Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: e agora? As respostas que precisa quando tem sintomas…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Ochinês says:

    E agora é assim:
    – Aparece alguém em casa com Covid (em idade escolar são mais do que muitos) – quem tiver a 3ª dose da vacina há mais de 14 dias, faz a sua vida normalmente, sem entrar em isolamento e sem precisar de fazer teste, exceto se tiver sintomas;
    – Quem tiver a 3ª dose de vacinação há menos de 14 dias, ou menos vacinação, fica em isolamento 7 dias. É recomendado fazer um teste, se der positivo fica 7 dias em isolamento a partir daí.
    – Não é preciso teste negativo para sair do isolamento quem não tiver sintomas (há entidades patronais que pedem). Quem testar positivo e for fazer um teste de PCR passado 7 dias o mais certo é testar positivo. O que dá 14 dias.

    E que aconteceu ao médico que telefonava para casa a saber como se está? Isso acabou.
    Desde o dia 6 de janeiro é assim. Cada um é responsável relativamente ao isolamento.
    Sendo possível o teletrabalho, pode fazer sentido, para o próprio e os colegas de trabalho, um entendimento com a entediada patronal para estender o período de isolamento mais alguns dias para além dos 7 (inicialmente o isolamento era de 14 dias).

    • Zed says:

      E isso é mau? Adaptar as medidas à evolução da pandemia, reduzindo as restrições enquanto os hospitais têm poucos internados, permitindo até que se adquira imunidade natural, é mau?
      É assim tão difícil entender que as medidas vão mudando em função da situação atual? Difícil seria entender se com os hospitais cheios as medidas fossem as mesmas que com os hospitais vazios.

    • Asilva says:

      “E que aconteceu ao médico que telefonava para casa a saber como se está?” – Puxa um bocadinho pela cabeça. Achas que com a quantidade de pessoas infetadas é possível chegar a toda a gente? Não te protejas não.

      • Ochinês says:

        Tu e o Zed têm toda a razão 😉
        Limitei-me a informar. Faz-vos confusão que alguém considere que é mais importante informar em vez de opinar?

  2. sempre na boa onda says:

    O patrão nem te pode se quer perguntar se tomaste a vacina contra a covid19…e isso saiu em varios jornais … logo à partida a vacinação contra a covid19 não é obrigatoria.

    Mas no teu lugar tomaria…

    https://rr.sapo.pt/noticia/pais/2021/12/11/covid-19-vacinacao-obrigatoria-e-uma-decisao-politica/264173/

    Já todos sabem que lidar com a pandemia não é facil , seja pelas incongruências ou mesmo inconstitucionalidades a que todos assistimos por todo o lado…como com a propria doença em si…

    Por exemplo:

    Para alguém conseguirem falar com alguem na S.Social tem que se ter ou telefone ou e-mail, o que é inconstitucional porque ninguém é obrigado a ter nenhum dos dois…

    Já nas finanças é possivel sem nunca esquecer as normas da DGS em vigor, sem ter que nada disso, como é obvio …

    Não acredito que um idoso vá deixar de comer ou tomar a sua medicação para ir gastar em telemoveis e muito menos dedicar-se a e-mails… e de igual forma também não acredito que quem necessita de recorrer à dita instituição de suposto apoio social também não o vá fazer…mas em algumas cabeças, ao que se vê primeiro o telefone e só depois a casa, a comida, etc, etc… é mesmo de ficar doente …

    Saudinha !!

    • Asilva says:

      1º já há tlm muito as muito acessíveis a nível de preço, incluindo aqueles direcionados à popuação sénior.
      2º não tem tlm, porque não quer ou não pode, pode sempre dirigir-se à junta de freguesia da sua área de residência e fazer uma marcação com a assistente social. Eles ajudam e muito nestes casos.
      Esclarecido?

      • sempre na boa onda says:

        Então não devia ser a propria S.Social a informar as pessoas como deve ser quando essas lá vão e assim essas não se queixavam nas padarias …por exemplo.

        Saudinha !!

  3. Joaquim Sobreiro says:

    “Se o verdadeiro problema fosse a saúde, o mercado negro seria de vacinas. A existência de um mercado negro de passaportes mostra que o problema é de liberdade.”

    • João Bastos says:

      Muito bem dito! Já dizia a minha avó, “ninguém dá nada a ninguém”.

      Falando aqui em Portuga, se conseguiríam gastar muito menos e por exemplo acabar com as listas de espera, e nunca o fizeram. Agora dizem que a vida importa para comprar vacinas e testes a rodo. Sem falar nas baixas, …

    • Pe@ce says:

      As vacinas são gratuitas, se não querem tomar gratuitamente vão toma as do mercado negro? Logo por aí esse nicho de negócio é era.

  4. jorgeg says:

    e continuam com esta propaganda, não se cansam?!

    • A.F. says:

      Simples, basta ignorar, que eles acabam por se calar.
      Se tens um produto a venda e ninguém compra, o próximo passo é deixar de fabricar esse produto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.