Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: 8000 aviões jumbo para fazer distribuição da vacina

                                    
                                

Fonte: theguardian

Autor: Pedro Pinto


  1. Wishmaster says:

    Notícia inútil. Já estão a dar um passo à frente da perna. De que adianta estar a fazer cálculos destes se não é necessário nem aconselhável distribuir a vacina a 7,8 mil milhões de pessoas num curto período? Enfim…

    • pois says:

      Verdade, mas esta vacina está a ser empurrada ainda antes de ter resultados.

      dn.pt/pais/portugal-tera-direito-a-69-milhoes-de-vacinas-contra-a-covid-19-12535819.html
      dn.pt/mundo/bruxelas-anuncia-acordo-para-compra-de-possivel-vacina-da-astrazeneca-12522924.html

      Aliás, toda a pandemia tem tido uma data de coincidências preditivas.

      centerforhealthsecurity.org/event201/
      wits.worldbank.org/tariff/trains/en/country/CAN/partner/ALL/nomen/h5/product/902780
      worldfinancialreview.com/the-predicted-2020-global-recession/

      • pois says:

        Com tudo isto, não me admira que já hajam planos para a distribuição de vacinas por todo o globo. Já existem governadores que indicaram publicamente querer torná-las obrigatórias nas suas jurisdições.

        theguardian.com/world/2020/aug/19/global-report-australian-pm-plans-to-make-coronavirus-vaccine-mandatory

  2. Wishmaster says:

    E já agora, “A distribuição segura das vacinas Covid-19 será a missão do século para a indústria global de carga aérea. ”
    Ainda falta muito para o século acabar lol

    E se usarmos a referência 1920-2020, temos a operação aérea feita pelos Aliados a seguir à segunda guerra mundial, quando Estaline bloqueou Berlim, que é muito maior do que essa…. Durante um ano, aterraram em Berlim aviões a cada 2 minutos (se não me falha a memória, mas é um período absurdamente curto, sem pararem), durante um ano!

    “os aliados ocidentais organizaram a ponte aérea de Berlim para transportar suprimentos para as pessoas em Berlim Ocidental.[1][2] A Força Aérea dos Estados Unidos e os britânicos da Força Aérea Real fizeram mais de 200.000 voos em um ano, com até 4.700 toneladas diárias de suprimentos, como combustível e comida para os berlinenses.[3]”
    wikipedia

    Enfim, tudo é exagerado na Covidelândia….

    • rui says:

      a vantagem dos “recordes” do século é que no início do século ainda não há muitos e é mais fácil batê-los do que no final, a malta nos anos 90 já não tinham tempo de bater recordes, mas em 2001 tudo começou do 0 🙂

  3. ToFerreira says:

    Isso significa que vão conseguir produzir todas as doses da vacina simultaneamente?

  4. Pirata das cabernas says:

    Quando a vacina estiver pronta já isto acabou

  5. Também podia estar calado says:

    Antes de continuarem a fazer mais comentários estúpidos leiam o texto.
    “No entanto, apesar de ainda não existir uma vacina, todo o trabalho de organização, contactos com companhias aéreas, aeroportos, organismos de saúde, empresas farmacêuticas… está já em curso.”
    Chama-se a isto planeamento e organização.

    • Joaquim Sobreiro says:

      Um bom planeamento para uma excelente plandemia.

    • Wishmaster says:

      @Também podia estar calado
      Não chama não, chama-se EXAGERO, para se poder continuar a hiperbolizar tudo o que respeita à COVID. É assim na Covidelândia, a terra do exagero, da inflação de tudo.
      Bem sabem e todos sabemos que a vacina não deve ser entregue ou distribuída com essa rapidez toda. Será faseada… Conforme a produção, conforme os grupos de risco, etc…. Entendido? 🙂

    • Carlos Sousa says:

      Como é que podes falar num bom planeamento e organização se não se sabe qual é o país que vai distribuir a vacina.
      A não ser que seja a vacina russa, e aí está bem, é preciso planear a distribuição.
      Ou será que já estão a fazer a panelinha para abichar uns quantos milhões?

  6. gonsa says:

    Avião jumbo é um termo obsoleto e o boeing 747 já está a ser retirado dos ares há algum tempo.

  7. Miguel says:

    Tomem todos, assim ajudam a imunidade de grupo.
    Se tomarem eu nao preciso tomar tao cedo 😉

  8. Mário Limas says:

    Sinceramente, vamos reconhecer brevemente que a vacina Russa é eficaz, sem rejeições assinaláveis. Felizmente, há verificação internacional, está publicitada na maior revista da especialidade. É lamentável que por motivos obscuros ou até não tanto, comerciais e políticos, tal esteja a ser divulgado só na página 400 de publicações de um mundo que se interessa pelo interesse das grandes coorporações industriais, químicas e farmacêuticas. quem perde é quem tem pouco poder reivindicativo. Vamos estar à espera mais um ano e o remédio estáali ao lado, mas Pfeizer e outras, apesar de falharem, sabem que têem governos e média quem lhes reserve consumidores, passe o tempo que passar.

    • Construtivo says:

      Os países ocidentais estão com medo de encomendar a vacina russa por causa dos USA.
      O tempo é de provocar, espezinhar, mentir, denegrir, ameaçar, não envolver-se com os russos em nenhuma área, especialmente a economica, ou serás sujeito a sanções dos USA. Querem lá saber dos cidadãos. Uma cura só é boa se for prestada pelas multinacionais americanas.

  9. OHS says:

    Dada a resistência ocidental à vacina russa quiçá eficaz, ainda vou vê-la a ser vendida na Net…Hi, Hi.

  10. Mário Limas says:

    Sem dúvida que há que deixar estes comentários falar por si, eu se tiver acesso à vacina Russa, encomendo de imediato as doses necessárias às pessoas mais próximas de mim, tenho lido imenso sobre, e é algo que se apresenta, sem discordância por quem sabe avaliar, algo mesmo eficaz e sem rejeições significativas. O que a imprensa generalizadamente faz, não toda, é ocultar este produto por interesses económico, financeiros e políticos mesquinhos, subalternizando o interesse e saúde pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.