PplWare Mobile

30 mil Watches, é o que a Apple deverá estar a vender por dia


Autor: Pedro Simões


  1. FG says:

    E ainda vão vender muito mais…

    A partir do momento que o público em geral perceber o que é um Apple Watch, e vir as capacidades e design do Apple Watch, e não a palhaçada que os “experts” lhes tentam meter na cabeça…

    • Carlos says:

      (Nunca usou nenhum tipo de smartwatch)

    • Marco Chapita says:

      Mais um Isheep, diz antes quando o publico em geral vir as limitacoes dos smartwatches Vs o preço que custam e que todos os anos ha um modelo novo. vao ignorar e perceber que o relogio nao é mais que uma extensao do telemovel que apenas da notificacoes e permite responder a algumas mas sem privacidade nenhuma em ambientes publicos.

      • Vítor M. says:

        Quais são as limitações? É que com tanta possibilidade, tantos sensores, tanta criatividade dos developers, eu ainda não sei o que é isso que falam de limitações… mas vocês lá sabem 😉

        • Marco Chapita says:

          Limitacoes?deixa ver, eu e muita gente ja chegamos a conclusao que o smartwatch é uma extensao do smartphone, ou seja a sua maior funcao é mesmo e dar os alertas que aperecem no equipamento, se o pudemos usar sem termos o telemovel por perto quando vamos correr?? muito dificilmente porque o Apple watch nao tem sensor de gps incluido apesar do android wear ter. tanta criatividade mas depois queremos ter qualquer tipo de watch face no ecran e nao nos é possivel porque a apple nao nos deixa, queremos configurar por exemplo aquelas bolhas como estao dispostas no ecran temos que o fazer no telemovel. outra coisa é que demora uma eternidade a lancar as apps, mas isto sou so eu,para voces é extremamente rapido a lancar apps e nem fica a mastiga las nem nada, mais limitacoes ? a maior parte das apps corre no telemovel e depois transmite a informacao para o relogio, nao aguenta mais de 1 dia com a bateria que vem se tivermos sempre a mexer nele. ja no Android Wear podemos obter notificacoes com o relogio se tivermos uma rede wireless perto enquanto com o apple watch ja nao se pode dizer o mesmo.

        • Hélder says:

          Não, não é comclusao nenhuma, pois sempre disseram isso desde o primeiro dia.

          Todos os relógios com funcionalidade de telemóvel sempre foram um flop.

          Nenhum Android Wear tem GPS, excepto o Sony, mas o GPS nesse é fraco, não existem apps para tirar total proveito desse, e para registar distâncias percorridas, o Apple Watch, depois de uma calibração ao utilizador, chega a ser mais preciso que esse sony que nem tem HRM…

          Tens montes de Watch faces que vêm com ele, que podem ser personalizadas ao nível de detalhe e cores, e mais tarde ou mais cedo, quando a Apple tiver pronto, introduz o desenvolvimento de third party, isto porque ao contrário do Android Wear, que não tem coisas como animações ou as “complicações” (mini-widgets), a Apple quer fazer uma coisa que dure e seja definitiva para os developers.

          essa das bolas, opá, coisa mais ridícula, foste ver um vídeo na net, não foi? É que podem ser configuradas no próprio relógio!

          Demora uma eternidade a lançar apps? Pois, ao menos existem apps, como Twitter, instagram, uber, shazam, etc… Não é? Isso é algo que a Apple já prometeu que resolve em breve…

          Não aguenta mais de um dia? Qual é o relógio que tem HRM constante e medição de acelarometros que aguenta?

          Maior parte dos utilizadores chega ao fim do dia com 50 a 60% restante, mesmo depois de um dia cheio de actividade. Logo, sim, aguenta 2 dias, mas ninguém faz isso, porque ao contrário de qualquer Android Wear, tem carregador sem fios e magnético, que é tão fácil de por a carregar, que seria mais difícil não o por a carregar, é só um problema que assiste a quem não o usa como ele é…

          E quanto à última parte da rede wireless? Completamente errado, o Apple Watch faz isso, é até foi o primeiro fazer…

          Mais uma vez, um post desinformado de quem não vê mais nada senão inveja e mal dizer da Apple!

    • LP says:

      Nem a Apple encontrou nenhuma patranha para enganar os carneiros sobre a inutilidade da bugiganga… E mesmo assim alguns (como tu) caíram.

  2. GUTTY says:

    E os Droids por onde andam? sera que um dia vao vender assim que nem esse Apple Watch?

    • Mário says:

      Os Droids?

      Sabes como é… eles querem vender brinquedos:

      http://i.imgur.com/8Pa1tyo.jpg

      ao preço do “real deal”, acham que vão vender relógios sem ter nas lojas para as pessoas experimentarem no pulso, verem a coisa na mão, e atestarem a qualidade de construção…

      Depois, se avariar, andas de um lado para o outro com o relógio na mão, porque quem te o vendeu diz que a culpa é do fabricante, o fabricante diz-te que a culpa é da Google…

      Há uma diferença entre ter lojas próprias, com empregados que te ajudam a entender o que é que o aparelho faz, como é que se usa, como é que fica no pulso, as combinações que tens, quais as que se adequam mais ao teu estilo de vida…

      Nos droid wear? Compras na net, a partir de uma imagem gerada por computador, que não tem nada de parecido com a realidade…

      Além disso, são feios, enormes, e falham em ser um relógio completo de uma ponta à outra, sempre!

      • Carlos says:

        És do tipo que precisa de ajuda numa loja.

      • ta certo... says:

        lol
        deves tb ter um portanto!!!
        UI!! e a utilidade que lhe deves estar a dar!! que horas sao mesmo?

        verder 30 mil é pouco, mas ja é mais do que o que se esperaria. Fico mesmo espantado com o fanatismo que existe ppor essa marca. Sim! FANATISMO! de pessoas como tu que defendem uma marca como se fosse la o que!!

        • Mário says:

          Sim, tenho um, se não tivesse, era a mesma coisa…

          Vender 30 mil é pouco?

          É só vender em 24 dias aquilo que o Android Wear vendeu num ano!

        • Nunes says:

          uma média actual de 30 mil por dia, equivale a 2,7 milhões por trimestre, ou 11 milhões por ano. E isto num único país! E segundo a análise já vendeu 2,5 milhões.
          Achas que é pouco!?

      • Marco Chapita says:

        Os droids nao precisam de comentar estas noticias, porque nao ha nada que o apple watch faca que os androids nao façam alem de terem mais liberdade de escolha e o preço ser mais em conta.Compras na net? costumas sair a rua?? sabes o que é a Fnac a Worten? estao la expostos. Ja o da apple farto me de passear alem de nao ver ninguem com ele no pulso tambem nao o vejo a venda. Alem de que ja experimentei varios e nenhum avariou na minha mao,has de me dizer o que fazes com o apple watch que o AndroidWear nao faça?ha ja sei Nada… As vendas estao tao fortes no apple watch que que a apple esta sempre a esfregar os numeros de tudo nos rivais e neste limita se a calar, sao projeccoes de outras companhias que dizem que eles vendem muito. Que comedia…

        • Nunes says:

          “has de me dizer o que fazes com o apple watch que o AndroidWear nao faça?”
          – Pagamentos
          – Continuity/handoff – passar o contexto de uma tarefa para outro dispositivo
          – Sensor de batimentos cardíacos que funciona de forma fiável, especialmente importante em exercício
          – Segurança de dados por detecção do pulso
          – sistema de vibrações com a precisão necessária para dar informação adicional, quer seja para orientação num percurso sem ter que olhar para o mapa, quer seja como forma de comunicação entre duas pessoas, etc!
          – Force Touch, etc

          ” As vendas estao tao fortes no apple watch que que a apple esta sempre a esfregar os numeros de tudo nos rivais e neste limita se a calar”
          A Apple há mais de 6 meses atrás tinha dado indicações que não haveria esse tipo de informações nos seus resultados

        • Mário says:

          Os Android Wear não fazem absolutamente nada, a não ser um brinquedo para pôr no pulso…

          “Ja o da apple farto me de passear alem de nao ver ninguem com ele no pulso tambem nao o vejo a venda.”

          LOL?

          Não saiu em Portugal, será por isto?

          Já Android Wear? Nunca vi ninguém com um no pulso! Já vi muitos Pebble’s, e um ou dos Gear, provavelmente de pessoas que lhes ofereceram junto com o telemóvel…

          “lem de que ja experimentei varios e nenhum avariou na minha mao”

          WoooOOOooooOW!

          Que espetáculo! Não avariou na mão! Vou já comprar um!

          Enfim, que comédia digo eu… o resto, já o Nunes disse… e onde é que a Apple esfrega os números dos rivais? Onde é que sequer a Apple disse que vendeu quantos?

      • LP says:

        “empregados que te ajudam” 😀
        Uma coisa é certa, de facto é preciso pagar esses empregados, essas lojas, todo o marketing…

        • Nunes says:

          As lojas da Apple há muito tempo que são sustentáveis; em vez de ter que dar uma parte da margem de lucro a outras lojas, vende directamente ao cliente e aproveita para dar melhor atendimento, o que ajuda a criar a imagem da marca! Quanto a marketing, muitos dos concorrentes gastam mais!

          • LP says:

            São sustentáveis à custa dos clientes, que para além do equipamento (hardware e software) têm de pagar a sustentabilidade da loja. Alguns gastam mais e muitos outros gastam menos, uma coisa é certa, quem paga é o cliente.

          • Nunes says:

            @ LP
            “São sustentáveis à custa dos clientes”
            como qualquer outra loja só existe [é sustentável] tendo clientes… a questão aqui é que o cliente não paga mais pelo produto para ter melhor serviço/atendimento do que noutra loja. E isso é possível porque a Apple não “paga” a intermediários para vender o produto, e porque tem um grande volume de negócios nas lojas. Sendo esse volume de negócios das lojas da Apple beneficiado e muito pelo bom serviço!

          • Mário says:

            @LP

            Pois é… tu nos produtos Apple, pagas à Apple para ter as suas lojas (nos países que as têm), e mesmo nos que não têm, tens um excelente suporte de cliente em questões de garantia, e tens sempre a Apple Portuguesa que se tiveres qualquer problema que não consigas resolver com os centros de assistência, ou com o equipamento, eles resolvem-te.

            Já nos outros produtos, pagas na mesma o mesmo, quer online, quer offline, e o que é que tens de retorno? Um pontapé no rabo!

            Vais a uma loja autorizado, queres experimentar um Mac ou um iPhone ou iPad, e estão lá prontos, desbloqueados, com o Apple Watch, quando começar a ser vendido, deverá ser idêntico…

            Por acaso até gostavas de ver um Moto360? Tens de encomendar da net, sem ver…

            Queres ver um LG G Watch R? Olha, tens de procurar uma loja que o venda, e no mínimo, tens de pedir ao empregado para o ver, e ele dá-te uma caixa para olhares para ela…

            Queres assistência? Troca e-mails para cá, troca e-mails para lá, de um sítio mandam-te para o outro, etc…

          • LP says:

            Nunca usei o serviço de apoio ao cliente da Apple, por aquilo que tenho lido tenho boa impressão, mas não me esqueço do que custou o reconhecimento dos 2 anos de garantia legais e do antennagate e a ridícula oferta das capinhas ridículas.

          • Nunes says:

            A garantia foi sempre 2 anos! A questão com as garantias foi na forma de processamento nas lojas e sobretudo por a Apple vender uma extensão de garantia que confundia as pessoas

        • Mário says:

          Exacto, e isso faz que em vez de vender 10 relógios aos geeks da Internet, vendam muito mais, mesmo sendo relógios que podem ultrapassar os 1000€, isto sem falar dos modelos em Ouro patenteado…

  3. Vítor M. says:

    Tenho aqui os dois em cima da minha mesa de trabalho. Precisam de algum esclarecimento? http://bit.ly/1LugoyF

    • Carlos Santiago says:

      Já agora aproveito para perguntar a tua opinião sobre o Moto 360.

      • Vítor M. says:

        Carlos, o Moto 360, na minha opinião, é o mais bonito do mercado. Tecnicamente pode não ser tão evoluído como o Apple Watch, nalguns aspectos, mas em termos de relógio em si, para mim é o mais bonito.

    • LP says:

      Qual o preço de cada um?

      • Daniel Pinto says:

        190€ o Moto 360 e o Modelo do AW do Vitor por volta dos 480€

        • LP says:

          E o que justifica os quase 300 euros de diferença?

          • Nunes says:

            Só os custos do Watch para a Apple são superiores ao preço de venda do Moto 360 [mesmo com IVA].
            Mais de 210 dólares de custo para o modelo mais barato – mais de 191 euros
            Para o de 480 euros [o preço na França é 449 euros, 374 sem IVA], o custo deverá no mínimo ser 240 dólares – 219 euros

          • LP says:

            Eu quero saber é o que é que esses 300 euros compram. O que é que o cliente ganha. E se o watch é quase 3 vezes melhor que o moto.

          • Mário says:

            Justifica assim:

            O que é que o Moto 360 é bom?

            Desporto? Não é…

            Notificações? Não é…

            Apps? Não é…

            NFC? Não tenhas esperanças…

            Ouvir música por Bluetooth? Não…

            Qualidade de construção? Não, com traseiras de plástico partidas por aí…

            Como é que é tão barato?

            – Artigo em fim-de-vida
            – Processador ultrapassado já quando saiu (45nm)
            – Ecrã de baixa qualidade 205 dpi vs 326 dpi
            – “Sensor” de HRM que não passa de dois LED’s

          • Nunes says:

            O que eu te mostro é que a diferença a ter em conta não é 300 euros…
            Primeiro, o preço de venda com IVA será 450 e não 480;
            Em segundo lugar o custo do Watch já é superior ao preço de venda do Moto360, o que já torna implícito que oferece mais no hardware e na qualidade, e isso vê-se no sensor de batimentos cardíacos do Watch, no Force Touch, no Crown, no sensor de luz que engenhosamente está por trás do ecrã sem ter que cortar o ecrã e os conteúdos que mostra. Vê-se no engenho de mudança de pulseira, no sistema de vibração, na densidade de pixeis do ecrã, nos pagamentos por NFC, no contacto magnético que facilmente alinha para o carregamento sem fios, na protecção interna dos componentes, na qualidade de construção, etc, etc!
            E no software vê-se na versatilidade, no aproveitamento de novas formas de interface possíveis pelo hardware extra, no uso de funcionalidades como o Continuity/Handoff, no uso em exercício, nas novas formas de comunicar, etc.
            Não é à toa que quase todas as análises dizem ser o melhor na actualidade

          • LP says:

            E é assim tão importante a precisão do sensor de frequência cardíaca? Não é propriamente um dispositivo médico. O NFC justifica parte e o resto são pequenos pormenores interessantes mas que não chegam nem por sombras para justificar a abismal diferença de preço. A qualidade dos materiais pode ser tão boa que suplante as necessidades do dispositivo, que se torne ineficiente. A questão não está em ser o melhor, a questão está em ser 2 ou 3 vezes melhor que os restantes e claramente não é, se analisado com a cabeça e não com o coração, mas eu sei que não é assim que as pessoas fazem compras, para sorte (ou melhor, perspicácia) da Apple.

          • Nunes says:

            @ LP
            Um sensor de batimentos cardíacos com grandes erros a pulsações elevadas ou que não tem qualquer fiabilidade em movimento, não passa duma brincadeira para enganar as pessoas! Para além da relevância da pulsação para saber o esforço sobre o coração durante o exercício ou outra actividade e melhor programar o regime de treino ou evitar excessos, é tb importante para um melhor cálculo de calorias queimadas.
            Quanto ao resto do que dizes, não passa de hipocrisia, pois quase de certeza que compras coisas melhores que custam 2-3 vezes mais ou mais ainda que outras no mercado – roupa, comida, electrodomésticos, carros, etc – que não escapariam ao teu critério absurdo que não consegue ver valor nas imensas coisas em que o Apple Watch é melhor.

          • Hélder says:

            Sim, é importante, se não tiver fiabilidade ou robustez para aguentar trabalhar enquanto corres, mais vale a pena guardar o dinheiro…

            O Apple Watch não é para crianças que qualquer brinquedo serve.

  4. Benchmark do iPhone 6 says:

    São as vendas só num país. Até agora são nove (EUA, Canadá, Austrália, Alemanha, França, UK, China, Japão e Hong Kong).

    Têm sido só vendas online, e a entrega só começou a 24 de Abril. Em Junho começam as vendas nas lojas, o que também deve aumentar as vendas.

    Para quem achar que vendeu pouco (ou que gostava de acreditar nisso) tem que se lembrar que o Android Wear, em 2014, em todo o mundo, vendeu apenas 700.000 smartwatchs. Mais do que isso vendeu o Apple Watch nos EUA no primeiro dia.

    Outro número para se ter a ideia da dimensão das vendas do Apple Watch que é compará-lasw comas exportações de relógios suíços – 29 milhões em 2012. As vendas do Apple Watch num ano podem chergar a metade desse número.

    Já agora um fabricante suíço que não diz mal do Apple Watch e diz que vai vender bem, mas não vai fazer mossa na Montblanc – que vai lançar uma bracelete de $390 com os seus relógios tradicionais entre $3700 e $5800.

    http://www.patentlyapple.com/patently-apple/2015/05/famed-montblanc-watchmaker-thinks-that-the-apple-watch-will-be-seen-as-a-joke-by-the-end-of-the-decade.html

  5. Tiago Santos says:

    O Mundo tá cada vez mais queimado da marmita. O consumismo é uma coisa parva. Compramos o que não precisamos e a preços surreais.
    Já tinha esta opinião de iphones e outros tlms a preços semelhantes e agora é juntar mais isto.
    Digo isto não para os que podem, visto que esses estão no seu direito de gastar no que for, mas no dia a dia sou rodeado de pessoas sem nível de vida que pedem créditos para comprar Icoisas.
    A semana passada dei com um conhecido meu com um bicho destes, ele que já tinha feito um credito para um ipad e iphone agora foi aumentar para isto. Ao falar com ele percebi rapidamente que é uma doença, ele tem que simplesmente ter tudo o que a apple faz nem liga as funcionalidades, já lhe ensinei várias coisas no iphone que ele desconhece por completo.
    Fui para casa a pensar como nunca tinha existido uma marca tão forte e com tantos “fanáticos”, rapidamente dei por mim a lembrar de mais 2 ou 3 conhecidos que deixam de fazer enumeras coisas na vida para ter o ultimo iphone.
    Triste realidade, claro que podemos aplicar isto a outras coisas mas Apple será neste momento a meu ver o expoente máximo do consumismo e atenção mais uma vez não estou a criticar quem compra porque pode(mesmo que em muitos produtos ache absolutamente ridículo o valor).

    • ptpedropt says:

      Realmente é triste quando temos de nos justificar aos outros perante a realidade..
      Resumindo.. o que a Apple tem feito é dar-nos a todos uma grande lição para mais tarde recordar, e o que ela nos ensina é que sempre vão existir reis e escravos, é uma coisa nossa, uma coisa humana..
      e arranjar a cura para esta doença e como arranjar a cura para a ignorância e estupidez..

    • LP says:

      Este fenómeno de fanatismo pela Apple é de facto extraordinário, e há vários estudos sobre o mesmo. O consumismo não é só nisto, e o número de créditos mal parados é reflexo disso.

      • Benchmark do iPhone 6 says:

        Resumindo – se a culpa não é do produto é do utilizador, se não for dos dos dois é da marca e, claro, do “sistema” que cria reis e escravos.

        É um discurso miserabilista.

        Eu defendo o contrário – ensinar na escola os factores de sucesso da Apple, que são os mesmos de qualquer empresa. Procura por “apple case study” que encontras coisas interessantes 🙂

    • Hélder says:

      Sim, a Apple, ou os seus clientes, têm culpa de haver N’s de gente que não tem dinheiro para semelhantes vícios, mas que gasta o dinheiro que não tem neles?

      Porque isso só existe com a Apple, ou a Apple é o maior ofensor…

      • Tiago Santos says:

        Repara que eu disse que acontecia com outras coisas. Acho mesmo um problema cultural.
        Mas apenas referi que não me lembro nunca de ter visto outra marca com semelhante poder. Podemos dizer que uma microsoft em tempos teve um quase monopólio nos pcs, mas eram e são ferramentas de trabalho. A nike teve em tempo uma força parecida no desporto mas um mercado muito mais reduzido.
        Com este poder apenas encontro num mercado totalmente diferente o Facebook(mas não tem custos).
        Consegues dizer alguma outra empresa onde vá tudo correr comprar os produtos, independentemente da sua qualidade ou utilidade ? Isto só me faz lembrar aqueles vídeos do pessoal nas filas e nem sabe as características ou que tem de novo, nem querem saber.
        Não confundas com o estar simplesmente a criticar a apple. Tenho produtos deles, fazem algumas coisas com muita qualidade, se bem que pagas demasiado por isso e aqui em casa existem 2 Iphones, porque a empresa da minha mãe cada vez que sai um novo pimba por causa do estatuto e tal.
        Isto era mais uma critica ao consumismo desmedido, de certeza que não sou o único a ter historias como a que contei. E assim que escrevi lembrei de outro caso. Uma colega da minha mãe com bastantes divididas (que vieram a piorar com aquelas multas malucas das SCUD) no natal pumba mais um credito para dois IPADS Air lá para casa.
        Nunca vi um poder assim numa marca mas se queres um exemplo diferente bem mais pequeno. Podia falar de Gopros onde conheço montes de gente a gastar 500 mocas e depois dizem que fizeram 1 ou 2 filmes durante o ano….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.