Quantcast
PplWare Mobile

Acabaram as fraudes fiscais? Faturas com código QR chegam em janeiro

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Miguel Monteiro says:

    No entanto uma pessoa para meter o ficheiro SAFT ainda tem de ir ao Internet Explorer para conseguir usar Java…

  2. Flavio Ribeiro says:

    passa a ser um sistema fiscal igual ao da Austria!

    • Euéquesei says:

      Na Áustria não há apagões informáticos executados de forma cirúrgica para milhões de milhões de euros serem colocados em offshores pela porta do cavalo.

      Não queira comprar a Áustria com Portugal, é que não tem mesmo nada a ver.
      Vá lá 1 ou 2 semanas de férias e depois volte e conte o que viu.
      Até parece que está noutro planeta…

      • Eleéquesabe says:

        O meu amigo que sabe tanto devia era enviar essa informação à PJ, para ver se ficamos mais parecidos com a Áustria. Que doença esta de rebaixar tudo o que é nosso. Você sabe sequer a dimensão de valor de “milhões de milhões de euros”? Ganhe juízo.

        • Euéquesei says:

          Eleéquesabe, seja criativo, ao menos isso.
          Deve pensar que a PJ não sabe da história, devem estar à minha espera.
          Vc não sabe que a PJ não pode nada contra os grandes tubarões? Ah não sabia disso.
          Pense lá bem e diga me quantos indivíduos tipo donos disto tudo, com fortes indícios de irregularidades, foram detidos e presos.
          Quantos são? Quantos são?
          Em relação aos offshore, mas sou só eu que acho estranho ter havido aquele incidente e que foi logo aproveitado para alguém mandar o dinheiro para fora?
          Se era tudo legal porque aproveitou o apagão e não fez às claras?
          Não sabe?
          Pois, eu tb não…. Em relação aos valores, não sei o montante, mas devem ser várias fortunas envolvidas.
          Ah já sei, vc pensa que só uma pessoa aproveitou o apagão…. Santa ingenuidade.
          Tenha juízo mas é vc e abra os olhos e pense pela sua cabeça. Não se deixe formatar pela propaganda.
          Sei que é pedir muito, mas pronto…
          Eu critico sempre que acho necessário perante as coisas más.
          É sou valor ao que de bom fazemos o problema é que as coisas más são bem superiores ao de bom.
          É assim, quer ver as coisas de modo oposto? Está no seu direito.
          Diga me lá outro país com tantas bancarrota como o nosso nestes últimos 45 anos.
          Aguardo….

        • Euéquesei says:

          Eleéquesabe, Se eu lhe disser o valor aproximado detido por Portugueses em offshores, vc caía para o lado.
          Esse valor que se riu deixava logo de rir…
          Vá, diga me lá para ir à PJ dizer isto, como se eles não soubessem.
          Aproveito e recomendo lhe que logo que esta coisa do vírus esteja ultrapassada, para visitar a Áustria.
          Depois conte me como foi e como é que podemos transformar Portugal numa Áustria.
          Dizer para trazer os austríacos todos para cá não vale.
          Eles não querem vir…

        • PORTUGAL says:

          Grande verdade, amigo, nenhum país do mundo envia pela net os elementos fiscais das faturas, como Portugal, este sistema é único e nosso.

        • Atento says:

          O Sr. Euéquesei refere-se ao apagão «cirúrgico» que permitiu a evaporação de 7 mil milhões + 3,4 mil milhões (estimados) pouco antes do «estouro» do BES.
          essas foram as saídas de capital de quem já sabia o que ia acontecer.
          Foi uma realidade e, por não ter afectado apenas os sistemas tributários (afectou outros sistemas de controlo de fluxos de capitais) é que ficou a imensa suspeita no ar … coincidências (isto sem que alguma tenha sido possível provar qualquer dolo, mas por cá é normalmente assim, a culpa morre solteira).

      • Flavio says:

        Só estou a dizer que está “tecnologia” já lá existe. Não sei se sabe mas o saft é uma norma da EU não foi nada criado por Portugal!!! Eu sei bem o que é a Áustria. Funciona melhor em muita coisa menos no clima 🙂

      • Melga M says:

        Parece que só lês os cabeçalhos, já houve desenvolvimentos, já foi investigado e já chegaram a conclusões para tua surpresa.
        Podes fazer um bom uso da net procurando as conclusões.
        Esses milhões que tu falas, pertencem a alguém, que os pode movimentar para onde quiser, desde que pague os impostos devidos.
        Mas para ti já deve ser natural, os Bancos em Portugal terem que comunicar ao Governo quem tem contas iguais ao superiores a 50.000.00€, que foi aprovado pelo Governo da geringonça. Qual o objectivo ?

        • Euéquesei says:

          Oh Melga, mas vc acha mesmo que foi investigado e que a conclusão foi essa?
          A sério?
          Mas vc viveu estes anos todos em Plutão e chegou hoje?
          Isto foi só para Inglês ver….
          Se tudo foi legal porque é que o indivíduo ou grupo que fez a transacção aguardou pelo apagão e não fez de forma normal?
          Consegue explicar me isso?
          Em relação às contas de 50 000 euros, escrevi comentários abundantes neste mesmo site sobre esse assunto.
          Vou repetir, este controlo não serve para combater corrupção coisa nenhuma.
          Quem é corrupto não mete o dinheiro no banco.
          Ninguém é assim tão otário.
          Este controlo serve, e aqui é que está o perigo, para saber onde é que o Estado pode ir meter as unhas em caso de necessidade.
          Ou seja, estas contas passam a ser apetecíveis para um possível confisco de uma parte ou mesmo a totalidade.
          Não acredita? Informe se sobre o que aconteceu no Chipre na última crise…
          Aguardo então a sua explicação porque é que a transacção foi efectuada durante o apagão e não de forma normal se, como diz, era tudo legal.
          Cumprimentos

  3. Samuel MG says:

    Não é viavel:
    “Para facilitar todo o processo, as faturas terão um código QR e o contribuinte pode “scanar” o código e proceder de imediato ao registo da fatura no portal e-fatura”

    O governo assume que todos têm computador ou smartphone, mas esqueceu que 60% da população são os idosos que nem smartphone sabem usar.

    • Manuel says:

      “60% da população são os idosos que nem smartphone sabem usar”
      Não sei quem são estes idosos que representam 60% da população. Além disso, experimentem dar um smartphone ou um tablet a pessoas com 60, 70, 80 anos. Com pouca ajuda, ao fim de muito pouco tempo fazem muita coisa. Com um smartphone consegue-se aceder a quase todos os serviços, há excepções.
      Também há aquelas pessoas que podem fazer uma com 3 ou 4 toques no smartphone ou PC, mas preferem ir entupir repartições de finanças, SS, etc… etc…
      A pior coisa é a velha ou pobre mentalidade

      • Samuel MG says:

        Vais ao interior do país e logo vês.

      • Melga M says:

        Caro Manuel, pelo seu intróito se depreende que o futuro de Portugal está em causa.
        Licenciaturas em redes sociais é o que dá.
        A escola também não ajuda… é um ciclo vicioso para quem não pensa !

        • Manuel says:

          Melga, o intróito, está “”, referia-me ao post anterior 😉 eu coloco em causa essa frase.
          Licenciaturas? Precisaste de uma licenciatura para usar um smartphone?
          Podias dizer Google. Dá-te todas, (ou quase) as respostas.
          Basta querer, mas lá está, é um ciclo vicioso para quem não pensa ou não quer

      • Luis Martins says:

        Daqui a menos de 4 meses tenho 60 anos de idade experiente você ou 99% dos jovens ter oa conhecimentos em tecnologias como eu e vai constatar que são voces os jovens que sao analfabetos, e estou falar de desenvolvimento de software, ou de segurança informática ou de telecomunicações, nao é usar um simples smartphone ou computador .
        Devia saber que já ha velhotes a saber mais que os jovens. Há 10 anos atrás eu pensava que era “velhote” , conheci um engenheiro israelita que estava reformado e vivia na Suíça, estava a ensinar a desenvolver software para o Android para engenheiros informáticos jovens, bom descobri que eu nao era um velhote, pois só tinha 50 anos e ele ja tinha 67 anos. Nunca mais na minha vida irei classificar-me como velhote, pois continuo a ter mais capacidade e conhecimentos que 99% dos jovens.

    • ze says:

      Isto não é para obrigar ninguém a usar, é apenas mais um método de axuiliar no controlo.
      Os velhos aos poucos vão morrendo, deixa vir mais uns covids.

      • Melga M says:

        Existem os animais racionais e os irracionais, que é o seu caso.
        Desejar a morte a alguém é de um nível muito baixo, que é o seu.
        Vc devia era deixar de poluir o planeta com o seu CO2.
        Vc anda a praticar para ser Estaline ou Hitler ?

        • Euéquesei says:

          Melga, não compare o Estaline com o Hitler.
          Tb não sabe que boa parte da população portuguesa gosta do Estaline?
          Pelo menos até levarem com um, depois já não gostam.
          Nós até temos presidentes de câmara a dizer que tem dúvidas que a Coreia do Norte não seja uma democracia.
          Veja lá vc uma coisa destas.
          Cumprimentos

    • rui says:

      Boa tarde.
      Não vi referido no texto, mas pelo que eu li há um tempo, apenas as facturas sem NIF do cliente terão o codigo QR.
      As facturas com NIF entram automaticamente no ficheiro SAFT para as finanças.
      O codigo QR vai servir para facilitar o “upload” no respectivo contribuinte por meio de um smartphone (sem ter de introduzir os dados todos da factura “a mão”).
      Ou seja, quem pedir a factura com NIF não tem de se preocupar com o codigo QR (mesmo que esteja na factura), pois irá entrar no e factura sem fazer nada.

    • PTO says:

      60% da população são idosos? Ora mostra lá o link para a fonte oficial dessa tua percentagem.

    • Tuaregue says:

      as faturas com nif ja entram automaticamente no portal das finanças, uma vez que as empresas sao obrigadas a enviar o ficheiro saft com as faturas. isto é para casos pontuais.

  4. David Guerreiro says:

    Se as faturas são declaradas pelo comerciante não há nada que inserir faturas manualmente no E-Fatura. Se há quem não faça a declaração das faturas agora, não é por terem o código QR que passam a fazê-lo.

  5. Manuel says:

    Há muitas coisas a fazer, é certo, mas tanto deita a baixo, só queixinhas!!!
    Quando se pedem ideias concretas exequíveis ou simplesmente ir votar quando há eleições é ver este pessoal a assobiar para o lado.

    • Euéquesei says:

      Votar? Eu voto sempre, mas repare que os partidos que ganham são sempre os mesmos, um mais que outro.
      Ainda não reparou que, exceptuando eu e mais um ou outro comentador, todos acham que este país está bem e recomenda se?
      Deixe andar, quando rebentar, rebentou.

      • Manuel says:

        Pelo contrário, há muito para fazer neste país.
        Todos dizem: país de corruptos. mas alguém vai às assembleias de freguesia e municipais pedir contas, justificações?
        Vêmos a fraude, mas não a denunciamos.

  6. poiou says:

    Atenção, ninguém garante que será em janeiro.
    Uma vez que para dar exequibilidade a isto, ainda falta a regulamentação que define as características do qrcode, assim como a infraestrutura que o suporta. E todos sabemos como funcionam cá as coisas.
    Em relação à utilidade, pode servir para não ter de dizer o nif em voz alta, para ter a fatura.com o nif de um familiar. Se não querem que roubes as facturas, registem-nas vocês ou pecam com nif que vai directo.
    Também podem servir para detectar software de facturação que permita não comunicar certas faturas.

  7. Sardinha Enlatada says:

    E porque nao assumir quando se emite uma factura do comerciante com ou sem contribuinte a propria maquina ja enviar essa informacao para as financas ? E possivel que se tenha de fazer algum investimento para essas tais maquinas fazerem isso mas o estado gasta dinheiro com tanta porcaria bem poderia ajudar os comerciantes a adquirir maquinas desse genero. Ficava o problema resolvido. A unica situacao que podia acontecer era o comerciante nao emitir factura da maquina e ficaria sem se saber se entrou dinheiro ou nao em caixa.

    • Euéquesei says:

      Tanta gente a falar em facturas daqui e dali.
      Onde é que estão as facturas na festa do adiante?
      O que é que o Estado diz sobre isso?
      Vergonha, só posso dizer isto.

      Forte com os fracos e fraco com os fortes?
      Enfim….

    • JJ_ says:

      Isso já acontece… chama-se SAFT.
      Sinceramente ainda não percebi a utilidade desta opção.

  8. JJ_ says:

    Esta funcionalidade só faz sentido, para as facturas que sejam passadas manualmente.
    Todos as facturas feitas em programas informáticos, a informação é passada no mínimo mensalmente para as finanças através do SAFT.

    Por isso, tinham era de obrigar as gráficas, que fazem livros de facturas/recibos, a imprimirem esses livros com o dito código QR. Mas acho que essa parte foi deixada de lado…

    O que realmente já era tempo, era acabar com essa historia das facturas em papel!

  9. xnelox says:

    Não percebo, há uns tempo saí uma informação que as empresas não precisam de emitir as faturas, agora o consumidor vai sanear faturas fantasma?!

  10. PORTUGAL says:

    Não será só as faturas sem NIF, todos os documentos internos, vão ter qr-code, para se poder fazer a leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.