Quantcast
PplWare Mobile

COP26: Portugal contra financiamento europeu para energia nuclear

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Henriquetas says:

    Mas portugal manda?

    Temos de ter uma energia de recurso quando as outras falharem isso é ser estupido por tudo num cesto..

  2. R says:

    Uma vergonha e hipotecam as boas alternativas. Não estudam, não ouvem os especialistas e decidem pelo que lêem no Facebook – querem ser populares. Que tristeza.

  3. R says:

    E uma vergonha também é a ilustração que o Pplware escolheu para ilustrar o artigo. Só se for para ilustrar o que vai nas cabeças dos ignorantes que nos representam.

    • Mitra says:

      Não anda muito longe da realidade, em vez de estarem no solo estão no subsolo milhares de toneladas de resíduos radioactivos que são extramente perigosos para o humano e planeta por milhares de anos…
      Em casa para sentires que a casa está limpa barres o lixo para baixo do tapete?

      • eu2 says:

        Não, pago a alguém para o colocar num monte.

      • BC says:

        Nao fazes puto de ideia de como se armazenam os residuos radioactivos, pois nao?

        • CC says:

          O Japão atira os barris com resíduos radioativos para o fundo do oceano, e depois pasma-se que as populações junto a esses locais sofrem com doenças cancerígenas em número bem acima da média, já para não falar dos pescado… Espanha guarda os barris em antigas minas junto à fronteira, muitos desses locais são sismicamente instáveis, França vice versa, mas desde que dê dinheiro é sempre a bulir. Já se sabia que França quer impor energia nuclear na Europa, para o Micron é a: “A Europa tem de ser independente de países externos…” mas ser dependente de França est trés magnifique! Não interessa minimamente a Portugal que tem Sol que chegue para paineis solares, Éolicas e está a investir a sério num projecto de hidrólise para produção de energia eléctrica na antiga refinaria de Sines. Interessa sim a França que se está marimbando para o problema que dos residuoes nucleares que eles mesmos ainda não tém solução.

    • FAR says:

      Por acaso, a imagem poderá parecer um pouco tendenciosa 😀

    • RC says:

      A noticia só é boa se for sensacionalista.

  4. Zé Fonseca A. says:

    Santa ignorância, sem nuclear estamos acabados.

    • Mitra says:

      Mais o contrário, o planeta existe desde sempre sempre o nuclear.
      O nuclear é que mata o planeta!

      • Mitra says:

        Diz isso aos mais de 1600 mortos e nas gerações de famílias que vão sofrer com doenças que o acidente nuclear de Fukushima criou, criaram uma área de exclusão de 20KM e foram desalojadas mais de 140.000 pessoas.
        E olha que diziam que era bem segura, até o pior acontecer…

        • MP says:

          Esse número de mortes é uma porção pequeníssima das mortes causadas pelas outras fontes de energia. Centrais energéticas a carvão, além de poluirem muito mais o planeta causam doenças pulmonares as pessoas que estão a volta delas. Só o nº de mortes na contrução de barragens e centrais eólicas ultrapassa em MUITO as mortes causadas pelos grandes acidentes nucleares que vimos até agora.

        • Mitra says:

          MP ai então uma barragem mata mais pessoal que um acidente nuclear?
          OK já não discuto mais só espero que no próximo acidente nuclear deis o nome como voluntário para ir limpar aquilo, depois não te queixes que ao terceiro mês estás a comer de palhinha, e ao quarto…

      • Zé Fonseca A. says:

        Claro e o planeta tambem teve sempre 8B de pesssoas.
        Nuclear é a energia mais limpa e com menos pegada ecológica que existe, precisas de te informar.

      • R says:

        @Mitra
        Agora faça o favor de esclarecer os que recebem tratamento de radioterapia contra o cancro que estão a matar o planeta.

  5. Sardinha Enlatada says:

    Mais uma vez vem a conversa da energia nuclear a baila. Realmente nao ha bom senso nenhum, basta na UE fazerem mais um pouco de pressao e os paises comecam a aderir a essa bosta. E so fazerem chantagem, nao custa nada. A vida das pessoas cada vez vale menos para esta canalha.

  6. Redin says:

    Para estar atento…

  7. Mouro says:

    Então o que vamos usar para ter energia e ao mesmo tempo ajudar a combater o aquecimento global e as alteraçoes climaticas ?

  8. Miguel says:

    O lobby da energia nuclear está em todo o lado não se deixem enganar com a treta que a energia nuclear é segura e limpa.
    Investiguem sobre os lixos radioactivos gerados por essas centrais nucleares para onde vão.

    Nuclear Não!

  9. KodiakShadows says:

    Tugas politicos idiotas , quando a Energia Nuclear é das mais limpas. Pois é que ao apoiarem matavam a galinha dos ovos de ouro diga-se, a energias Solar e eólica que Portugal pode produzir devido ao seu ponto geográfico.

    • Mitra says:

      “quando a Energia Nuclear é das mais limpas”

      Nem li mais nada…

    • CC says:

      Se a energia Nuclear fosse limpa Portugal já a teria, além de outros países, quem não quer energia barata? Ainda para mais quando Portugal é geologicamente rico em Uranio. O problema do nuclear é exatamente o facto de não ser limpa nem inofensiva, bem longe disso, não adianta enterrarem os resíduos radioativos, mais cedo que tarde chegam à superfície. A radiatividade transmite-se em todas as direções, e materiais, ar, água, pedra, seja qual for o material, ha certamente elementos que são menos permeáveis, como o chumbo que já de si é um elemento tóxico para a biomassa, no entanto dá-lhe tempo e nem o chumbo resiste. Guardar elementos radioativos a centenas de metros de profundidade não resolve qualquer problema, já ouviram falar do gás radão? pois, também se forma a milhares de Km da superfície do planeta e no entanto aflora!

      • Tonheco says:

        O radão forma-se naturalmente a partir do decaimento do uranio e em elementos de origem granitica. Não tem necessariamente de se formar a milhares km, isso é um autentico disparate.

        • CC says:

          Era para comprar um livro de piadas, mas basta ler aqui os comentários, isso sim verdadeiros disparates, então o granito forma-se a que profundidades? Daqui a nada estão a dizer que o granito é sedimentar, tamanha a falta de estudo demonstrado! Foste ler umas coisas à internet e não percebeste nada do que leste! Para teres noção o granito forma-se a cerca de 30 km da crosta terrestre já a mina com maior profundidade existente situa-se a cerca de 5 km da crosta, agora já deu para perceber o disparate?

  10. Aquila Cunha Freitas says:

    Parece que a maioria aqui que é contra energia nuclear está presa nos anos 2000. Hoje em dia existe formas seguras de descartar lixo tóxico e até reaproveitar-los para gerar ainda mais energia. Sem contar que é uma fonte de energia constante e pode ser usada até para dessalinização da água do mar. Alguém aqui referiu uma mencionou barragens como energia reserva, mas esquece de vez enquanto há fortes secas principalmente nesta latitude e o impacto ambiental (convenientemente) nem se fala (também aplicável para parques de energia eólica e solar). Não quero dizer que a matriz energética tenha que ser 100% nuclear, mas com certeza tem seu lugar.
    Pronto, políticos vão sempre fazer politicagem e o gado segue ao som do berrante.

    • Mitra says:

      Estás a espalhar fakes news não existe centrais nucleares em funcionamento que não gerem lixo nuclear, e as modernas o que tem para oferecer é armazenar em túneis debaixo delas todo esse lixo nuclear.

      Olhem para o que o lobby nuclear fez na Finlândia, até videos lança no youtube mostrando uma central nuclear de ultima geração.
      https://www.youtube.com/watch?v=kYpiK3W-g_0

      Sabes qual foi a inovação no final?
      Enterrar no subsolo o lixo nuclear 🙁

      • Áquila Freitas says:

        Como assim? Eu não disse que não exista centrais nucleares em funcionamento que não gerem lixo nuclear. Realmente é difícil ter algum diálogo produtivo desta forma. Acredito que acusar-me de espelhar notícias falsas colando notícia falsa nas minhas palavras é bem imoral e anti-ético, com todo respeito. Por fim, poderíamos passar aqui o dia todo a partilhar artigos para cada um defender a sua tese e não iriamos a lado nenhum. Lobbies sempre existiram e sempre vão existir de qualquer coisa, maioria dos políticos não têm intelecto para propor legislação sem lobby. Lobby do petróleo, nuclear, solar, eólica, etc… funcionam da mesma forma, cada um puxa para seu próprio umbigo.

    • FAR says:

      O assunto em causa trata de apoios financeiros, não de proibição. Fala-se de apoio financeiro. É verdade que os processos de geração de energia nuclear evoluiram, mas também é verdade que estão longe de serem tão limpos como as fontes renováveis são. Existem muitas fontes de energia naturais que ainda são atualmente muito subaproveitadas. Faz sentido que o investimento vá na direção do “verde” e não do “mal menor”. Pela mesma lógica manteríamos os veículos a combustão ad-eternum, pois estes são cada vez mais evoluídos e os seus subprodutos novcivos são cada vez menores.

      • Áquila Freitas says:

        Eu não disse nada relacionado à proibição. Eu disse que o ideal seria uma matriz energética diversificada, que inclua nuclear. E a minha crítica às fontes renováveis são a falta de resiliência, nem sempre há vento/chuva/sol, excesso de calor ou frio os torna inúteis momentaneamente, e achar que esses recursos são vão sempre estar disponíveis na hora que mais se precisar é um desprezo a imprevisibilidade da natureza. Quanto à comparação final, não sei se é aplicável, é como se eu me defendesse com um “smartphones não acabaram com as calculadoras” (muito relativista).

      • André Silva says:

        As renováveis são limpas? para onde vão as hélices das eolicas em fim de vida? Não são passiveis sequer de reciclar ou reaproveitar.

  11. André Silva says:

    Com o crescendo de carros elétricos, se não tvermos uma fonte de energia estável como o nuclear, é para esquecer este meio de transporte.
    AInda se vive assombrado com chernobyl e Fukushima. Mas esquecem-se que hoje em dia é possivel fazer reatores mais pequenos e com um nivel de eficiencia estupendo. Não é só com ventoinhas e telhados que lá vamos. Basta ver o nosso mix ao dia de hoje em datahub.ren.pt para perceber que nem vento nem água.

  12. Sardinha Enlatada says:

    Bom esta tudo dito. Quando a maioria de voces acha que a energia nuclear e benefica e nao tras problemas de saude para as pessoas, palavras para que ? A partir daqui se a comunicacao social disser que me*da e boa para comer as pessoas acreditam. Descartam o lixo radioactivo com uma rapidez incrivel. Nao admira que o covid teve tanto sucesso, basta a comunicacao social falar de maravilhas ou de desgracas e o pessoal acredita.

  13. MP says:

    É verdade que a energia nuclear faz a sua contribuição para a poluição do planeta com os resíduos nucleares, mas pior que estes residuos nucleares é a poluição que é feita quando geramos energia com o carvão.
    Temos sempre a alternativa de usar energias renováveis, mas isso atualmente é impossível, não temos capacidade para armazenar toda a energia que é gerada. Uma boa alternativa para salvar o nosso planeta seria usar energia nuclear até que tenhamos uma maneira de armazenar toda a energia gerada por meios renováveis (solar, éolica, …).

  14. António says:

    Energia em grande escala, capaz de alimentar em ciclo constante a industria e grandes metrópoles, só a nuclear.

  15. Pedro L. says:

    O Galamba vê sempre mais longe (em 2018)

    “O urânio só seria um activo para o país se estivesse nos planos deste Governo investir no nuclear, […] pelo que entendemos que as reservas de urânio existentes em Portugal não são um activo estratégico e como tal devem ser vendidas”, afirmou o secretário de Estado da Energia, João Galamba, que intervinha pela primeira vez neste cargo no parlamento.

  16. Jorge Silva says:

    A energia mais eficiente e mais limpa não é sustentavel?

  17. pois says:

    ao inves de “COP26: Portugal contra financiamento europeu para energia nuclear”

    devia ser “COP26: Portugal vota a favor de continuar no 3º mundo”

  18. traumatologiaeortopedia.com.br says:

    Eu acho que tem de investir, melhorar a tecnologia, mudar a fissão para fusão, descartar melhor os resíduos. Um país não tem grandes fontes de água e tem de comprar de outros países ou queimar óleo?

  19. Tonheco says:

    Mas poeque raios colocaram uma imagem com barris de material radioativo espalhados pela chão e uma Central a carvão?

  20. Tonheco says:

    A ignorância acerca da energia nulear nos comentários é enorme.
    Estudem e deixem de ver netflixs e hollywoods!

    • CC says:

      Eu já fiz estudo de decaimento radioativo em laboratório de faculdade e correlação de incidencia de radiação com doenças oncológias em diversas áreas geográficas, em Portugal normalmente é sobre gás radão, os meus colegas de outros países partilham dados de áreas com problemas de radiação de origem humana. É esta a minha ignorância, mas pergunto já que o seu texto foi curto: “O que sabe sobre radiação? É só de internet e neflix ou já pôs a mão na massa, salvo seja!?”

      • Tonheco says:

        Não pense que percebes de energia nuclear (e centrais) poruq enão percebes.
        Por teres mexido numas botas de borracha não penses que ercebes alguma coisa de pneus.

        Sobre radiação sei talvez tanto você, sobre centrais e produção de energia a partir de fissão sei muito mais. 9 anos em Almaraz.

  21. Ricardo Carvalho says:

    Anda aqui muito ignorância relativamente ao nuclear e aos riscos que representa. Quem estiver interessado em ver uma estatística sobre Energy Source VS Mortality Rate pode consultar este link:
    https://www.statista.com/statistics/494425/death-rate-worldwide-by-energy-source/

    Quem estiver interessado em ler sobre os novos reatores de fissão nuclear de Molten Salt já em testes pela China, e que produzem uma ínfima parte dos resíduos nucleares e mais energia do que um reator de Urânio, e que tem um Half-Life dos resíduos de cerca de 300 anos ao contrário do Urânio que são milhares de anos, pode consultar este link:
    https://www.europeanscientist.com/en/features/china-shows-us-the-path-to-the-nuclear-future/

    Estes novos reatores vão ser o futuro da produção energética. Não existe nenhuma fonte de energia que consiga suprir a demanda energética a nível mundial que não seja o nuclear. A Finlândia está também a criar novos sistemas de armazenamento de resíduos bastante mais seguros.

    O principal entrave a este tipo de energia, é o estigma associado à palavra Nuclear, mais do que propriamente o risco que representa, mas o medo e a ignorância sobre o assunto é tanto que as pessoas fecham de imediato a porta a esta solução.

  22. Eddy says:

    Mas estão a falar da energia nuclear de fissão ou fusão?
    Parece que não há distinção, a julgar pelo artigo e pelos comentários.

    • Ricardo Carvalho says:

      Fissão Nuclear = Reatores normais, bombas atómicas, etc. tudo o que foi implementado comercialmente até hoje.

      Fusão Nuclear = Ainda em investigação, Reator Experimental ITER em França, “Power of the Sun”

      • Eddy says:

        Eu não preciso que me expliquem as diferenças de uma e de outra.

        Só queria perceber se o COP26 se refere à energia nuclear como um todo ou apenas energia nuclear de fissão…
        O texto do Pplware só refere como energia nuclear.

        • Ricardo Carvalho says:

          A COP26 deve referir-se apenas a energia de Fissão, pois são as únicas disponíveis comercialmente para produção elétrica. Agora, não acredito que interrompam os subsídios para a investigação da energia de Fusão, como no caso do reator em França ITER. Se realmente a fusão for comercialmente viável, acabam-se os problemas energéticos no mundo, pois a fusão não tem resíduos.

  23. Luna says:

    É uma grande pena esta decisão. A energia nuclear seria muito útil como transição para as energias mais renováveis enquanto estas não conseguem substituir as não renováveis completamente… vejam aqui: https://youtu.be/EhAemz1v7dQ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.