por isso ainda tens mascaras obrigatórias pelo menos até setembro.
            A verdade é que não causa stress nenhum, mesmo o stress causado em Janeiro e Fevereiro não foi por falta de meios, foi por má gestão dos meios disponiveis, o que importa já está feito, idosos e pessoas com doenças cronicas vacinados, esses sim vão ocupar camas em numero, o restante é muito reduzido, já nada justifica parar a economia a não ser burrice. Aliás, nada nunca justificou parar a economia, só param porque não sabem fiscalizar, se a fiscalização fosse adequada podia ficar tudo aberto.

          • Tadeu says:

            Zé Fonseca A.,
            bem… mas que grande vigarice que estás para aí a dizer, dizer que não houve falta de meios em Fevereiro! A maioria dos Hospitais tiveram quase só dedicados à COVID sem espaço para outras situações e vens com essa história!??????????????????????? Hospitais até tiveram que enviar pessoas para outra ponta do país por falta de meios e espaço. Médicos e enfermeiros de outras especialidades acabaram a ter que tratar de pacientes COVID.
            Enquanto a COVID ocupar uma grande percentagem de camas e recursos e estiver em crescimento, há razões para preocupar, pois retira meios para outras situações que também colocam vidas em risco.
            FISCALIZAÇÃO? Não tens um polícia para cada cidadão, por isso não é só com fiscalização que se resolve, seria preciso responsabilidade, e se muitas pessoas não são responsáveis, é preciso mais alguma coisa para controlar contágios nesta fase até que haja mais vacinados.

            “Por isso ainda tens mascaras obrigatórias pelo menos até setembro.”
            Se os números nos hospitais estão a crescer parece óbvio que só a política de máscaras não chega, até porque muita gente não usa quando deveria usar!
            ” esses sim vão ocupar camas em numero,”
            a maioria das pessoas nos hospitais são não vacinados… enfim… Parece que temos um país de avestruzes, enterram a cabeça para não ver a realidade!

          • Zé Fonseca A. says:

            Sei bem do que falo Tadeu, o stress que houve nos hospitais foi mau planeamento, por não quererem fazer mobilidade de internamentos quando deviam, neste momento aprenderam com o erro e a mobilidade está a acontecer antecipadamente.
            Além disso tiveste hospitais campanha com 10 a 20% de ocupação e outros sem ocupação nenhuma.
            Tenho esposa medica que embora não esteja na linha da frente nem no publico pode presenciar algumas situações assim como o meu pai com 70 anos saiu da reforma para reforçar equipas médicas.

          • Tadeu says:

            Zé Fonseca A., não, não sabes, ou fazes de conta que não sabes, já que incompreensivelmente teimas em querer ignorar que os Hospitais deixaram de ter camas naquela altura, quase todas as enfermarias passaram a estar dedicadas à COVID. Foi necessário inventar espaços para doentes que necessitavam de estar em cuidados intensivos, deixamos de ter pessoal médico e enfermeiros suficientes para ocorrer às situações, ao ponto de chamar reformados, etc.
            Se és incapaz de entender a gravidade do que ocorreu, e as consequências que teve para milhares de portugueses com outras patologias, e para aqueles que sofreram com a COVID, bem… ou é falta de honestidade intelectual ou pura burrice!

    • Louro says:

      Nao é o UK, é Inglaterra, nada indica que os outros países irao seguir o mesmo rumo.

  2. SANDOKAN 1513 says:

    Eu nem acredito… 😐

  3. Eu sei lá says:

    Post: “O Governo prevê, em duas semanas, que existam em Portugal 4000 casos diários e 800 internados.”
    Na verdade prevê – mas no pior dos cenários, sendo certo que a Ministra não adiantou outro. E mais de 150 em cuidados intensivos (o sistema, SNS e privados, rebenta perto dos 1000).

    Quanto à vacinação para menores de 18 anos a ministra anunciou-a para fim de agosto. Perguntada pelos jornalistas se haveria atribuição de incentivos para atrair mais os jovens, como outros países estão a fazer através, por exemplo, de cheques para gastar em atividades recreativas. disse que não: Portugal aposta antes na “literacia, formação e educação”, disse ela.

    No pico anterior, em março, que foi bem pior – em que durante vários dias morreram acima de 300 pessoas (ontem não morreu nenhuma e hoje morreram cinco) e o número de internados em UCI era crítico, houve uma diferença – a ministra esteve calada e a diretora-geral da saúde também. O Costa tomou conta da comunicação. Com estas duas a falar é um desatino total.
    Uma coisa é certa: claramente, o número de óbitos não é maior – graças às vacinas.

    • David Guerreiro says:

      Acho que não faz qualquer sentido estar a subornar as pessoas para serem vacinadas. Se queremos deixar de ter ignorantes, não é com ofertas de comes e bebes que se muda isso.

    • Rui Costa says:

      Incentivos para serem vacinados? Deveriam era mostrar-lhes o que poderiam Não fazer até serem vacinados. Vão mas é trabalhar. A vacina, tal como MUITAS outras que já tomamos deveria ser obrigatória. Agora não pode nada ser obrigatório, porque as pessoas são muito sensíveis e coitadinhos, já não podem ser obrigados a nada. Maricas, é o que são.

      Em prol da saúde pública deveríamos ser todos vacinados contra o covid. Não levaram a vacia contra o Tétano? E contra a tuberculosa? Onde estão as vozes contra essas e outras doenças?

      • C.S. says:

        Se as vacinas fossem boas não precisavas de assinar um papel a desresponsabilizar as farmacêuticas.

        • Hugo says:

          Vieram-me agora à cabeça umas quantas situações em que tens de assinar esse mesmo papel, no entanto todas para teu bem/ proveito. Continuem a espreitar por esse canudo que vão bem.

        • LR says:

          Não sejas mentiroso, eu não assinei nenhum papel, nem a minha mulher, os meus pais, sogros, colegas, etc.
          Tiveste que assinar alguma coisa, caso tenhas levado a vacina? Ou conheces alguém que tenha tido que assinar, sem ser os casos que vês relatados no Facebook, YouTube ou amigos de uns amigos de um conhecido de um amigo teu?

          • C.S. says:

            Se te acontecer alguma coisa ou ficares com sequelas vai lá pedir responsabilidades ou indemnização a ver se levas alguma coisa, que é para não dizeres que eu estou a mentir.

          • LR says:

            Estás, estás a mentir. Aliás, como é habitual…

          • C.S. says:

            Claro que estou a mentir e tu é que falas verdade.
            Vê lá estás a fazer um alarido por causa de um morto no entanto morreram hoje 159 pessoas e não dizes nada.

          • Chalupa pela verdade says:

            LR Não faças alaridos por um morto, não sejas sheep. Em Janeiro com 300 mortes por dia ainda vá que não vá, agora uma é só dar tanga ao pessoal e gajos como o CS (o seu nome diz tudo, Contra Ataque, joga sempre no erro dos outros),não merecem perder o seu tempo a retratarem este tipo de comentários tão covideiros..

          • LR says:

            Claro que quando não estás a mentir ou a inventar, estás a mudar constantemente de assunto, de forma a tentar levantar poeira para não se ver os disparates que mandas para o ar. Eu falei alguma coisa de mortos? Ou limitei-me a chamar-te mentiroso pela tanga que meteste acima, sobe ter que assinar um papel para levar a vacina? Até tu já tens dificuldade em acreditar no que dizes, quando vês que não consegues nem podes justificar as alarvidades que mandas.

          • C.S. says:

            Estás a desconversar para quê?
            Já viste alguém assumir alguma coisa, quando a vacina corre mal?
            Ou também acreditas que não há relação nenhuma?

        • Pe@ce says:

          Tu que não queres ser vacinado é que sabes. Eu já fui vacinado e não assinei nada.
          Raio de chicos espertos.

      • David Guerreiro says:

        Infelizmente há quem não tome vacinas e recuse que sejam administradas aos filhos, e por essa razão temos tido na Europa surtos de sarampo. E até doenças que já tinham sido dadas por erradicadas por termos vacinação, regressaram por esses pais ignorantes que recusam vacinar os filhos.

    • Zé Fonseca A. says:

      Não precisas de incentivos, portugal vai ser dos países com maior taxa de vacinação a nível mundial.
      O tuga é cauteloso, mesmo estando a lixar-se para o virus vai querer estar protegido.

      • Louro says:

        Nao acho que seja cauteloso, acho que é mais, o vizinho foi tomar e entao eles também querem.

        Eu tomei a minha primeira dose em inicios de Fevereiro, na altura haviam alguns contactos meus no facebook que diziam que nao queriam vacina nenhuma e bla bla bla…

        Eu postei uma foto do panfleto que me deram, foram os primeiros a perguntar sobre a mesma.

        nota: fui vacinado em Fevereiro porque nao me encontro em Portugal.

  4. Sardinha Enlatada says:

    Que logica e que tem de andarem a apregoar aos sete ventos todos os dias numeros de infecatdos ? Quem diz que desses infectados muitos sao da mesma pessoa ? Ja que muita gente anda paranoica com este virus, e ha malucos para tudo que nao se importam de submeter a testes diarios. Como se isso fosse evitar alguma coisa, estar infectado ou nao, nao vai mudar o panorama da pandemia falsa. Isso e simplesmente para encher chouricos, e siga. Amanha novos infectados e andamos nisto, continuarem a divulgar numeros para meterem medo as pessoas. Cambada de fdp. No final como ja foi divulgado o numero de mortos e o que se ve, ridiculo e fico perplexo como muitas pessoas se assutam com isso. So nao consegue interpretar esses numeros quem e burro.

    • Eu sei lá says:

      Ó Sardinha, “o número de mortos é o que se vê”, com um número crescente de infetados, graças à vacinação. Ainda não conseguiste interpretar esses números?

      • art says:

        Quem te garante que o número de mortos diminuiu graças á vacinação ? Na pandemia da gripe espanhola , também houve vagas , ou picos , e também o número de mortos acabou por baixar e não havia vacinas . Eu acredito em vacinas , mas já não suporto que meia dúzia de especialistas da treta , nos tratem por palermas. Eu sei que lhes interessa passar esta ideia que os mortos só diminuem por causa das vacinas . Sobre a vacinação , acho piada que o Almirante , tenha fugido à astrazeneca , mas mande os outros tomarem-na…

        • Tadeu says:

          Basta olhar para os resultados da vacinação em massa em Israel, e olhar para o efeito da vacinação dos lares em Portugal, reduzindo enormemente a mortalidade nas faixas etárias mais velhas.
          A correlação está mais do que provada, até porque o virus não perdeu capacidade de contágio nem reduziu a mortalidade entre não vacinados. Obviamente que o confinamento nos primeiros meses do ano ajudou a controlar a propagação e a reduzir o número de mortos diários enquanto a vacinação não estava mais disseminada, mas o confinamento não explica as mudanças na taxa de mortalidade entre quem apanha a doença.

          • art says:

            Não não está provada , basta olhar para o número de mortes previamente em lares para perceber que os mais fracos já morreram quase todos , e agora só restaram os mais resistentes , por isso o número de mortes diminuiu…ademais , volto a frisar , aconteceu o mesmo na gripe espanhola …onde anda ela agora ? E não havia vacinas …claro que morreu mais gente , não havia as condições de agora , mas foi em tudo semelhante ao que está a acontecer agora

          • Tadeu says:

            art, que ideia mais estúpida e sem qualquer ligação com a realidade. Há centenas e centenas de lares em Portugal e os dados não te dizem que houve surtos em todos, que seria a condição necessária para que todos os idosos nos lares já tivessem sido infectados para criar o teu cenário macabro! Segundo ponto, é interessante como preferes ignorar os dados de países como Israel…

            Tudo semelhante???
            Como é que foi semelhante se não havia vacinas? A doença desapareceu por criação de imunidade de grupo via infecção de muita da população, e muito menor circulação de pessoas entre comunidades (comparado com a realidade actual) que pudesse levar à reintrodução da doença. É por a imunidade de grupo (sem vacina) só ocorrer com muita gente infectada que houve tanta gente que morreu com a Gripe espanhola.
            A doença só desaparece com imunidade ou com isolamento total, e dado que não estamos em isolamento total e a doença não desapareceu, e dado que estamos muito longe de ter tido toda a gente infectada para haver imunidade adquirida naturalmente, não tens argumentos para dizer que a vacina não é responsável. Aliás basta olhar para as faixas etárias que são mais infectadas actualmente, que coincidem com as faixas etárias menos vacinadas.

          • Louro says:

            @Tadeu,
            Acho que nao deverá de valer a pena estar a argumentar muito, quando alguém nao quer ver os factos pura e simplesmente nao os ve e vai continuar a insistir na mesma coisa.

            É tempo perdido.

        • Manuel da Costa says:

          Na “gripe espanhola” as vagas que refere é devido ao gigantesco número de mortos que reduziram a capacidade do vírus se propagar. Quando os nossos militares foram regressando da França, Alemanha e Itália, o número de infectados disparou por 84 vezes, todas coincidindo com o regresso de expedições. Só em 1921 é que acalmou, principalmente com as fronteiras terem sido fechadas, dando como desculpa o contrabando. Em Espanha, só em 1930 é que o vírus desapareceu, mais devido à crise financeira avassaladora que levou muitas comunidades de regresso à agricultura.

      • Sardinha Enlatada says:

        Serei eu ou tu e que nao sabes interpretaros numeros ? Refiro-me apenas ao numero de mortos, o numero de infectados isso e para encher chouricos.

    • realmente lol says:

      Olha-me este a chorar porque há “demasiada transparência”. Realmente, há malucos para tudo.

    • RAM says:

      Realmente só burros e um esperto. Dava para nome de filme.

    • scp says:

      Até podes fazer mil testes mas há uma coisa única… o número de utente. Ou no caso de estrangeiros o passaporte, etc.

    • iDroid says:

      Adoro um bom troll pela manhã.

    • Hugo says:

      E cá está ele, o paranóico a chamar paranóico aos outros ahahah

  5. iDroid says:

    Que linda ovelhinha…

  6. Antonio says:

    Exatamente!
    Já pensaste que o Sars-Cov-2 já cá podia andar antes e ninguém sabia?
    Às vezes basta utilizar um pouco do senso comum.

  7. Chalupa pela verdade says:

    Na Hungria não há restrições? Ao ar livre não… fui ao Euro e realmente estádio cheio, sem mascara e sem restrições, mas apenas os húngaros já vacinados é que puderam ir ver o jogo… lol lol lol um pormenor certo?

    E que eu saiba em transportes públicos, supermercados, tudo que seja espaços fechados é obrigatório o uso de mascaras ainda…

    Só rir com estas ovelhas do Aliexpress

  8. A.F. says:

    Uma mentira contada muitas vezes passa a ser uma verdade.
    Usem mascara e mantenham distancia que isso é o mais eficaz.

    Minuto 22:45 / Para que serve a vacina?
    tinyurl.com/jxtkhy58

  9. C.S. says:

    Uma ministra da saúde que é advogada agora também é astróloga.
    O problema é sempre o que há-de vir nunca é o que temos nem o que já passou.
    Bela gestão, incutir sempre o medo do gigante adamastor, como se ainda vivêssemos no tempo das trevas.

    • Chalupa pela verdade says:

      Ela incute o medo do gigante Adamastor porque sabe bem que os portugueses de bem conseguem passar no Cabo das Tormentas.. e mostrar aos outros que na realidade é tudo um complô e estamos no Cabo da Boa Esperança!

      • C.S. says:

        Deve ser pela parvoice das medidas que estás no cabo da boa esperança.
        Vê lá a Suécia não utilizou estas medidas estúpidas e tem menos 4000 mortos que nós.

        • Chalupa pela verdade says:

          Na Suécia eles são mais inteligentes que nós, não gostam de vida social nem de tempo em família e estão muito tempo sozinhos a jogar WOW.. até pagam a jovens a renda durante x anos para saírem de casa dos pais.. além de cumpridores de regras.. será que o distanciamento social já prévio? Não sei, é capaz

  10. Manuel da Costa says:

    Infelizmente, os jovens continuam a organizar festas ao estilo dos festivais de Verão habituais:
    Charneca de Caparica: 830 jovens numa quinta de casamentos, numa rave, passado sábado para domingo; Corroios: 147 jovens numa discoteca na noite de sexta para sábado; Palmela: 690 jovens numa discoteca, 1800 numa quinta, 1600 numa festa campista, passada sexta-feira. Sines: 340 jovens numa festa organizada por um dj, passada sexta.

    Isto só na região a sul do Tejo e do que existiram queixas ás autoridades, só sei de 1 caso (em Corroios) em que foi aplicada multa ao organizador e a alguns dos presentes. No resto, depois das queixas, quando as autoridades lá chegaram já estava tudo a debandar, parecendo que alguém recebeu o aviso, proveniente das autoridades, que tinham existido queixas e estavam a caminho para os multar…

  11. ABC Grego says:

    A chegar a próxima vaga do medo, não sabem se é, mas avisam logo que “possivelmente mais contagiosa. É a Lambda”

  12. Miguel says:

    4000, 5000, 6000, 10000 casos e poucas ou nenhumas mortes! Constipação, és tu?

  13. Raul Brandão says:

    Isto dá pano para mangas e só mais tarde saberemos se as teorias da conspiração estavam certas ou não.
    Entretanto… esperem pela variante TUGA,aí sim, vai ser o fim-do-mundo 😀

  14. Joaquim Sobreiro says:

    A indústria farmacêutica não assume responsabilidade.
    O governo não assume responsabilidades.
    Os médicos não assumem responsabilidades.
    Se o utilizador não os assumir será irresponsável?

  15. Joaquim Sobreiro says:

    Agora que tantos laboratório preparam uma vacina para covid, devem ter parado os estudos para SIDA, gripe A, gripe aviar, ebola.
    Há tanta certeza que se vai conseguir uma, ou muitas, vacinas efetivas que já nem se coloca a questão de encontrar tratamento para os que forem portadores sintomáticos.

    • Chalupa pela verdade says:

      Olha, afinal estão a usar a mesma técnica na vacina do covid para hiv… quem diria???

      https://www. contagionlive.com/view/moderna-unveils-results-of-new-mrna-vaccine-candidate-trials

      • Hugo says:

        Sim, houve um desenvolvimento brutal nesta área mas para os “burrinhos” do costume isso não conta nada. Fazer à pressa e fazer depressa é a mesma coisa e chuta desinformação pra frente.

        • Chalupa pela verdade says:

          como é óbvio qualquer pessoa inteligente prefere que uma vacina seja feita em 10 anos nos 60 sem acesso a 1/10 da tecnologia que temos agora que ser feita agora em 6M com recursos a tecnologias já existentes e com investimentos nunca antes visto…

          Por amor de Deus, deixa de ser sheep!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.