Quantcast
PplWare Mobile

Compras numa loja online? A Huawei tem uma surpresa para si em Portugal

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Filipe C says:

    Com a Xiaomi cada vez mais presente em portugal com diversas lojas fisicas oficiais, a Huawei cada vez mais por cá vai tender a ser menos uma primeira escolha. Na gama média ja perde para a Samsung ha 2 anos, na gama alta pouco ou nada vende em Portugal porque claro que o software alternativo da Huawei está anos luz do que a Google oferece pelo obvio (anos de desenvolvimento vs meses), e mesmo no campo onde eram reis, a fotografia, a Xiaomi por exemplo tem dado cartas e não só, sendo superior a Huawei com preços menores.

    É uma marca que infelizmente por causa dos EUA passou de um enorme potencial na europa para algo que por muito que se escreva em blogs e afins, ja nao cativa

    • Vítor M. says:

      A Xiaomi é de fraca qualidade quando comparas ao nível dos equipamentos da Huawei, Samsung ou OPPO, por exemplo. Repara, mesmo ao nível dos mais caros da Xiaomi, é fraco quando comparas com o mesmo nível da Huawei ou Samsung. E não tem dado assim cartas, porque com o investimento que fez no nosso país, principalmente me lojas físicas, o mercado não tem crescido como seguramente eles previam. E com o crescimento de outras marcas no segmento do “baratinho”, a Xiaomi começa a perder o seu grande trunfo.

      Agora, o mal das marcas Android é estarem presas à Google, que indiretamente, como foi o caso da Huawei com as sanções, pode condicionar uma empresa globalmente. Tanto é que a própria Samsung já fez várias tentativas de cortar amarras, como apostou com o seu Tizen nos smartphones e mais recentemente no smartwatches.

      Agora não há dúvida que a Huawei tem seguramente das melhores relações preço qualidade nos vários segmentos de preços e de produtos.

      • david says:

        eu acho que o mundo esta mais dependente da Microsoft e da google, Apple que outra coisa, e não e tanto a paranoia da invasão chinesa, e a europa a ver navios já devia ter criado SO, ou algo que competir com EUA e China, mas não sempre numa de passiva depois admiram se que são espiados, pelos EUA.

        • Vítor M. says:

          Repara, no software o mundo está dependente dos EUA, com os principais sistemas operativos a outras plataformas a dominar os computadores e dispositivos em geral. No que toca ao hardware é a Ásia que tem o controlo. Aqui a questão é saber quem consegue ter uma mercado se estes países fecharem as “fronteiras”. A Europa não tem quase nada, depende dos americanos e asiáticos, apesar de ter um mercado muito vivo e eclético, os americanos estão a fazer agora o caminho inverso, estão a incentivar as suas grandes empresas a tirar da Ásia o fabrico co hardware, dando incentivos para se colocar o fabrico em países como o México, como o Haiti, e outros países mais pobres mas na América do Norte. Já no caso da China, nos últimos anos tem havido incentivos para desenvolverem o seu próprio software, principalmente para não precisarem do software da Microsoft ou Google, o que se tem mostrado muito difícil. Basta ver a enorme dependência que têm ao Android. Portanto… está assim o mundo e é interessante perceber estas movimentações.

      • SSD says:

        Terei de discordar no caso da OPPO, principalmente a nivel de preços estão a por-se num patamar que para mim ainda não atingiram nem de perto, pelo menos no mercado europeu que é bastante diferente do chinês e/ou asiático no geral.

        • Vítor M. says:

          É o material e a filosofia da empresa. Sabes que eles não dependem das vendas dos equipamentos, são o maior fabricante chinês. Por isso oferecem qualidade e ao preço que podem para ter lucro. Depois as pessoas se querem algo bom e durável, compram OPPO, se não querem, há outros. Eles é que não querem esmagar preços para trocar telefones por dinheiro, como faz a Xiaomi, entre outras. Por exemplo, a Xiaomi por mais que uma vez disse que com telefones baratos não consegue ser uma empresa sustentável, por isso começaram a lançar equipamentos mais caros, para tentar is a um segmento de mercado onde há mais dinheiro e, por sua vez, gera mais lucro.

          • SSD says:

            Sim, não discordo disso e vindo da mesma empresa da OnePlus podemos esperar bons produtos, agora quando os topo de gama se posicionam ao nivel de preço do s21 ultra ou do 12 pro, parece-me um pouco exagerado

      • Celso R says:

        “A Xiaomi é de fraca qualidade quando comparas ao nível dos equipamentos da Huawei, Samsung ou OPPO”

        Confesso que não estava espera de uma declaração destas, especialmente tendo em conta alguns artigos bastante favoráveis neste próprio site acerca da marca, mas aceito que seja a tua opinião pessoal…

        Mas, já agora, a título de curiosidade, em que é que um Mi 11 Pro ou um Mi 11 Ultra é pior quando comparado com equipamentos de preços semelhantes da Samsung, Huawei ou Oppo.

  2. Nuno Fernandes says:

    mesmo assim cada um faz o que quer mas entre pagar 500 € por um telefone ou 1000 por um que faz quase a mesma coisa ainda que mais “bonito” e mais rápido a escolha é óbvia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.