PplWare Mobile

50 anos do primeiro homem na Lua. Por que razão Armstrong saiu primeiro?


Imagem: Nasa

Fonte: CNET

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Pirata das cabernas says:

    Para m foi o pai natal o primeiro a chegar à lua.. E não.. Não sou da teoria da terra redonda

  2. Ricardo Pereira says:

    Na realidade, segundo um documentário que passou no Discovery Channel se não estou em erro, o Armstrong foi o primeiro porque era mais amigável, era mais “likable” para o publico americado enquanto o Aldrin era visto como sendo mais agressivo e etc. Por isso é que eles arranjaram essa desculpa da escotilha.

    • Geraldo Lopes says:

      Pois era justamente o contrário… Armstrong era extremamente reservado, raramente aparecia em público e concedeu pouquíssimas entrevistas, principalmente após a missão Apollo 11. Já Aldrin, sempre foi falante, adora dar entrevistas, participar de documentários, fotografias e autógrafos com fãs. Aldrin sempre foi o “relações públicas” da histórica missão.

  3. Roberto K. M. says:

    Para romper a força de gravidade da Terra, é necessário atingir a velocidade mínima de 11 km por segundo, ou 39.600 km/h. Na Lua, por ser menor e ter menor força gravitacional, a velocidade de escape é mais reduzida, exigindo o mínimo de 2,4 km por segundo (8.640 km/h). A descolagem da Terra exige um brutal consumo de energia, daí a razão de a maior parte da fuselagem dos foguetões serem para transportarem o combustível que é queimado em poucos minutos.

    • José Pedro says:

      É incrível que, com velocidades tão diferentes, tenham levado 4 dias a ir e 4 dias a regressar! (Não duvido mas espanto-me). Talvez a velocidade no espaço, fora das órbitas dos dois planetas, resulte igual.

      • Nuno V says:

        Não existe mistério nenhum. Após o CM sair de órbita e os motores serem desligados, a nave vai perdendo velocidade durante uma proporção significativa da viagem devido à gravidade da terra. Apenas após ter percorrido 90% do percurso é que a gravidade da lua fica mais forte que a da terra. Após essa distância o CM começa a ganhar novamente velocidade. Durante o caminho de volta, acontece inverso. Durante 10% da viagem a nave perde velocidade, passado essa distância a nave começa a ganhar velocidade até chegar à terra. Isto faz com que o tempo de ida e volta sejam basicamente o mesmo.

  4. Kan says:

    para mim a lua é de Sao jorge! tem ate o desenho! kkkkk

  5. BlackFerdyPT says:

    Tivessem perguntado ao Stanley Kubrick – que foi quem, aparentemente, dirigiu o filme em causa (com imagens falsas, para esconder a tecnologia avançada que foi usada na verdadeira alunagem).

    E, perguntem a alguém na NASA se o operador de câmara em causa foi o mesmo que, por exemplo, na Apollo 17 ficou “para trás” (a filmar a descolagem, fazendo zooms a redireccionando a câmara).

    Perguntem também, já agora, a qualquer astrónomo amador se, na superfície de um tão pequeno planeta praticamente sem atmosfera, e ainda por cima sem “poluição luminosa” de cidades situadas perto do local, não é suposto ver-se *imensamente bem* tudo o que são estrelas no céu.

    Etc…

    (Boa sorte a tentar encontrar bons sítios na Internet que desmontem a história oficial. O Google já tratou, nos últimos anos, de ir escondendo os melhores.)

    • Fulano says:

      Flat Earth beloved alert!!!

    • Toni da Adega says:

      Não existe poluição luminosa mas o solo está iluminado o que é estranho porque é de noite.
      E já agora consegues tirar fotos da lua cheia e de todas as estrelas à volta, não sei o que acontece mas quando a lua está luminosa as estrelas à volta desaparecem. Devem estar a dormir.

      Deviam ter perguntado ao Stanley Kubrick, que tecnologia é foi utilizada para baralhar os radares e satélites russos, e muitos anos depois as sondas chinesas, porque até hoje eles juram que aterraram lá.

      • Pedro Fonseca says:

        @Toni da Adega, “solo está iluminado o que é estranho porque é de noite”!!!
        Como!!!??? Quem te disse que era de noite!?
        Todas as alunages ocorreram durante o dia lunar!

    • Ed Fendell says:

      Olá BlackFerdy

      A descolagem do Apollo 17 foi filmada remotamente por Ed Fendell com antecipação do delay apartir do centro de comandos em Houston, por isso é que no apollo 14 e 15 não ficou tão bem filmado.

      As estrelas não são visíveis nas imagens devido a uma limitação das câmeras digitais chamada alcance dinâmico, podes pesquisar.

    • José Pedro says:

      Eu gosto é da descolagem da Apollo 17 na Lua! Aquele peidinho com faíscas foi o suficiente para o lançar em órbita! Ah ah ah ah ah!

      • Miguel says:

        Se os EUA não fossem à lua, os Russos tinham desmascarado tudo. Há imagens de satélites que tiraram fotos às coisas que os americanos deixaram para trás na lua, marcas de rodados, as sombras das bandeiras (apesar de estarem brancas), equipamento cientifico, os restos das Apollos. Continuam a querer acreditar em teorias da conspiração. Como dizia o Stephen Hawking, os governos nem conseguem governar como deve ser, quanto mais enganar o mundo todo (incluindo os inimigos). Ganhem juízo.

    • gui says:

      BlackFerdyPT – Pelo menos alguém com cérebro. Parabéns.

    • milkshaker says:

      Por acaso eles aterraram no lado “luminoso” da Lua, banhada pelo sol. Ou também não se vê a Lua da Terra. Isso que estás a dizer até faz sentido mas do outro lado da Lua.

      • José Pedro says:

        Com temperaturas superiores a 100ºC! (Não duvido mas espanto-me).

        • Nuno V says:

          Temperatura não equivale a calor. Existe uma diferença. Temperatura é a energia cinética média que as partículas possuem. O calor é a energia térmica transferida de um sistema para outro. Como por exemplo, a termosfera, como as partículas que a constitui possuem uma energia cinética muito elevada, a temperatura pode chegar aos 2500° C. No entanto, como é básicamente um vácuo, se levasses um termómetro para lá, este indicaria bem abaixo dos 0°.

        • Frederico Almeida says:

          Eduque-se:

          They were built to protect the fragile bodies of humans in outer space. Temperatures on the moon swing from 120 degrees Celsius (248 degrees Fahrenheit) by day to minus 150 degrees Celsius (minus 238 degrees Fahrenheit) by night. The spacesuits were even intended to withstand strikes by minuscule meteorites. But time is taking its toll on the suits the Apollo 11 astronauts wore when they set foot on the moon for the first time on July 20, 1969.

          “Three factors have caused the suits to deteriorate — light, humidity and temperature,” Cathleen Lewis, curator of the Smithsonian Air and Space Museum in Washington, told SPIEGEL ONLINE. The humid summers in the US capital are doing more damage than the air vacuum and the drastic temperature swings the suits were exposed to on the moon.

          The rubber is corroding, the metal parts are rusting and the plastic parts are disintegrating.

          The spacesuits consist of 21 layers of different materials. Closest to the body is a soft overall into which plastic tubes for water circulation were sewed. The next layer is made of nylon with ventilation slits, followed by a multilayered suit made of various synthetic materials for pressurization. The waist, knees and elbows were cushioned with foam rubber. A polyethylene terephthalate (PET) foil combined with other fireproof materials protected the astronauts from the heat. The outer coating is made of white Teflon.

          • José Pedro says:

            Que bom ter um sujeito que copia textos em inglês de um site qualquer na Internet (será da Spiegel Online?) para me dar educação!

          • Pedro Fonseca says:

            José Pedro, quando uma pessoa não vai à internet pesquisar a amortizar a sua ignorância, precisa a internet de vir até essa pessoa 🙂

    • Nuno V says:

      Diz-me uma coisa, os russos são idiotas ou fazem parte da conspiração?

    • Frederico Almeida says:

      O seu nivel de conhecimento é tao bom que chama a lua um planeta…
      Que se saiba é um satelite de um planeta.
      Dito isto, mostrada a sua ignorancia sobre o assunto, nada mais a acrescentar.
      Se o mais basico nao sabe, o resto nem merece ser lido.

      • José Pedro says:

        Andas por aqui à cata de pequenas gafes para teres um motivo qualquer para te armares em sábio e simulares uma qualquer superioridade. Precisas de arranjar uma vida! Passa bem!

        • BC says:

          Diz o gajo que tem 9 comentários apenas neste artigo, a jurar a pés juntos que é tudo mentira. Nota-se claramente quem é que não tem vida…

    • Pedro Fonseca says:

      BlackFerdyPT se fosses alguém realmente com curiosidade de saber e sem medo da verdade, pegavas numa máquina fotográfica digital (até o teu smartphone serve) e faz um teste nocturno. Estende um lençol branco iluminado por um forte candeeiro e coloca-te com a tua camera de forma a que metade do lenço ocupe a imagem. Vê lá se consegues ver as estrelas agora!!!
      E parabéns, agora saberás o que é “alcance dinâmico” significa!!!
      Verifica por ti próprio em vez de andares tipo carneirinho a acreditar em tudo o que lês nos sites de conspiração que consultas 🙂
      Isto e o controlo remoto da camera que filmou a partida da nave desmontam logo os teus argumentos! A não ser também que consideres que os carrinhos telecomandados são uma conspiração da Toys’r’us!!!

    • Silvio says:

      A câmera de filmagem, instalada no Roover Lunar, éra dotada de mecanismo de controle temoto que, por um bom tempo, ficou sendo operado por controladores aqui da terra.
      As estrelas não aparecem nas imagens filmadas na lua porque, dada a ausência de atmosfera, o brilho do Sol e muito intenso, assim como o reflexo deste na própria superfície lunar, na roupa dos astronautas e nos equipamentos pra lá enviados. Sendo assim, para se poder efetuar a filmagens na Lua o tempo de exposição adotado nas câmeras, tanto fotográficas quanto de filmagem, eram muito pequenos, tornando impossível captar o brilho das estrelas.
      Todas estas e outras alegações sem fundamento já foram devidamente rechaçadas por cientistas e tecnicos independentes.
      Os próprios Russos, os maiores interessados e possuidores de tecnologia para faze-lo, NUNCA contestaram o feito dos Norte Americanos.
      Já é tempo de se esquecer está teoria da conspiração e dar-se o real valor a este feito extraordinario!

  6. José Pedro says:

    Embora talvez nenhum dos que têm comentado a viagem da Apollo 11 (e as outras) seja engenheiro aeroespacial, só pela quantidade de questões que por aqui se têm levantado, dá para ter uma ideia da monstruosidade de problemas que a planificação daquelas viagens levantou! Outras questões interessantes dizem respeito às comunicações em tempo real sem atrasos, tecnologia que esteve a cargo da Philco-Ford (https://imagens.canaltech.com.br/254811.495697-Ford-Philco.jpg).

    • Nuno V says:

      Quem é que te disse que não havia atraso nas comunicações? Estás a inventar. Vê as comunicações feitas pelo controlo terrestre com os astronautas, e vai ver que existe um atraso maior de 1 segundo até obterem a resposta.

    • SergioFerreira says:

      A Velocidade da luz no vácuo é de 299.792,458 Km/s …a distância média da Terra à Lua é de 384.000Km …o delay das comunicações era de pouco mais de 1 ssgundo. Não vejo onde está o erro?!

  7. José Pedro says:

    Removendo subscrições dos comentários. Farto de alguns arrogantes. A arrogância é inimiga do saber, tal como a humildade é, entre outras (como a curiosidade, por exemplo), condição básica para o conhecimento.

    • Nuno V says:

      Não estivesses constantemente a tentar lançar dúvida sobre um feito humano, principalmente quando se vê que és ignorante sobre a matéria. Tens razão, a arrogância é inimiga do saber, mas tu foste tudo menos humilde neste tópico. E sempre que fazes uma pergunta, esta vem sempre agarrada a um comentário negativo. Se realmente quisesses saber, apenas farias a pergunta sem qualquer tipo de bagagem extra e com a mente aberta.

  8. Myker Paiva says:

    50 anos da farsa, Incrível como ninguém desperta.

    • Silvio says:

      Para simplificar a resposta, os Russos, maiores interessados em “desmascarar a farsa”, e com tecnologia para fazê-lo, NUNCA, eu disse NUNCA, O FIZERAM!!!

  9. José Pedro says:

    Os meus comentários ficam sempre pendurados à espera da moderação. O meu nick podia ser “José Pedro
    O seu comentário aguarda moderação.” No entanto, nunca venho aqui tratar mal as pessoas. Apenas tenho a certeza do meu direito de resposta a comentários depreciativos, alguns, mesmo, insultuosos. Por isso, agradeço que os publiquem.

  10. José Pedro says:

    De qualquer forma, este é o último.

  11. Fixo says:

    Foi porque saía melhor a Neil Armstrong a frase “small step for man, giant leap for mankind” (“pequeno passo para o homem, salto gigantesco para a humanidade”).

    Naquele período os EUA tinham problemas difíceis e a chegada à Lua serviu para os disfarçar. Os russos estarem à frente na corrida espacial, com o que isso representava em termos psicológicos era um deles. E tenham bem presente os que inventaram a teoria da simulação da alunagem filmada a partir de um estúdio – se isso fosse verdade os russos sabiam e não se calavam. E agora há mais países que podem confirmar que lá continuam as evidências da alunagem.

    Os EUA tinham problemas políticos e sociais que a ida à Lua ajudou a disfarçar. Mas para disfarçar esses problemas iam tornar-se objeto de chacota geral se tivessem simulado a alunagem? Os lunáticos da teoria da conspiração/filmagem em estúdio ainda não perceberam que são os russos, chineses, japoneses e indianos que são a principal garantia da alunagem (na Lua)? E mais os cientistas dos demais países.

  12. Silvio says:

    A câmera de filmagem, instalada no Roover Lunar, éra dotada de mecanismo de controle temoto que, por um bom tempo, ficou sendo operado por controladores aqui da terra.
    As estrelas não aparecem nas imagens filmadas na lua porque, dada a ausência de atmosfera, o brilho do Sol e muito intenso, assim como o reflexo deste na própria superfície lunar, na roupa dos astronautas e nos equipamentos pra lá enviados. Sendo assim, para se poder efetuar a filmagens na Lua o tempo de exposição adotado nas câmeras, tanto fotográficas quanto de filmagem, eram muito pequenos, tornando impossível captar o brilho das estrelas.
    Todas estas e outras alegações sem fundamento já foram devidamente rechaçadas por cientistas e tecnicos independentes.
    Os próprios Russos, os maiores interessados e possuidores de tecnologia para faze-lo, NUNCA contestaram o feito dos Norte Americanos.
    Já é tempo de se esquecer está teoria da conspiração e dar-se o real valor a este feito extraordinario!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.