Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: YouTube aperta ainda mais o cerco à desinformação sobre vacinas

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. LG says:

    A Russia já está a ameaçar bloquear o Youtube após este banir o “Russia Today” alemão devido a isto…

    Popcorns anyone?

    • Memória says:

      Quando o Twitter resolveu bloquear a conta do presidente do Uganda antes das eleições este bloqueou completamente o Twitter e o Facebook no seu país durante um mês
      O Twitter (e os poderes instalados por trás do Twitter, (USA) berraram, chiaram e até sujaram as cuecas de fúria, medo e hipocrisia
      Fartei-me de gozar com este episódio

    • AlexX says:

      Ainda não baniram o project veritas… Aqui esperamos que Joe Biden envie uma vacina a James O’Keefe e faça uma declaração que essa sirva para que O’Keefe se agasalhe melhor no inverno.

  2. Gabriel says:

    Aperta cerco à “desinformação”, porque tem nos seus accionistas, as empresas farmacêuticas que fazem as vacinas…

    • Manuel says:

      Eu recomendo o site Odysee como alternativa ao Youtube. Uma plataforma onde a verdade incómoda não é censurada.

    • És mesmo Tone says:

      Sim, vídeos a dizer que ganhas magnetismo depois de levares a vacina não é desinformação?

      E tantos outros vídeos a falar de outras coisas que em nada são verdade.

      Youtubers da esquina que só querem ganhar visualizações com desinformação, porque a desinformação é interessante para as pessoas que são do contra, nunca te passou isso pela cabeça?

      Deixa de ser Tone.

      • sdfgh says:

        ha muita gente na internet a dizer treta.. no entanto nao me parece que o youtube (ou a google) tenham moral, dever ou direito de censurar seja o que for. No entanto a plataforma e deles e eles fazem dela o que quiserem.

      • David says:

        E qual o problema?
        A liberdade de expressão é só para o que a maioria considera verdade?
        Os conteúdos não podem ser banidos e cabe a cada um tirar as suas ilações.
        Se não têm “juízo” para ver no Utube desinformação sobre o Covid, se calhar têm de pensar sériamente sobre o que andam a fazer nas internets desta vida…
        Estas censuras só levam a mais teorias e “desinformações”… não é por Utube, é por outro lado qualquer.

        • És mesmo Tone says:

          Uma plataforma que tem utilizadores que espalham desinformação deixa de ser uma plataforma credível, acho muito bem que tirem todos os vídeos falsos.

          “Estas censuras só levam a mais teorias e “desinformações”… não é por Utube, é por outro lado qualquer.”

          Mentira, se o YouTube tomar medidas para passar a ser uma plataforma credível obviamente quem tem 2 neurónios sabe perfeitamente que pode confiar, já nas outras que dizem mentiras não pode.

  3. Bruno Mota says:

    Ridículo. E quem trabalha na Alphabet (YouTube) é formado em imunologia ou outra área semelhante para poder atestar a veracidade ou não das informações contidas nos vídeos?
    Isto não passa de censura, pura e simples.

    • ToFerreira says:

      Pode até ter pessoas formadas em imunologia, mas não precisa. Há muitas pessoas formadas em imunologia e muitas outras coisas a atestar a veracidade das informações. É claro que não estou a falar do zé da esquina que viu um video brasileiro de um que tomou a vacina e ficou com o braço magnético. Um minimo de bom senso, se faz favor.

      • Memória says:

        É perigosíssimo, mesmo fatal, que haja pessoas que digam coisas horríveis e assassinas e façam videos a demonstrar que a zona dos braços onde foram vacinadas ficou magnética. Uma forma de *terrorismo*
        Gostaria de saber quais outras das “fake news” poderiam ser tão, ou ainda mais perigosas que esta .
        Talvez a “Fake news” que as produtoras de vacinas rejeitam toda e qualquer responsabilidade criminal e civil em consequência de danos provocados ou outras “malfunctions” das vacinas?

  4. Manuel Costa says:

    Existiam mais de 90000 milhões de vídeos a apoiar quem não se vacinava.
    Desde as famosas “antenas 90236653354G que funcionam como 5G”, até ás “provas de 70000000000000000000 de mortos por reacções ás vacinas”, que alguns influencers terão feito milhares de milhões de euros, a apoiar.
    Agora ficam sem remuneração e os trolls perdem o espaço. André Ventura vai perder os 700 milhões de seguidores…

  5. Blockd says:

    Deixem-se de teorias… Cuidem-se!!!

  6. Alpha says:

    “Desinformação” é um termo muito usado em ditaduras quando há informação que desmente a “ordem instalada”…

    Estamos bonitos estamos. Quando usam a censura é sempre mau sinal.

    • ToFerreira says:

      Sim, vamos permitir que se disseminem as aldrabices todas porque senão meia dúzia de pascáceos vão acusar que é censura, que é ditadura. Haja pachorra…

      • Sardinha Enlatada says:

        ToFerreira, haja pachorra digo eu. A proposito eles andam a limpar toda a b%&ta de videos de desinformacao que existem (sejam eles qual forem) ou e apenas com videos relacionados ao covid ? Certo me engana que eu gosto.

      • Alpha says:

        Tudo pode ser aldrabices quando com más intenções se quer abafar.

        É espalharem depois as aldrabices pelo submundo que vai resolver? Ou encarar de frente as aldrabices sem medo de contra-argumentar?

        Engraçado que só se preocupam de censurar o que aponta telhados de vidro!

    • Memória says:

      Em princ’pio *TUDO* devia ser proíbido devido às potenciais consequências negativas.
      E tudo o que não for proíbido devia ser obrigatório.
      Mas ninguém se inquite, as regras correctas de comportamento ficariam escritas num livrinho muito fininho e fácil de decorar.

  7. Antonio says:

    “Quem quer que controle os meios de comunicação, controla a mente”
    Jim Morrison

  8. Sardinha Enlatada says:

    Isto vai ser assim em todo o lado. Hoje no youtube, amanha aqui no pplware, depois de amanha em sites como o publico. Ja esta a acontecer. Quanto mais controle querem ter sobre a informacao mais estas coisas acontecem.

    • Portugal says:

      Sardinha Enlatada, já não era sem tempo. Cansa ver as tuas teorias de conspiração de doidos sem bases nenhumas em todos os posts da pplware.

      • Sardinha Enlatada says:

        Portugal o que tu chamas de teorias de conspiracao no fundo e uma divergencia de opinioes certo ? Claro que nada esta provado mas a historia ja nos mostrou tanto. So nao ve quem nao quer ver.

        • Nuno Teixeira says:

          E tu continuas a dar na mesma tecla. Ninguém está a negar que não há lobbies, propaganda e interesses comerciais envolvidos. Como tu dizes, a História já nos mostra isso.
          Uma teoria da conspiração é quando se tem opinião sobre o que está a acontecer. Mas uma coisa é opinião outra são os factos. Honestamente, consegues negar que a vacina não faz baixar drasticamente o número de mortes, mesmo com os riscos que lhe estão associados?

          • CRP says:

            “negar que a vacina não faz baixar drasticamente o número de mortes”,”os riscos que lhe estão associados?”

            Negar não se consegue negar, mas será mesmo da vacina ou outras causas que desconhecemos?
            Sabem ou podem afirmar que tipo de riscos, se é que os há, podem vir acontecer a longo ou medio prazo.

            Exemplo muito muito estupido.
            Daqui a 8 anos descobre-se que os vacinados, ficam cegos devido a vacina. Como vão reverter? (Eu também fico cego, sou vacinado)
            Apesar de ser um exemplo, tens provas que isto nunca vai acontecer?

          • Certo, mas a questão é que se essa suposição podes fazer. 85% da população portuguesa está nesse barco. Mas não se pode dizer isso como um facto. E factos inventados é o que há mais e é isso que se quer combater. Continua a ser permitido falar nos riscos, desde que não sejam fantasiosos. Os efeitos colaterais das vacinas continuam a ser recolhidos pelos laboratórios e atualizados constantemente. Nenhuma farmacêutica com os olhos postos nos lucros vai querer matar a população mundial ou deixar cá só os pobres (países subdesenvolvidos) que não têm acesso às vacinas.

          • Joaquim Sobreiro says:

            Não sei se é possível negar ou não que a vacina faz baixar drasticamente o número de mortos, enquanto não forem avaliados os riscos associados. Só quando qualquer efeito indesejável for considerado e avaliado, depois de se ter injetado uma substância de conteúdo desconhecido. Talvez por isso só o consumidor será o único responsável assumido.

          • CRP says:

            @Maria Inês Coelho
            “Certo, mas a questão é que SE ESSA SUPOSIÇÃO PODES FAZER.”
            @CRP
            “Apesar de ser um exemplo, tens provas que isto nunca vai acontecer?”

            Sem floreados responde, tens provas que esta “suposição”, nunca vai acontecer. Sim ou Não?

            Não precisas de apresentar factos só quero saber se podes afirmar a 100% que a minha afirmação é impossível de acontecer (Falamos dum exemplo).

          • Vítor M. says:

            CRP há coisas que não vão acontecer porque não estão ligadas. As vacinas criadas não partiram da estaca zero. Elas partiram de tecnologias que já são usadas há décadas, outras usaram tecnologias que estão em estudo desde 1960.

            No passado, vacinas que as pessoas tomaram, na década de 40 e 50, que não tinham nem um décimo da tecnologia que há hoje, quer na investigação, quer na elaboração, não provocaram nada de extraordinário.

            Desde então as vacinas erradicaram a Tuberculose, Hepatite B, Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite, Doença invasiva por Haemophilus influenzae b, Sarampo, Rubéola, Parotidite epidémica (Papeira), Meningite C… etc…

            Estas e muitas outras (estas são as do plano nacional de vacinação), permitiram criar conhecimento avançado sobre o método de fazer as vacinas. Assim como eventuais efeitos secundários.

            Aquele mito que as vacinas causam o autismo é mito urbano.

            Claro que os estudos sobre as vacinas dão respostas concretas, ou achas que os cientistas fazem as cenas ao acaso e depois vamos ver? Não, há conhecimento cientifico profundo por trás destes tratamentos.

            Mas atenção, isso não quer dizer que o conhecimento não evolua. E foi nessa evolução e com um conjunto de tecnologias que estão disponíveis apenas há meia dúzia de anos (entre elas os supercomputadores, como Watson da IBM) que se conseguiram fabricar em tempo recorde as vacinas contra a COVID-19.

          • CRP says:

            Obrigado pelo floreado, mas fico por aqui.
            youtube.com/watch?v=W97_iEo7vI8

          • Nuno Teixeira says:

            @CRP

            A tua resposta é um vídeo “COMO LIDAR COM QUEM SEMPRE ACHA QUE TEM RAZÃO | Psicólogo Marcos Lacerda”?

            Isto é sério? Sabes que posso usar o mesmo argumento em relação a ti?

            Ainda não entendeste que a realidade está a contrapor o que os anti-vax dizem? Compara a nossa taxa de casos e mortes actualmente com outros países que não têm taxas tão altas.

            O argumento de as vacinas provocarem efeitos a longo prazo é um mito. Os efeitos adversos notam-se apenas no curto prazo, depois da toma. A vacina acaba por ser expulsa do organismo, em poucos dias, depois ter cumprido a sua função no sistema imunológico.

          • rui says:

            CRP

            E se daqui a 8 anos quem teve Covid fica cego, como reverter?
            Tens provas que isso nunca vai acontecer?

            Cumps

          • LR says:

            “Desde então as vacinas erradicaram a Tuberculose, Hepatite B, Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite, Doença invasiva por Haemophilus influenzae b, Sarampo, Rubéola, Parotidite epidémica (Papeira), Meningite C… etc…”. Vitor, dando-te toda a razão na resposta que dás, aconselho-te no entanto a pesquisar um pouco mais sobre algumas doenças que dizes que foram erradicadas, (podes começar logo pela primeira, mas não te fiques só por essa).
            Agora, em relação aos argumentos que apresentas, 100% de acordo.

        • És mesmo Tone says:

          Divergência de opiniões? Uma coisa são factos/provas, outra são opiniões.

          Acho piada aos negacionistas hoje em dia chamam jornalixo por exemplo ao telejornal, dizem que nos querem manipular com uma coisa invisível e que não existe, que nos querem manipular a receber uma vacina que faz não sei o que, etc… Quando estes apresentam provas e factos.

          Mas depois acreditam em teorias da conspiração espalhadas pelos YouTubers da esquina, onde não há provas nem factos de nada.

          • Alpha says:

            Negacionistas? O problema é que usam esse termo para englobar quem critica as medidas e campanha de vacinação.

            Quem diz que não há críticos com argumentos e evidências? O problema é que se instalou um estado de unanimismo e de total silenciamento de quem possa colocar em causa qualquer coisa da narrativa oficial

          • Alpha says:

            Um Ioannidis ou Martin kulldorf, o primeiro um dos epidemiologistas mais citados do mundo são criticos dos confinamentos e das medidas isso faz deles negacionistas? No entando além de atacados são ignorados pela TV

          • rui says:

            Dr. martin kulldorff é a favor da vacinação, e que tem de ser explicado como deve ser as pessoas

            “Harvard Medical School’s Dr. Martin Kulldorff, who supports COVID-19 shots for most people, inferred on Fox News recently that the pushes for vaccine compliance have worked against human nature.

            “Public health must be based on education and trust, not on coercion or vaccine mandates,” he said. He called mandates “nonsensical,” in part because people who’ve had COVID have better immunity than those vaccinated. “It makes zero sense … and sows distrust in public health officials.”

            I agree that trust is paramount, especially when making a crucial decision about a largely untried situation with a largely untried solution. Coercion, shaming and name-calling don’t tend to sit well with humans trying to weigh their options thoughtfully. And material incentives offered in such an atmosphere can come off as disingenuous.

            Simply put, the heavy-handed push for COVID shots seemed to begin before trust had been established, and human nature kicked in. But there’s a remedy, according to Dr. Kulldorff. “We have to reach out in a positive and gentle manner, not trying to coerce (the unvaccinated).”

            I believe most people on either side of the vaccine debate have had good intentions, but it gets complicated. We’re human beings, after all, not robots. The human psyche can be complex, and our consciences cannot be properly formed with force.

  9. Dani says:

    As tais vacinas milagrosas que nos mantêm com restrições…

  10. A.F. says:

    Mais uma vez.

    “Batam mais no ceguinho, quanto mais batem, mais ele abre os olhos.”
    António M.

    (110330092021)

  11. CRP says:

    Quando um produto é bom, não precisa de publicidade, seja informação ou desinformação.
    Se querem calar um dos lados, há algo de suspeito, logo faz com que o consumidor desconfie.
    Quanto mais noticiam este tipo de noticia, “vamos censurar/calar/omitir/apagar”, mais força dão á desconfiança.

    Exemplo bárbaro:
    Se tivessem ficado quietos e caldos, hoje o A.V. não tinha a força que tem e continua a crescer.

    Por isso continuem a informar que vão calar a desinformação, que vão no bom caminho.

    • Cansado says:

      “O produto” é bom, testado e eficiente. No entanto há pessoas, como tu, o Sardinha Enlata e outros, que por medo, ignorância ou desinteresse de saber espalham informação falsa.
      O que vocês fazem pode mesmo ter consequências graves para pessoas menos saudáveis e mais frágeis. Infelizmente há demasiados exemplos destes.
      Por pessoas como tu , é que se combate desinformação.

      • CRP says:

        Quem fala o que pensa não pensa no que fala. “Informação” não é necessariamente uma virtude.
        Canhão de mídia – arma tão perigosa quanto armar uma população que sai atirando em ilegítimo ataque.
        Precisamos respeitar as opiniões contrárias e as palavras. Não banalizar conspurcando o sentido. Não é todo eleitor, simpatizante, ovelhinha, fã e torcedor da vacina que é especialista.
        Como o termo “censura livre”. Se é livre não é censura. Se é censura, não é livre.
        Vivemos dias tenebrosos, sobrevivemos criando mais problemas do que soluções, também por falhas de comunicação, por entendimento mínimo do que é dito.
        Podem continuar a me bater pela explicação que sempre dou, mas vou continuar a falar, não sou dono da razão, muito menos os “especialistas da Informação”.

        Sou vacinado, mas não sei se fiz/faço parte do problema ou da solução.
        O Futuro ditara a conclusão.

        • CRP says:

          Nunca espalhei Noticias falsas, nem admito tal afirmação de nenhuma besta, se contestei algumas “informações”, noticias e meias-verdades, ai sim sou culpado.
          @Cansado, o teu problema é cansaço cerebral, por isso vomitas verborreia mental.

          • Rodrigo says:

            Hahaha és o rei.

            Quando algum tema é censurado é porque há algo a esconder.

            Por exemplo eu não me iria esconder da Polícia se não é nada comigo correto? Eis a questão.

            Hoje em dia perguntar e se questionar é ser negacionista. Onde vai parar estes anormais que pensam assim?

            Tenho, devo e irei ter o direito de questionar tudo aquilo que eu achar que deve ser questionado, é um direito meu. E de qualquer cidadão.

            Mas ninguém quer saber pois não? Qualquer um que questione ou é negocionista ou anti-vax..

            São gente sem cabeça alguma! Censurar é eliminar ou não permitir.

            E isto é censura sim senhor por parte da Google, parte de cada um de nós saber recolher e filtrar a informação!

            Existem tantos videos de alterações climicaticas, uns acertam outros erram. Porque não os eliminam? Não convém não é?

            Pois… A liberdade de expressão está a acabar, e porque será? Porque este controlo rigoroso num determinado assunto? Em vez de se concentrarem em pedófilos, corruptos e criminosos?

            Pois a resposta é óbvia.

          • CRP says:

            @Rodrigo “Hahaha és o rei.” é para mim(CRP)?

            Se te estas a dirigir a minha pessoa, estas engando no sitio do comentário, porque defendo e sou da mesma opinião que tu.

            A unica diferença que podemos ter, talvez, é eu ser um vacinado negacionista, é como sou apelidado por estas bandas.

          • Rodrigo says:

            @CRP o meu comentário foi para ti, mas para apoiar aquilo que dizes. E só acrescentei nada mais.

            Cumps

        • És doido says:

          Rodrigo, tanto texto, 0 conteúdo. Continua com as tuas teorias de conspiração e o teu mundo de fantasia à vontade, desde que não prejudiques ninguém no processo.

        • rui says:

          CRP

          és vacinado? Mas não és contra a vacina pois vai criar problemas maiores que o Covid?

          Agora fiquei um pouco baralhado!

          • CRP says:

            Sou contra a coação da vacina. Chega ou queres mais para aliviar a tua baralhação.

          • rui says:

            Qual coação?
            Alguem te apontou uma arma para seres vacinado?

            A Vacina NÃO é obrigatória, por mais que venhas argumentar que sim.
            Eu levei as 2 doses e se for preciso levo mais dose/reforço, pois acredito que a probabilidade de ter problemas com a vacina é MUITO menos que se apanhar covid.

            Mas entendi te. Vacinado sim, mas contra a vacina.
            Faz o que digo, não o que faço

          • Alpha says:

            Há coacção. O certificado é uma forma de coacção.

            Pronto acreditas que tens menor probabilidade… quando nem sabes tudo. Nem sequer a duração da efectividade da vacina.
            Que interessa que o risco seja baixo e sirva de nada ao fim de 3 meses?

          • LR says:

            “Há coacção. O certificado é uma forma de coacção.” Não, não é. Seria coação se fosse a única hipótese podres fazer algo. Mas, neste caso, tens alternativa e podes fazer tudo sem um certificado. Basta fazeres testes e apresentar o resultado. Simples, não?

          • rui says:

            Alpha

            o certificado é uma forma de coação? Porque?
            Volto a repetir, ninguém é obrigado a vacinar se, por mais que o afirmem para dar azo a vossa ideia.

            Existe regras na sociedade que temos de cumprir. Quem tem o certificado pode entrar em discotecas, e assim. Nos restaurantes vai deixar de ser obrigatório.

            És obrigado a ter cartão de cidadão ou BI, caso contrario não tens acesso a grande maioria das coisas, Também é forma de coação?

            Tens de ter carta de condução para poder conduzir. Outra forma de coação?

            Boletim de vacinas? outra forma de coação?

            Não. São regras da sociedade. Ponto final.

            Acham que não tem de cumprir? voltam para as cavernas ou vao viver para o mato.

          • rui says:

            Alpha

            sobre a vacina. Onde viste que ao fim de 3 meses deixas de ter protecção?
            Para servir a vossa narrativa, lêem um artigo onde fala da diminuição de anticorpos ao fim de 3 meses, e pronto…. é isso que queriam ouvir e vão repetir esse tema até ao infinito.

            Sabes como funciona uma vacina?
            Levaste a vacina do tétano e achas que tens anticorpos ainda?

            O importante são as células ditas “de memória” que fazem com que quando voltas a ter contacto com o vírus se activem para te proteger.
            Vai ler um pouco mais e deixa te de invenções.

          • És mesmo Tone says:

            CRP

            Mesmo que para entrar num restaurante, numa loja, para arranjar trabalho, para estudar, etc etc fosse obrigatório estar vacinado (e acho que já deveríamos estar nessa fase de uma forma global) em nada estavam a coagir as pessoas a tal, quem não se quer vacinar não se vacina, mas não tem direto a trabalhar, nem estudar nem nada, pura e simplesmente para não meter em risco as outras pessoas que têm 2 neurónios.

            Tal como é obrigatório usar cinto de segurança, tal como é obrigatório seguires na faixa rodoviária da direita (em Portugal) e não na da esquerda onde irias meter os outros em perigo, etc etc…

            E por falar em faixas rodoviárias, que belo exemplo, os negacionistas são os que conduzem à esquerda (em Portugal) metendo os outros em perigo, e são os tais que perguntam porque é que não se conduz à esquerda.

  12. Joaquim Sobreiro says:

    Algo há que esconder para investir tanto dinheiro na informação controlada.

  13. contacto says:

    Ainda ontem morreu uma rapariga de 20 anos que tomou a vacina da Jansen – jonhson & Jonshon na Eslovénia. Mas convémn não divulgar nada no YouTube . Se divulgares ficas bloqueado no YT .

      • Rodrigo says:

        https ://ionline.sapo.pt/artigo/747698/eslovenia-administracao-da-vacina-da-janssen-suspensa-apos-morte-de-jovem-de-20-anos?seccao=Mundo_i

        • Rodrigo says:

          Ai tens… Bastava pdsquisares no Google News ou outro motor de pesquisa!

        • Portugal says:

          “a suspensão estará em vigor até que os especialistas avaliem se existe uma ligação entre a mulher, que sofreu um acidente vascular cerebral, e a vacina.”

        • PEdro says:

          Se lesses a noticia, vês que ainda não há conclusões sobre ligação entre a morte e a vacina da jovem… Mas no entanto usas isso para continuares a tua cruzada de informação falsa sobre vacinas.

          • Joaquim Sobreiro says:

            As conclusões são fáceis de tirar. Quando se morre COM teste covid positivo, entra nas mortes POR covid. Quando se tem morte depois de ser vacinado, não há dúvidas em declarar que não foi por efeito indesejável da vacina. Porque não se fazem provas tanto num como noutro caso?

          • rui says:

            Joaquim

            Que eu saiba (mas posso estar enganado), se uma pessoa morre de doença (tipo um tumor) mesmo tendo teste positivo não entra para as estatísticas covid, pois não foi a causa de morte. Como se diz: morreu com, mas não por causa de…
            Pelo menos é o que sei se passar no hospital onde estou, mas….

            Uma pessoa vacinada que morre, para se considerar que seja da vacina, tem de ser verificado e comprovado.
            Se não, com 85% da população vacinada, daqui a pouco todas as mortes vão ser por causa da vacina…

            🙂

    • És mesmo Tone says:

      E a outra rapariga de 20 anos que não tomou vacina e morreu? Porque também não falas nessa?

      Agora qualquer morte é pela vacina? Triste

      • Rodrigo says:

        Estás a confundir as calças com as cuecas. Não as troques sem saberes.

        Uma coisa é NÃO teres nenhum sintoma ou problema, e DEPOIS de teres sido injectado com a tal.. começares a ter.

        Um bocado estranho não? Pois. Porque é que negas a realidade?

        Antes qualquer morte mesmo sendo por doença, era por covid agora já não apoias?

        Triste é as pessoas que faleceram com problemas que não tinham antes. E como sabiam que não tinham? Se não tens por exemplo arritmia, e tomaste e passaste a ter.

        A culpa é de quem? É obra do divino, vamos lá ter arritmia hoje só porque sim..

        Não me facas rir. O teu nome faz jus ao teu comentsrio

        • Coitado do Rodrigo says:

          Não. Não é estranho, e por esse comentário mostras a tua completa falta de conhecimento sobre o assunto que até dá dó.

          • Nuno Teixeira says:

            Mas penso que no caso da vacina, pela sua composição, o risco de arritmias pode ocorrer mas com probabilidades mais baixa do que o vírus real

          • Rodrigo says:

            Coitado precisas de mudar de nome para me responder? Aliás.. nem o teu texto tem argumentação sequer. Corroboras letra e mais nada, pior que tinta seca.

            Para ti tenho sempre resposta. Não vale a pena lutares, é uma guerra perdida. Não me dou por vencido.

        • És mesmo Tone says:

          E os jogadores de futebol saudáveis que morrem tal como aconteceu ao Miklós Fehér?
          Queres ver que na altura ele já tinha acesso a esta nova vacina? Queres ver que esta vacina afinal não é nova e ele foi selecionado para fazer de cobaia? Se calhar a vacina foi-lhe dada através do powerrade… Queres ver que afinal essas bebidas energéticas não passam afinal de vacinas camufladas?

          Deixa-te de tretas

        • Nuno Teixeira says:

          Quem te garante que caso apanhasse Covid-19 não teria o mesmo desfecho, infelizmente? O próprio Covid também pode provocar arritmias, miocardites e outros problemas cardíacos.

          Sabes qual o processo da vacina? De modo simplista, é como se te fosse injectado o vírus mas sem o vírus propriamente dito, ou seja, provoca o teu sistema imunológico a reagir ao objecto estranho com cara de Covid. Não sou especialista mas os efeitos adversos também são provocados pelo próprio sistema imunológico.
          Não sou especialista, mas penso que no caso da vacina, pela sua composição, o risco de arritmias pode ocorrer mas com probabilidades do que o vírus real. Digo isto, porque senão não faria sentido tomar a vacina se fosse o risco fosse o mesmo.

      • CRP says:

        “Os benefícios continuam a superar os riscos”

        Nem me importo quando alguém morre por causa da vacina e por ser covideiro, e que me preocupa são aqueles que morrem da vacina porque foram coagidos, desses tenho pena.

        Tudo de mal que possa acontecer na casa dos covideiros, não sinto nenhuma empatia.

        • És mesmo Tone says:

          A vida da muitas voltas, depois não chores 🙂

        • PEdro says:

          Igual, não tomar a vacina é um risco maior do que tomar.
          Tenho pena dos que morreram porque foram coagidos como pessoas como tu.

        • rui says:

          Vamos ser praticos e falar de valores:

          Quantos morreram pro causa do Covid?
          Quantos morreram por causa da vacina?
          Quanto iriam morrer se não fossem vacinados?

          Os valores são com uma diferença brutal.
          Claro que se uma pessoa tem reacções a uma vacina (o medicamento) tem de ser reportado e investigado. Por isso temos em Portugal o Infarmed e na europa a EMA.

          Já disse varias vezes, informa te sobre os possiveis efeitos do Nimed, Brufen e até do paracetamol. Vais ter surpresas.
          E são vendidos SEM receita ou qualquer controlo

          • CRP says:

            Sabem ou podem afirmar que tipo de riscos, se é que os há, podem vir acontecer a longo ou medio prazo?

          • Rodrigo says:

            O Infarmed? Aquele que demorou não sei quanto tempo para permitir um medicamento contra a fibrose quística, onde só com reclamações nas redes sociais começaram a agir?

            O Infarmed aquele que não permitia ter um medicamento eficaz contra leucemia? Entre outros casos?

            Onde só foram aprovados repito só foram aprovados com exposição do caso nas redes sociais!!

            Falas bem, mas é só para inglês ver.

            Tão machadada feita e com sucesso.

            Será a infarmed assim tão boa como pintas?

            R: #404NotFound

          • rui says:

            Rodriguezito

            Já vi que és um refilão e mais nada.

            Para um medicamento ser aprovado, passa por varios processos incluindo a negociação do valor.
            Mas TU achas que são as redes sociais que aprovam os medicamentos. Se colocarem lá que a banha da cobra faz crescer o cabelo, o infarmed tem de aprovar porque a pressao das redes sociais….

            Sobre a Leucemia, nem sei do que medicamento falas, mas para ser aprovado tem de ter mostras de que é melhor que os actuais, e não são as redes sociais que o decidem……

            Se demoram muito? concordo. Agora vires com essa das redes…..

            Muito bom.

          • rui says:

            CRP

            Isso é tanto para a Covid como para a Vacina

            Sabes que riscos podem vir a acontecer? não.

            A unica coisa que se sabe é que a Covid pode ser leve, grave ou muito grave e levar a morte em pouco tempo.

          • Nuno25 says:

            @rui, prático? Falar de valores? Factos? Népia… Ficamos pelas suposições.
            Eu não toma a vacina porque:
            A- pode ter efeitos a 5-6 anos
            B- pode cegar daqui a dez anos
            C- pode crescer um braço extra daqui a 20 anos.

            A resposta simples dos cientistas é:” não há evidências científicas que demonstrem que alguma das opções é possível de acontecer”

            Será que a malta do contra, não consegue perceber que inventar opções não é assim que funciona a ciência? Eu posso arranjar mais mil alternativas do que pode eventualmente acontecer… É fácil… Não têm literalmente ciência nenhuma 🙂
            Para um negacionistas é fácil de decidir ( na área dos outros são reis) salvamos agora uns milhares ou milhões de vida e enriquecemos as farmacêuticas, ou opção dois, deixamos morrer milhões de pessoas com uma possível solução na mão, porque..
            Pode fazer mal daqui a 8 anos? Pensem…

        • Rodrigo says:

          CRP não ligues. Esses são os mesmos que vão ao mecânico com o carro para fazer a revisão. O carro não tinha problemas, mas depois de ir ao mecanico, apareceu uma carrada de problemas, a culpa de quem foi? Não foi do mecânico!

          Foi o carro que resolveu dar problemas depois de ir ao mecânico, decidiu fazer birra..

          É engraçado os argumentos destes pro-vax

          • rui says:

            Muito bom!

            Sabes o que é uma revisão?

            Se o teu mecanico é ladrão, opss
            Agora achas que são todos iguais?

            Falas bem, mas não dizes nada de jeito!!!!!!!

          • És mesmo Tone says:

            Se não tinha problemas então para que vais ao mecânico?

            O meu mecânico nunca me enganou, se calhar o problema está no teu mecânico, já pensaste em mudar?

          • Há cada um says:

            Sabes para que serve uma revisão Rodrigo? Também tens teorias de conspiração isso?

    • rui says:

      Sim, mas de acordo contigo se não aparece no youtube não é verdade?
      Foi noticiados em todos os jornais….

  14. Memória says:

    Hoje em Israel, país com cerca de 8,8 milhões de habitantes e que já vai na “quarta dose”
    Mais 3.804 casos e mais 42 fatalidades

    Será possível encontrar provas mais evidentes da eficiência das vacinas?

    • Alpha says:

      ninguem quer ver… mas não é preciso ir tão longe.

      Temos a população de mais de 60 anos 100% vacinada, continuam a corresponder à grande maioria dos óbitos e durante o verão com 100% quase de vacinados, morreram o dobro do ano passado

    • Memória says:

      E entretanto, hoje (1 de Outubro 2021) às 15 horas) em Israel
      -Mais 3.009 casos e mais 27 fatalidades

      Será possível encontrar provas mais evidentes da eficiência das vacinas?

  15. Só acho says:

    É o youtube a dizer que não sabes ou não tens capacidade de discernir e processar a informação de um vídeo… Porque uma pessoal não pode falar o que acha? mesmo que seja um perfeito disparate?

    • És mesmo Tone says:

      Porque há ingénuos (negacionistas) que só acreditam nos vídeos de informações falsas no YouTube, isso leva a que estes espalhem essa informação falsa a outros ingénuos e assim sucessivamente, depois uma coisa que é mentira ganha força e mais força e é o que se vê, não muito em Portugal mas nos outros países onde uma grande percentagem continua a negar a vacina…apenas negam porque ouviram dizer, mas não têm 2 neurónios para ver factos/provas e tirar conclusões disso.

      Obviamente a informação falsa é uma poderosa arma para o mal, já é mais que sabido que as vacinas nos livraram de muitas doenças, portanto medidas têm de ser tomadas.

      • Nuno Teixeira says:

        Prepara-te para o argumento que em Portugal somos todos carneirinhos e um bando de manipulados.

        • Memória says:

          Au contraire mon capitaine, ficou provado que Portugal tem o povo mais inteligente do Mundo, como já devia ser sabido e reconhecido desde os tempos das Outras Senhoras .
          “A Europa dorme, Portugal vela!”

        • És mesmo Tone says:

          Já os negacionistas são carneirinhos e um bando de manipulados pelas mentiras que alguém decidiu criar.

          Nem se deram ao trabalho de arranjar provas/factos reais de que isso é verdade… Só porque ouviram dizer já é verdade, coisas que algum iluminado decidiu inventar e que não têm lógica nenhuma.

          Os negacionistas não têm 2 neurónios para entenderem que são coisas que não passam de mentiras.

      • Memória says:

        Que bom que é viver num país em que quase não há ingénuos, e onde (contráriamente aos outros países) toda a gente tem neurónios que chegam e sobram, ao contrário do que lá fora acontece: , “e onde é o que se vê”
        Países (de facto todos) cujos habitantes em “grande percentagem continuam a negar a vacina” e
        “…apenas negam porque ouviram dizer, mas não têm 2 neurónios para ver factos/provas e tirar conclusões disso”

        • Nuno25 says:

          Loool está para mim é o “argumento” melhor desta malta. É a cereja no topo do bolo.
          Ahh na Europa fazem manifestações, porque são mais informados e mais inteligente. Eu também acho que sim…. Aí vida vida…

      • Só acho says:

        Estamos a abdicar de coisas muito importantes com a justificativa de “proteger” os ingénuos…

    • João says:

      Não te preocupes CRP que este site eventualmente também vai fazer o mesmo que o Youtube e banir a desinformação sobre Covid que gostas de espalhar.

  16. Miguel says:

    Sendo a detentora do Youtube a mesma que detém parte de farmacêuticas, é fácil de perceber porque irá retirar vídeos que prejudicam claramente o negócio do seu grupo.

  17. xyr says:

    Uma pergunta inocente : porque é que na vacinação contra a a gripe se vacinam só grupos de risco , parece lógico nem todos precisam de ser vacinados , e no caso do SARS-CoV-2 se insiste em vacinar crianças e pessoas saudáveis ? E até já se experimentam vacinas para jovens com menos de 12 anos ? A vacinação dos mais novos e saudáveis é um absurdo , só explicável por razões politicas e económicas. Não sou contra a vacinação , há gente que precisa de ser vacinada , idosos por exemplo , mas entrou-se numa histeria pró-vacinação , fomentou-se uma pressão enorme para sermos todos vacinados que é irracional. Estes temas deviam ser levantados pelos que prestam serviços informativos , mas tem sido o contrário.

    • És mesmo Tone says:

      Então e porque os bebés são vacinados logo desde pequenos contra outras doenças? Para não desenvolverem essas doenças, não achas que tem lógica?

      O vírus da gripe é um vírus que todos os anos muda, num caso extremo em que o vírus da gripe matasse massivamente teríamos obviamente de ser todos vacinados… Mas vacinados com parte genética desse novo vírus da gripe.

      As vacinas da gripe atuais têm parte genética do vírus do ano anterior, o que não é muito eficaz, mas é o que temos.

      Com estas novas vacinas mRNA e com mais desenvolvimentos poderemos vir a conseguir ter vacinas rapidamente com o novo código genético do vírus da gripe e assim conseguir vacinar a população geral, e quem sabe erradicar esse vírus de vez.

      E quem diz o vírus da gripe diz outro tipo de vírus e doenças… Com as vacinas mRNA está aberto um novo leque de possibilidades.

      Mas não penses que se consegue alcançar novas proezas de um dia para o outro, só a vacina mRNA demorou anos e anos a ser desenvolvida, ao contrário do que as teorias da conspiração diziam.

      • António M. says:

        “xyr” essa foi de mestre, e acrescento mais, nos meus filhos, nunca tive que assinar um termo de responsabilidade para as vacinas verdadeiramente “eficazes” e “obrigatórias”, porque não eram vacinas experimentais.

      • És mesmo Tone says:

        Ler as teorias da conspiração? Deixo isso para ti, o meu trabalho baseia-se em factos/provas/evidências.

      • António M. says:

        “….já te perguntaste porque é que os bebés não são vacinados contra o vírus da gripe ? Vai ler que sempre aprendes umas coisinhas …És mesmo Tone” By “xyr”

        “Então e porque os bebés são vacinados logo desde pequenos contra outras doenças?” By “És mesmo Tone”

        No meu caso os meus filhos (quando bebés) foram vacinados por vacinas “eficazes” e “obrigatórias”com muitos anos de administração e estudo, por livre opção minha e não tive que assinar nenhum termo de responsabilidade, não é como estas vacinas que têm Autorização Condicional, logo para mim são experimentais.
        Ponham estas vacinas Covid 19 no mesmo patamar que as outras (Sem Autorização Condicional) e não ter que assinar nenhum termo de responsabilidade, que logo no dia seguinte vou toma-la.
        Capiche

        Agora vou ver o “E Porque Hoje é Sexta” que é mais interessante que esta “discussão”.
        1731

      • andre says:

        vês bebés a serem vacinados com vacinas experimentais? ao contrario das vacinas contra o covid, as vacinas que administramos nas diversas idades, têm anos de demonstração de eficiência, e faz sentido serem aplicadas em bebés porque muitas dessas doenças têm prevalência infantil.

        • És mesmo Tone says:

          Mas que vacinas experimentais? Então mas ainda estamos a inventar a roda?

          O processo de fazer uma vacina já é mais do que conhecido, já são muitos anos a virar frangos.

          Acho bem que seja obrigatória a vacina do covid a todas as idades, a vacina é segura e eficaz como qualquer outra vacina, não tem demonstrado o contrário.

          Essas teorias nasceram dos negacionistas que inventaram coisas só porque está na moda dizer o que vier à cabeça sem ter conhecimento para tal, deixa-te disso.

          • André Oliveira says:

            Não vou comentar tamanha desinformação, não tem ponta por onde se lhe pegue, nem sequência lógica de raciocínio que permita uma discussão saudável.

            Apenas vejo alguém que certamente tomou uma decisão e agora ignora qualquer evidência que não dê suporte à mesma.

      • xyr says:

        Volto a responder .Deves ser muito importante , porque podes mostrar a ignorância que quiseres e insultar quem quiseres e nunca te apagam a mostra de ignorância que és , nem a tua falta de educação . As crianças recém nascidas são vacinadas contra a gripe ? Não são ,….um dia na tua vida ainda vais perceber o porquê? O sistema imunitário duma criança evolui ao logo da vida , ….logo a resposta imunitária dum adolescente é muito superior ao duma criança recém nascida . Além disso não há pandemias de outras doenças , o que faz toda a diferença .O resto do que dizes sobre as mutações do vírus da gripe é elementar , toda a gente sabe isso . Avançando , se fosses capaz de pensar , isso levar-te-ia a concluir que é exatamente devido às mutações que os vírus sofrem quando se replicam , ou pensas que só o da gripe sofre mutações ?, que as pessoas vacinadas contra o SARS-CoV-2 , ao adquirirem a proteção específica dada pela vacina , ficam desprotegidas contra as mutações deste mesmo vírus . Poderia dizer-se que a solução é muito simples , bastava atualizar a vacina , e voltar a vacinar …mas não é , porque entre o tempo que se fabrica a nova vacina e a vacinação das pessoas o vírus não fica quieto……Toda a gente sabe isto , até tu , quando explicas porque se tem de ser vacinado contra a gripe todos os anos , mas o teu cérebro parou aí , bloqueou …se fosses realmente esperto pensavas que o mesmo acontece e bem mais rápido com o SARS-CoV-2 , porque estamos no meio duma pandemia . Pelos vistos o censor da casa também não sabe …em Israel foi necessário vacinar de novo , exatamente devido ao que eu disse

        • És mesmo Tone says:

          A ti só te digo que a vacina da gripe é dada a crianças do grupo de risco a partir dos 6 meses, chega? Vai-te lá informar melhor antes de falares.
          E se fosse necessário dar a todas as crianças eram dadas sem problemas, mas não é necessário e é por isso que não se vacinas as crianças contra a gripe.

          Mal feito é se o sistema imunitário de uma criança não evolui ao longo da vida, se não evolui é porque alguma coisa está mal e precisa de ser acompanhada, grande novidade.

          Quanto ao resto não me vou dar ao trabalho de ler um texto cheio de eis de pontuação, já foi um sacrifício para ler a introdução.

          • Memória says:

            Tone, o xyr não falou de crianças a partir dos 6 meses, falou de recém-nascidos.
            Ou você considera que um recém-nascido já tem 6 meses ???

    • És mesmo Tone says:

      E obviamente, as vacinas atuais da gripe têm parte do código genético do vírus da gripe do ano anterior porque não é possível prever qual vai ser o próximo código genético a aparecer (Quem tem 2 neurónios entende logo essa parte sem ter de fazer um desenho).

      • Memória says:

        Tone, parece-me que dos seus dois neurónios um já morreu, e o outro está gravemente doente. Mas não se preocupe. Logo que graças às “vacinas” Mrna e em breve a Ciência criar a “Panaceia Universal” que vai curar todas as doenças, o seu (e o nosso) problema ficará resolvido.

        • És mesmo Tone says:

          Não, os meus felizmente funcionam bem… já tu pelos vistos nunca tiveste nem um

          Infelizmente ainda não há uma vacina que crie neurónios nas pessoas que não os têm, vai ter de viver com isso o resto da vida, deixa lá, ainda bem que não nascemos todos assim.

    • Ai meu deus says:

      Estas perguntas têm sido todas respondidas incansavelmente todos os dias durante meses em todos os meios de informação.
      Mas como não vão em prol do que tu acreditas escolhes por ignorar.
      “Histera pró-vacinação”? Onde tens andado? Estamos numa pandemia.

      • Memória says:

        Traduzido pela G. Translate:

        A OMS também mudou a definição de ‘pandemia’
        Se ainda não estava claro que a OMS busca alterar a realidade para se adequar às suas próprias agendas, você pode estar interessado em saber que, se não fosse a OMS mudar a definição de “pandemia”, o COVID-19 pode não ser mais um problema. A definição original da OMS de uma pandemia de 1º de maio de 2009, especificava epidemias simultâneas em todo o mundo “com um número enorme de mortes e doenças:”

        “Uma pandemia de influenza ocorre quando um novo vírus de influenza aparece contra o qual a população humana não tem imunidade, resultando em várias epidemias simultâneas em todo o mundo com um número enorme de mortes e doenças.”

        “Esta definição foi alterada no mês que antecedeu a pandemia de gripe suína de 2009, removendo os critérios de gravidade e alta mortalidade e deixando a definição de uma pandemia como“ uma epidemia mundial de uma doença ”.

        Essa mudança de definição permitiu que a OMS declarasse a gripe suína uma pandemia depois que apenas 144 pessoas morreram da infecção, em todo o mundo, e é por isso que COVID-19 ainda é promovido como uma pandemia, embora muitos dados sugiram que a letalidade do COVID-19 é a par com a gripe sazonal.

        • rui says:

          Decidamente, não entendem

          A Covid 19 tem as mesmas mortes que a gripe? A gripo mata 4.5 milhoes de pessoas por ano?
          A gripe em portugal matou 3000 pessoas em 2018/2019. A covid matou em 2020/21 quase 18 000.
          Realmente a gripe mata tanto como a Covid…….
          Verifica dados antes de vir dizer mentiras.
          Foi ao Ricardo jorge e esta lá

          • andre says:

            a covid é algo novo, claro que a mortalidade é inicialmente maior, assim como a da gripe foi quando apareceu da primeira vez.

            Não quer dizer que na sua génese seja pior que a gripe, apenas que é algo novo, daqui a 20 anos poderemos comparar.

          • rui says:

            ???? Daqui a 20 anos ?????

            Mas que raio de conversa é essa?
            Vamos comparar as mortes que a Covid terá daqui a 20 anos? é essa a tua desculpa?

            Todas as mortes por varias doenças diminuem em 20 anos. Olha o HIV.

            Daqui a 20 anos vamos comparar todas as mortes por varias doenças e vai se descobrir que reduziram imenso…..Surprise!!!!!

            Essa realmente é muito creativa…….

          • Memória says:

            Depende muito da forma como se contabilizam os mortos por gripe, e os mortos por Covid.
            Também depende de que gripe se está a falar.
            E também depende (quando se compara epidemias de gripe e de Covid) da percentagem da população *existente nesse momento*
            falamos aqui de “deaths per capita”
            Nesta perspectiva a gripe de 1957–58 e a gripe de 1968-69 foram (e com toda a razão) equiparáveis às de Covid, pelo menos no momento em que este artigo que aqui apresentei traduzido foi escrito.

            Mas o principal do artigo não é apresentar números, mas apresentar a profunda desonestidade da OMS mudando as regras do jogo (definições) “enquanto este jogo está a decorrer”

            Mais uma vez:
            A definição original da OMS de uma pandemia de 1º de maio de 2009, especificava epidemias simultâneas em todo o mundo “com um número enorme de mortes e doenças:”

            “Uma pandemia de influenza ocorre quando um novo vírus de influenza aparece contra o qual a população humana não tem imunidade, resultando em várias epidemias simultâneas em todo o mundo com um número enorme de mortes e doenças.”

          • Memória says:

            Rui -> “Daqui a 20 anos vamos comparar todas as mortes por varias doenças e vai se descobrir que reduziram imenso”

            Não tenho essa certeza, e por várias razões, sendo algumas das principais o aparecimento de “novas doenças” devido à degradação do nosso habitat, o uso, abuso e uso errado de antibióticos e “vacinas”. Curas de antibióticos que não são completadas criam novas variantes de bacilos como os da TBC que adquirem imunidade (mesmo sem serem “vacinados (lol). É uma questão de tempo (e de sorte) até que “vacinas não esterelizantes” criem estirpes que poderão ser muitíssimo mais perigosas.

          • rui says:

            Memoria
            Têm de se decidir de daqui falamos de doenças actuais ou se falamos já de futuras.
            Eu respondi ao Andre que quer comparar as mortes actuais de Covid com daqui a 20 anos, e o quanto é absurdo.
            Até lá, claro que vão aparecer outras, mas de acordo com o que o andre disse, só iremos comparar depois de 20 anos (ou seja daqui a 40 anos).

            ““vacinas não esterilizantes” criem estirpes que poderão ser muitíssimo mais perigosas”
            Vacinas NÃO vão criar estirpes. Ainda não entenderam isso?

            Qual o Pais com grande taxa de vacinação que (depois de administrar) criou alguma variantes?
            As variantes são criadas em paises cuja taxa é baixa ou quase nula e o virus esta a circular a vontade.

            Exemplo:
            Portugal tem 85%. Qual a variante que foi “criada” aqui mesmo?

            Já chega dessa conversa de vacina criar variante. Depois querem levar a discussão a serio.

          • rui says:

            Memoria

            Outra coisa importante:
            Antibióticos não criam variantes. O que acontece é que os patogenios podem criar resistência ao antibiótico, e termos de passar a usar um mais forte, ou de outro espectro.
            No caso do bacilo que provoca a tuberculose fica multi resistente ao antibióticos mais usados.
            Não é uma variante…..

          • André Oliveira says:

            o meu exemplo com o daqui a 20 anos foi no sentido de demonstrar que o covid nao é per se mais letal que a gripe, apenas o é porque é novo na população.

            Se levasses uma pessoa com covid e outra com gripe para a ilha sentinela do norte, era muito possível que ambas as doenças tivesses indices de mortalidade bastante similares.

            quanto à criação de estirpes, isso é uma lotaria e é perfeitamente normal que um país pequeno como portugal não ganhe essa lotaria.

            A minha maior crítica à administração da vacina é que nao estou completamente convencido que para uma pessoa saudável os benefícios ultrapassem os riscos, e passamos logo para um cenário de vacinar toda a gente sem sequem experimentar vacinar apenas os grupos de risco como idosos ou pessoas com doenças crónicas.
            Mas enquanto a vacina for opcional, para m,in está dentro dos parametros corretos, quem quiser toma, quem nao quiser nao toma.

          • rui says:

            Vamos lá ver. Não se pode fazer comparações com uma diferença de 20 anos, A Covid AGORA mata, e o mais certo daqui a 20 anos não será esses numeros.
            Dizer que a Covid daqui a 20 anos será igual a gripe é uma simples desculpa para tentar convencer o pessoal com a tua idea.

            O HIV (exemplo) há 20 anos tambem matava muito mais, e agora vias dizer que o HIV é menos mortal que a gripe ?

            Primeiro a vacina cria variantes, depois como não pega, agora é uma loteria? Qual sera a proxima? Mais facil ganhar o euromilhoes que morrer de Covid? Realmente sempre a inovar….

            Sabes a diferença entre autorização condicional e experimental? Não me parece. Vai ao site do infarmed que deve estar la.
            As vacinas foram aprovadas rapidamente mas NÃO são experimentais. Isso é desculpa para poderem justificar a vossa conversa, da mesmo que vir sempre com os mesmos nomes para justificar a criação de variantes.
            As vacinas foram testadas e são boas. Como qualquer vacina e virus podem ter de sofrer alterações.
            PAra alem disso, qual das vacinas cria variantes ( na vosso teoria), as de mRna ou as de vector?
            é que são tecnologias completamente diferentes.

        • Memória says:

          “vacinas não esterelizantes” – > “vacinas não esterilizantes”

      • Memória says:

        >Têm de se decidir de daqui falamos de doenças actuais ou se falamos já de futuras.

        Eu acho que devia ser claro que falo de “várias doenças”, e que portanto me refiro a doenças “actuais e futuras”

        Também que respondi claramente a
        > “Daqui a 20 anos vamos comparar todas as mortes por varias doenças e vai se descobrir que reduziram imenso”
        dizendo que tenho grandes dúvidas quanto a esta afirmação

        Eu digo:
        ““vacinas não esterilizantes” criem estirpes que poderão ser muitíssimo mais perigosas”

        Você afirma:
        >Vacinas NÃO vão criar estirpes. Ainda não entenderam isso?”

        Eu digo Amen e Aleluia, mas a sua afirmação é contrariada por centenas de virologistas eminentes, entre eles Luc Montagnier que afirma precisamente o contrário. Também importantes e fáceis de compreender são as considerações de Geert Vanden Bossche
        “The insidious face of a pandemic of variants” (video no YT – se não foi ainda censurado)

        Você diz:
        >As variantes são criadas em paises cuja taxa é baixa ou quase nula e o virus esta a circular a vontade.
        >Exemplo:
        >Portugal tem 85%. Qual a variante que foi “criada” aqui mesmo?

        Como resposta esmagadora a este e ao seu próximo comentário sugiro que leia com atenção o artigo “Pior forma de tuberculose atinge Lisboa” no Expresso de 25 de Março de 2009, artigo de Vera Lúcia Arreigoso.

        De resto acho que você apenas “joga com as palavras” criando confusão e sem necessidade nenhuma

        • Memória says:

          Citação do artigo sobre TBC em Lisboa

          { O resultado de curas de antibióticos não completadas, mas há mais sobretudo nas “prisões russas}

          Pior forma de tuberculose atinge Lisboa
          25 MARÇO 2009 23:59
          Vera Lúcia Arreigoso

          A forma mais grave de tuberculose – extensivamente resistente (XDR) por não ser sensível a, praticamente, nenhum antibiótico – está concentrada na Grande Lisboa e o bacilo é único no mundo.
          A confirmação foi feita esta semana pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) em antecipação ao Dia Mundial da Tuberculose, a 24 de Março. Os números, de 2008, revelam uma prevalência de 25 casos – 34% das multirresistências e a percentagem mais elevada da Europa ocidental -, mas os bacteriologistas garantem que há mais.

          “Em 2007 era 48% e é pouco provável que tenha diminuído para 34%. A DGS só recebe as notificações dos médicos, que são sempre menos do que as dos laboratórios.
          Os clínicos registam os casos de tuberculose, mas depois não completam esse registo com o tipo de bacilo”, explica a investigadora da Faculdade de Farmácia de Lisboa e uma das autoras da descoberta – com Laura Brum (então, do Instituto Ricardo Jorge) e Miguel Viveiros (do Instituto de Higiene e Medicina Tropical) – da estirpe responsável pelos casos lisboetas de XDR, Isabel Portugal.

          O bacilo foi isolado em 1996 em reclusos com sida e toxicodependentes internados em Caxias e foi apelidado de ‘Família Lisboa’ por depois ter sido detectado em toda a região.
          Os estudos sucedem-se e Isabel Portugal quer agora descobrir qual é o grau de infecciosidade do agente, curável em 40% dos casos e mortal para seropositivos e para 18% dos outros doentes.

          “Suspeitamos que seja muito infeccioso, porque está instalado há 15 anos, e quase de certeza que é responsável pela XDR noutras zonas do país, como o Porto.
          Uma coisa sabemos: procurámos em todas as bases internacionais, com milhares de estirpes, e não há nenhuma igual”.
          Resumindo, está-se perante “uma estirpe perigosa que tem de ser detectada precocemente”, alerta o bacteriologista Miguel Viveiros.
          “Os casos não são muitos, mas estão por aí e podem infectar. A sorte é que muitos doentes isolam-se nas suas comunidades”, acrescenta Isabel Portugal. Mas há excepções.

        • rui says:

          Centenas de virulogistas?
          Há milhões que dizem que não, mas claro as vossas centenas é que estão certos!

          Geert Vanden Bossche?
          O gajo que quer vender a tecnologia dele (que ele diz ser a melhor do mundo) e por isso diz que estas vacinas não servem? Muito credível….LOL

          Luc Montagnier? 80 anos.
          Foi um grande senhor sim, mas novamente digo, esta entre as tuas centenas, e não milhoes de cientistas que dizem que vacinas não criam variantes-
          Eu já perguntei mas não me respondem e vem com estes senhores sempre:
          Qual o pais com grande percentagem de vacinação que criou novas variantes?
          Portugal com 85%, qual a variante aqui criada?

          Comparar doenças actuais com futuras para justificar que a Covid não é grave é muito bom.
          Olha antigamente o cancro era morte certa, agora já tem grandes hiposteses de cura em alguns tipos. Vamos comparar dados entre hoje e há 50 anos?

          • Memória says:

            >Há milhões que dizem que não, mas claro as vossas centenas é que estão certos!
            Não existem no planeta Terra milhões de virologistas eminentes. Além disso a verdade e a ciência não são determinadas por votações

            >Geert Vanden Bossche? O gajo que quer vender a tecnologia dele …
            Geert Vanden Bossche não ten nenhuma tecnologia para vender. Essa sua invenção devia receber um prémio Nobel

            >Luc Montagnier? 80 anos. Foi um grande senhor sim…
            E continua a ser um eminente virologista, sem medo de dizer o que todos mais ou menos somos capazes de perceber

            >Qual o pais com grande percentagem de vacinação que criou novas variantes?
            >Portugal com 85%, qual a variante aqui criada?

            É preciso ser muito ingénuo para ler notícias que as novas variantes foram encontradas algures (no cú de Judas?) e não desconfiar.
            Podia falar de um antecedente, o caso da variante de TBC “Família de Lisboa” mas como não confessa(s) que é uma *variante* …

            >Comparar doenças actuais com futuras para justificar que a Covid não é grave é muito bom.
            É certamente uma doença muito grave, e como disse tenho poucas dúvidas que virão outras ainda piores, assim como as
            que já existem terão a tendência a se tornarem muitíssimo mais graves. Quando se rejeita a extraordinária complexidade e
            eficiência da imunidade natural (complexidade apenas comparável com a do cérebro humano) estamos a aproximar-nos dum “Extinction Event”

            >Olha antigamente o cancro era morte certa, agora já tem grandes hiposteses de cura em alguns tipos. Vamos comparar dados entre hoje e há 50 anos?
            Isso dá muito pano para mangas. Aconselho uma simples busca (mesmo no Google) com o sujeito “cancer epidemic”. Pode ser muito surpreendente

          • rui says:

            Vamos por pontos:

            – Não há milhoes. exagerei de proposito, mas se te faz feliz são milhares.
            Alem disso a ciencia não se mede por votações. Certo, mede se por factos, que as tuas centenas não conseguem provar……
            – Geert Vanden Bossche. Informa te melhor que ele esta a desenvolver uma tecnologia (usando Killer cells) que diz ser o adequado para vacinas. Para alem disso ele trabalha para uma empresa farmaceutica.
            E essa invenção merece o premio nobel? ha ha ha Boa piada…..pena é os pares dele não concordarem contigo.
            Tens o homem num pedestral…..
            – Luc montagnier.
            Mais um homem que tens num pedestral. Se achas que ele tem razão estas no teu direito, mas nada do que ele disse esta a acontecer. Todas as variantes apareceram ANTES da vacinação começar, e nos paises com alta taxa NÃO APARECEU NOVAS VARIANTES, logo a ciencia esta a provar que ele esta ERRADO, por mais que tu queiras que ele não esteja.
            – Onde apareceram variantes do covid? a variante Delta? India onde o virus anda a vontade por haver poucos vacinas (em % da população). A de Manau (brasil) a mesma coisa.
            E já vi que nao percebes do TBC. Por mais que venhas pregar essa tua ideia, NÃO é uma variante. ANTIBIOTICOS NÃO CRIAM VARIANTES. As bacterias criam resistencia ao medicamento.
            – Complexidade da imunidade? Existe vacinas há largos anos (ainda antes de teres nascido) e vens dizer que o cientistas não percebem a complexidade? que todas as vacinas foram feitas sem estar tudo estudado e comprenedido sobre a imunidade? Pode ainda faltar alguns pontos mas….
            Gostas é de mandar para o ar a ver se alguem te pega, e para poderes vir dizer que es o maior da tua rua.
            – Continuas com essa tua ideia de comparar doenças actuais com as que vão aparecer no futuro, tipo oraculo de belini. Se a extinção estiver a chegar, espero que começa com selecção natural e por ti.
            – Cancer Epidemic
            Sabes por acaso quantos tipos e subtipos de tumores existem? Não fazes ideia e vens com essa conversa. O Cancro num todo é a doença mais grave e mortal, mas se dividires por subtipo as coisas mudam.
            A parte do Cancro podemos falar mais pois eu trabalho com tumores há mais de 20 anos e por isso venha dai as tuas teorias …..

            Continua a escrever teorias que me estou a divertir….

          • Memória says:

            – Geert Vanden Bossche –
            Se trabalhas em oncologia deves saber pelo menos algo sobre “Cancer Immunotherapy”, se não sabes convém informares-te
            Sei que o Vanden Bossche está há anos está a investigar e a desenvolver “natural killer cell vaccines” para o cancro e p.ex. tratar Covid-19.. Se tiver sucesso ele (e a sua equipa) merecem sem dúvida um prémio Nobel.
            Mas a teoria que o seu motivo é que “O que o gajo quer é vender a tecnologia dele” também merece um prémio Nobel. Digamos que se trata de um prémio Nobel partilhado (LOL)
            Tanto a Índia como o Brazil como a África do Sul como o UK (variante inglesa ou de Kent) têm zonas/Estados de maior e menor % de vacinados.
            Se as variantes aparecessem em zonas garantidamente não vacinadas, como “grosso modo” a África Equatorial (que práticamente não conhece Covid) teriamos um argumento contrariando as teorias de Vanden Bossche

            -TBC e as Variantes-
            Tanto me faz que chames (ou chamem) à “Família de Lisboa” da TBC variante, estirpe, bacilo musculado, super resistente, xtreme resistente, ou caixote do lixo.
            O artigo que citei fala em “estirpe”, e bacilo único.
            O principal é que curas de antibióticos não completas foram (pelo menos até há pouco, porque também há opiniões contrárias) consideradas o motor de criação de bacilos “variantes, estirpes, bacilos musculados, super resistentes, xtreme resistentes”, muito provávelmente por meio de mutações, e não (apenas) de forma gradual

            Interessante, lembrei-me Post-Scriptum que a princípio da epidemia em Portugal se especulou que os baixos números de infectados e mortes poderia ser atribuido à vacinação que todos tivemos da vacina BCG. Isto bastante antes de Portugal ser o pior do Mundo em infeções e mortes.

            – Complexidade da imunidade?-
            Haver vacinas não quer dizer que faltam uns meros pontos para se saber tudo.
            Este tipo de hubris é semelhante ao dos “grandess cientistas” do século XIX que garantiam que práticamente já se sabia tudo sobre o Universo, e só faltavam uns poucos pormenores, que certamente seriam em breve esclarecidos.
            Ou seja “give a monkey a brain and he will soon claim he is the Master of the Universe”

            – Sobre Cancro-
            Não tenho teorias que te interessem sobre o cancro, mas a ideia de falar de subtipos *enquanto a casa está a arder* acho parecida com a de um brasileiro que apareceu com a ideia de aumentar os virus até um tamanho vísivel e depois matá-los à paulada.

            Mas tenho muito interesse em saber se há ou vai haver (ou não) um aumento suspeito de casos de cancro na população nestes próximos tempos.
            E para voltar ao tema do artigo, do qual nunca devíamos ter saído: se YouTube vai censurar ou não videos sobre este assunto.

          • rui says:

            E continuas

            – Devias saber que essa tecnologia já esta em uso e não foi ele que a inventou….Procura por tratamento para linfoma, leucemia
            Quanto a merecer um premio nobel, seja ele ou qualquer outro, a academia deve avaliar e escolher (a não ser que digas que a academia é uma falsidade)
            Ponto em que concordas é que ele o que quer (ou esta a tentar) é criar uma vacina, log dizer mal das outras…. é para boi dormir.

            – Onde viste que as variantes apareceram em zonas muito povoadas? deve ter sido nos teus sites de conspiração. A india é enorme e usas isso para dizer que as variantes aparecem na india e ponto…. Tipo a de Manau ( que deves saber NÃO é o brasil todo).

            – “Tanto me faz que chames (ou chamem) à “Família de Lisboa” da TBC variante, estirpe, bacilo musculado, super resistente, xtreme resistente, ou caixote do lixo”
            Esta afirmação apenas demonstra o que sabes de medicina….enfim
            E para tua informação, o principal problema não são as curas não completadas, mas sim o uso massivo de antibioticos, sobretudo em produções animal.

            – 3 ponto nem vou comentar pois é demasiado idiotice. Achas que lês umas coisas e já sabes tudo sobre imunidade…LOL

            – Sobre cancro, essa é a tua resposta?
            Por acaso leste e PERCEBESTE o que eu escrevi?
            Achas que se cria um tratamento universal para o cancro? se sim, és muito menos inteligente que eu pensava (dai a tua resposta de casa a arder)
            E que tal pensares o porque do aumento?
            Será das pessoas viverem mais? a comida processada? etc…

            Na minha modesta opiniao (que ninguem se importa) o youtube faz muito bem. E o google devia retirar todos os sites de teorias da conspiração (seja de que tema for), pois há demasiadas mentes (pouco) iluminadas que acreditam nisso.

          • Memória says:

            Rui

            Não vejo utilidade em continuar a discutir consigo; você constantemente lê mal (ou nem sequer lê). interpreta mal o que eu escrevo, faz uso regular da falácia tipo straw-man, não tenta discutir de forma civilizada, e é mesmo ofensivo enquanto eu faço o possível para não o ser..
            Aconselho-o a visitar a página da wikipédia sobre “Falácia do espantalho”, e também a observar bem os exemplos na página examples.yourdictionary.com/straw-man-fallacy-examples.html
            Se quiser ser de grande utilidade, e uma vez que diz trabalhar na área da oncologia, podia (evitando a censura que vejo que tanto lhe é valiosa) manter-se informado e difundar as notícias
            sobre o aumento -que imagino virá a ser enorme- de novos casos de cancro, tanto pelas “vacinas”, como pelo gigantesco atraso nas consultas médicas que já li estarem calculadas entre 3 e 6 milhões
            Passe bem

          • rui says:

            Memoria

            Olha quem fala!!! O Espantalho Mor! Só diz mentiras e achas o maior!

            Onde eu foi ofensivo? Gostaria de saber…

            Agora as vacinas vão provocar Cancro?
            Cada vez melhor. Antes criavam variantes, agora vão criar cancro!

            Qual é a informação que estou a reter como trabalhador da saude?

            Enfim, continua na tua ideia e eu fico na minha. Vens com teorias e eu vou mostrando a minha opinião e conhecimento.
            Como não estou de acordo contigo, vens a chamar espantalho e eu é que sou ofensivo???

            Vai te tratar que bem precisas….

  18. Memória says:

    Aqui está o que foi dito originalmente pela OMS cortesia da máquina Wayback do Internet Archive:

    “A imunidade de rebanho é a proteção indireta de uma doença infecciosa que ocorre quando uma população está imune
    por meio de vacinação ou imunidade desenvolvida por meio de infecção anterior.”

    Mas actualmente (desde Outubro de 2020):

    “‘ Imunidade de rebanho ’, também conhecida como‘ imunidade populacional ’, é um conceito usado para vacinação, em que uma população
    pode ser protegida de um determinado vírus se um limite de vacinação for atingido. A imunidade do rebanho é alcançada protegendo as pessoas de um vírus, não expondo-as a ele.

    “As vacinas treinam nosso sistema imunológico para criar proteínas que lutam contra doenças, conhecidas como‘ anticorpos ’,
    assim como aconteceria quando somos expostos a uma doença, mas – o que é crucial – as vacinas funcionam sem nos deixar doentes.
    As pessoas vacinadas ficam protegidas de pegar a doença em questão e transmiti-la, quebrando quaisquer cadeias de transmissão. ”

    Basta observar o último parágrafo para avaliar a eficácia das “vacinas”.

  19. Joaquim Sobreiro says:

    Quando leio que os benefícios são maiores que os riscos entendo que os benefícios são para quem administra e os riscos para quem a recebe.

    • rui says:

      Inveja por não seres sócio?

      Quais riscos falas? Os que tem valores menores que muitos medicamentos vendidos SEM receita médica?
      E quais as vacinas que gostam de chamar perigrosas? mRna ou de vector? é que são tecnologias diferentes e vocês insistem que ambas são más……Sem ter provas que os valores são maiores que as mortes por covid, e sobretudo sobre as sequelas.

  20. andre says:

    Desinformação: opinião dos outros, assim como a sua interpretação dos resultados dos diversos estudos sobre um assunto para o qual já formamos inabalável opinião.

  21. Memória says:

    *Alguns* resultados em Portugal da psicose de massa desencandeada e vigorosamente alimentada por Youtube, Google. etc. e “autoridades médicas” e estatais:

    Citação

    Entre o dia 1 de janeiro e 31 de outubro do ano passado, realizaram-se 10,7 milhões de consultas presenciais nos Centros de Saúde, o que, feitas as contas, por comparação com o mesmo período de 2019, permite concluir que ficaram por realizar 6,6 milhões de atendimentos.

    Os dados, disponíveis no Portal da Transparência do Serviço Nacional de Saúde e consultados pelo CM, deixam os especialistas preocupados. “Temos uma insegurança muito grande porque muitos diagnósticos, assim como monitorizações de fatores de risco para a doença cardíaca, ficaram por fazer. Posso dizer-lhe que a grande maioria dos meus doentes viu o seu peso aumentar entre 5 e 10% durante o período de confinamento imposto pela Covid-19. Isto é gravíssimo”, alerta Rui Nogueira, médico e ex-presidente da Associação Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar.

    As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte em todo o Mundo. Em Portugal representam 66% dos óbitos. Ou seja, em média, são registadas 100 mortes, por dia, de doentes cardíacos no País. Segundo um estudo da Fundação Portuguesa de Cardiologia, 48% dos doentes cardíacos portugueses admitiram ter mais receio da Covid-19 do que de um agravamento da doença.

    Fim de citação

    • Memória says:

      Straw-man fallacy

      Muito difícil de evitar e por vezes de combater. Penso que todos nós já alguma vez a usámos ou fomos vítimas dela, ültimamente uma especialidade do Youtube (e Google, Facebook Twitter etc)
      na questão da censura

      Falácia do espantalho
      Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

      A falácia do espantalho (também conhecida como falácia do homem de palha) é uma falácia informal em que a pessoa ignora a posição do adversário no debate e a substitui por uma versão distorcida, que representa de forma errada, esta posição.[1][2] A falácia se produz por distorção proposital, com o objetivo de tornar o argumento mais facilmente refutável,
      ou por distorção acidental, quando o debatedor que a produz não entendeu o argumento que pretende refutar.

      Nessa falácia, a refutação é feita contra um argumento criado por quem está atacando o argumento original; não é uma refutação do próprio argumento original.

      Para alguém que não esteja familiarizado com o argumento original, a refutação pode parecer válida, como refutação daquele argumento

      A falácia do espantalho muitas vezes acontece em debates sobre questões públicas, como esse (hipotético) debate sobre legalização e proibição:

      A: Nós deveríamos ter leis menos rígidas em relação a legislação da cerveja;
      B: Não, toda a sociedade com acesso irrestrito a bebidas alcoólicas acaba perdendo qualquer senso ético e termina em ruína.

      A proposta original era ser menos rígido com a legislação da cerveja. A pessoa B interpreta erroneamente, de boa-fé ou não, respondendo que se isso acontecesse “(nós deveríamos ter…) acesso irrestrito a bebidas alcoólicas”. É uma falácia lógica pois a pessoa A jamais defendeu o acesso irrestrito a bebidas alcoólicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.