Quantcast
PplWare Mobile

Cidade portuguesa vai ter projeto pioneiro de injeção de hidrogénio verde

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Redin says:

    Anseio poder ainda assistir no meu tempo de vida útil a esta revolução tecnológica da energia.
    E para quem vier contrapor com “Lóbis” aqui ou acolá, eles também existem nos combustíveis fosseis mas prefiro ter os primeiros. Não que os deseje.

    • Ricardo Gomes says:

      essa ja esta a acontecer com paineis solares em casa para producao propria + carros electricos, o resto com o hidrogenio ja te expliquei que isso nao vai acontecer e alias nem percebo porque razao alguem quer um sistema de producao e distribuicao… ja agora hidrogenio verde como o artigo diz nao existe… é outra campanha de marketing

      • Zé Fonseca A. says:

        Tenho painéis solares em casa e lg Chem para armazenamento, maioria do ano não tenho custos de electricidade. De qualquer forma isso será apenas possível para uma pequena percentagem mundial, não só por falta de condições como por falta de capital de investimento. Mesmo que isso fosse possível pra todos enfrentarias um problema gravíssimo de falta de matérias primas assim como uma elevação dos níveis de poluição para valores 1000 vezes superiores ao dos combustíveis fósseis.
        Hidrogénio verde é obtido através de energias renováveis e é mais verde e menos poluente que qualquer outra fonte energia, tirando claro o nuclear que é a energia mais limpa e com um life span maior.

  2. luz says:

    o hidrogénio sim …é uma verdadeira alternativa ecológica

    o elétrico seja nos painéis, seja nos carros é apenas um protótipo que nada tem de verde

    • ToFerreira says:

      Como é obtido o hidrogénio?

      • Redin says:

        Não se deve olhar para o hidrogénio sob a perspetiva de locomoção motora para veículos. Isso apenas é um aproveitamento que em ultima análise vai muito mais para além da sua função motora. Os resíduos e poluição são zero.
        Mas o seu maior trunfo está destinado ao armazenamento de energia que de outra forma se torna com as baterias muito oneroso, volumoso e com questões a longo prazo difíceis de prever.
        As eólicas só funcionam quando há vento, avariam e o seu tempo útil de vida é ainda duvidoso sob a perspetiva do meio ambiente quanto aos materiais em fim de vida.
        As placas solares só funcionam de dia e mesmo assim a sua eficiência de depende do angulo de captação solar, manterem-se limpos de poeiras, a grande área de ocupação e novamente os materiais em fim de vida também deixam duvidas.
        De que adianta eu descobrir a “alquimia do ouro” se a sua consequência me faz perder a vida?

        • Ricardo Gomes says:

          não é possivel criar hidrogenio apenas com energias renovaveis… alem de bastante dispendioso nao é seguro o armazenamento do mesmo… muita gente compara o mesmo ao gas mas nao tem a minima nocao do que acontece em caso de explosao :)… igualmente, para armazenar 22kwh de energia precisas de gastar 100kw… nao ha nada…mesmo nada de positivo no hidrogenio… até as baterias menos eficazes no mercado, são mais eficazes.

        • Ricardo Gomes says:

          Zé Fonseca, eu não falo de cor como é o teu caso… Se não sabes volta para a escola.

          • Zé Fonseca A. says:

            Claro que falas, do que ouves no café, das teorias da conspiração do YouTube e das redes sociais, tens de te informar e não vir dizer baboseiras como o hidrogénio explodir… hoje em dia gasolina, etanol e gás natural representam um risco bem maior e estão presentes em todo lado.

          • Ricardo Gomes says:

            oh Zé, tu numca viste uma bomba de Hidrogenio na tua vida, muito menos sabes como sao construidas, quem as constroi, o pk dos 700 Bares, nem sequer sabes que nao consegues atestar um carro atras do outro e que existe um periodo de espera de 30min entre eles… e como ja disse o hidrogenio é altamente explosivo :), aora vai la, deixa de dizer asneira e volta pra escola.

          • Ricardo Gomes says:

            Armazenamento a 40 graus negativos, nao é o ideal para nenhum material, custos superiores a 1 Milhao por posto de carregamento e custos de manutençao de 100mil por ano…boa sorte a pagar o hidrogenio ao KG 😉

          • Eu says:

            Ricardo, como é que o tempo de carga entre viaturas demora 30 minutos? Que banha da cobra estás a tentar vender?

    • Nuno José Almeida says:

      Os carros a hidrogénio são eléctricos.
      A eficiência de um carro 100% eléctrico é muito maior à de uma a hidrogénio
      A energia para se fazer a electrólise da água é renovável sendo que é uma maneira de agir como uma bateria, produzir hidrogénio quando há excesso de produção eléctrica.

    • rjSampaio says:

      Não leste a fonte do hidrogenio pois não?

  3. Jota says:

    Tudo o que meter a Galp, é para chular os portugueses!

  4. jon@x says:

    Para mim esta é a melhor opção e só espero que os (des) governos não se aproveitem para nos chularem. Mas se o fizerem só teremos de sair à rua. Esta opção vai permitir-nos muito em breve de temos pilhas a hidrogénio que darão por longos anos energia para as nossas casas.

  5. Zé Fonseca A. says:

    Esta solução e o nuclear são as únicas alternativas viáveis para a descarbonizacao.
    O nuclear ainda consegue ser mais cost effective, ideal seria juntar as duas e ter um reactor nuclear a gerar energia para a produção de hidrogénio.

    • Ricardo Gomes says:

      Pois vamos gastar 100kw em gasolina para por depois 22 na estrada? Estes calculos sao de rir…até termos a Fusao, e se nao quieremos andar a pe ou de bicicleta, a unica solucao passa por: agua, vento e sol 😉

      • Zé Fonseca A. says:

        Passaria, se tivesses vidro, aço, betão, lítio, níquel, cobalto e fosfato para por todo o mundo a usar renováveis e se isso não fosse ter um impacto ambiental 1000 vezes pior que os combustões fósseis…

  6. Luís Silva says:

    Eletrólise da água? Vão acabar com a água parar os nossos netos?

    • Eu says:

      Mais um que lhe passou ao lado a aula de eletroquímica na escola.

    • Luís Silva says:

      Senhores professores então expliquem-me lá que se desdobrarmos a água em oxigénio e hidrogénio… onde é que continua a manter-se a água.

      • Eu says:

        Eu explico senhor aluno.
        A combustão do Hidrogénio dentro da viatura com o Oxigénio do exterior, tem como resultado agua. Ora aí tens um recurso renovável. Foi esta a parte que perdeste na aula.
        Por acaso a foto e o texto do artigo dizem tudo o que parece não te teres dado ao trabalho.

        • rjSampaio says:

          E por acaso a água gasta para fazer 1l de hidrogenio é a mesma que é criada ao gastar esse mesmo 1l?

          Anyway, conversa da treta…

        • Luís Silva says:

          Deixa-me rir antes que me esqueça! E as perdas?
          “Energia verde” é uma falácia. Lá porque a eletrólise da água é feita através de eletricidade obtida de forma natural, não quer dizer nada; e por estar em bandeirolas e rótulos, muto menos.
          Tu próprio disseste “A combustão do Hidrogénio…”; então se se há combustão de Hidrogénio, nunca a água formada pela combustão é igual à agua fornecida pela eletrólise. Também disseste “… com o oxigénio do exterior” – então queima-se oxigénio, o que também não é bom.
          Tendo em conta os biliões de carros e lares no mundo, é um desastre!
          Além de mais, sabe-se que para obter hidrogénio é preciso uma grande quantidade de eletricidade! O que não leva vantagem aos prejuízos tidos com as baterias.

          • Zé Fonseca A. says:

            Leva, porque podes armazenar. Além que água é o elemento que tens em maior quantidade, não estamos a falar de água potavel, estamos a falar de água do mar, não vais roubar água a ninguém no futuro.
            Só tens duas alternativas para a descarbonização, hidrogenio, nuclear, ou ambas. Não existem mais alternativas, e o nuclear é visto pelas populações como um bicho papão quando é a energia com menos mortes associadas.

          • Eu says:

            Ó caro Luis Silva, a palavra “combustão” dentro do contexto da frase que eu apliquei, é para ser lida com olhos de inteligente e não de burro.
            A combustão de que falei não destrói o componente hidrogénio como o carburante gasolina ou gasóleo. Ela permanece ate que essa “combustão” reaja com o oxigénio. Se queres ser assim tão picuinhas e incendiador de opinião, claro que nesse processo algumas perdas existem tal como a emissão de calor nesse processo mas é de tal forma pequena que nem dá para considerar.
            Aconselho-te a parares de respirar e fazes um favor ao mundo. Deixas assim de produzir CO2 com a tua respiração.

          • Luís Silva says:

            ó “Eu”, Estou a ver que és um intelejumento na matéria. Fica com a tua que eu fico com a minha

  7. Olavo Rasquinho says:

    É interessante esta discussão sobre energia verde. Estou de acordo que a fusão nuclear poderá um dia ser a solução , mas o grande problema consiste no facto de ser necessário electricidade para … gerar eletricidade. Por enquanto ainda não é rentável…

    • Eu says:

      Nenhum engenheiro de bancada poderá estar mais de acordo se pensarmos apenas por esse prisma.
      Gerar eletricidade para gerar eletricidade… para armazenamento. De noite as placas solares não funcionam como é óbvio e o vento nem sempre existe. Por isso é que é necessário armazenar em forma de hidrogénio porque atualmente não existe capacidade de armazenamento em baterias que satisfaça a procura e necessidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.