PplWare Mobile

Altice Portugal torna-se acionista maioritário da SIRESP


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. rui says:

    Ou seja, os lucros ficam para a Altice e a despesa/prejuízo para o Estado?

  2. nop90 says:

    RIP Siresp, já não eras grande coisa, nasceste com deficiências grandes e morrerás às mãos da Altice.

    Espero que o estado tenha um plano de backup para criar uma rede que funcione. Há coisas que realmente têm tantos problemas que mais vale deitar para o lixo e começar de novo.

    • Carlos says:

      Plano de backup ?
      Só para relembrar, Pedrogão ardeu, houve muitas vitimas, roubaram Tancos, o que fez o Sr. António Costa ? FOI DE FÉRIAS.
      Disse o SR. Presidente da República que o Sr. Costa também tinha direito a férias (na altura).
      É melhor desceres á realidade, estás em Portugal. O que tu pretendes não é de um plano de Backup, mas de um MILAGRE.

  3. Enfim... says:

    Sejemos sinceros em duas coisas…
    O SIRESP nas maos do estado cada vez ia se tornar pior, porque o estado sempre foi de poupar no que era necessário, e gastar no desnecessário…. Exemplo disso, equipar veículos de bombeiros com siresp para controlar os mesmos em vez de dar unidades moveis…
    Em segundo lugar, todos nos sabemos que a Altice com isto ve muito dinheiro que pode gastar com o governo e verdade, mas dos muitos exemplos que vemos neste pais e que quando as coisas sao do estado sao ineficientes e gastam milhoes, e pelo mesmo (quando nao sao feitos contractos para ajudar amigos) os privados fazem mais, mesmo que tenham que recorrer a cortes em excessos existentes.

    Por isso com o tempo veremos se foi um bom negocio, ou mais uma EDP, PT, etc… ou seja, mais um “bom” negocio do estado… Porque neste pais bons negocios para quem tem muito e amigos no governo nao faltam…

    • Nuno V says:

      O SIRESP nunca foi do estado.

    • Carlos says:

      Espera quando os aviões e helicópteros de combate aos fogos forem entregues á F.A.P, os milhões que se vai gastar, mais do que com os privados.
      Na altura foram retirados da FAP por causa dos custos, ficava mais barato contratar aos privados.
      Se o Estado não sabe negociar com os privados isso já é outra história.

  4. Diogo says:

    Alexandre Fonseca.. a pensar nos lucros.. e a cagar para os colaboradores. Desde que Meo é Altice, esqueçam.. É SÓ RENTABILIZAR!!

    • Carlos says:

      Não é esse o objectivo de qualquer empresa privada ?
      No Estado é que não, dão sempre prejuízo, quem paga é sempre o mesmo, o Zé pagante.

      • Nuno says:

        “No Estado é que não, dão sempre prejuízo, quem paga é sempre o mesmo, o Zé pagante.”

        Verdadeira mentira, a grande maioria da empresas estatais davam e dão lucro. E em muitos casos, até se procedeu à sua destruição para depois se a privatizar a valores irrisórios, um destes exemplos é o CTT, tal como se tenta agora fazer o mesmo com a CP . Os CTT, EDP, REN, GALP, PT, ANA,… (acho que não preciso de listar mais para passar o meu ponto) davam bons lucros e serviam para financiar os cofres do estado.

  5. o trabalhador! says:

    Anda a arruinar o estado e a pagar 650 euros aos empregados da meo! Este gajo quer tudo para ele e nada para os outros. É uma vergonha!

  6. Gd says:

    Mais uma promessa não cumprida,
    Eduardo Cabrita disse no ano passado que o Estado iria ficar com 54%, mas afinal vai ficar com 33%.
    Dando a tão amada Altice o poder de decisão.
    Estamos a falar de um sistema que salva vidas se for bem feito, ou mata pessoas se não o for.
    E o que podemos nós fazer ??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.