Quantcast
PplWare Mobile

Comissão Europeia quer mais mulheres na Tecnologia

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Marisa Pinto


  1. José António says:

    Talvez a microsoft precise de mulheres a trabalhar na tecnologia, com a notícia que recebi hoje sobre a BUILD 2014, não fiquei muito contente 🙁

    Microsoft cancela o lançamento do Windows Phone 8.1

    Fonte: http://www.wphone.pt/2014/04/microsoft-cancela-o-lancamento-do.html

  2. FDA says:

    o haver lugar para elas no mundo da tecnologia sempre houve e sempre haverá. só não há mais simplesmente por falta de interesse da parte delas. assim como mecânica, electrónica e outras áreas que é raro ver mulheres. quiseram igualdade de direitos mas não gostam de sujar as mãos

    • Pedro Pinho says:

      Também acho que tens razão. Nunca ninguém proibiu ninguém (estou a falar depois do 25Abril) de escolher a profissão que quizesse. Agora, tal como a MAIORIA dos homens prefere futebol, a MAIORIA das mulheres não prefere.
      Creio que exista profissões/interesses especificos de homens e de mulheres. E alguns sobrepoem-se. Agora somos todos diferentes, tal como o anuncio dizia: “todos diferentes, todos iguais”.
      Estou cansado de dizerem que as mulheres tem que ser iguais aos homens… Não têm!
      Têm sim é de ter os mesmos direitos. Isso sim.

      • Marisa Pinto says:

        Concordo que não temos que ser iguais, aliás isso é humanamente impossível, temos, de nascença, comportamentos diferentes.

        No entanto, o interesse por determinada área também é fortemente condicionado com a estimulação feita na fase de desenvolvimento (infência até à jovem-adultez), pois aos meninos damos carros, às meninas damos bonecas, e ambos são educados/ensinados e portarem-se de determinada forma segundo o género e a terem gostos diferentes (rosa/azul, por exemplo)

        ehehe, Eu adoro informática porque desde pequena que trabalho com esta área, desde os meus 11 anos, por aí, porque o meu irmão era/é doido por tecnologia e eu fui aprendendo a gostar e a saber ‘mexer nos computadores’.

    • Marisa Pinto says:

      Pegando nesse exemplo, também não se vê muitos homens a lavar a louça, limpar a casa, passar a ferro, eheh também é uma forma de sujar as mãos eheh

    • lmx says:

      pois, isso é uma realidade, aquelas “unhas compridas de gato”, não dá para manter em algumas profissões…

      Mas existem cada vez mais mulheres destemidas, que avançam tecnologia a fora, da mesma forma que os homens, e eu tiro-lhes o chapéu por isso…até porque não é fácil impingirem-te bonecas e coisas femininas desde criança e depois desenvolveres gosto por coisas “hardcore”, como a informática, ou ainda mais hardcore, electrónica, etc

  3. Manuel says:

    Na minha modesta opinião são elas que tem de mudar de mentalidade e não o contrário.
    Passo a explicar, aqui em casa tudo o que meta alguma tecnologia é deixada para mim ou para o meu filho sem o mínimo de esforço da parte delas. Às vezes até parece que fazem de propósito…
    E olhem que eu sou daqueles homens que defendo que tudo deverá ser partilhado sem preconceitos nenhuns. Não tivesse eu uma filha que desde sempre a incentivei a fazer de tudo um pouco sem tabus e regras de isto ou aquilo é para homens. Nunca o fiz mas parece que existe algo genético que as repele destas áreas mais tecnológicas.
    Por isso digo que são vocês que também tem de mudar de paradigma.

    • Marisa Pinto says:

      Sim, concordo totalmente, mas no artigo também fala no incentivo a elas, e não na consciencialização deles 🙂

      Eu adoro trabalhar com tecnologia, é mesmo uma paixão já de muitos anos, e gosto até de ensinar a rapazes, ehehe, sim porque por se ser rapaz não significa que saibam de tecnologia, acreditem que há muitos nabos!! ehehe

  4. EacHTimE says:

    Querem tornar as mulheres em homens à força… ridículo.

    A paranoia da igualdade de tornar as mulheres com bigode e os homens com ancas largas torna proporções patéticas e tem consequências graves para a sociedade.

    Uma coisa é dar liberdade de escolherem o q quiserem.. outra é forçarem. Cada vez é mais difícil encontrar mulheres femininas.. não tornem ainda mais difícil sff

    • Marisa Pinto says:

      WHAT???
      Nada disso… eu sou mulher, e bem feminina, e no entanto apesar de ter muita pena de não ser formada em informática, tenho imenso orgulho de poder trabalhar nesta área que é uma das minhas grandes paixões deste muito pequena.
      Ninguém está a forçar, apensa estão a incentivar que é completamente diferente.
      Eu adoro a minha profissão, mas a informática para mim faz parte da minha vida e tomara eu hoje ter € e tempo para fazer formação em informática…

      Mulheres na tecnologia nada a ver com não serem femininas.. mas nada mesmo… 🙂

  5. tek says:

    Venham elas! É entediante trabalhar numa sala só com gajos!
    =)

  6. Sergio J says:

    “Existem mais mulheres que homens a abandonar o sector informático a meio da carreira”

    Estamos a falar em valores ou percentuais?

  7. Ruben says:

    Não estamos a falar de uma diferença “mental” mas sim física. Porque o cérebro da mulher é mais dotado para um determinado tipo de funções e o homem para outro… Nunca poderá haver igualdade por mais que queiram.

    • Marisa Pinto says:

      O cérebro também é educado, moldado, estimulado, e apesar de algumas diferenças anatómicas/fisiológicas do cérebro, a forma como somos educados e estimulados na fase de desenvolvimento é por vezes um factor decisivo para os nossos interesses

    • Nelson says:

      E depois?

      Este ramo exige uma multitude de skills…

      Além disso, a pré disposição do cérebro feminino é muito útil em muitas áreas.

    • lmx says:

      Eu acho que tens razão Ruben, mas isso não deve impedir uma Mulher ou um Homem de ter a profissão que gosta.

      E é o que a Marisa diz, que a educação do cérebro, experiências vividas em criança, etc, moldam uma pessoa em determinado sentido…apesar das limitações humanas que existem obviamente…

  8. FOAD says:

    É apenas uma questão de educação, tal como todos os restantes chamados “papeis tradicionais”.
    Tenho uma sobrinha que tem 5 anos e desde cedo que a tenho tentado despertar para o interesse pela ciência e tecnologia.
    Assim como eu, a profissão da Marisa não é informática, mas não significa que a impeça de adquirir e divulgar literacia científico-tecnológica.

  9. Nuno Peixoto says:

    If you know what I mean

  10. Rui Pt. says:

    Nada contra as mulheres nas TI, a questão é que a área não lhes desperta assim tanto interesse como aos homens. E não é só nas TIs, mas nas Engenharias/Tecnologias em geral. Os homens e as mulheres são diferentes logo é natural que estejam vocacionados para sectores diferentes, sem que isto ponha em causa a igualdade de direitos.

    Agora o slogan “A tecnologia é demasiado importante para ficar entregue aos homens” é vergonhoso, sexista e insultuoso. A autora de tal façanha deveria já estar deminida.

    Imaginem que um comissário para a educação lança-se uma campanha de incentivo aos homens com o seguinte slogan “A educação é demasiado importante para ficar entregue às mulheres”… Certamente rebentaria um escândalo e com toda a razão de ser.

    Por isso que acho ridículo quem ainda diga que o feminismo é bom e o machismo é mau. Tem tanta lógica como dizer que o estaline estava contra o hitler, logo era um homem bom…
    Teremos uma sociedade mais justa para ambos os géneros quando ambos aceitarem as suas diferenças e se aceitarem como tal, nunca com estas guerrinhas dos sexos em que um se tenta superiorizar ao outro, muitas vezes indo até reclamar os aspectos negativos do sexo oposto para si de modo a o usar como arma…

    Sei que é 1 de Abril, mas também que isto, infelizmente, não é uma partida de mau gosto. Aliás, a notícia já nem é propriamente fresca pois já tive o (des)prazer de a ler no Tek.

    • Rui Pt. says:

      Correcção: “deminida…” não. Queria dizer “demitida”…
      Talvez por isso que eu não seja professor de Português e essa área seja dominada pelas mulheres. 😉

    • Marisa Pinto says:

      LOL….
      Mais não posso dizer…

      Não fiquem com medo, nós apesar de sermos boas no que fazemos, não vos vamos roubar o lugar… Mas devias pensar outra forma, just saying 😉

  11. Zefra says:

    Depende onde se trabalha. Eu por um lado ando farto desta coisa da paridade etc porque em muitos locais o que não faltam é mesmo isso.
    Onde eu trabalho são mais mulheres que homens. E muitas posições de liderança são elas (é por isso que isto tá como tá).
    Brincadeiras de parte! Depende sempre do interesse de cada um. Vao lá ver as lojas de moda. Normalmente são mulheres e os do costume. Na informática a maioria são gajos. Acho muito natural.

  12. André says:

    Acho que para as mulheres estarem a par dos homens na tecnologia ainda falta um bocado, penso que mais em questão de mentalidade da forma como vêm a coisa.
    Trabalho todos os dias no sector das IT e com mulheres e a diferença entre os homens e mulheres é grande, apesar de conhecer tambem boas mulheres nas IT. Mas penso que os homens se mantêm a frente porque a tecnologia não é só para eles a fonte de rendimento ou o seu trabalho, mas sim a sua paixão o seu hobiem e é essa diferença que se nota no dia a dia, claro que afecta tambem a sua evolução a nivel profissional.

    • Eduardo says:

      WTF?
      O grande problema é que existem pessoas que pensam assim. Os homens vão trabalhar para IT porque é a sua paixão e as mulheres vão porque é uma fonte de rendimento?

      Onde é que foste buscar isso? é que não faz sentido nenhum

  13. lmx says:

    hehehe,

    Vou começar pela pior parte, do meu comentário…

    “A tecnologia é demasiado importante para ficar entregue aos homens”

    Eu acho a campanha demasiado redutora, para o género masculino, e demasiado feminista.
    Eu não acho o machismo nem o feminismo, coisas positivas, porque elas são os extremos, em qualquer um dos casos, existe sempre a depreciação do outro género, e eu acho isso mau.

    Concordo que estar numa sala e olhar para o lado, e ver homens por todo o lado, e ainda por cima no verão, que em muitos locais andam com alguma parte do corpo destapada…braços ou pernas parcialmente…é horrível!!
    É altamente desmotivador… 😀

    A parte boa…com um colega homem é fácil trabalhar!!O homem devido a sua natureza mais “terra a terra”, e mais fácil haver um entendimento… e por norma são mais leais como colegas,e mais respeitadores.

    Ter mulheres num grupo de trabalho é bom, porque de alguma forma eu acho que elas trazem um ambiente ao grupo que não existe apenas com homens…e este ambiente pode trazer ganhos até do ponto de vista social, sendo que a mulher apesar de estar a caminhar para algo parecido com o homem, ainda consegue trazer um ambiente relaxante a qualquer grupo de trabalho.

    mas por outro lado é um pesadelo…

    Porque muitas gostam de se exibir com grandes decotes, ou com roupas menos apropriadas, despertando o lado animal de qualquer homem(isso é injusto!!), e isto desestabiliza e muito, quando uma pessoa tem uma coisa complexa para fazer, que precisa estar concentrado…é complicado!
    Esta luta constante de termos de estar a fazer um esforço…é terrível…

    Como se isto não bastasse, ainda existe depois os “mind games”, típicos das mulheres, que conseguem destruir até o bom entendimento entre colegas…dão 10-0 a qualquer homem normal 😀 .

    Se houver um comportamento honesto(porque algumas mulheres são mesmo especiais no bom sentido), e um uso de roupas apropriadas(extremamente importante), nesta situação, sejam bem vindas, que eu já estou farto só de ver homens a volta 😀 , além do mais a diversidade pode trazer coisas boas.

    Gostava de ver mais mulheres no mundo informático, e tiro o chapéu aquelas que avançam neste mundo maravilhoso!

    PS: Adorei a foto “not_my_boyfriends_computer_thumb.jpg”(logo a primeira), está BRUTAL 🙂 !!

      • lmx says:

        A sério Marisa, desde que não se ultrapasse determinados limites e desde que se cumpram determinadas regras, para mim tudo bem, até acho que é benéfico!

        Não é ao acaso que muitas empresas tecnológicas optam por ter colaboradores de diversos países e raças…propositadamente, porque a junção de vários ideais, faz a diferença, e o mesmo se passa entre homens e mulheres.

        Á coisas mesmo maravilhosas, no ser humano, e as diferenças de cultura, etc, são fascinantes…

        Se me deres código escrito por um chinês, e por um Americano, existe uma grande probabilidade de te dizer quem é que escreveu o quê…

        O chinês por norma tem apetência para optimizar as coisas a níveis difíceis de igualar por outro individuo de outra cultura…faz parte da cultura deles…uma casa do tamanho da minha cozinha, dormem em 1 metro quadrado, etc,etc…esta-lhes no sangue como se costuma dizer 😀

        Já o americano, é um pirata e para revolucionar e resolver problemas que ás vezes fazendo da forma correcta não dá, e eles dão a volta de outra forma…”são os maiores”…porque o Pai do capitalismo selvagem é a América, …”piratas até dizer chega” 😀

        Da mesma forma juntando Homens e Mulheres seja em que área for, pode ser muito produtivo…

  14. Diogo Pereira says:

    O feminismo existe e está bem vivo! Sou da opinião que oportunidades devem ser o mais justas possíveis para todos! Só que estamos a cair no ridículo de forçosamente tornar mulheres em homens e vice-versa. Essa mentalidade vai contra a produtividade e profissionalismo. Trabalho numa empresa de tecnologia, tem muitas poucas mulheres, mas as que há, parece que caíram de para-quedas, ou seja tiraram o lugar de profissionais competentes por causa dessa mentalidade. Eu adoro mulheres, mas a que saber separar as coisas, trabalho é trabalho, diversão é diversão.

    • lmx says:

      Eu percebo o que dizes, e já vi muita coisa, mas há mulheres super competentes, e muito dedicadas, e estas não teem culpa das outras…

      Quanto ao facto de a sociedade estar a tornar homens em mulheres e vice versa, isso é um facto, que a longo prazo não me parece positivo…
      quero dizer existem vantagens numa aproximação ligeira(como o respeito pela outra parte, etc), mas quando a coisa se aprofundar mais, vai ser terrível…

      Já há homens que se depilam nos dias de hoje…nem vou aprofundar mais…

    • Marisa Pinto says:

      Não podes julgar a maioria por uma simples amostra não significativa 😉

      Há homens melhores que a mulheres em profissões maioritariamente femininas como culinária, moda, maquilhagem e cabeleireiros. 🙂

  15. Fornost says:

    demagogia … pensei que só aqui tivéssemos isso, meus amigos europeus, tomem cuidado…

    https://www.youtube.com/watch?v=ks0THJBPwpk

  16. Cris says:

    >Criado por Marisa Pinto

    LOL Mas que surpresa!
    E que tal se vivêssemos numa meritocracia, em vez de favorecer pessoas por terem nascido com uma vagina, ou em outro país?
    A realidade é que antes deste movimentos da treta, haviam apenas cunhas (non gender biased) e/ou mérito. Estes movimentos parvos apenas indicam que os participantes, neste caso as mulheres, necessitam de requerimentos inferiores, um empurrão, para chegarem ao mesmo nível dos homens.

    Antes que me venham insultar, lembrem-se que não existe tal coisa como igualdade, e que mesmo entre sexos, ambos têm pros e contras diferentes.

    • Marisa Pinto says:

      criado por Marisa Pinto e então? Ainda bem que me segues e me lês, obrigada!

      O post nada tem a ver com ser eu ou não a escrever, mas adiante.

      Concordo que as pessoas sejam escolhidas pela capacidade/competências e habilidades mas o que vemos não é bem assim, e a maioria das empresas se tiverem que escolher entre um homem e uma mulher, mesmo que a mulher tenha mais capacidades, escolhem o homem porque, infelizmente, para a sociedade ‘fica melhor’. E sabes que isto é verdade. As mulheres até ganham menos.

  17. Ana Rodrigues says:

    Como mulher que estudou e trabalhou MUITO, acho tudo isto altamente ofensivo. Eu estou neste momento numa grande multinacional no sector das telecomunicações, tudo fruto do meu esforço. Não precisei de colo nem fui discriminada nunca. Tudo o que tenho foi fruto do meu trabalho. Repugna-me profundamente tudo o que é iniciativa deste pois desvaloriza-me completamente e trata-me como um ser inferior QUE NÃO SOU.

    • Marisa Pinto says:

      Acho que não é bem isso que a iniciativa quer, é mais um incentivo, como há vários noutras áreas.

      • Ana Rodrigues says:

        Lamento Marisa mas na minha opinião tudo isto é absolutamente grotesco. Eu estou num bom cargo numa empresa tecnológica devido ao MEU SUOR, não quero ter que ouvir bocas tipo “ah, agora as mulheres também querem trabalhar em tecnologia, tá na moda”. SEMPRE fui respeitada pelos meus colegas, SEMPRE.

    • Ro301 says:

      E porquê que estão tão preocupados com as mulheres num momento de crise? Será por acreditarem que as mulheres são mais burras que os homens e precisam de um emporram? Ou por outro lado é por pensarem que por serem mulheres lhe barram as entradas?

      Ou será que não é nenhum dos dois…

      Os nazis deixaram de matar os judeus com munições (e não balas porque balas são pastilhas) por piedade… Ou então foi porque ficava muito caro.

      Ás vezes precisamos de sair da corrente e olha-la de outra prespetiva para compreender a intenção da medida. Que assim como as cameras de gás não traz qualquer beneficio para a sociedade.

  18. K0izo says:

    Estas campanhas feministas já começam a meter uma certa impressão: “A tecnologia é demasiado importante para ficar entregue aos homens”. Se fosse uma slogan que verdadeiramente promovesse a igualdade usariam antes “…apenas/só aos homens”.

    É verdade que não há muitos incentivos e razões culturais para que as mulheres sigam para uma carreira de engenharias electrotécnicas, informáticas, etc… Mas o certo é que vejo muitas em Eng. Civil, Eng. Ambiente, Informática de Gestão e até muitas que tem formação em outras áreas como Economia e Gestão que singram na carreira em empresas tecnológicas. E já para não falar que na área da saúde tanto em cursos como em desenvolvimento e investigação já começa a ter muito mais mulheres que homens! Logo não posso concordar com este estudo.

  19. CMatomic says:

    E a culpa é dos homens ?
    Não , na minha opinião a culpa é das próprias mulheres , estar a por a mulher mais uma vez no lado vitima é errado , pois neste caso , sabe-se muito bem que grande parte das mulheres estão muito afastas na criação das tecnologias ,estão mais preocupadas com o seu aspecto social e no relacionamento social do que com o pensar do desenvolvimento tecnológico.
    Isto tudo tem haver com este planeta em que vivemos , ou seja Macho e Fêmea .
    Há dias que entristece ver o outro membro da espécie humana , se valorizar tanto pelo seu aspecto físico , vestindo-se de maneira provocativa ” não é que não gosto de mulheres , mas o meu lado racional diz-me estas coisas ” , as mulheres e não só , pois isto é um problema social e cultural da espécie Humana , na qual eu me inclui , mas se as mulheres querem desenvolver tecnologias , têm ser mais simplistas nas atitudes e serem Mulheres adultas , pois neste mundo existe algumas Mulheres que são adultas nas suas atitudes e reacções , pois são essas que conseguem construir algo por si mesmas, e que não querem ajuda do sexo masculino , e não têm uma atitude de se venderem ou de se promoverem-se por aquilo que são , ou seja Fêmeas .
    Em Portugal temos grandes cientistas na área da medicina , pois o desenvolvimento da medicina também é tecnológico .
    Grande parte cultura feminina tem que mudar , para que haja uma igualdade no desenvolvimento tecnológico .

    Mas as mulheres sempre tiveram um papel muito importante no desenvolvimento tecnológico , ou seja , nós homens desenvolvemos mais a tecnologia , mas sem uma boa logística , não criávamos nada .

  20. José Simões says:

    Bem vindas sempre.

    Forçar, para quê?

  21. sakura says:

    para quem os tem de aco http://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7o ……..

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Prensa_hidr%C3%A1ulica

    so e pena nao ter o botao ligar pq ………………………………………………………………

  22. Ro301 says:

    Cada vez que vejo este tipo de argumentos lembro-me sempre do deficiente que colocaram no atendimento ao publico na biblioteca da minha terra atravez de um programa. Lembro-me que é um péssimo funcionário pois trata com desrespeito as pessoas.

    Lembro-me sempre do Crato e nas suas turmas para crianças especiais. Em nome deles cometem um grave preconceito contra eles.

    Assim é com as mulheres. Não se deve dizer que faltam mulheres ali ou acola. Isso é politica e jogos de politica. Se as portas também estão abertas para elas então tem de partir do esforço pessoal de cada uma trabalhar naquelas áreas.

    Dar um lugar a uma mulher por ser mulher só mesmo politicos com más intenções. Uma coisa é certa, são mais fáceis de manipular. É mais fácil ter uma ministra das finanças que está habituada a obedecer sem criticar. Estou a ser magista? O mundo é como é infelizmente é a verdade se não vos dizem a verdade é porque sabem que vocẽs não estão perparados para a ouvir.

    Há mas nem todas são (…) pois não ninguém disse que são todas. O problema fundamental aqui é querer desvalorizar os postos de trabalho em nome de uma falsa preocupação. As pessoas devem ser colocadas pela sua competẽncia e não pelo seu sexo, religião ou ideologia. São fundamentos básicos que a europa e o mundo de volta e meia se esquece… até estourar uma bomba. É assim que começam as regras, quando nos esquecemos da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.