Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Áustria obriga a que maiores de 18 anos tomem a vacina

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Ochinês says:

    “… são vários países que estão a deixar cair as medidas de restrição usadas para limitar a pandemia” – graças à vacinação, caso se tenham esquecido.

  2. enfim says:

    Como é possível achar-se isto normal, quando a vacina não impede transmissão ou infecção? Porque motivo pessoas saudáveis, que provavelmente até já contraíram o vírus, ganhando defesas muito mais duradoras que estas “vacinas”, devem vacinar-se? Porque se insiste em certificados de vacinação?

    Felizmente há países como o Canadá, onde as pessoas começam a acordar. Por cá, não podem obrigar (e que sentido faria obrigar uma população com mais de 90% de”vacinados”?) devido à constituição, mas tornam a vida de não vacinados um inferno – agora testes de farmácia duram 24h – como se os “vacinados” não contraíssem a doença, não fossem internados, ou como se não infectassem outros. Ao mesmo tempo que se permite a entrada no país a quem é vacinado, sem necessidade de teste. É um absurdo!

    • enfim says:

      https://www.insa.min-saude.pt/wp-content/uploads/2022/02/20220204_Monitorizacao_Epidemia_COVID-19.pdf

      Na páginas 9, 15 e 16 deste relatório, no que diz respeito aos internamentos, podemos observar que existem pessoas, nas diferentes faixas etárias consideradas, dos 60-80 ou mais anos, com vacinação incompleta ou até “não vacinados”.

      Como é que estes dados são possíveis, se em Setembro de 2021, TODOS os idosos estavam vacinados, ou seja, com duas doses?

      Quando acabam estas fake news de modo a incutir medo para obrigar as pessoas a “vacinarem-se”? Vejo a página do GOVPT a partilhar imagens de modo a “proteger as nossas crianças”. Proteger, de quê?!

      • KeyboardWarrior says:

        “Como é que estes dados são possíveis, se em Setembro de 2021, TODOS os idosos estavam vacinados, ou seja, com duas doses?” como é que é possível vires com essa treta e nem apresentas link para o que estás a inventar. Áustria, estamos contigo, vamos vacinar à força esta cambada de covardes.

        • ervilhoid says:

          Covarde és tu que tens medinho e deixaste-te enganar

          • John Doe says:

            Falou o valentão mais esperto que todos os outros, o expert em saúde que nunca pegou num livro de medicina.

          • ervilhoid says:

            Não preciso de pegar num livro de medicina para poder decidir se quero ou não Sr. Doutor

          • ervilhoid says:

            Eu admito que não sei muito, talvez tu é que pensas que sabes muito…

          • John Doe says:

            Admites que não sabes muito, mas falas como se fosses um especialista. Se tivesses pegado em metade dos livros de medicina que eu estudei não dirias metade dos disparates que dizes.

          • ervilhoid says:

            Temos visto desde início “especialistas” a dizer uma coisa de manhã e outra à tarde e tu com os livros que leste é que sabes…

            Fomos enganados ponto..
            era segura e eficaz depois deixou de ser eficaz, necessários reforços não sei como vocês confiam na parte do “segura”

          • John Doe says:

            Quem está a par da realidade, entende que, por um lado, há sempre variaveis desconhecidas, nunca certezas, e por outro lado, a realidade vai mudando, como por exemplo com mutações do virus e que portanto é preciso mudar tudo, incluindo as nossas percepções e as nossas convicções. Quem vive num mundo de ilusão onde a realidade é moldada a gosto, não falta certezas, tudo se sabe e as coisas só mudam quando nós decidimos. De forma resumida, por Russell: “O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as pessoas idiotas estão cheias de certezas.”

          • ervilhoid says:

            Então somos dois idiotas

          • Joel Dias says:

            @John Doe, aí está o erro. “entende que, por um lado, há sempre variaveis desconhecidas, nunca certezas, e por outro lado, a realidade vai mudando”.

            Ora se não há certezas, como afirmam que a vacinação é a única solução? Como não a imunidade natural que como enúmeros virologistas dizem que produz defesas para o “vírus completo” e não apenas para as proteínas spike (que é o caso das vacinas)?

            Não quer isto dizer que as vacinas estão erradas, errado é obrigar pessoas saudaveis a tomar uma vacina experimental que ninguém se responsabilisa por danos, e que estão em fase 3 até 2023.

        • Infinity says:

          Vai morar para a Áustria então

      • John Doe says:

        Como é que é possivel? Não é, porque foste tu que inventaste isso.

    • lol says:

      Parece que o povo anda cego

    • Cidália Truença says:

      Exato. A incongruência lógica dessa gente para forçar a toma da vacina mete nojo

    • Opah says:

      “Como é possível achar-se isto normal, quando a vacina não impede transmissão ou infecção?”

      Concordo. Se a vacina efetivamente impedisse transmissão ou infecção, eu seria o primeiro a concordar com a sua obrigatoriedade. Neste caso, discordo completamente. Obrigar a tomar uma vacina que não protege a população em geral, parece-me demais e atenção, eu estou totalmente vacinado, mas acho que cada pessoa deverá escolher.

    • John Doe says:

      Como é que é possivel depois deste tempo todo ainda haver pessoas que não compreendem a importância de reduzir o numero de internamentos, através da vacina, numa pandemia?

    • eu2 says:

      As vacinas impedem a infeção muitas vezes sim, e como resultado também impedem a transmissão.

      https://covid.cdc.gov/covid-data-tracker/#rates-by-vaccine-status

  3. Samuel MGor says:

    Eu andei a abusar da sorte ao vacinar-me com a “vacina” e com a “dose de reforço”. Portanto agora só com a que impede a transmissão é que eu me vou vacinar 😛

  4. says:

    Quem está a morrer em Portugal com covid-19? A pergunta tem sido feita por especialistas e não só. Mas os dados concretos, disponibilizados diariamente pelas autoridades de saúde, só permitem perceber em que faixas etárias é que se morre mais. O bastonário dos médicos já pediu publicamente à Direção-Geral da Saúde (DGS) que divulgue a informação com mais detalhes (por exemplo, se estas pessoas estavam ou não vacinadas e há quanto tempo ou se sofriam de outras doenças), até para apoiar a comunidade científica na análise da evolução da doença. Mas isso não tem acontecido. O problema é que a esta questão juntam-se outras, como em que idades está a ocorrer o maior número de casos, quem está a chegar aos hospitais para internamento em enfermarias e nas unidades de cuidados intensivos? Quantos dos infetados e internados estavam ou não vacinados e há quanto tempo?

    • John Doe says:

      Com quase 100% da população mias suceptivel vacinada, quem é que será que ocupa os hospitais e morre? Pensa lá um bocadinho. Pergunta bónus: adivinha a nacionalidade da esmagadora maioria dos internados e óbitos em Portugal. Será que ser português é um factor de risco?

      • Memória says:

        Devias explicar essa melhor, porque não somos adivinhos, e o dados até agora publicados são muito poucos.

        • John Doe says:

          É preciso ser adivinho para entender que com 100% de vacinados, 100% dos internados e dos óbitos serão vacinados?
          Na escola: “estatística e probabilidades? Para que é que isso me vai ser util na vida?”
          Uns anos mais tarde: “se a maioria dos internados estão vacinados (com quase toda a população vacinada), é porque a vacina não funciona”.

  5. Manito says:

    Isto vai dar erro!

  6. robin says:

    Continua a existir muitos seguidores das experiencias medicas que se faziam nos campos de concentração agora com outro nome e o seu próprio povo.
    Os nazis chegaram ao poder mas agora são democratas.

  7. SANDOKAN 1513 says:

    Acho muito bem.

  8. John Doe says:

    Acho mal. Deviam simplesmente responsabilizar as pessoas pelas suas acções, através do pagamento de despesas de internamento por COVID, quer deixando claro que em caso de saturação de hospitais, serão elas a ser deixadas de fora dos cuidados mais diferenciados, que é algo que acontece, mas parece ser assunto tabu.

  9. Profeta says:

    Porque e que a palavra “vacina” e “obrigacao” tem de andar de maos dadas ?. As pessoas nao tem essa liberdade de escolha porque razao ?

  10. ZeDasCabras says:

    Para mim acabou, levei 1 e chega.

  11. Tiago Rodrigues says:

    Podemos ser um país de gente tacanha e mansa, mas na Europa dá-mos exemplo!

    Liberdade é saber respeitar a escolha do outro.

    Vacinação obrigatória a este vírus é um retrocesso nos Direitos, Liberdades & Garantias.

    Sempre me vacinei porque acredito na eficácia das vacinas, mas jamais serei a favor da vacinação obrigatória a esta vacina.

    Respeito a liberdade de quem se recusa!

    Viver é um risco.

    Cumprimentos a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.