Quantcast
PplWare Mobile

ANACOM: Preços das telecomunicações em Portugal aumentaram 6,4%

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Aj says:

    o meu baixou 11% com renegociação

  2. Alvim says:

    Ok…confere com o nível do país.
    País de altos salários…logo grandes preços.
    É dias artistas.
    Quando vejo tarifários de outros países até me borro todo.

  3. Jota says:

    Ou seja, na União Europeia tem vindo a descer e em Portugal a aumentar! Isto está cheio de ladrões!

  4. Euéquesei says:

    Depois é assim que querem combater a IPTV.
    Por acaso até estão certos, se tiram o guito todo ao pessoal depois não há como comprar listas, é bem.
    Continuem …

  5. Elektro says:

    A malta votou nisto, agora aguentem-se 😀

  6. Nightingale says:

    Claro que não existe cartel entre as operadoras.

  7. Jonny says:

    Por isso é que em casa não tenho nenhum serviço nem tv por cabo, nem telefone e muito menos internet

  8. Cartel de Intocáveis says:

    É uma vergonha que em tempo de pandemia e em que quase todos perdem… os que menos precisam são os que nada perdem, pelo contrário, lucram. São os bancos que forçam os clientes a comissões que antes não existiam e que curiosamente surgem quando menos fazem, pois mal recebem clientes nas agências e ninguém faz nada em relação a este abuso. Basta estar atento aos lucros que a banca tem declarado em tempo de crise. Embora noticiem que os preços dos operadores de telecomunicaçõe baixaram, a Anacom diz (e bem) que as tarifas subiram, aliás posso falar por mim e por mais algumas pessoas que conheço que sofri um aumento de preço pelo serviço que agora noto mais lento. Enfim, desemprego, baixos salários, fome, pandemia e morte…nada que afete a banca, operadores de telecomunicações e as chamadas “grandes superfícies”… para quem não acredita em intocáveis…cá está a prova viva de que “eles” existem.

  9. Luis Henrique Silva says:

    Salários/mensalidades baixas, Comunicações, gasolina, e outras coisas sobe tudo, e ainda somos dos que temos maiores preços da Europa, não está mesmo certo. Temos uma inflação alta em relação ao custo de vida….

  10. JJ_ says:

    Se a ANACOM quer combater isto é fazer com que seja legislado o fim da fidelização!

    Assim, como não existe fidelização na luz, podendo o consumidor mudar de prestador a qualquer momento, nas telecomunicações era fazer igual. Ou a existir fidelização que seja com uma duração máxima de poucos meses.

  11. Gigbola says:

    Isto sempre andará na cepa torta. Como podem haver bons preços sentidas as operadoras têm de criar infraestruturas individuais para fornecimento de internet. Nas zonas urbanas até pode ser viável, mas nas rurais……ficamos sujeitos aos caprichos da 1°operadora a lá chegar……

  12. informado says:

    A Anacom faz os gráficos com aq Nowo mas a Nowo não existe em todo o país. É uma pequena empresa regional com 4% do mercado. Tirem a Nowo dos gráficos e aí seríamos o primeiro país na Europa com preços mais caros.

  13. A. says:

    Muitas vezes tenho a sensação que a Altice que detinha a Nowo, antes de comprar a PT, e por isso foi obrigada a vender a Nowo foi uma espécie de favor…
    Daí serem os fornecedores de GSM/3G/4G à Nowo…
    Têm os preços mais baixos mas não cria estrutura para subir a sua insignificante cota de Mercado, e com isso alimenta os estudos errados dos preços, não serem tão elevados em Portugal, e não sofrer constantes aumentos!
    Junte-se há isso a APRITEL e o seu eficazes argumentos e sensibilização do Poder Político para nunca fomentar a concorrência e Milagre somos dos países da UE, com os estudos e paradoxos de Preços face aos estudos mais especiais da Europa!
    Esta Direção da Anacom tenta mudar o estado da Arte, mas pergunto-me porque não consegue ser um regulador que consiga impulsionar mudanças à sério…

  14. David says:

    Não percebo qual o espanto… Bem Vindos à Europa de “leste”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.