Quantcast
PplWare Mobile

43 Terabits/s – Downloads de 1GB em apenas 0,2 milissegundos

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Blasterjack says:

    *Que mais uma vez não chegarão às vossas casas

    a) Operadores gananciosos (trafic shapping, ilimitado limitado, ligações da primeira guerra)
    b) Terião de ter «alguns» ssd’s em raid0
    c) Ninguem quer os consumidores felizes, a nao ser os próprios consumidores.

    34b

  2. Asdrubal says:

    É pena ser multi-core, se fosse num único fiozinho de fibra óptica, era excelente. Não percebi bem se está em fase de testes ainda ou se está próximo, mas de qualquer maneira, este tipo de velocidades é para ligações entre cidades, continentes, ou nos próprios bastidores, que já poderia levar Gbps até nossas casas. 🙂

  3. Diogo says:

    “Actualmente a fibra “mais rápida” que está no mercado permite velocidades na ordem dos 100 Gigabit”

    A sério? E eu à espera que daqui por uns anos passe aqui fibra a 100Mb/s :S

    Neste momento tenho internet a uns 8Mb/s.

  4. Gonçalo Damas says:

    Eu aqui com fibra de 30MB e já há pessoas com 100GB de net. Nem daqui a 100 anos essa fibra chega cá.

  5. Daniel says:

    Vai chegar um dia… Pode não ser 43Tb/s nos próximos anos mas a net hade passar o Gb/s!
    Se calhar muitos dos que aqui se queixam que só têm uns Mb/s agora a pouco mais de 10 anos atrás babavam-se todos quando ouviam falar em 1Mb/s e ainda usavam dailup modems! É preciso ter calma!

  6. Paulo says:

    Poderia chegar brevemente, visto que até temos uma velocidade de internet das mais rápidas do mundo (nao significa que nós consumidores a podemos usar) mas temos.. Se nao estou em erro fomos 3 país mundial a ter 1gb de velocidade..

  7. Jorge L. says:

    Alguém teve o trabalho de pesquisar, traduzir e postar.
    A critica construtiva é importante, mas a tua é inútil e ofensiva. Se não estás satisfeito não pagues mais a assinatura… ah esqueci é gratuito!

  8. N_E_O says:

    Olá,
    A empresa em que eu trabalho, estabeleceu no passado Junho um record de “data transmission rate of 57.6Tb/s (gross rate of 73.7Tb/s) over hollow core optical fiber”, agora só não sei se foi usando uma ou múltiplas fibras, mas penso que a tecnologia será semelhante.
    Podem obter mais info aqui: http://www.coriant.com/company/press_release.asp?id=1116

  9. Luis Silva says:

    Uma coisa que me faz confusão e queria que me explicasem, 43Tbps mas nenhum disco consegue ter essas velcidades de escrita certo? ou estou errado? é que se for assim como penso, computadores pessoais não conseguem receber coisas a essas velocidades…..penso eu

  10. Rui O. says:

    Para todos os que falam em velocidade… Largura de banda NÃO é velocidade. Velocidade é a da luz, mede-se com pings. Isto é largura de banda. E não é preciso um disco para a escrever ao mesmo ritmo porque não é para transmitir internet. Fibra otica serve para mais coisas.

    • Blasterjack says:

      É a mesma coisa que peso e massa, há quem diga-o sabendo a diferença e à quem diga sem o saber. E depois à aqueles que andam sempre a bater no ceguinho a tentar mostrar-se conhecedores.

      Para aplicações praticas em ambiente domestico precisas de gravar a essa velocidade para dares vazam aos dados, a não ser que ja tenhas aperfeiçuado a tecnica de aparar a luz num espaço confinado, ai podes ir acomulando dados, mas se for uma stream sempre com a mesma largura de banda não vais conseguir gravar tudo sem grandes data centers.

    • José Simões says:

      Claro que a largura de banda não é a velocidade, mas maior largura de banda permite maior velocidade excepto se o sistema estiver mal desenhado / construído.

      Não conheço nenhum disco, nem RAM que possa ter tal velocidade, mas a limitação principal está no BUS que é eléctrico. Talvez uma futura geração em que os componentes do computador trocam info através de fibra óptica poderão ultrapassar essa limitação.

      No entanto para já velocidades elevadas são úteis porque são ou podem ser partilhadas entre muitos utilizadores.

      Claro que o mesmo resultado se podia obter com muitos cabos ópticos em paralelo, mas o gasto de energia é aqui fundamental e espera-se que transmitindo muita informação por menos cabos se obtenha uma melhoria importante na (potência por (bit por segundo)). Esse é que é o objectivo destes estudos.

  11. Rui O. says:

    E só mais uma coisa. Por favor não misturem o GigaBIT com o GigaBYTE. 1byte=8bit.

  12. ZiLOG says:

    Isto é bom para o backbone da internet.

  13. PsySc0rpi0n says:

    Só para alertar para um detalhe da notícia. 1/5 de segundo são 200 milisegundos ou 0.2 segundos e não 0.2 milisegundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.