Quantcast
PplWare Mobile

Imagens de satélite mostram russos a tentar fugir do seu país

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Sabe-se lá says:

    Nem o povo quer a guerra! Só quem está sentado no “trono” é que quer…
    Falta muito para uma revolução na Rússia??

    • Joao Ptt says:

      Sim, falta bastante tempo ainda, só depois de começar a 2.ª (ou 3.ª conforme a visão da coisa) guerra mundial, é que alguns anos depois haverá uma revolução que mandará abaixo também aquele regime político podre.
      Até lá a tendência é para que façam os políticos o que fizerem de o regime continuar… mesmo que os governantes de topo mudem, o tipo de regime deve manter-se.

    • Castro says:

      o problema é que a maioria da população não será propriamente contra a guerra ou contra Putin… mas pode ser que a partir do momento que comecem a pensar que lhes pode tocar o sofrimento e a destruição que mudem de ideias e vejam que estão a ser enganados.

  2. Fusion says:

    Engraçado, quando a Russia entrou em guerra com a Ucrânia o povo russo não quis saber, não mandou o governo abaixo não fez nada.. Mas agora que foram chamados já fazem algo ou fogem?

    • David Guerreiro says:

      Repara, o povo tem um acesso muito escasso à informação… Tudo é controlado. Aquilo que lhes é dito, é que há uma operação militar especial na Ucrânia para retirar uns “nazis” que estão a ameaçar a Rússia. Fora aquelas famílias que têm alguém na guerra, o resto, sabe pouco, e a informação que lhes chega através dos canais oficiais é de que é uma coisa pequena, ali numa zona da Ucrânia. E na Rússia não existe tradição de revoltas nem deitar governos abaixo. Tanto que a URSS durou tantos anos.

      • Fusion says:

        Balelas, tenho um colega Russo que trabalha comigo, que saiu de lá a coisa de 2 / 3 meses e foi exatamente essa pergunta que lhe fiz e ele disse que o povo tem acesso a tudo sem vpn’s sem nada, por isso essa desculpa é esfarrapada

        • Castro says:

          muita da população apenas recebe informação a partir da televisão e dos jornais, sendo que estão todos controlados pelo governo. Dissidência é também reprimida, o que dificulta qualquer oposição organizada. A população mais jovem é que pode ter mais acesso a informação mas esses são muito apáticos.

    • Joao Ptt says:

      Em qualquer país, uma pessoa normal não quer ir para a guerra, em especial para o país dos outros, já que matar outros, ou ser morto por outros é uma ideia que agrada a poucos, pelo menos uma das duas opções a maior parte das pessoas não gosta.
      E sim, a informação é hiper controlada, e manifestações de qualquer espécie que de alguma maneira possam sequer remotamente parecer ter haver com algo haver com a guerra são imediatamente desfeitas pela polícia e a malta presa.

  3. Octavio says:

    Os milhares e milhares de americanos que fugiram do país para não irem para a guerra, ou seriam obrigados a se alistar. Os referendos ilegais que os americanos efetuaram nesses países. As mulheres viola das por eles. Os soldados a morrerem por falta de provisões. Pois. Não aconteceu. USA e nato não são nenhuns anjos não. Mas acho que há coisas que eles nunca fizeram e nunca fariam. Aos ocidentais que defendem o governo russo, resta-lhes experimentar, para verem o que é bom. Isto é uma luta entre soft power e hard power. E embora o primeiro seja bem maquiavélico na maioria das vezes, é preferível a um regime que tem uma visão imperialista do mundo que envergonha os filmes de Hollywood.

    • Jane Doe says:

      Nem o serviço militar é obrigatório nos EUA, nem os EUA fizeram nenhuma mobilização, portanto deixa de inventar a “fuga de milhares de americanos”.

      • JM says:

        Durante a guerra do Vietnam houve recrutamento obrigatório e milhares de jovens fugiram do país para não ir à guerra, nomeadamente para o Canadá, entre outros destinos. Não é invenção, é história.

    • rogerio says:

      Não sei que filme é esse que viste, mas deve ter sido bom para acreditares… Hollywood???

    • Luís Costa says:

      Que filmes andas tu a ver? O serviço militar dos EUA não é obrigatória e alem disso é bem pago, vai quem quer.. já os teus queridos da Rússia andam a perseguir e a prender quem não quer ir para ser carne para canhão, mais, sabes aqueles que se revoltaram os jovens? Estão a ser obrigados a ir também ser carne para canhão.. já que defendes isso tudo porque é que não vais tu para lá?

    • Manuel Joaquim says:

      Octavio,

      Putin (ou a Russia) está a oferecer cidadania russa a quem se aliste no exercito e cumpra um ano de serviço (em vez de ter que residir no país por 5 anos).

      Aproveita pá!!!! é a tua oportunidade de ouro para teres a nacionalidade que tanto amas

    • jota says:

      Não é que tenha de defenter o “Octavio”, nem o conheço de lado nenhum, mas não se fiquem pelo inicio do comentário, ninuem chegou a à parte… ” Pois. Não aconteceu.”, já parecem os trolls pró-Putin, que atacam logo na primeira frase…

    • Avante camarada says:

      Isso mesmo camarada. Só não vê quem não quer. Vamos todos juntar-nos e vamos para a gloriosa pátria mãe que fazemos muita falta lá!
      Aproveitamos a oportunidade para deixar de viver numa colônia dos EUA e da NATO!

    • Octavio says:

      Ahah. Vocês leram o meu comentário? Ou só passaram os olhos? Lol

  4. guedes says:

    Normal . Na Ucrania aconteceu a mesma coisa – quem pode , pisga-se . Até podes concordar com a guerra mas que sejam sempre os outros a combatê-la .

    • john says:

      Ora aqui está alguém que pensa.

      • jota says:

        Se tu tb pensasses percebias que uns estão a tentar defender o país dos invasores, os outros estão só a invadir.

        • Maxim says:

          melhor fugir para não invadir ou melhor fugir para não defender?

          • Joao Ptt says:

            Depende da ligação que sente… alguns Ucranianos sentem especial carinho pela Rússia e talvez gostassem que a Ucrânia fosse parte da Rússia, outros não, e preferem que a Ucrânia seja um país totalmente independente.

        • Manuel Joaquim says:

          Exato.

          Por exemplo, se Portugal invadisse uma qualquer ex-colonia nossa, eu não queria ir para a Guerra, fugia se pudesse, manifestava-me contra isso.

          Agora, se um país estrangeiro (seja qual for) viesse invadir o Portugal, eu era dos primeiros a alistar-me, claro que ia defender o meu país com sangue e suor.

          (mas isto sou eu…)

    • Castro says:

      ir embora por ter a guerra na rua não é o mesmo que fugir para não ser alistado… Sendo que na Ucrânia não faltaram homens a retornar ao país para combater…

  5. Paulo Santos says:

    Infelizmente à volta de Putin nenhum dos eunucos que vemos a encher a mesa que o leva até a um quinto andar. Infelizmente.

  6. john says:

    Quando foi a guerra do ultramar era ver quem mais fugia à guerra para França e afins (figuram dezenas de milhares). Agora, e à escala da Rússia, esperam que não haja russos que não queiram ir para a guerra Enfim. O pior é que a narrativa ocidental agarra logo nisso para manipular a população.

    • john says:

      *fugiram dezenas de milhar

    • David Guerreiro says:

      É normal que tentem fugir, afinal de contas são enviados para combater por um território que não é o deles. O território russo não foi ameaçado nem sequer invadido. Na guerra colonial muitos não queriam ir combater para uma terra que não consideravam sua, apesar de oficialmente pertencer a Portugal, moralmente não.

  7. Jane Doe says:

    Parecem os ratos a fugir do navio a afundar.

  8. rogerio says:

    Não sei que filme é que ele viu, mas enfim, se calhar devia meter mais tabaco “naquilo” 🙂

  9. Maxim says:

    É curioso como num pais ditatorial as pessoas podem sair com essa facilidade. Será que têm passaporte covid?

  10. jorgeg says:

    de que jogo sao estas imagens?!

  11. Sergio says:

    Nada novo. A segunda grande guerra, fez com que milhões de europeus não perdessem qualquer navio que se destinasse às Américas, principalmente dos países diretamente envolvidos e aqueles de origem judaica, com destaque. Um movimento natural.

  12. Ricardo says:

    E quantos não fugiram e continuam a tentar fugir da Ucrânia com a lei marcial em vigor em que todos foram transformador em soldados? Onde estão os direitos humanos destas pessoas que foram obrigados a combater com ou sem experiência?

  13. Infinity says:

    As mulheres do Irão tem mais coragem que os russos. Se fizessem o mesmo talvez a guerra acabaria mais rapido

  14. freakonaleash says:

    Nem estes reservistas são assim tão densos para perceber que algo vai muito mal na propaganda orc quando são chamados a mobilizar em tão avassaladores números quando a baixas de soldados não ultrapassam as 6000.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.