Quantcast
PplWare Mobile

Bizarro: Japão proíbe desligar o som de disparo fotográfico

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. luis rocha says:

    Japoneses, obviamente!…..
    Palavras para quê?

    • ACS says:

      Por acaso concordo com isto ou então obrigar que uma luz vermelha acenda quando a camera esta activa. Assim servia para avisar as pessoas caso estejam a filmar. é uma falta de respeito as pessoas que filmam e tiram fotos de outros sem autorização e não falo para cenas como fotografar as cuecas ás meninas.

      • Joaquim Pedro says:

        Simples… deixem de usar saias pelas bordas do rabo, ou passem a nadar de jeans…

        • Paulo Jorge says:

          é uma questão de cultura, muito antes de haver smartphones já havia “meninas” a usar essa idumentária que é a mini-saia. À que saber estar.

        • nmartins says:

          Por amor de Deus, deixar de usar mini saias é que não, se é que me entendem

        • Sabrina says:

          O problema não está no fato de elas usarem saias, e sim na atitude das pessoas que praticam o ato de tirar essas fotos inadequadas e sem autorização. Isso é uma violação a privacidade das moças japonesas!
          Acho melhor você pensar melhor no que diz Joaquim Pedro!

  2. ick says:

    Desculpe discordar, porém achei a matéria meio preconceituosa a respeito do Japão, todo país tem suas “bizarrices”, a falta de contexto ou de compreensão do contexto apenas reinforça a bizarrice daqui, aos olhos dos japoneses, o ocidente tem “bizarrices” o tanto quanto.
    Quanto ao som do disparo, isso já é norma faz anos aqui, e não é omissa a lei como afirma a matéria, existe patrulhamento frequente da polícia e até vigia por câmeras em lugares com mais facilidade disso ocorrer, como por exemplo, estações de trens.
    Sobre as escolas, é regra em sua maioria, senão todas, o uso de roupa por baixo da saia, não sei como chamam em Portugal, mas no Brasil é shorts/bermuda.
    Voyeurismo existe no mundo todo, não é exclusividade do Japão.

    Abraços

    • ick says:

      A propósito, essa primeira imagem, pelo que percebi, são de sul coreanas. Segundo o google images, de um grupo chamado N-Bulance. Seria o mesmo que por numa matéria sobre Portugal imagens de espanhóis.

      Abraços novamente

    • FXX says:

      +1
      há muitos anos a que existe lá essa lei. alguns telemóveis até mostram um aviso quando se desativa o som do disparo a informar que a desativação pode ser proibida.

    • Ricardo Jorge says:

      Se para se ser um país tão desenvolvido e mentalmente aberto como o Japão é preciso aderir a “bizarrices”, então que venham elas. Prefiro mil vezes as “bizarrices” ao estado deplorável que se encontra este país.

  3. Mario Junior says:

    Até porque proibir o som das câmeras é mais fácil do que mudar essas vestimentas. É muito dificil e trabalhoso permitir que as estudantes utilizem calça ou algum tipo de bermuda, ao invés de saias.

    http://wiki.urbandead.com/images/7/70/Mega-rolleyes-702628.jpg

  4. António Campos Leal says:

    pessoalmente e por razões várias estou de acordo com a medida. os abusos permanentes por parte de quem não respeita o direito do outro, a isso obriga. Acho que a medida devia ser internacional. Os portugueses são useiros e vezeiros nesse abuso. Não conhecem a lei e infringem-na frequentemente. Mas se um fotógrafo estiver a fotografar na via publica e acharem que foram fotografados vão logo tirar desforra da questão.

    • Carpet Mancha says:

      Pois a questão é que fotos tiradas na via publica são, cá está, do dominio publico, tal como qualquer coisa que seja dita por um politico.

  5. António Campos Leal says:

    E o que é isso de “Evolução Cultural”? Se estivesse a escrever “Evolução tecnológica” ainda poderia estar de acordo consigo. Pelos vistos a sua noção de Cultura é muito curta. E no que se refere às culturas orientais deve ser zero. Presunção e água benta, cada qual toma a que quer. Alguns passam por ignorantes. Temos pena.

    • antonio says:

      E o que tem a evolução tecnologica com o fotografar debaixo das saias? Tem mais a ver com a cultura de la. Ca nao é assim e existe smartphones por cá também! E é tão frequente isso acontecer lá que têm um metro só para mulheres, por essa e por outras razões. Seja mais moderado a criticar, pois você não é assim tao inteligente como pensa.

  6. Glink says:

    Recentemente? Isso já é assim à muito tempo…

  7. Pedro Alves says:

    Adoro o Japão.

  8. antonio says:

    Pplware, recentemente? Quem lê e não sabe, pensa que é mesmo recente. Já ha muito tempo que isto é proibido.

    • Vítor M. says:

      Sim, tipo um década? Não, é uma medida recente. Mesmo que nalgumas escolas tenha sido aplicada há um ano, em espaços públicos e noutros espaços culturais a medida apareceu posteriormente. Foi uma medida mais recente ainda.

      • ick says:

        Olá, Victor. Estou aqui no Japão quase completando 10 anos desde que cheguei, e desde que comprei o primeiro celular (telemóvel aí, creio eu) já existia essa alteração nos aparelhos.

        • Vítor M. says:

          Olá ick. Mas essa regra nas escolas tem muitos anos, ou é apenas por decisão de cada escola e agora é genérica?

          Nos locais públicos (excepto estabelecimentos de ensino) e turísticos, segundo sei e julgo estar correcto, até há pouco tempo está ‘lei’ não era aplicada, ou não é assim?

          Depois, esta lei é só para cidadãos japoneses ou também se aplica a turistas?

          Se puderes esclarecer agradecia. Assim, completava o artigo. Obrigado.

          • ick says:

            Cada escola e cidade tem as suas regras/leis. Costuma ser obrigatório o uso de roupa abaixo da saia do uniforme, mas infelizmente não posso te dar uma resposta exata.

            Todos aparelhos vendidos aqui não podem desligar o som da câmera, mas creio não existir fiscalização dos aparelhos das pessoas (japoneses ou turistas), só se você for pego fazendo algo ilegal.

  9. Dc says:

    Bizarro é uma palavra que não precisa de ser incluída quando se trata do Japão. We all already know.

  10. NewJ says:

    Japoneses tarados..

  11. Alex says:

    Basta usarem outra aplicação para tirarem fotos que não seja a nativa (e existem milhares), que já nao existe o “problema” do som.

    Conclusão: Não muda nada.

    • Diogo says:

      Estás muito enganado. Está medida é para fabricantes, pelo que o som de disparo não é controlado por software mas sim pelo hardware.

      Mesmo quando tens phones o som da camera é o default pelos speakers e nem controlas o volume.

      • Carpet Mancha says:

        Isto só da para implementar em iphones e mal (BC JB) . Em androids o utilizador manda mesmo no telefone (se quiser) e estas palhaçadas têm perna curta…

    • ick says:

      Até onde testei o som não é removido, acho que a solução seria via Jailbreak, pelo menos no iphone

  12. Darth says:

    Estranho, so acho pessoal por aqui nao ver a logica da medida.

  13. NMMA says:

    segunda uma amiga minha japonesa, essa lei já existe há algum tempo para que as pessoas não possam fotografar sem a nossa permissão… Ex: se durante uma fotgrafia, outra pessoa estiver a passar no mesmo lucal, essa mesma pessoa poderá rejeitar a fotografia, por ter ficado exposta, e tendo o direito de denunciar o individuo de tal acto

  14. beatriz says:

    Só porque a cultura oriental é diferente da nossa não significa que eles são estranhos ou atrasados culturalmente, se todos respeitassem as diferenças provavelmente teriamos menos mortes. Um exemplo é aquele caso na frança onde 12 pessoas morreram por “zuar” a religião dos islâmicos, se não tivessem feito isso estariam vivos!

    • Rui says:

      Que dizes? Não vás por aí. Então se alguém critica ou despreza uma religião, dá direito aos seguidores dessa religião de matarem os “infiéis”? É mesmo isso que queres dizer?

      Só vêm-me à cabeça dizer-te: “Que Deus te perdoe, que não sabes o que dizes” 🙂

    • Carpet Mancha says:

      WOW, a exterma direita está em força hoje aqui no pplware, portanto a culpa da morte deles é por terem dito o que pensavam. Também acho que deviam ser ressuscitados e mortos outra vez de preferencia decapitados e posto um video na net para as pessoas aprenderem a estar caladinhas. Bravo pessoa, os teus avós devem estar orgulhosos da tua noção de liberdade especialmente depois de morrer tanta gente para se chegar a ela. Bravo. +10 para ti.

  15. Diogo Silva says:

    Solução: Filmar
    Mais seguro assim não há fotos desfocadas e sem som Haha

    • ick says:

      Ao iniciar a filmagem, o aparelho dispara um som, e não pode ser desligado também.

      • lz says:

        E?? Basta iniciar a filmagem noutro local e levá-lo a gravar no bolso, na mão, na carteira, etc, etc, e acabar a filmagem noutro local onde o bip pode fazer bip à vontade sem que ninguém saiba/oiça/passe despercebido.

        • ick says:

          Se não for flagrado fazendo isso, pode tentar se quiser. Mas saiba que existem muitas policiais disfarçadas em locais onde existe maior trânsito de pessoas para fiscalizar esse tipo de ação. Sem contar as câmeras de vigilância.

  16. Sergio J says:

    Tal como afirmei o passado acerca do perigo que representaria o Google glass, pois um simples olhar podia-se transformar numa foto, não me choca estas medidas.
    Vejo muitas pessoas à acharem que a democracia é podermos fazer o que nos dá na telha. Mas a democracia do existe se existirem regras.

    • Rui says:

      O termo mais correcto seria a liberdade, em vez de democracia. E como é evidente e do senso comum, a liberdade da pessoa termina quando choca com a liberdade das outras pessoas. É tão simples quanto isso. E se reparar, as leis tendencialmente seguem essa regra!

  17. Diogo says:

    Olá!

    Vivo no Japão, Tokyo, à mais de um ano e essa medida já é obrigatória desde que cá cheguei.

    Quando cheguei comprei o iPad mini 2 e reparei nisso. Sempre que metia o sistema em mute, a camera fotográfica continuava a emitir o som normal de disparo. O mesmo acontece com o Nexus 6 que comprei este ano.

    A medida é boa e tem a ver com privacidade a cima de tudo.

  18. filipe says:

    Acho este artigo ” com muita piada ”
    Em Portugal não se pode tirar fotos nos centers. .
    Estranho também. Até parece ser uma lei infantil

    • Rui says:

      Não é nada estranha. E tem tudo a ver com a privacidade das pessoas que por lá circulam e segurança da infraestrutura. E se reparares, se fores tirar uma foto a um filho ou familiar que está a posar para a câmara, os seguranças normalmente nem se intrometem, mas se estiveres a tirar uma foto ao centro comercial e estiveres a apanhar tudo o que “mexe” ou alguém que nem sabe, podes ter a certeza que és incomodado. Não acho nada estranho!

      Tem tudo a ver com senso comum, ponderação e medida.

  19. ricard10 says:

    Uma cultura totalmente diferente, desde que vi lojas a vender cuecas de meninas estudantes USADAS já vale qualquer coisa!!!

  20. Carpet Mancha says:

    Nós os portugueses temos um “espetaculo cultural” que consiste em agarrar num animal de grande porte mete-lo numa arena e tortura-lo lentamente para que todos aplaudam, incluindo crianças. Os mesmo que se pronunciaram sobre a violencia do dragonball aplaudem estes “espetaculos”. Quem somos nós para julgar quem snifa uma cueca alheia. Não invade a privacidade a ninguém, alegra sujeitos solitários e ainda serve para estudantes universitárias juntarem uns trocos bons. Nada contra.
    (p.s. o meu comentário anterior muito semelhante a este não foi publicado, será que haverá uma forma de saber qual o critério utilizado?)

  21. asdnd100ccc says:

    tendo la vivido um ano , e com alguns amigos por la , posso dizer que faz bastante sentido 😀
    principalmente nos comboios 😀

  22. Francisco Silva says:

    Estou de acordo com o Japão.

  23. dajosova says:

    E mais pudor e decência não só mas também na indumentária?

  24. pamir says:

    Mas que taradice, andar a tirar fotografias às escondidas de debaixo das saias das raparigas.
    Por cá não vejo nada disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.