PplWare Mobile

Datacenter da Covilhã: Altice Portugal vai investir 4 milhões


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

20 Respostas

  1. José Canasto says:

    Segundo uma teoria da constipação, o cubo não tem nada lá dentro e só serve para lavagem de dinheiro.

    • JV says:

      Isso é mentira.. Não está cheio de clientes, mas tem lá bastantes a funcionar. No inicio estava quase vazio mas com o tempo foi-se compondo!

      • António Fagundes says:

        Isso é mentira, já lá fui 2 vezes e está praticamente igual a como estava, só com uma das salas parcialmente ocupada, o resto está tudo vazio.
        O problema é que o datacenter do prior velho é mais barato, por isso os clientes não querem mudar, quanto muito colocam DR na covilhã, mas com serviços de cloud para DR ou com migração de serviços para cloud e com o deteorar dos serviços da PT/MEO, os clientes foram saído.
        Não tem cabimento nos dias que correm andar em IaaS partilhado sem qualquer segregação, e quando precisas de escalar memória ou cpu numa VM, primeiro tens contacto com o gestor de conta e depois vem uma proposta que depois de ajudicada é que dá origem a um ticket de aprovisionamento de e mais recursos, ou seja, algo que se devia fazer em 5 minutos (máximo, já a contar com SLAs e tudo mais) na realidade é feito tipicamente em 5 dias, caso o gestor de conta esteja de férias, ui amigo, sem comentários.
        Isso aliado a péssimos serviços de migração, e péssima qualidade nos técnicos de suporte vai empurrar a PT/MEO a começar a alugar o espaço ao desbarato como já anda a fazer, e qualquer dia vendem aquilo como bunker nuclear.. lol

        Logicamente o que refiro não é exclusivo desse player, mas todos os que agem como serviço no nosso país, Claranet, NOS, CGI, IBM, etc e tal.
        Fujam do serviço, querem flexibilidade e passar o vosso TCO a OPEX apostem na cloud, se esse não é um problema para vocês, deixem-se estar onde estão e façam as contas entre contratar bons recursos e pagar serviço, o que vos sai mais caro e vos dá menos problemas, da minha experiência, a trabalhar em serviço tipicamente tens 1 ou 2 bons técnicos, a dividir por algumas centenas de clientes, o resto são tudo informáticos amadores de baixo custo.

    • poiou says:

      Já ouvi dizer que o cubo está cheio de telefones, e alguns servidores

    • sakura says:

      LOL. Sera que devo fazer backup dos emails? Não me apetece mesmo nada …… só espero que o sapo não me perca nada.

    • DACM says:

      Como um dos responsaveis pela instalacao de todo o equipamento, posso confirmar que de vazio nao tem nada, ate tem demasiado.

    • Rui says:

      É verdade que o cubo não está cheio e o plano inicial compreendia 3 cubos! Mas chegaram à conclusão que 1 só chega e sobra!!!!!!

  2. Nuno José Almeida says:

    Maior não é. Melhor são opiniões.

    • António Fagundes says:

      Não é o maior mas foi projecto para vir a ser o maior, não teve é crescimento.
      Melhor.. prefiro mil vezes os datacenters da REN para hosting, não preciso de gestão de serviço, só sítio onde colocar a lata.

  3. Marco says:

    e só não mudaram tudo na altura….. porque coise e tal….

  4. ahramis says:

    Foi pena terem dado cabo do aeródromo da Covilhã… mas como vivemos num país de zombies obedientes tudo se compôs, como tb se há-de compor em Vila Velha de Rodão. Portugal ainda é um país de grandes oportunidades!

  5. António Martins says:

    Independentemente de ter ou não ter todo o espaço ocupado, independentemente de, para viabilizar a sua construção terem prometido 2500 postos de trabalho, essa obra JAMAIS deveria ter sido construída destruindo outra.
    O aeródromo era uma obra pública, paga com dinheiros públicos, um mero e passageiro autarca tem poderes para viabilizar ou não novas construções e empreendimentos, mas não tem mandato para destruir as já existentes. O Sr. Carlos Pinto não gostava de aviões destruiu o aeródromo, logo a seguir vem um que não gosta de futebol feita abaixo os estádios, depois vem um mais naturista e tudo a viver para cavernas.
    Esse assunto morreu no esquecimento porque as gentes da Covilhã foram demasiado pacíficas, porque essa história ainda deveria ser bem investigada e ver quem saiu a ganhar com tudo isso. A cidade e as gentes da Covilhã não foi certamente.
    Dos 2500 empregos apenas 60 e são essencialmente técnicos importados de fora, e acidade perdeu o mais antigo aeródromo do país sendo que agora os alunos do curso de aeronáutica têm de ir para Castelo Branco fazer os seus ensaios e festivais.
    E em termos paisagísticos a cidade ganhou um belo cubo que se enquadra magnificamente na paisagem serrana.
    Alguns políticos mereciam ter vivido duzentos anos atrás e estarem sujeitos às leis de então!!! O cubo daria um magnífico patíbulo de forca!

  6. Joaquim Correia says:

    O Datacenter da Covilhã, pode ser o maior, mas certamente não é o melhor.
    Já por diversas vezes fiz ver a alguns clientes meus que queriam colocar os seus servidores neste buraco, a não o fazerem.

    Em termos estruturais, o chão já abateu.
    Em termos técnicos, tem amadores aos comandos, já conseguiram por sites da comunicação social em baixo, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia