Quantcast
PplWare Mobile

Cientistas estarão perto de lançar um medicamento que cura a diabetes tipo 1

UM PROBLEMA GLOBAL DE SAÚDE PÚBLICA

A diabetes é a doença com maior prevalência no mundo: afeta 430 milhões de pessoas. Destes, aproximadamente 95% são do tipo 2 e 5% do tipo 1. Enquanto o diabetes tipo 2 geralmente ocorre em adultos com obesidade e pode ser controlado com perda de peso, o tipo 1 é uma doença auto-imune que não tem cura e requer a injeção periódica de insulina. Nem sempre se manifesta na infância, uma vez que pode aparecer em adultos após uma forte reação imunológica, por exemplo, após uma infecção ou acidente.

Em Portugal, os últimos dados apontam para mais de um milhão de diabéticos. A doença afeta mais de 13% da população portuguesa.

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Fabio says:

    vou fazer figas para chegar daqui a uns anos…

  2. Ricardo Martinho says:

    A melhor noticia de sempre que o Pplware me podia dar desde que vos acompanho (desde 2009)!
    Vou aguardar ansiosamente pois faço parte da lista Portuguesa.

    • Tiago says:

      Verdade 🙁 cá aguardamos e espero que seja mesmo a sério desta vez….

    • Bob says:

      Também sofrendo de uma doença sem cura, espero que estes cientistas tenham sucesso. Ao menos saber de um avanço para pessoas com diabetes tipo 1, já é progresso.
      Mas, é preciso lembrar, que por norma, demoram anos até chegar à fase de testes em seres humanos, e depois, chegar ao mercado regulado.

    • marco aurelio da costa bastos says:

      Boa tarde
      Vi seu comentário no site pplware e vi que vc comentou que faz parte de uma lista em Portugal.
      Será que vc poderia me falar mais sobre isso.
      Acabamos de descobrir que meu filho de 6 anos é diabético tipo 1 e estamos meio perdidos com relação a isso tudo.
      Tem como participar dos testes em Portugal?

  3. Fatima Isabel Capelo says:

    Boa

  4. Zeze says:

    Num mundo com tanto bilionário, não há ninguém que faça o investimento? Até a própria UE devia de dar 100 milhões para estar já disponível dentro de um ano!

    • Hugo Gomes says:

      Oh nao interessa, quanto mais insulina venderem melhor

    • Nuno says:

      Como é óbvio, não se vai do estudo de uma substância a um medicamento em apenas um ano. Ainda existem muitos outros testes a ser feitos, como testes clínicos em ratos, e depois em humanos, estudar os seus efeitos adversos,… antes de ser disponibilizado ao público.

    • Kekes says:

      Não funciona assim. In vitro é diferente de in vivo. O que se passa é que as coisas demoram o seu tempo, se fazemos tudo à correr passam coisas como os laboratórios Bial tiveram com o derivado do cannabis. Não podem morrer pessoas.
      Isto do quase existe porque a maior parte destes estudos voltam para a gaveta pois não funcionam como esperado. Se tudo correr bem temos fármaco em 4-5 anos. São etapas que não se podem ultrapassar para segurança das pessoas.

    • pois..... says:

      Se soubesses os rios de dinheiro que se gastam neste tipo de pesquisas tavas caladinho 😀
      Agora se disseres que existem certos lobbys que atrasam o lançamento e disponibilidade deste tipo de vacinas, ai já concordo mais 😀

  5. Dave says:

    Andamos há anos no “estamos perto”, está quase”, “vem ai” e nunca dá em nada no que toca a curas para doenças lucrativas..É mais uma para a gaveta.

  6. Kekes says:

    Lamento tirar esperanças mas este tratamento não irá curar diabetes tipo 1.

    Quem já a tem não terá qualquer efeito, só em pessoas que começam a desenvolver a doença poderá ter efeito ao evitar progressão da doença ou mesmo atrasar a insulinodependencia.

    O único futuro para as pessoas DM1 nos dias de hoje é o transplante de células pancreáticas e ainda com sucesso limitado, mas que creio que no futuro as coisas melhorem e fármacos deste tipo podem ter um papel importante.

    Este é o típico problema dos meios de comunicação, que um faz um título sensacionalista e os outros que o usam como fonte replicam o erro, por isso não vemos resultados para a maior parte dos “quase” e das “curas”.

    • Oscar says:

      Olha temos um cientista acreditado pelos 5 melhores mecãnicos da Europa….

      • Kekes says:

        Lol, lê o estudo, e se souberes como funciona a diabetes tipo 1 saberia que o que estou a dizer é verdade, não podes criar algo que não existe. Claro que o artigo jornalístico e as declarações são feitas para conseguir fundos, então pintam a coisa como fantástica mas se lês vês bem que não conseguiram em vitro curar nada apenas atrasar a doença.

        Quem trabalha em saúde sabe perfeitamente como funcionam estes artigos e estudos preliminares e está farto que os resultados finais sejam apenas medíocres. É o pão nosso de cada dia.

        E não acreditas no que te digo, lembra te de em 5 anos ver como progressou este estudo, garanto que os resultados não vão ser tão fantásticos como tu pensas…

        Ahh,uma acreditação não serve de nada, mas um mestrado na área habilitam uma pessoa a saber a realidade dos estudos e a interpretar estudos 😉

        • Vítor M. says:

          Nenhum medicamento/tratamento acontece sem o caminho normal. Este caminho descrito é o normal e, tal como noutros casos, acabará por resultar no que está no objetivo. Se leres o artigo e as declarações dos responsáveis e envolvidos, eles não falam num futuro próximo, eles falam a longo prazo, mas tudo é assim na área da saúde.

          • kekes says:

            Exatamente Vitor, concordo absolutamente. A coisa é que eles dizem, “necessitamos de mais 17M€ e temos o fármaco em 5 anos cá fora”, o que é impossível de prever. É puro “markting” para conseguir financiação. Depois a vossa fonte usa termos como “curar” para causar impacto. Curar é diferente de tratar, que é o que eles vão tentar fazer num primeiro passo, tratar a DMT1 e evitar a progressão da doença, que é o que eles conseguiram em vitro segundo o seu próprio estudo.

            O estudo, muito bom! A parte jornalística do ElMundo não satisfaz, cria demasiadas expectativas falsas.

    • ffff says:

      e baseia a sua opinião em que factos cientificos? Ou é só “eu penso de que”

  7. pedro says:

    são boas noticias … agora falta para a Diabetes Tipo 2 … mas deve ser mais difícil em termos de prioridades, já que a Tipo 1 deve dar muito mais lucro ás farmacêuticas ….

  8. Simone says:

    Este estudo não está sendo divulgado como uma cura para a DM1, não podemos perder a esperança de um tratamento novo, mais confortável. Tudo no tempo necessário.

  9. Simone says:

    O estudo fala de regenerar as células produtoras de insulina, então porque não podera tratar quem já tem DM1, Kekes?

  10. jaime dias says:

    no dia que vier a cura da diabetes ai sim no dia 14 de novembro vou festeja-la.

  11. Becker says:

    Hahaha sou diabético tipo 1 e nasci dia 14 de novembro.

  12. J. M. Tomaz says:

    Ñ nasci com Diabetes e há cerca de 10 anos contraí esta maldita doença, que apesar de tratamento pouco tempo depois, progrediu para Tipo 1. Sofre-se muito. A esperança é a última a morrer e, vamos torcer para que ñ demore muito.
    Vou aguardar ansiosamente que os resultados sejam favoráveis a uma cura. Para ambos os Tipos.

  13. guilherme says:

    Sou diabetico tipo 1 ha 58 anos e tenho 73 de idade.
    Ja nao vai ser no meu tempo.
    Quando me apareceu a doença (aos 15 anos) o medico disse-me:
    Ouça menino ” so dois tipos de pessoas curma a diabetes: o charlatao e o cangalheiro-

  14. Andreia says:

    Tenhos dois filhos com diabetes tipo 1 se for verdade era a melhor coisa que pudia acontecer um deles descobri que tinha diabetes tipo 1 tinha 7 anos agora já tem 23
    De pois de 13 anos tive outro filho e quando tinha 7 anos descobri que também tinha isto é orrivel para uma mãe é um desespero muito grande eu espero que esse milagre aconteça

  15. Fernando Fernandes says:

    Muito interessante boa sorte

  16. Teófilo Ribeiro says:

    Tenho diabetes, há 32 anos tenho agora 50 anos espero do fundo do coração que consignarão a cura, muito obrigado pelo esforço.

  17. beatriz says:

    Eu sou Diabetica 1. É-me impossivel controlar a diabetes, durante um dia e um noite os valores sobem para mais de 500 e baixam para 30 , mais de 3 vezes por dia, tendo em conta que com 30 morre-se, quase não durmo para não acordar nos cuidados intensivos. animadamente, nunca penso em morte, que é duro é mas não nos podemos entregar. Estou a pensar no transplante de células pancreáticas para o fígado mas nas minhas investigações, encontrei um problema , a pastilha que o transplantado em que tomar para o resto da vida pode ser cancerígena, ou seja ou é da doença ou é da cura. Se tiverem alguma informação sobre este assunto eu agradeço a ajuda.

  18. Pedro Tadeu Jordão says:

    hoje dia 06 de outubro de 2020 , gostaria de saber como está o andamento dessa pesquisa ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.