Quantcast
PplWare Mobile

Foram revelados pela primeira vez os lucros milionários da Play Store da Google

                                    
                                

Fonte: Reuters

Autor: Pedro Simões


  1. Paulo Cruz says:

    É um valor impressionante! Qual será o valor de impostos e onde serão pagos? Isto para não falar daquilo que não interessa ser “declarado”… É como vender cafés 🙂

    • Vítor M. says:

      Essa dos cafés foi boa… de facto a analogia corresponde 😀 (lembrei-me de uma história de alguém que dizia que pela quantidade de açúcar comprado, se descobria o número de cafés vendidos), estas lojas são uma fonte de lucro incrível. Mostra, contudo, como as pessoas estão agarradas aos smartphones.

      • Samuel MG says:

        Ainda não percebi como “pessoas estão agarradas aos smartphones.” Eu nunca fiquei agarrado e com o Samsung Galaxy A12 também não fiquei agarrado. Ligo-o e deixo o estar, só quando recebo emails ou sms é que eu pego nele.

        • Vítor M. says:

          És dos poucos então. Nestas férias o que mais vi foi povo na praia e sempre de smartphone na mão. Nos restaurantes, entre cada ida e vinda do garfo, uma piscadela no ecrã, na borda de água, no bailado das ondas, mais umas fotos e uns vídeos, uns tik toks e umas poses para o insta. Na hora do café, pai, mãe, filho mais velho e criança mais nova, tudo a conferenciar nas teclas 😉 na hora de pagar, usa-se o telefone, e por aí em diante… cada vez as pessoas estão mais agarradas ao smartphones.

      • Hugo says:

        Se comprarem em quantidades e sem NIF não há como rastrear. É como aqueles cafés e bares que compram paletes de minis nos hipermercados a 35cent e depois as vendem a 1€ sem declarar um tostão 😀

        • Vítor M. says:

          Uma altura, num café que conheço, vendia cerveja de pressão como “poucos vendem”, recebeu os amigos dos impostos. Ele faturava as garrafas de CO2 para as máquinas de pressão e metia para despesa (que era contabilizado como despesa) e comprava uns barris de cerveja por fora. Ora, os inspetores não são parvos. Então disse o inspetor “ora bem, o caro sr…. tem faturado num mês 5 tubos de CO2. Tendo em conta, já com perdas, que cada tubo permite tirar mil litros de cerveja, presumo que num mês tenha, no mínimo, tirado 5 mil litros de cerveja. Portanto, estes 1000 litros faturados são uma quinta parte. O resto?

          Portanto… teve de ajustar a escrita. 😉

          Outra noutro estabelecimento foi o número de toalhas de mesa (de papel) e o número de refeições servidas (diárias). Foi um cálculo também engraçado. Por cada resma de toalhas, x almoços, portanto… se só faturou isto, onde está o resto? 🙂

          • Sergio says:

            Essa da cerveja está bem vista ahah, nunca tinha pensado por essa lógica.
            A das toalhas de mesa também já assisti a uma historia semelhante em Aveiro.
            Sem fugir muito ao assunto, torna-se engraçado, que algo extremamente tecnológico consiga facilmente fintar alguma carga fiscal. Talvez se cada conta google play obrigasse a colocar o NIF a historia poderia ser diferente.. Mas se calhar também seriam dados a mais na posse da google xD

      • Jm says:

        A restauração não compra açúcar, é oferecido pela empresa que vende o café, pelo que não consegues saber o resultado preciso pelo açúcar, e sem contar com as pessoas que não colocam açúcar no café…

  2. Victor Botas says:

    Imaginem uma companhia dessas a gerar esses lucros em Portugal!

  3. Starnaute says:

    Os paises enfrentam cada vez mais um grave problema. Devem pagar impostos conforme o local estão sediados? conforme o local onde a empresa está fisicamente? ou conforme o local das pessoas que compram os artigos? É que se não for a última, as empresas vão estar localizadas onde lhes convém e pagar zero de impostos porque estão sediadas em paraísos fiscais. É que comprar um cartão google com 10€ na loja paga IVA em portugal mas comprar online quem recebe? Isto é preocupante para portugal porque sem impostos os socialistas vão nos mandar para a bancarrota outra vez.

    • Manuel da Costa says:

      Terá de perguntar a Paulo Rangel e Nuno Melo. A Google tem sede fiscal na Holanda, por isso tudo o que compre online, paga o IVA Português (culpa dos malditos socialistas que lixaram o plano dos sociais democratas europeus de manter o IVA com base na sede das empresas e que rendeu mais de 90000000000000000000000000000000000 de euros ás grandes empresas, incluindo empresas nacionais, em 6 anos) e o imposto sobre lucros holandês (1,2% ilíquido).

    • Manuel da Costa says:

      Dava jeito que a sua propaganda eleitoral fosse validada por conhecimentos mínimos sobre essas “perguntas”, é que desde 1 de Janeiro de 2020 que se acabou a mama dos liberais e sociais democratas, já tendo levado aos problemas no governo Belga, Holandês e até em 5 estados alemães, onde era habitual existirem micro empresas com 600000 milhões de euros de volume de negócios e a pagarem 3 milhões de euros de impostos anuais. Com a mudança, que aconteceu a 1 de Julho de 2021, passando a incluir os países externos a Schengen, para tristeza dos liberais, os impostos indirectos ficam nos países do cliente, da mercadoria ou serviços, em vez de ser na sede ou na offshore onde a empresa funciona.
      Um grande exemplo é que se for passar uns dias a Espanha e pedir facturas, dando o NIF, irá pagar um extra de 2%, pois a sua residência é em Portugal. Se não der NIF, paga a taxa local. Se encomenda pela net, paga o IVA português, sendo que a taxa de pagamento, por meios electrónicos, é paga no país onde está o serviço bancário da empresa que recebe e o lucro também.

      • Starnaute says:

        A única “propaganda” que fiz foi mencionar que os socialistas precisam de impostos altos para poder fugir à bancarrota. Verificou-se em inúmeros países incluindo portugal onde o costa aumentou impostos apesar de dizer que não há austeridade. Isso é um facto, não é preciso provar. Já a sua propaganda, essa sim, para além de “fake-news” gostava de o ver a provar isso. E de preferência com exemplo portugues que os outros paises a gente não conhece.

      • traveller says:

        Manuel da Costa conhecimentos mínimos não tens tu podes indicar uma alteração ao IVA a partir de 1 Julho para compras na União Europeia? a alterção é para compras online fora da União Europeia, vais estudar. “Um grande exemplo é que se for passar uns dias a Espanha e pedir facturas, dando o NIF, irá pagar um extra de 2%, pois a sua residência é em Portugal” está é de brandar aos céus.

    • Nuno Monteiro says:

      ora, não me digam que sou o único que quando compra algo online diz que o pais é sempre os EUA para nao pagar taxas.. No entanto a morada é sempre de Portugal e chega tudinho.

  4. Joao says:

    Eu já ganhei algum muito pouco dinheiro com vendas de apps na playstore e na appstore e não faço ideia de como declarar os ganhos. Já perguntei a um contablista e não me soube esclarecer. Alguém sabe ? Isto entra como dinheiro obtido em Portugal ou no estrangeiro ?

  5. JCR says:

    E os ricos cada vez mais ricos, e os pobres cada vez mais pobras…

  6. wtvlol says:

    E assim se chula os consumistas.

  7. SANDOKAN 1513 says:

    “Os dados apresentados mostraram ainda que a Play Store gerou 8,5 mil milhões de dólares em lucro bruto e 7 mil milhões de dólares em receita operacional. Estes valores resultam, consequentemente numa margem operacional acima dos 62%.” Incrível,ganhos astronómicos.Sim senhor. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.