Quantcast
PplWare Mobile

Censos 2021: Saiba tudo em 10 perguntas e respostas

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Elektro says:

    Que fique para a história os responsáveis quando for demonstrada a descida monstruosa que os censos 2021 vão revelar

  2. Jose says:

    Não consigo encontrar informação sobre os idosos residentes em lares. Alguém sabe como se processa? Ou seja, têm a morada no local x mas residem no lar.

  3. Luis Henrique Silva says:

    a pergunta 5 não é bem verdade, para quem não sabe, para quem não tem internet, tem de ligar para um numero fixo, que não é gratuito.
    Muitas pessoas vão ter de pagar a chamada para poder preencher o formulário.
    Podiam ter feito um numero gratuito para o intuito.

    • Jamaral says:

      Quem actualmente têm um tarifário em que um simples numero fixo não é gratuito, é um iletrado digital, sem qualquer tipo de desprazia, apenas a constatação de um facto, para esses, as Juntas de Freguesia são a opção correcta.

      • António Lopes says:

        A inteligência nada tem relacionado – nem nunca teve, felizmente! – com a literacia digital.
        Desconhece V. Exª., seguramente, que há pessoas em Portugal, que não sabem ler nem escrever; pior, não têm telefone nem vontade para se deslocar a uma junta de freguesia para tratar de um assunto que lhe nada lhe diz. Simplesmente.

      • Maria Reis says:

        Os portugueses que estão em situação financeira vulnerável, mal têm dinheiro para comer, quanto mais para pagarem pacotes de serviços com internet, telefones, etc. Certas pessoas vivem num mundinho bem diferente daquele em que vivem milhares de portugueses. A vida encarrega-se de nos dar umas lições: tanto estamos na “mó de cima”, como podemos passar a estar na “mó de baixo”. Aí, passamos a dar mais valor às pessoas que enfrentam dificuldades, nomeadamente financeiras.

    • PALB says:

      É dirigir-se à junta de freguesia da vossa área, é grátis e até fazem um caminhada

  4. Nick says:

    Não percebo a razão de apenas começar a 19/04. Vai decerto bloquear os servidores. Mandavam as cartas a pouco e pouco e as pessoas iam preenchendo assim que recebiam. É mesmo burrice!

    • David Guerreiro says:

      Mas e alguém vai a correr enviar isso no dia 19? Se fosse o IRS, para receber algo, ainda entendo, agora algo que só dá trabalho e não se ganha nada… Acredito até que muitos acabem por esquecer disso.

      • Jamaral says:

        Pois acreditas…

        Segundo os nºs 2 a 6 do artigo 27º da Lei nº 22/2008 estão previstas coimas até 25 mil euros, no caso de se tratar de um particular, ou 50 mil euros, caso se trate de uma empresa.

        Também deves acreditar que o mundo é plano…

    • Nuno says:

      Burrice é comentar sem saber porque é que só começa no dia 19. Chama-se “momento censitário”. E não, não pode começar antes.

    • PALB says:

      Mas mandavam como, se é confidencial, para isso tinha de ter os seus dados e isso vais de contra ao que estão para aqui a defender

    • PALB says:

      Mas mandavam como, se é confidencial, para isso tinha de ter os seus dados e isso vais de contra ao que estão para aqui a defender

    • Há Cada Gajo says:

      Pois, mas isto não foi feito para tu perceberes. Aliás, disto percebes pouco. Podias simplesmente estudar o assunto em vez de seres mais um treinador de bancada.

      • PALB says:

        Sr. Há Cada Gaja, não sei se esta resposta acima foi para mim, mas já faço os censos às 20 anos e a intenção do trabalho é sempre o mesmo, as regras também, apenas se está a acompanhar as tendências, se queres ficar na era do papel, então responde a esta msg por carta.
        Sei mais do assunto na unha que cortei ontem , que tu deves saber alguma vez na vida.
        Treinador de bancada, são o que vêm para aqui diz NADA e criticar assuntos que não sabem, apenas sabem dizer mal do que não lhes interessa…

        • Catia Martins says:

          Visto que o Sr sabe,e tem conhecimentos responda-me por favor… No meu caso um número de casa ( incluindo uma caixa de correio) tem três famílias diferentes… Como faço?

          • PALB says:

            Mas moram todos na mesma casa em comum ou mesmo número e caixa, mas andares diferentes?
            Se todos em comum um código para todos, se 3 zonas distintas, 3 códigos um por habitação

          • Bruno M. says:

            Se tem uma casa onde moram 3 familias diferente, o código da carta é usado por TODOS!

            Logo nos censos entrará para a estatistica em que numa casa moram 3 familias.

          • Cátia Martins says:

            São três agregados familiares … Mas a casa está dividida por dentro não se vê de fora …

  5. Ricardo Aguilar says:

    Boa tarde,
    Tenho uma casa a 500k de onde vivo (minha e de meus irmãos) resultante de herança invisa.
    Por causa da pandemia não vamos lá há mais de um ano.
    Provavelmente já foi entregue na residência o envelope dos censos.
    O que fazer neste caso ? Deve haver milhares de casas desabitadas.
    O que me preocupa é a resposta ser obrigatória. Mas não posso responder.
    O que vai acontecer ?

    • Nuno says:

      As respostas são dadas pelas famílias onde quer que estas residam no momento censitário (19 Abril). As casas desabitadas são isso mesmo, desabitadas. Estas têm a recolha de informação no terreno pelos recenseadores, e não têm relação directa com as famílias/indivíduos.

    • SSD says:

      Provavelmente tentam falar com os vizinhos e põem logo como inabitada

    • PALB says:

      A função dos recenseadores não é simplesmente pôr cartas, mas sim bater às portas, confirmação se mora lá alguém, em caso de dúvida falar com os vizinhos e se nada resultar, voltar noutro dia e horário pra confirmar esse informação

      • Joao says:

        E quando deixam duas cartas na mesma caixa do correio? E só lá vive uma pessoa. Isso é tudo muito bom na teoria, mas na prática não é tão linear. Falar com vizinhos, era bom era…

        • PALB says:

          Foi muito má prática…
          Ou, e é uma situação que pode ocorrer, aconteceu me a mim, pode ter posto a carta no correio sem associar o código ao alojamento e depois teve de pôr outra, mas nesse caso punha uma nota no código novo e justificar a situação…

          • Joao says:

            Pois, também me pareceu má prática. Agora o que fazer ao código extra? Além disso, tenho visto aqui responderem de forma diferente quando existe mais do que um agregado a viver na mesma residência, casos que também conheço. Umas vezes dizem que o correcto seria entregar 1 código por agregado mesmo que morada seja igual, outras dizem que deveria ser 1 código único e todos deveriam responder em conjunto, mesmo que sejam agregados de facto distintos, e a morada seja igual (por exemplo, um anexo). Conheço casos em que aconteceram as duas situações.

          • PALB says:

            Para não haver confusões e para que digam como é concretamente, mesmo sendo esta a informação que tivermos na formação, passe pela junta e peça esclarecimentos

          • PALB says:

            Mas no caso do anexo, se os acessos forem distintos e não tiver de entrar pela casa principal para aceder ao anexo, serão 2 agregados, mas se tiver apenas um acesso, aí sim todos apenas com um código

  6. silvestre says:

    Na minha situação existem dois agregados familiares com o mesmo número de porta.

    Ou seja, basicamente existem duas casas, uma onde vivo eu com os meus pais e outra casa onde vive o meu avô e o meu tio. Mas na verdade, a casa onde vive o meu avó e o meu tio é considerado um anexo.

    A minha dúvida é se responder às duas cartas com o mesmo número de porta não poderá haver algum problema pois estou a declarar dois agregados familiares, para a mesma morada?

    O que conta são os agregados familiares? Independentemente se vivem na mesma casa ou em casas diferentes, mas com a mesma morada?

    • Nuno says:

      O recenceador dessa área identificará os dois alojamentos distintos e entregará cartas distintas para cada um, correspondendo a diferentes agregados familiares. Sim, o que conta são os agregados, independente da morada ser diferente, ser a mesma, ou se é inclusive o mesmo alojamento.

  7. Ricardo Aguilar says:

    Boa noite,
    Obrigado pelas vossas respostas.

  8. Patrícia says:

    Como posso obter a carta?
    Obrigada

  9. António says:

    “10 – Tenho uma carta. Como é que respondo?

    A carta contém um código e password associados exclusivamente a cada alojamento. Deve aceder a censos2021.ine.pt a partir do dia 19 e autenticar-se com os códigos da carta. Depois é só preencher o formulário.”
    Se, supostamente, cada alojamento tem password e código associados exclusivamente, cai por terra a confidencialidade do inquérito.
    Isto é uma farsa que não respeita a protecção de dados e apenas visa espiolhar a vida das pessoas, sabendo-se exactamente quem são, as respostas que dão e servindo para dar a conhecer, a quem nos governa, as nossas fragilidades para que possam ser adoptadas estratégias que melhor nos subjuguem aos interesses de alguém.
    Em tantos anos de Censos, não vivemos melhor devido ao facto de serem sabidas as condições e necessidades do povo, pelo contrário, somos mais controlados e esmifrados/sugados pela máquina do Estado.
    Portanto, responder honestamente a este formulário será pactuar com quem quer saber como melhor nos dominar,o tal chamadode”entregar o ouro ao bandido”.
    Independentemente do INE não depender do Governo, tal como a Justiça também não depende, sabemos o que se passa nos bastidores, ou pelo menos imagina-se!
    Se tenho o sindrome da conspiração?
    Talvez, mas do alto dos meus 63 anos não tenho falhado muito nos intentos que são pretendidos com este tipo de formulários/questionários. Muitas empresas também os fazem e sabemos com que intenções e, neste caso, o Estado é uma empresa gerida por empresas da política que têm os seus interesses e accionistas -entenda-se militantes- a preservar.
    Cada um que faça o que entender por melhor!

    • PALB says:

      ☹️☠️
      Tenho dito

    • SSD says:

      Ponto e vírgula. Não vou dizer que e só assim mas de certeza que quando se decide por exemplo pela construção de um lar ou de uma escola é porque se sabe que ouve um aumento de idosos ou d crianças, neste caso, em parte também derivado destes dados.
      Tal como não sei se é assim ou não, mas já trabalhei com ( e não para) o INE e eles orgulham-se mesmo bastante da sua política de privacidade, que segundo eles, nem o governo tem acesso aos dados.
      Também acho que era desnecessário associar o código e respeitar de facto a privacidade de cada um mas por outro lado serve também para ver se o estilo de vida melhorou ou piorou em algumas zonas (se as pessoas passaram de mansões a barracos ou vice versa, dando um exemplo exagerado). Repito na prática não sei se é bem assim mas se fosse só para “espiar” o governo nem precisava de por pessoas na rua, era contratar um pessoal que soubesse o mínimo de excel e começar a juntar os dados de cada um

      • António says:

        Reconheço-lhe alguma razão no que refere e até acredito que o INE seja tão isento da intromissão política quanto a Justiça o é!…
        Acho que me fiz entender…
        Quanto ao formulário do censos não vejo razão para que exista, já que uma pesquisa e cruzamento de dados com a CGA e saberão quanto ganho; com a conservatória do Registo civil e saberão o meu estado civil; com a conservatória do registo automóvel e saberão quantos veículos possuo; com a conservatória do registo predial e saberão quantos imóveis possuo; com o Banco de Portugal e saberão qanto tenho em depósitos bancários, cuja diferença relativamente aos gastos explicitados nas facturas registadas no Efactura das finanças lhes indicará quanto escondo debaixo do colchão.

        • SSD says:

          Mas lá está o INE não é o estado, não tem autorização para recolher os dados a que este tem acesso, tal como o estado não tem autorização para aceder aos dados do INE, se é isso mesmo assim na prática, sinceramente mãos no fogo ponho por mim e por uns poucos, mas se fosse esse o caso de facto muita coisa que eles perguntam era desnecessário porque já teriam acesso a isso.
          Referir também que os censos acabam por ser mais informativos e relevantes para o poder local e mais concretamente as freguesias, do propriamente para o governo que não tem tempo para sequer olhar para os dados de cada terrinha que existe.

  10. Test User says:

    Cambada Incompetentes. Têm base dados nos vários organismos para que?
    Numa altura de pandemia, vão fazer Censos.

    • PALB says:

      E os que estão cá sem contrato, porque o patrão explora, os que não têm SS ou SNS, porque não reside cá à tempo suficiente, mas trabalham, os completamente ilegais, mas que o assunto não interessa para o INE, como se contabilizam esses.
      Daí o número mais reduzido de recenseadores, pk o trabalho é mais fácil que noutros anos, o contacto com as pessoas é mais reduzido e a forma de fazer e mais fácil e acessível.
      E se o medo é que se saiba as vossas informações pk fazer pela NET, não se esqueçam de tudo o que já partilharam com o FB e restantes e para os espertos de todos os assuntos, mudem o DNS e assim já podes fazer em Aljustrel e seres de Braga…

      • Test User says:

        Completamente Inútil. Vão planear com estes dados, próximos 10 anos até ao próximo.
        Andam recolher dados nos vários organismos , não vivemos na idade da pedra existem sistemas informáticos.
        Se as pessoas não estão no sistema, como é que vão receber as cartas?
        Numa altura pandemia, muito oportuno realizar.

        • SSD says:

          Ou seja pelos seus comentários é melhor haver uma organização tipo NSA, que junta os dados todos sem pedir cavaco a ninguém do que haver de x em x anos, uma colectânea de dados estatísticos que podem (ou não, cada poder local depois decide se dá relevância aos dados ou é papel para casa de banho) influenciar várias situações, como por exemplo o investimento em lares, escolas, etc??
          Eu prefiro não ter o meu governo a fazer essa reunião de dados, ainda para mais sem o meu consentimento mas pronto cada um sabe de si.

          • Test User says:

            Conheces o conceito de metadados. Pergunto como é que fizeram para saber agora na pandemia portugueses estavam a movimentar-se. https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/fuga-para-a-pascoa-um-milhao-de-portugueses-dormiu-fora-de-casa-entre-quinta-e-sexta-feira-13504736.html
            Infelizmente os dados cada vez são menos privados, Por acaso fazem como na estonia, se alguem do estado acedera os teus es notificado e consegues saber quem.

          • Test User says:

            Os dados na Estonia são recolhidos nas base dados, registros e quando não é possível perguntam as pessoas. O que fazem em Portugal?
            https://www.stat.ee/en/statistics-estonia/population-census-2021

          • SSD says:

            Respondendo ao teu primeiro comentário, até pelas “torres” consegues descobrir isso.
            Segundo os teus dados na Estónia são extremamente privados mas na altura dos censos o estado dá-se auto permissão para recolher todos os dados e mais alguns e fazer um perfil completo, isto sem remover completamente o fator humano.
            Eu ficava extremamente convencido que de facto só nessa altura é que o governo ia aceder aos meus dados mesmo

          • Test User says:

            Certo, pelas “torres”. Recolheram os teus dados. Talvez não cruzaram para te identificar. Deste alguma autorização operadora ou quem fez recolha.

            Neste caso estado obriga-te preencher para recolher todos os dados. Supostamente anónimos, dão-te um codigo enviam-te para morada onde resides.Como tu queres tudo anónimo, quais são garantias.

            Não confias no estado para recolha de dados nas base dados mas já aceitas no censos.

            No caso Estonia estão aproveitar os dados existentes e pedem somente os que não têm.

          • SSD says:

            Mas esses dados o INE não tem acesso. Isso são dados que pertencem a organizações governamentais, sendo que o INE funciona á parte do governo.
            É uma forma de ver as coisas. Eu pessoalmente prefiro ter uma instituição á parte do governo que vai apresentar números e não dados pessoais, no final. Se as pessoas preferem ter o governo a vigiar (ainda mais) os dados pessoais de cada um siga, sugiram esse modelo.
            De referir, mais uma vez, que há uma razão para serem as freguesias a organizar o trabalho, estes dados são muito mais relevantes para o poder local do que para o governo em si.

          • Test User says:

            Não têm acesso. Então explica por exemplo como Taxa de desemprego é apurada.

          • PALB says:

            O INE…

          • Test User says:

            Por acaso nesse indicador fazem inqueritos.

            Outro Exemplo, em que têm acessos aos dados fiscais:
            INE inicia a divulgação das Estatísticas do Rendimento ao nível local com base em dados fiscais anonimizados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) relativos à Nota de liquidação do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS –Modelo 3), obtidos no âmbito de um protocolo celebrado entre a AT e o INE.
            https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=384207665&PUBLICACOESmodo=2&xlang=pt

            Informação geografica que têm acesso
            http://mapas.ine.pt/download/metadados/bgri11.html

          • SSD says:

            E porque é que eles precisariam desse acordo se tivessem acesso a todos os dados do governo como tu dizes?

          • Test User says:

            SSD afirmaste que INE não tem acesso. “Isso são dados que pertencem a organizações governamentais, sendo que o INE funciona á parte do governo.”

            Dei-te exemplos em que têm acesso. No exemplo da AT conseguiram recolher dados anónimos.

            Se podem ter acesso, desde que se garanta dados anónimos porque não fazem?

          • SSD says:

            Estas a complicar por complicar. Se o INE tivesse acesso a esses dados ia precisar dessa cooperação para quê?
            Tal como já disse eu prefiro que haja uma organização independente a colectar os meus dados e ser eu a escolher como os apresento do que ter os dados todos juntinhos e prontos para consulta de quem der mais ou há espera de um ataque que exponha esses dados. Porque acredito que na Estónia haja essa proteção de dados mas também acredito que se por exemplo, alguém estiver a ser investigado não vá ser avisado que a polícia pediu para ver o seu extracto bancário ou transferências que tenha feito. Isso é uma excepção, os censos aparentemente são outra. E quando vais a ver há meia dúzia de excepções para esta ou aquela organização darem uma olhada nos teus dados

          • Test User says:

            SSD estes são tão anónimos, que censos obriga introduzir nomes completos no preenchimento do Censos

          • SSD says:

            Queres um biscoito??
            Eu próprio já disse que achava desnecessário introduzir esses dados, não invalida o que eu disse di INE guardar os dados mas enfim fica lá com a tua

          • Test User says:

            Ganhaste biscoito.

            Nome completo, data nascimento, sexo e morada. Problema não é ser desnecessária, recolha dados não é anónima.

          • SSD says:

            E desses só o nome é que seria desnecessário. A morada serve para confirmar até quem já respondeu. A idade/data de nascimento e o sexo são talvez dos dados mais importantes para o poder local, especialmente a nível de decidir em que infraestruturas apostar. Se houver uma zona em que existe um maior número de homens, jovens, a freguesia se calhar em vez de apostar num cabeleireiro, aposta num salao de jogos ou algo parecido, dando-te um exemplo prático.
            Para além de servir para verificar se algum aumento, ou diferenca no número de idosos, jovens, crianças, homens, mulheres, acho que não é muito difícil de perceber isto.

          • Test User says:

            Concordo com o Sexo e Morada e Idade.
            Na Idade não concordo pedir data nascimento.
            Se os dados são ser suposto ser anónimos, o problema não é ser desnecessário não deviam pedir nome completo, data de nascimento e o tipo relação dos moradores.
            Tudo bem em recolherem dados desde que garantam ser anónimos,

        • PALB says:

          Não vou dar mais conversa a gajos das teorias das conspirações, queres fazer fazes, na queres, ao fim de 3 tentativas em se negue a fazer, alguém há-de se dirigir a si e faz à faz faz…
          E atenção isto não são ameaças, não sou disso, vai fazer pk é obrigatório ou então MULTA pra cima…

          • Test User says:

            SSD é que falou na NSA, etc
            Quem falou em recusar em preencher.
            O meu argumento que existem sistemas informáticos, base dados,etc onde podem fazer a recolha dos dados dos Censos.
            Consideras oportuna realizar numa altura de pandemia.

          • Test User says:

            Já agora PALB. Analisa questão pelo tempo e dinheiro.

            Quando vais trabalhar , és renumerado. Neste caso onde podes apresentar factura pelo tempo despendido?

            Já pago impostos. Não fazem recolha de dados e ainda obrigam perder tempo.

          • PALB says:

            Eu sou pago para fazer o trabalho a que k me candidatei e deram 3 opções de recibo, dependendo do que pessoa quer (recibo verde com ou sem isenção e acto isolado).
            Além do meu trabalho, faço este no meu tempo é livre, mas quando me candidatei, sabia ao que ía, por isso…

          • Test User says:

            Quem é que te paga quando fazes Censos?

    • Vitor Afonso says:

      Acreditas mesmo que existam base de dados? lol!!!!!

  11. Anabela Pires says:

    vivo na casa principal com o meu filho o meu ex marido num anexo nao fazemos parte do mesmo agregado familiar temos que ter duas cartas para fazer os sensos

  12. Rui Eduardo Colaço Alegre Branco says:

    Extraviei a carta que recebi. Posso ter uma segunda via, sem ter de esperar pelo recenciador?

  13. Rui Eduardo Colaço Alegre Branco says:

    Obrigado, Vítor M.

  14. Elisabete Cruz Costa says:

    Bom Dia, no caso de haver um residente estrangeiro a residir na habitação?

    • Vítor M. says:

      Terá de ter um formulário para essa pessoa. Cada pessoa tem de preencher o seu por habitação. Mas facilmente os recenseadores podem ajudar. Além disso, as juntas de freguesia também podem ajudar e em último recurso, podem sempre ligar para o número de apoio aos censos.

  15. Jose domingues says:

    Gostaria de saber se um esteangeiro estando legal ou ilegal tambem rem wue fazer o censo

    • PALB says:

      Sim, desde que esteja cá a morar à 1 ano ou mais, ou se for sua intenção ficar onde está por tb pelo menos um ano, tendo como data de referência o dia 19/04

  16. Jorge Marques says:

    Não recebi carta com os códigos. Parece estar esquecido o Oasis Parque em Portimão

  17. Cláudia Lopes says:

    Estou a morar com os meus pais, meu marido e filho, mas recebemos duas cartas quando é apenas uma habitação. Estamos a usar a parte de baixo da casa e os meus pais ficam no andar de cima, mas é considerada uma habitação pois os andares têm acesso por dentro. Tenho de responder separadamente dos meus pais? Isso não irá trazer problemas? Não podemos apenas meter todos juntos com um codigo?

  18. PALB says:

    @Jorge Marques esse oásis parque, é um parque de campismo, se sim, não seram atribuídos códigos e só será feita na 2 fase pk é um alojamento não clássico e será em papel

  19. Peter says:

    Boa tarde,
    No caso de pessoas que tenham casa em Portugal e, que receberam a carta mas que residem habitualmente noutro pais da comunidade europeia, como devem proceder? São obrigados a responder aos censos sabendo que apenas vêm uma ou duas semanas de férias por ano?

  20. Tiago says:

    Boa tarde. Não recebi qualquer carta e quando tento autenticar-me com a CMD diz que o meu NIF não está associado a nenhum questionário. O que me aconselham a fazer nesta situação.

  21. Ana Oliveira says:

    C s fazem os censos?

  22. Luisa Martins says:

    Olá
    Acho que perdi a minha carta com os código, o que faço? Obrigada

  23. Santos says:

    Ontem, dia 18 para quem tivesse já a carta em seu poder, já era possível aceder e preencher o questionário. Convém guardar o comprovativo.

  24. Bruno says:

    Estou a viver no estrangeiro, tera a minha mae de me registar na mesma? Tem alguma opcao de dizer que estou emigrado?

  25. Luis valente says:

    Boa tarde. Neste momento nao resido no domicilio fiscal .Mudei de casa e ainda não alterei o meu domicilio fiscal.Como posso responder sabendo que a casa que era alugada está vazia e não consigo aceder a caixa de correio. Obrigado

  26. PALB says:

    Quem era seu vizinho puderá ajudar o recenseador dizendo que já não mora lá ninguém e na sua nova morada ou é abordado ou os seus novos vizinhos podem dar essa informação. Mas não tem nada a ver com a morada fiscal.

  27. André Gomes says:

    Boa noite.
    Neste momento estou a residir fora de Portugal, estou emigrado vai fazer quatro anos, minha questão é se existe a obrigatoriedade de responder ao Censos 2021?
    Muito obrigado e ficarei muito grato se me puderem esclarecer nesta questão.

  28. Silva says:

    Eu tenho uma dúvida, eu desde que isto da Corona começou tenho estado a viver com a minha mãe mas a minha morada no cartão de cidadão é da casa do meu pai. A minha mãe deve incluir-me no censo dela ou eu devo ser incluída no censo do meu pai?

    • PALB says:

      Se está à pelo menos um ano na morada actual e a intenção é continuar, deve fazer onde está, mas se é provisório, então deve fazer na casa onde habitualmente mora

  29. Maria Morais says:

    Ainda não mudei minha morada fiscalcomo faço para responder o censo?

  30. Ines says:

    Não recebi nenhuma carta e já é dia 20. Nem eu nem mais ninguém estará na minha residência no próximo mês. Do número de apoio ninguém atende. O que devo fazer?

    • PALB says:

      Diriga-se à junta e o recenseador da sua zona será informado e terá que lá passar a entregar ou lhe daram logo no momento, depende como a sua zona está a funcionar

  31. Graciete afonso says:

    Enviei as respostas dia 18,será que foi aceite?

  32. Sérgio Azevedo says:

    Boa tarde, surgiu-me uma dúvida: se por acaso me tiver esquecido de responder a alguma das respostas (das obrigatórias, claro), via online, o questionário é aceite na mesma? Ou seja, tem algum mecanismo para impedir que questionários incompletos sejam entregues?É que existem multas, e não quero pagar uma multa por me ter distraído! Obrigado! S.

  33. PALB says:

    Pelo que vi no meu pessoal e José testes que fiz na formação, não deixa passar para a próxima pergunta sem responder, agora se responder a uma certa questão que o leve a saltar perguntas e já enviou aí não há volta a dar, a pergunta seguinte é conforme o que respondeu na anterior.

  34. Alexandra Borges says:

    Boa tarde habito na mesma casa com os meus sogros,apesar de separados. Deixaram duas cartas como devo responder?

    • PALB says:

      Mas são duas casas distintas com acessos separados ou uma só casa com porta única?
      Na primeira hipótese, usa as duas cartas, na segunda, usa apenas uma carta para todos os habitantes, sendo o representante o mais antigo na habitação

      • Joao says:

        Mas e se como diz usarem apenas uma das cartas para responder por todos, o que fazer à segunda carta que deixaram? Ignora? Tem que ir à junta indicar que não precisa das duas? É anulada automaticamente?

  35. João says:

    Em relação as casas de férias, não me e possível deslocar-me para ir buscar a carta que provavelmente está na caixa de correio e assim responder o prazo previsto.
    Qual o procedimento a efectuar nestes casos ?

  36. PALB says:

    Se é casa de férias e o recenseador conseguir obter essa informação através dos vizinhos não irá atribuir código e classifica a casa como secundária. Se não conseguiu essa informação, poderá atribuir carta, mas se verificar que não obtém resposta válida até à data limite, irá mudar de habitual para secundária.
    o João não terá de se preocupar com nada, dado que não é a sua casa principal

  37. Elsa says:

    Quem preenche os censos? Quem habita na casa ou teremos de preencher os sensos na morada do cartão de cidadão, sendo que as 2 são distintas.
    Estou na dúvida em qual morada preencho, onde vivo ou na morada do CC.

  38. PALB says:

    Preenche na morada onde vive.
    Ou preenche o representante que sabe os dados de todos ou cada pessoa preenche o seu, visto que dá para guardar e voltar onde se guardou.
    Eu assumi essa responsabilidade e preenchi todos, mas fui perguntando o que não sabia à medida que prosseguia.

  39. Rodrigo Coutinho says:

    Boa tarde,

    alguém me sabe dizer se todas as perguntas são obrigatórias.
    Se não, como se distinguem umas das outras ?

    Obrigado

  40. Nelson says:

    E quem não recebe a carta??

  41. Isabel João says:

    Boa tarde,
    No prédio onde vive a minha mãe, em todas as casas já receberam a carta com o código para os censos, mas não colocaram na casa dela, ou seja a minha mãe ainda não recebeu, estou admirada pelo fato de todas as outras casas tetem recebido. O que faço?
    Obrigada

  42. Dario Silva says:

    Pessoas do agregado familiar que moram e trabalham no estrangeiro também entram no inquérito? Mesmo que só venham em férias?

  43. Mcr says:

    Alguem me explica a razão pela qual pedem nomes completos, números de telefone e endereços de e-mail numa estatisca que dizem ser confidencial? o que é que querem mais entrarem pela a casa a dentro e contar o numero de iogurtes que tenho no figorifico?

    • Ad9 says:

      Os nomes de facto acho que eram dispensáveis, o número de telefone e email que pedem da pessoa responsável pela habitação, pelo que percebi é porque recomfirmam em x% das casas as informações das mesmas para perceberem se as pessoas e/ou o recenseador não estão a responder a toa

  44. Cristina says:

    Boa tarde. Uma pessoa que está no estrangeiro mas que mantém a residência do cartão de cidadão em Portugal tem de responder ao inquérito dos censos se receber o código na caixa do correio?

    • Ad9 says:

      Depende de como está a sua situação oficialmente. Se ainda não procedeu a mudança, se continuar por exemplo a receber o correio nessa residencia, então sim, nem que seja para alterar para residência secundária

  45. maroisergio says:

    não responda a verdade!
    Isto so serve para estado pela finanças buscar mais dinheiro com impostos e camaras fazer negocios com os dados com terrenos e propriedades.
    E maior partes de quem entra em casa são boys das camaras!

  46. Paulo says:

    Eu moro com os meus pais e o meu pai já respondeu pelo agregado familiar, eu tenho 19 anos , tenho responder a algum questionário tambem ?

  47. Ana says:

    Estou a tentar me inscrever para dar inicio à resposta do inquérito, mas recebi a seguinte mensagem: Não foi encontrado nenhum questionário com o seu NIF associado. Como devo proceder?

  48. Vasco Ribeiro says:

    boa tarde,
    tb tenho a mesma resposta com a autenticação do cartão cidadao:
    Não foi encontrado nenhum questionário com o seu NIF associado.
    erro, o que fazer neste caso?

  49. PALB says:

    PARA TODOS OS QUE TENTARAM FAZER A AUTENTICAÇÃO COM O NIF, NÃO DÁ…
    VISTO QUE NÃO HÁ CRUZAMENTO DE DADOS, AS CARTAS/CÓDIGOS NÃO SÃO ASSOCIADOS ÀS PESSOAS MAS SIM AO ALOJAMENTOS, LOGO ESSA FORMA DE LOGIN, APESAR DE LÁ ESTAR E MAL, É INCORRETA E NÃO DÁ.

    A RESPOSTA AOS CENSOS É FEITA EXCLUSIVAMENTE ATRAVÉS DA CARTA QUE O RECENSEADOR PÕE NA CAIXA DO CORREIO.

  50. Vasco Ribeiro says:

    não encontrei a carta dos censos, penso ter ido junto de publicidade para o lixo :/
    ha possibilidade de pedir segunda via?

  51. Delfina Fernanda Quiteculo says:

    Bom dia, se tiver já preenchido o censos e tiver algum erro, como faço para retificar?

  52. Nair says:

    Atualmente vivo num quarto não tenho acesso a caixa correio, e a minha senhoria impede me o preenchimento dos censos, porque receia pelos censos serem passados pelas finanças. É verdade?

    • PALB says:

      Não há cruzamento de dados com nenhuma instituição e neste caso devias ter entrado nos Censos dela, pk moras num quarto nan casa dela, certo?
      E o mais importante ela não te pode impedir de o fazer, tens duas hipóteses, ou ela faz de novo e insere te como outro não familiar, visto que moram na mesma casa, independente da forma como vivem, mas a porta de entrada para casa é a mesma, ou vais à junta expões a situação e eles lá vêm a melhor forma. Último caso fazes na casa dos teus pais e sempre és recenseado.

  53. Luke says:

    Gostaria de saber por que a junta de freguesia ligou para morada de meu amigo para confirmar seu none, morada e número de pessoas 2 días apos ele ter entregue o censo pela internet ?
    Depois que ele informou só disseram obrigado
    As informacoes nao sao anonimas ?
    Ele me perguntou: Se houvesse algum problema com as informacões a junta falaria ?
    Alguem sabe responder ?

    • Ad9 says:

      Sim, é por essa razão que se pede o contacto ao preencher. Há uma X percentagem de respostas que são reconfirmadas não só para perceber se as pessoas estão a responder a sério às questões (se puseste tudo á sorte é provável que falhes em alguma questão) e para validar o trabalho dos recenseadores também (que tendo os códigos podiam simplesmente ficar em casa a inventar informações).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.