Quantcast
PplWare Mobile

Alerta: Sites portugueses vendem certificados da COVID-19 falsos

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Mitra says:

    Covid? As eleições nao acabaram com essa coisa?

  2. Vitor Tavares says:

    Na minha modesta opinião caso consigam descobrir os autores do esquema…a pena a aplicar deveria ser igual para quem vendeu e para quem comprou! Sem qualquer tipo de “atenuante” e com penas (detenção e multas) exemplares…

  3. Polo says:

    Gosto especialmente da foto do “médico”

  4. Eu sei lá says:

    As várias situações que encontrei em restaurantes, sobre o certificado:
    – Nem perguntam;
    – Perguntam apenas “Tem?” Dizendo que sim, entra-se;
    – “Tem? Mostre” Mostrando de longe, entra-se;
    – “Tem? Mostre?” Mostra-se, veem se está válido (os primeiros não tinham data de validade, não veem nada), entra-se;
    – Veem, com um smartphone, o código tipo QR. Nos muitos restaurantes onde estive só num viram ó código (Cervejaria Portugália). No único hotel onde estive também viram.
    Qualquer um pode ver a validade do certificado, lendo o código tipo QR, com a app Pass Covid.

    Tal como está a facilidade de vacinação, não é – muito – mais simples vacinar-se do que comprar um certificado falso?

    Em Portugal, a propósito dos “vacinas” (a larga maioria) e dos “anti-vacinas” (uma minoria reduzida) há uma questão que já se coloca, que ejá está resolvida) em alguns países, e está a começar em Portugal:
    – Nos locais de trabalho, os que estão vacinados não levam à paciência os que não se querem vacinar, por considerarem que põem em risco a sua saúde. Tudo leva a crer que nestas circunstâncias, quem não estiver vacinado, e recusa a vacinar-se, vai ter que fazer testes frequentes – a pagar pelo seu Estado, querem uns, a pagar do seu bolso, dizem outros (e que, a meu ver, faz mai sentido).

    • David Guerreiro says:

      O que eu vi foi patrões defenderem que os funcionários paguem os testes, aqueles que não foram vacinados. Eu acho bem, tem de haver consequências para tudo na vida.

      • Eu sei lá says:

        Isso foi o “patrão” da CIP. O da Confederação do Comércio queria que fosse o Estado a pagar os testes (para evitar chatices, e porque o Estado tem os bolsos largos … a encher com o dinheiro dos impostos).

        • roger says:

          > os que estão vacinados não levam à paciência os que não se querem vacinar, por considerarem que põem em risco a sua saúde

          Claro. Porque a vossa vacina só funciona, se eu tomar a minha. O nível intelectual desse argumento é muito revelador.

          Pior ainda é não terem vergonha de o demonstrar.

          • ToFerreira says:

            Quando pesquisares antes de falar, e souberes o que é imunidade de grupo, vais perceber porque a minha vacina só funciona quando perderes o medo de picas e tomares a tua.

          • roger says:

            Até sei, e não preciso de buscar definições. Para ti:

            https://en.wikipedia.org/wiki/Herd_immunity

            Devias saber que a imunidade vacinal de grupo — um conceito que só é estatisticamente inferido — aplica-se a proteger os não vacinados, ou em imunidade natural, todos aqueles que ainda não estiveram em contacto com a doença.

            E qual é a percentagem do dia?
            50%, 70% como no início do ano?
            80% como há uns meses?
            85%, como é a crença atual do povo?
            Ou já tens outros números para dar como palha?

            > perderes o medo de picas e tomares a tua.
            ‘Pica’ demonstra bem, mais uma vez o nível de maturidade intelectual.
            Quanto às vacinas, devo ter que tu. Só não aceito é injetar coisas em mim sem uma boa justificação.

            Ainda me lembro do tempo em que ensinavam as crianças a não experimentar drogas vindas de estranhos. Outra sabedoria já há muito esquecida.

          • ToFerreira says:

            Continuas sem perceber porque é que a minha vacina não funciona sozinha, não é verdade?
            A crença não é do povo, são valores calculados, que uma cabeça tão iluminada como a tua devia entender que variam conforme a evolução da doença, como sejam as variantes que surgem.
            Se não sabes o que é uma “pica”, vai ver ao dicionário, pode ser que entendas a diferença entre informal e intelectualmente imaturo. Claro que nem todos têm a tua maturidade intelectual para entenderem o que significa “Quanto às vacinas, devo ter que tu”.
            Uma pandemia mundial não é “uma boa justificação”, talvez prefiras um site brasileiro, ou um video do youtube?
            Portanto, os enfermeiros são “estranhos”… os mesmos que administram as restantes vacinas, ou seja, não tomas nenhuma. E se fores parar ao hospital, também não tomas “droga” nenhuma dada por aqueles “estranhos”, pois não?
            Estou estuperfacto com a tua maturidade intelectual! Mais um iluminado…

          • roger says:

            > entenderem o que significa “Quanto às vacinas, devo ter que tu”.

            […] “devo ter ***mais*** que tu”, dado que viajo pelo mundo todo.

            > os enfermeiros são “estranhos”

            Os enfermeiros fazem o que lhes dizem para fazer. O injétavel é experimental e, podes dizer o contrário se quiseres, mas então apresenta-me estudos de impacto a médio e longo prazo — mais de 1 ano. Os enfermeiros e, a maioria dos médicos, passam o que o “consenso” na sua profissão indica, até esse “consenso” indicar outra coisa. No seu trabalho só veem ao fim de algum tempo as consequenciais de grupo de algumas das suas decisões.

            A credibilidade para profissionais de saúde que fazem upload de danças para o TikTok enquanto dizem que os hospitais estão a abarrotar, já se esgotou há muito tempo.

            Quantos medicamentos foram retirados do mercado o ano passado?
            https://www.infarmed.pt/web/infarmed/alertas

            Qual a percentagem de efeitos secundários típica para vacinas?
            https://vaers.hhs.gov/data.html

            Quantos protocolos foram alterados o ano passado?

            COVID-19 FDA Response: Guidance on Protocol Amendments and Clinical Study Reports in Affected Ongoing Trials
            https://acrpnet.org/2020/08/10/covid-19-fda-response-guidance-on-protocol-amendments-and-clinical-study-reports-in-affected-ongoing-trials/

            > Uma pandemia mundial não é “uma boa justificação”, […]
            Se a pandemia tem um risco relativo para pessoas abaixo dos 60 anos sem co-morbidez de menos de 0,005%, apesar de todas as chalaças estatísticas já comprovadas; não, não há nenhuma boa justificação para alguém nesse grupo se vacinar. Se a imunidade de grupo está a ser atingida, ainda menos justificação resta.

            Agora, se o injetável não funciona para proteger quem a toma, isso já é uma discussão diferente.
            Aí discute-se porque que é que alguém num grupo de risco deve tomar um fármaco que não funciona e onde se incorre em efeitos colaterais com alguma percentagem de risco.

          • Adeus says:

            Que tamanha ignorância é a sua…. E ainda fala de inteligência… Tome juízo.

          • ToFerreira says:

            Como é que viajas “pelo mundo todo” sem “experimentar drogas vindas de estranhos”, os mesmos estranhos que administram a vacina COVID? Os mesmos ” enfermeiros fazem o que lhes dizem para fazer”? Como? Impacto a mais de 1 ano? E se as consequências forem a mais de 2 anos? E se forem a mais de 20? Quantos anos serão seguros para ti? Sabes o que seria bom? Fabricarem as vacinas com substâncias com efeitos já conhecidos há largos anos, em vez de utilizarem substâncias alienígenas, não era?
            Em que é que os videos do tik tok influenciam os numeros dos internamentos hospitalares? Seré que os milhões de videos do tik tok de artistas que “viajam pelo mundo todo” também dizem alguma coisa sobre ti?
            “a pandemia tem um risco relativo para pessoas abaixo dos 60 anos sem co-morbidez de menos de 0,005%” Inventaste essa treta agora, ou já há muito?
            ” a imunidade de grupo está a ser atingida” precisamente graças à vacinação, qual foi a parte que não compreendeste?
            ” fármaco que não funciona ” são umas idiotices pegadas atrás de outras… pegam-te à mentira ou ao tempo?
            ” incorre em efeitos colaterais com alguma percentagem de risco”
            Qual é o fármaco que não ” incorre em efeitos colaterais com alguma percentagem de risco”?

            Como é possivel alguem conseguir proferir tanta imbecilidade num comentário só?!

          • roger says:

            > Como é que viajas “pelo mundo todo” sem “experimentar drogas vindas de estranhos”

            As restantes vacinas já foram implementadas há décadas. Foram validades por múltiplos estados e biliões de pessoas. Tem parâmetros definidos, e são estáveis. Não compostos novos, com tecnologias novas, e que têm maus registos anteriores.

            De um estudo relacionado para o SARS de 2021:
            https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22536382/

            > ” a imunidade de grupo está a ser atingida” precisamente graças à vacinação, qual foi a parte que não compreendeste?

            Qual é a parte que não te encaixa que a imunização de grupo aplica-se apenas a proteger quem não tem imunidade natural ou vacinal?

            > “a pandemia tem um risco relativo para pessoas abaixo dos 60 anos sem co-morbidez de menos de 0,005%” Inventaste essa treta agora, ou já há muito?

            https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0013935120307854

            > ” fármaco que não funciona ” são umas idiotices pegadas atrás de outras…

            Se funciona, de que é que os vacinados tem medo e para quê tentar forçar os não-crentes a aderir ao culto? 😉

            > Qual é o fármaco que não ” incorre em efeitos colaterais com alguma percentagem de risco”?

            Exato. Nenhum.
            Por isso não se obriga ninguém a tomar medicamentos, nem sequer a pacientes a quem foi prescrito um fármaco após consulta. As tomas de medicamentos comportam riscos e como tal é uma escolha individual.

          • roger says:

            Correçao de typo:
            o SARS de 2021: -> o SARS de 2012:

          • roger says:

            E já agora, em relação a um dos riscos que ainda não foi mitigado, e como complemento à resposta das terapias experimentais, como esta é:
            “Antibody-dependent enhancement and SARS-CoV-2 vaccines and therapies ”
            https://www.nature.com/articles/s41564-020-00789-5

      • Coisotal says:

        Eu discordo e também concordo, ao mesmo tempo
        Sendo obrigatório e exigido pela empresa, deveria ser a mesma a suportar os custos
        É como os EPIs que têm que ser gratuitos para o trabalhador, pois a empresa deve dar as condições para o trabalhador trabalhar
        Senão é literalmente “pagar para trabalhar”
        Porém, só se coloca nessa situação quem quer e quem não se vacina, está a prejudicar as outras pessoas que estão vacinadas, além de que a empresa não tem responsabilidade em quem não se quer vacinar
        Portanto é complicado, mas pelo menos isso incentiva os anti-vacina a vacinarem-se

  5. says:

    Tendo em conta a quantidade da nossa população vacinada diria que os únicos que devem recorrer a estes serviços são os negacionistas portanto deixem-nos andar que assim não gastam dinheiro em megafones…

    • Eu sei lá says:

      Há 85% (um pouco mais) de população vacinada. O restante inclui as crianças com menos de 12 anos, os distraídos e os negacionistas.

      Os nagacionistas. com e sem megafone, andam à volta dos 4%. Percebe-se a necessidade de que façam testes frequentes, em locais de trabalho ou se prestam serviços ao domicílio (se estiverem em casa, não é preciso). Quem paga os testes – o Estado, ou os próprios, dado que as empresas não querem pagar – falta resolver.
      Se recorrerem aos certificados falsos – e se f***rem, não tenho pena.

  6. Marco says:

    Eu não fui vacinado com nenhuma dose ainda, mas não sou negacionista.
    A associação de quem não é vacionado é negacionista faz-me um bocado confusão, as pessoas podem só simplesmente não ter tomado a vacina e ficar na sua? Quem está vacinado mesmo após 14 dias continua a apanhar o vírus, continua a transmitir o vírus, continua a ser internado se for caso disso e a morrer portanto têm tanta responsabilodade, como quem não está vacinado! Eu não tenho vacina alguma mas saiu de casa com máscara, entro em casa com máscara, desinfeto as mãos antes e depois de comer, ou depois de cumprimentar alguém e respeito todos os protocolos para me manter seguro a mim, e do que depende de mim os outros.
    Boa parte desses 85% fazem o mesmo? Pois… ah mas estão vacinados é verdade é como se já estivessem curados e o covid acabado ao que entendo, já antes da não obrigatoriedade da máscara na rua as pessoas andavam, via nos centros comerciais e não só pessoas com a máscara a tapar o queixo, em cima das outras nas filas com a máscara a fazer de cotoveleira e a fumarem, as portas dos cafés idem, na noite a esmagadora maioria tudo a penha e sem máscara… e a preocupação é os não vacinados, ou será os irresponsáveis? A mim sem dúvida me parecem os irresponsáveis, mas é a minha opinião que vale o que vale!
    A propósito ainda não tomei porque não sinto confiança na vacinação existente pelo que mencionei acima, porque por exemplo na variante delta vale muito pouco ou nada, e ao que sabe é essa mesmo que está em Portugal a causar infecções, e parece-me muito aos trambolhões e meio aos apalpões e assim sendo fico na minha, sigo o conselho de um médico americano que disse que a maior vacina é a máscara, o álcool gel, e o mais importante a nossa consciência e responsabilidade.
    Sei que a maioria não concordará, mas como devem calcular a mim diz-me 0 sou eu é a minha opinião, sou responsável e por mim ninguém será infetado, e não me sinto de todo mais ou menos “perigoso” para a sociedade por não estar vacinado e ainda acrescento como disse o maior perigo são os irresponsáveis e não, os não vacinados.

    • falcaobranco says:

      Marco a sua opinião é a sua opinião e acho que temos que aceita-la como ela é…uma opinião.

      Mas queria chamar a atenção para o ultimo paragrafo que indica que é responsavel e por si ninguem será infectado…e nessa base queria-lhe perguntar:

      – Consegue perceber se tem o virus consigo no corpo?
      – Consegue perceber se já transmitiu o virus mesmo não tendo sintomas?

      Se calhar não consegue perceber… simplesmente porque o virus não tem cor, não tem cheiro e basta segundos para entrar na sua corrente respiratoria…

      Mas lá está… é a minha opinião, assim como a sua!

      • Kim-Yang-Zun says:

        E qual é mesmo a diferença para quando é um vacinado a transmitir? O vacinado sabe?

        • Antonio says:

          Não se preocupem.
          É só lavagem cerebral.
          Dividir para reinar. Assim o pessoal anda entretido e não vê o que interessa.

          • Marco says:

            És o único com certeza a interpretar como divisão, porque pelo menos eu dei a minha opinião apenas e jamais em tempo algum mencionei algo para 3°s fazerem isto ou aquilo portanto… só esclarecer!
            Mas já agora se não for incomodo e porque fiquei curioso, podes dizer o que interessa e o pessoal que anda entretido não vê? Ou foi só desabafo?

          • Antonio says:

            É só pandemia.
            É só vacinados e não vacinados.
            É só “passaportes” da treta…

            Os amigos, a família, a união entre pessoas, está tudo a desmoronar.
            Isto é a que me refiro. Tudo está quebrado e o pessoal não vê o óbvio, que é o que realmente importa.

          • Marco says:

            Nesse ponto Antonio acho que o pior vírus que existe se chama redes sociais, e nem falo de união, falo meramente de relacionamento, de convivio, de conversa de coisas básicas e simples da vida, sem dúvida que nesse ponto seria para mim como os governos de alguns paises fazem ou pensam fazer limitar a 2h semanais as redes sociais para ver se as pessoas acordam para vida e vivem a vida real.
            Concordo, embora seja outro tema e assunto!

      • Marco says:

        Tem toda a razão falcao e concordo a 100% consigo e não estou a ser irónico estou a ser sincero, eu digo que por mim ninguém é infetado com base e confiando nos resultados dos milhentos testes que tenho feito desde fevereiro de 2020 15 em 15 dias e sempre deram negativo, agora se posso afirmar a 100% que nunca tive e que nunca infetei ninguém? Claro que não.
        Mas confiando nos profissionais, e felizmente na minha família próxima que até hoje felizmente e espero que assim se mantenha ninguém foi infectado e nos testes que fiz o dizer, e tal como as pessoas vacinadas confiam nas vacinas eu tou a confiar nos testes.
        Mas entendo a questão e concordo a 100% faço questão de frisar.

      • Marco says:

        Tem toda a razão falcao e concordo a 100% consigo e não estou a ser irónico estou a ser sincero, eu digo que por mim ninguém é infetado com base e confiando nos resultados dos milhentos testes que tenho feito desde fevereiro de 2020 15 em 15 dias e sempre deram negativo, agora se posso afirmar a 100% que nunca tive e que nunca infetei ninguém? Claro que não.
        Mas confiando nos profissionais, e felizmente na minha família próxima que até hoje felizmente e espero que assim se mantenha ninguém foi infectado e nos testes que fiz o dizer, e tal como as pessoas vacinadas confiam nas vacinas eu tou a confiar nos testes.
        Mas entendo a questão e concordo a 100% faço questão de frisar.

    • Adeus says:

      Compreendo a sua situação. É compreensível. O importante é continuar a ter cuidados.

      • Marco says:

        Isso terei sem dúvida alguma, a máscara e o álcool gel para mim vão ser obrigatórios até 1/2 meses depois de não ser registado qualquer caso de covid, se for caso disso (e não voltem mais vagas ou variantes) e espero que sim e seja depressa!
        Caso descubram a vacina que realmente é eficaz contra as variantes todas até agora conhecidas e seja realmente completa ai sim serei dos 1°s a agendar e a querer tomar a mesma!

        • António M. says:

          “Caso descubram a vacina que realmente é eficaz contra as variantes todas até agora conhecidas e seja realmente completa ai sim serei dos 1°s a agendar e a querer tomar a mesma!”
          +1, passo a ser o segundo a agendar.

          Entretanto estes lorpas dos vacinados é que papam tudo o que “especialista da tanga” apregoam. Façam como eu, não vejo noticias, não sei o que é redes sociais nem ando atrelado ao que os outros dizem, sejam negacionista ou afirmistas.
          Sim vivo numa caverna, para não ter que levar com os microcefalicos.

    • Manuel Costa says:

      Se “não confia na vacina”, então é um negacionista… esse é o mesmo ponto que 100% dos negacionistas usam.
      Já agora, também se recusa a levar as outras vacinas? Ou recusa apresentar a carta de condução, até ao oficial da polícia lhe apresentar uma declaração de um juiz e do ministro da administração interna que lhe indique que pode identificar pessoas?

      • Marco says:

        Não, não sou meu caro mas são pontos de vista!
        Negar-me a levar eu a vacina e ficar mo meu canto sossegado é bem diferente de me andar a manifestar e a fazer propaganda para os outros não tomarem a vacina, e chamar nomes ao vice almirante… se para si o negacionista é quem não quer ser vacinado sim então sou, os chamados “negacionistas” que nos referimos são os manifestantes que pretendem influenciar 3°s isso não sou.

        Respondo como uma questão a todas as suas…

        Voce também nunca aceita uma posição, ideia, opinião, visão, maneira de estar perante a vida, postura e tudo o que seja contrário ao que voce defende?

        Depois deixo uma questão..

        A vacinação é obrigatória por lei em Portugal por acaso?

        É que num dos exemplos que deu é obrigatório, não é opcional e se um agente de autoridade me pedir a identificação terei de a fornecer e a negar sim estou a agir contra a lei!

        O que realmente tem tudo a ver com o exemplo que deu, é que calculo que deva saber a diferença entre opção e obrigação, certo? Pode parecer o mesmo só que não… acabam ambas em “ção” mas são completamente distintas.

      • Marco says:

        Pois bem me parecia, que tinha sido só um comentário para aliviar a comichão nos dedos!

  7. Guilherme says:

    Posso vender o meu se alguém pagar bem por ele!

  8. Gates says:

    Nos restaurantes onde fui e me pediram certificado nunca me pediram o cartão cidadão.
    OU seja se tivesse mostrado o certificado do meu irmão ou amigo era igual ao litro.

  9. Sardinha Enlatada says:

    Mas este pessoal continua com os mesmos argumentos antigos ? A culpa do virus continuar vivo sao os assintomaticos, os que nao tomam vacina. Realmente nao e preciso muito para transformar as pessoas em zombies. E eu ainda me pergunto, quantos de voces andaram ou andam na faculdade e acreditam nessa treta toda ? Inacreditavel. Vao ser uns bons doutores quando terminarem a faculdade (se for o caso) uma vez que nao conseguem criar uma opiniao propria e analisar as coisas como um todo. Maria vai com as outras, neste casoi tambem Zes vao com os outros. Palavras para que, sao uns verdadeiros artistas Portugueses. La vem os macaquinhos de imitacao querem ver.

  10. João says:

    As vacinas estão a perder eficácia de forma tão rápida que quem não tiver a terceira dose, para mim, é como se não tivesse vacinado. Sejam responsáveis.

  11. Eu sei lá says:

    Resumindo e concluindo:
    – O Estado não vai obrigar os anti-vacinas a vacinar-se (para o pessoal médico e hospitalar e pessoal dos lares, pode vir a ser obrigatório).
    – A quem não se quiser vacinar, e trabalhe em locais de trabalho com várias pessoas, ou ao domicílio (quem trabalhe em casa não é preciso) , vão ser exigidos testes frequentes – não menos de duas vezes por semana.

    Façam lá um post a perguntar se, nesses caos, os anti-vacinas:
    – devem fazer testes frequentes (duas vezes por semana)?
    – nesse caso, quem deve pagar os testes: os próprios; as empresas; ou o Estado (i.é, os contribuintes)?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.