Quantcast
PplWare Mobile

Boeing 737 cai verticalmente em montanha na China com 132 pessoas a bordo (vídeo)

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Paulo says:

    Caraças… a cair dessa maneira foi mesmo algo grave. 🙁

  2. Sérgio says:

    Ultimamente os aviões da Boeing estão a cair que nem tordos :/

    • Zé Fonseca A. says:

      Estiveram parados e com falta de manutenção devido à pandemia, já se esperava que isto acontecesse em países mais dúbios..

      • RPG says:

        Onde te baseias para dizer q n houve manuntenção? Tens noção que num país como a China, são feitos tantos voos num dia, como num ano em Portugal n? Já para n dizer que os voos domésticos praticamente nunca pararam.

      • João says:

        Falas com muita convicção sobre coisas que vê-se mesmo que não sabes.

        • Zé Fonseca A. says:

          Lol.. carissimos, saiam da vossa toca, e vão à china e apanhem um voo no interior da china e depois falem comigo.
          Além de em centros comerciais da provincia até escadas rolantes e elevadores caem provocando mortos, e nas empresas os chineses comem num horário depois tem limpeza geral e só depois vão comer os ocidentais, provincia da china é 3º mundo.

    • joseMMedeiros says:

      Não diga disparates. Quantos Boeing cairam nos ultimos 2 anos? Diga lá? Nao estamos na Russia nem na URSS onde só se noticiava aquilo que o governo deles mandava e não o que acontecia.Lol!

    • João says:

      Gostavam de ver onde os vês a cair que nem tordos…. vai lá ver quantos têm caído ultimamente mesmo

    • lmx says:

      +1
      Sérgio é não sei se se pode chamar ironia..
      É sabido que o Boeing 737 tem uma falha grave no seu design, isto é publico, foi devido a isso que o Presidente Americano mandou realizar uma investigação..
      As asas , no meio do Avião estão demasiado para a frente, eles tentaram compensar com um computador nas asas traseiras para corrigir, mas como se vê o problema continua, e vai continuar até que se pare de vez de utilizar esse modelo, que não só é um perigo para quem viaja , como para as pessoas que vivem no planeta terra que do nada são atacadas por um kamikaze…
      Uma das características desde problema é exactamente inverterem e caírem a pique…tipo kamikazes.. é a nova arma secreta americana.

      • Paula says:

        O sistema usado pra driblar o facto dos motores estarem ligeiramente pra frente das asas se chama MCAS.
        Mas parece que não resolve tanto a situação.. infelizmente!

        • lmx says:

          É normal que não resolva..
          O centro de massa do Avião está completamente comprometido, desde o inicio do desenho..
          Mais.. o stress sofrido pelas asas traseiras é de tal forma elevado, que ninguém consegue prever quando é que o sistema vai avariar..se é neste voo, se é no proximo, ou daqui a 10 voos.
          Mas isto não é tudo, o pior ainda esta para vir, porque quando o sistema avaria o Piloto deixa de ter controlo sobre as asas traseiras…sim é verdade entra em kamikaze mode.
          Ou seja este avião nem sequer deveria ter permissão para voar..é um perigo para quem viaja nele e para quem esta cá em baixo sossegado.

          E não…não há software que resolva um problema desta dimensão…isso e propaganda.O sistema electro-mecânico não aguenta tamanho stress.

      • Antoninho Pitágoras says:

        Você está a falar do 737 Max já o avisó envolvido no acidente é um 737 800 um modelo desenvolvido há mais de 20 anos.

  3. xxx says:

    Os software development devem de ser mal pagos, mas não há problema. Nada que um update ao firmware não resolva.

  4. papafruta says:

    Já é o 3º Boeing 737 a cair com o mesmo problema.. Existe um mecanismo novo e automático (escondido pela Boeing durante muito tempo) que compensa o nariz do avião para baixo quando é detectado que o nariz está demasiado elevado que é causado pelo o peso dos motores posicionados mais atras no 737. Quando existe falha nos sensores de angulo de ataque esse mecanismo passa a compensar exageradamente o nariz para baixo. Como até a pouco tempo esse mecanismo estava em segredo ainda existem pilotos que não estão treinados para quando isso acontecer. Os primeiro dois caíram por esse motivo, este aposto que será a mesma razão!

    • cs says:

      Isso só existe no 737 max. Este avião foi entregue em 2015 e era um 737NG

    • Ricardo says:

      Essa situação só se verificava na versão MAX

    • Jorge Soares says:

      Este Boeing nao tem nada a ver com o 737-MAX. Ambos parecidos ou quase iguais , com alguns sistemas diferentes.

    • Artemus says:

      Tenho na ideia que esse problema já foi resolvido há muito tempo e que os pilotos já tiveram os respetivos treinos.

    • JMCXL says:

      O problema que refere abrange o Boeing 737 Max e não os 737-800 como era este.
      Já agora mais um pequeno reparo: os motores no Max estão colocados numa posição mais avançada (e não mais recuada como refere) em relação aos outros 737, dado que por serem muito grandes 8e não por uma qualquer questão de peso) não cabem na posição habitual em relação às asas.
      Ao estarem mais avançados em relação às asas alteram o “envelope de voo” tendo obrigado à existência dum software que corrija o ângulo de ataque da aeronave.

    • Zé Fonseca A. says:

      Grande confusão vai para aí.

    • PTO says:

      Este não é um 737 Max, vai-te informar melhor.

    • Pedro says:

      … Posicionados mais atrás, por acaso é exatamente o contrário.
      Foram posicionados mas á frente das asas devido aos maior tamanho dos mesmos.

      • lmx says:

        As asas também foram movidas para a frente… este problema não dá para resolver com software…se queres fiabilidade tens de destruir os aviões.. é uma falha grave e foi conhecida desde o inicio, pelo menos é o que o resultado da investigação diz.

  5. Zé Fonseca A. says:

    Nunca tinha assistido a uma queda destas, incrivel.
    O que vale é que iam todos inconcientes, ninguém deu por ela.

    • Tiago Ferreira says:

      Iam? Como sabes? Falaste com algum deles segundos antes de cair?

      • Zé Fonseca A. says:

        Fisica 1on1, faz as contas a quantos Gs o avião cai e quantos Gs aguenta o corpo humano, já para não falar na privação de oxigenio.

        • lmx says:

          mas…qual privação de oxigenio?
          Se me disse-se que ficavam todos “meio bebados” devido ao aumento da pressão dentro do avião á medida que ele vai descendo a grande velocidade ainda ok.. agora falta de oxigénio não estou mesmo a ver..
          Aumento da força de gravidade??
          como se o avião está a cair?
          A única hipotse seria o piloto entar também em modo kamikaze e começar a puxar os motores a fundo para cair mais depressa…ok dessa forma aumentaria a aceleração e por sua vez aumentaria essa componente, até onde é difícil prever, não acredito que eles tenham sequer experimentado 2G nessa situação..
          Se o piloto era um pouco mais esperto, a primeira coisa a fazer era desligar os motores, sempre vivia mais uns segundos, nessa situação a força máxima a que o avião estaria sujeito seria inferior á força da gravidade, dada a resistência do ar..
          Portanto não consigo perceber nem a sua ideia “das forças G”, nem a falta de oxigénio
          De relembrar que o oxigénio AUMENTA á medida que nos aproximados do solo, sendo valores normais médios de 20.9%, podemos lhe chamar 21%, mas á zonas onde existe mais outras menos, dado que estamos a falar de algo em estado gasoso, e portanto não existe homogenidade da atmosfera, o que existe é valores próximos uns dos outros, e variam consoante diversas partes do mundo, e altitude.

          Talvez se me estiver a falar de voos comerciais em outro planeta, mas qual?

  6. Ivo says:

    Penso que é o mesmo tipo de erro de software que conduziu a queda de outros 737 MAX.

    • LG says:

      Jasus! Já chove de especulação! Isto nem é um 737 Max mas o tuga é sempre o expert na matéria.

      Duvido que um “erro de software” faça caír um avião desde da altitude que esteve até ao solo em menos de 2 minutos. Uma desintegração poderá explicar tal fenómeno. Mas enquanto não houver uma análise de especialistas na área deixem-se de especulações….

    • Vítor M. says:

      Esse problema (do MCAS) foi aparentemente resolvido. Não deve ter nada a ver.

  7. Pedro Pano says:

    Netflix têm um documentario sobre a Boieng, é a ver caros amigos, a ver.

  8. cross says:

    O que é que isto tem haver com tecnologia?
    não percebo este tipo de notícias neste site.

    • Vítor M. says:

      Tem tudo a ver. No caso de outras aeronaves veio-se a registar uma falha no MACS, por exemplo. Este aparentemente nada tem a ver com os casos anteriores da mesma empresa, como referiu o LG, mas é um caso onde a tecnologia poderá ter falhado (e vamos reportar porque nos interessa). E está tudo relacionado com o que fazemos. A tecnologia está imensamente ligada à vida humana e seguramente neste caso haveremos a seguir de falar de tecnologia, ou que falhou ou que não foi usada.

      Não percas, porque nós também não!

  9. jaugusto says:

    Os aviões podem planar durante um tempo – houve um gajo canadiano AirTransat 2001 açores sem motores – a cair daquela maneira deve ter sido algum problema componente partido tipo acme screw …

  10. Joao Ptt says:

    A malta gestora da Boing deve andar a mandar foguetes.
    Despediram a equipa de desenvolvedores uns anos antes de começarem os acidentes por problemas de concepção, pessoas que estava há anos na empresa, para os substituir por estrangeiros, mais baratos… acho que está visto que poupar nem sempre é boa ideia.

    • Vítor M. says:

      Não deve ser uma situação fácil para uma empresa como a Boeing (já para não falar nas famílias dos que perderam a vida). Mas no documentário DOWNFALL levantou-se a mudança de paradigma depois da Boeing ter comprado a McDonnell Douglas e mudado a estrutura diretiva, que basicamente incorporou a da empresa comprada. A gestão passou a ser completamente diferente e para pior.

  11. PorcoDoPunjab says:

    Já voei num avião desta companhia, de Hong Kong para Xi An, aqui há largos anos.
    Era um Airbus 320, mas a pintura estava toda numa miséria.
    Se a pintura estava assim miserável o resto tb devia andar igual ou parecido.
    Percebo bastante de aviação e confesso que não gostei nada de entrar naquele avião mas não havia hipótese, era o único voo para Xi An, cidade mesmo no centro da China.
    Entrei, e disse para mim mesmo, bom, se tiver chegado a minha hora, que assim seja, sem medo e de cabeça erguida.
    Felizmente correu tudo bem e todos chegámos ao destino.
    Mas na ida de XiAn para Beijing fui de comboio, não quis ir de avião.
    Comboio super lotado, fui ao lado de uma grade com galinhas, e toda a gente a olhar para mim e os putos a rirem se.
    Não havia um único estrangeiro, parecia mesmo um peixe fora de água…

    • LG says:

      Confesso que também adoro a aviação e daí entendo bastante da matéria. Nunca voei com a CES. Porém posso dizer que a CES é uma companhia aérea certificada pela FAA e IATA. Se entende de aviação deve saber que *todos* os aviões requerem mantenção periódica conforme definido e não há como escapar disso. Sem essa certificação, a companhia não pode entrar em espaços aéreos tipo Europa e/ou America.

      A pintura não influencia o certificado.

      • PorcoDoPunjab says:

        LG, pintura protege a fuselagem e é cara para caramba.
        Tinta especial e aplicada em diversas camadas…

        Em relação à manutenção, há manutenção bem feita a tempo e horas e manutenção mal feita sem tempos e sem horas e sabe-se lá se fizeram mesmo o que escreveram que fizeram..
        E mais não digo…

        Em relação a companhias Portuguesas, a manutenção é rigorosa e os profissionais são do melhor.
        Aparecem por cá algumas companhias que, sem querer entrar em pormenores, quem não metia lá os pés era eu.
        Antes a nado…

        • LG says:

          Lá está… não sabes porque não estavas lá a verificar as manutenções… Mas se achas que “fugir e fingir” manutenções mantém os certificados vivos estás enganado.
          Manutenção na China? Mão-de-obra: ultra-barato.
          Peças? Ultra caras e estrangeiras. A CES não os encomenda para poupar? Perde logo certificado aí. Não penses que voar um avião sem certificado é tão facil como conduzir um carro cuja inspeção expirou…

          “Em relação a companhias Portuguesas, a manutenção é rigorosa e os profissionais são do melhor.”

          LOOOOL! Astana E190 voo KC-1388 diz-te algo? Se fossem dos melhores viham cá bem mais companhias mas não é o caso pelo que parece…

          • PorcoDoPunjab says:

            LG, lá por ter havido um problema com um avião isso borra a pintura toda?
            Quantos acidentes vc teve com aviões portugueses ou assistidos em oficinas portuguesas nos últimos 20 anos?
            Com a quantidade de aviões que neste tempo caíram nos EUA a manutenção por lá deve ser tipo Paraguai…

            Já viu a sériie maydsy desastres aéreos?
            Quantos aviões nacionais vc viu lá?
            Pois…

    • TagusPark says:

      Bem, largos anos diz tudo, a china muda a largos passos nos largos anos, ha 10 anos que existe “TGV” chines entre Xian e Beijing, nesses comboios nao sao admitidos gado ao lado dos passageiros. Tem que voltar la para ver/sentir a diferenca.

      • PorcoDoPunjab says:

        TagusPark, estive lá há 3 anos, voo directo de Frankfurt para Shanghai.
        Já por aqui disse múltiplas vezes, dado que vou à China frequentemente desde 1999, que a China mudou em 20 anos da meia noite para o meio dia.
        Antes era tudo velho, autêntica sucata, agora é tudo do mais moderno.
        Vi mais Porsches numa semana em Shanghai do que em toda a minha vida até lá…

        Este episódio anterior que relatei passou-se no inicio dos anos 2000, altura em que conheci por lá a minha actual esposa.
        Portanto, até por motivos familiares, sou freguês assíduo daquelas bandas.
        Só ainda não voltei pelos motivos que se sabem…

  12. lmx says:

    Uma coisa é certa… eu sou capaz de voar em helicópteros, e ate aviões a hélice, mas no Boeing 737 nunca mais la ponho os pés, andei uma vez e foi porque me distrai..

  13. falcaobranco says:

    O primeiro video é impressionante…agora só mesmo as caixas negras podem dizer o que se passou porque cair tão a pique e na vertical…não foi só um, foram varias coisas dentro do sistema a dar barraca…

  14. Antoninho Pitágoras says:

    Santa ignorância este não é o 737 max, é um 737 800 modelo com mais de 20 anos no mercado.

  15. Antoninho Pitágoras says:

    Estou a especular mas com uma queda a pique deste género (não conseguiu sequer planar). O mais certo é uma parte estrutural do aviao ter sido danificado, causa mais provável uma colisão com outro avião (como há uns anos no Brasil) ou então um drone. Ou então alguma pá do motor partir acabando por essa pa danificar parte estrutural, ou vais partes. Este modelo teve há pouco tempo um problema com uma pá do motor que abriu um buraco no casco matando um passageiro. Sendo o modelo alvo de revisan das pás do motor, falta saber o resultado.

    • lmx says:

      “Estou a especular mas com uma queda a pique deste género (não conseguiu sequer planar)”
      …pois se fez uma queda a pique como querias que ele planasse?
      Planar tem que ser na horizontal…vertical não conta 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.