ID Buzz – Pão de Forma da Volkswagen está de volta e é eléctrico

Por Anibal Cunha para Pplware.com

Destaques PPLWARE

30 Respostas

  1. Joao 2348 says:

    Volkswagen quando lá para 2025 lançarem esta forma, não se esqueçam de meter tinta que transforme a luz em electricidade, para aumentar a autonomia, e também não se esqueçam de meter baterias substituíveis, tipo pára numa estação energética sai as baterias, metem outras e segundos depois de ter parado pode seguir viagem (claro que a velocidade depende do tempo que demoram a pagar o aluguer da nova). Que esta coisa de estar sabe-se lá quanto tempo à espera que as baterias carreguem, e carregamentos rápidos dão cabo das baterias, não dá com nada.

    • Filipe says:

      A Tesla abandonou a ideia de troca de baterias há muito. Simplesmente é uma solução comercial inviável. Irão apostar no aumento da potência dos seus Supercarregadores, que actualmente se cifra nos 150kW.
      Se fizer umas contas de 3 simples consegue chegar ao tempo necessário para carregar as baterias, se souber a potência do carregador usado.
      Dizer que as baterias se estragam com cargas rápidas é demonstração de total conhecimento do que fala.

    • Traveller says:

      Sempre os mesmos comentários sempre as mesmas burrices as baterias carregam em 30 minutos nos carregadores rápidos.
      A bateria do meu carro com 70000km tem 3 anos e 780 carregamentos rápidos e está a 93% e ainda tem 5 anos de garantia.

      • PBS says:

        Boa Fico feliz por saber isso. Um dia hei de ter um eléctrico!

      • Manuel S. says:

        Conheça quem use carro elétrico desde 2010 e nunca pagou nada de energia, só pneus, pastilhas e fluido de travão, filtros de habitáculo e escovas limpa vidros.
        Pessoalmente a minha experiência começou no ano passado e cá em casa já são 2 VEs. Se não fizermos um upgrade talvez passe a 3. Na cidade a experiência tem sido fantástica, no conforto de condução e principalmente na economia, onde deixou de haver preocupação com os depósitos de combustivel. Salvo raras excepções fora da cidade, os carregamentos são feitos à noite nos postos públicos ou durante o dia entre as deslocações. Fora da cidade usamos os carregadores rápidos em viagem, que fazemos coincidir com as pausas de refeições e outras actividades. Uma coisa é certa, cá em casa aprendemos a gerir e valorizar o tempo de forma diferente na interacção com o automóvel e estas rotinas já fazem pare das nossas vidas. As baterias variam entre 91% no de 2013 com 16000kms e 79% no de 2012 com 43000kms. As autonomias variam entre os 200 e 100kms com uma só carga e em função do estilo de condução, dos tragetos, da regeneração de energia com a antecipação de desaceleração e travagem. Sempre que possível, vamos conhecendo às ofertas de particulares usados, ou de serviço e demonstração de concessionários, experimentamos e vamos fazendo comparações em função das nossas necessidades. Foi assim que trocámos e compramos os nossos. Novos em Portugal nem pensar, porque os apoios são insuficientes face à enorme desvalorização dos primeiros anos. A minha sugestão para quem não conhece, é que experimente e vá experimentando, mesmo que não pense em comprar! Depois já pode opinar com um pouco mais de conhecimento de causa!!!

      • Manwell S. says:

        * trajetos, queria eu dize !!! tragetos parece um nome de virus…

      • Marco says:

        Qual é o carro a que se está a referir?

  2. Paulo Jorge says:

    “será possível que o condutor se abstraia da condução e passe para um ambiente de mais descontracção ou até mesmo a realização de outro tipo de actividades, como algumas tarefas laborais (aceder ao email, documentos, etc…). ”

    Pensei em tudo menos tarefas laborais…

  3. Filipe says:

    Afirmar que “A marca lançou-se de forma séria no mundo dos veículos eléctricos…” é um bocado forçado e vou encarar como uma piada, certo? Comparar a VW com a Tesla, em relação aos veículos eléctricos, equivale a comparar a mercearia do Tio Armindo com a Amazon.
    Este modelo é para 202x, que é como quem diz em linguagem VW, nunca.
    Este tipo de projectos da VW serve apenas para “esquecer” o Dieselgate e limpar a imagem poluidora associada à marca.

    • RF says:

      ehehehe +1 Nos EUA já foi um de cana… por cá.. tudo normal.. bora lá abafar a coisa para os tolos dos consumidores esquecerem e continuarem a comprar! Ahhh VW..

      • NunoP says:

        A VW até podia anunciar um carro sem rodas, que levitava e com uma fonte de energia interminável para 2175 … Teria o mesmo impacto que 202x …
        De reparar que basicamente a VW anuncia a IA perfeita para condução, pois anuncia que o condutor pode até ligar o sistema e “não se preocupar com a condução”.
        São noticias puramente para mostrar marca sem nada em concreto/real.

    • P says:

      A VW já tem outros veículos elétricos. Se não estou em erro, é um golf elétrico.

      • Filipe says:

        Confirmo. Tem o e-Golf e o e-Up!, que até foram projectos pré-Dieselgate, no entanto, desde que a polémica rebentou, a VW é toda pró eletrificação, sendo que continua a colocar preços pornográficos nesses VEs e afirma que não vende mais porque as pessoas não os querem!
        Um bocado contrasenso então estar a apostar na eletrificação para 202x…

        • P says:

          Da última vez que vi, o e-Golf andava na mesma gama de preços de um Leaf.
          Estes carros ainda não são para todas as carteiras, mas não é por as marcas não quererem. A tecnologia é que ainda não chegou lá.

          • Filipe says:

            Permita-me discordar.
            A tecnologia já lá chegou, simplesmente a economia de escala é que não. Por isso é que a GigaFábrica da Tesla é a direção certa a tomar, para descer o custo de produção de um VE e consequentemento o valor de venda ao público.
            Ou seja, pode não ser totalmente, mas claramente é por as marcas tradicionais de automóveis não quererem.

            Um e-Golf têm cerca de 60% da autonomia do LEAF 30kW e, enquanto que o Leaf custa cerca de 30 mil euros em média (tem 3 versões com diferentes equipamentos) o e-Golf custa perto de 40 mil. Para mim não são preços semelhantes quando o LEAF é praticamente 25% mais barato…

          • Traveller says:

            Não, o Golf é mais caro que o Leaf 30 menos autonomia.

            A tecnologia é que não chegou lá? A Nissan em PT está com uma lista de espera de 3 meses.
            A Tesla tem meio milhão de encomendas para uma carro que ainda nem começou a produzir

  4. Ze says:

    Acho giro as pessoas queixarem-se do preço dos carros eléctricos quando em 2015 o carro mais vendido foi o Mercedes Classe A, outros anos houve em plena crise que era o BMW Serie 1 ou o Golf, outros tempos era o Audi A3, além disso cerca de 30% das vendas de automóveis são BMW, Mercedes e Audi. Os valores pouco importam para quem compra carro, maioria dos portugueses compra carro a crédito, não tem importância o valor do carro, só a marca, deixemo-nos de criticar o preço dos eléctricos com as reduções que temos em manutenção e em consumo facilmente se paga o investimento. Vejo com muitos bons olhos estes carros e só espero que não demore muito até termos autonomia de 1000+ km e carregamentos de 80% em 5/10 min e legislação para carros autónomos e planos para tirar de circulação tudo o que não seja autónomo, 2025 é uma boa altura para a transição, mas ao ritmo que a tecnologia evolui prevejo isso a acontecer até fins de 2020.

    • Filipe says:

      Pode ter uma explicação lógica. Quem se queixa tipicamente é quem menos pode pagar os “elevados” valores de um VE. Quem é rico só se queixa de não ter mais dinheiro ainda 🙂

      E sim, os custos de manutenção e por km de um VE são uma migalha, quando comparados com os de um MCI.

  5. José Carlos da Silva says:

    Carro eléctrico é quase sempre sinónimo de carro estranho. Porquê este aspecto (neste e em quase todos os eléctricos que já existem)?

    • Filipe says:

      Isto é um protótipo. Tal como em protótipos MCI as linhas e a tecnologia são sempre amplamente exageradas. É um look to com que nunca na verdade chega 🙂

      Quanto aos VEs, acho que o LEAF será o responsável pela sua visão. Mas olhe para o Renault ZOE, o Hyundai Ioniq ou até mesmo os VEs da VW (que são exactamente iguais aos MCIs) e a sua opinião vai mudar de certeza.

      • José Carlos da Silva says:

        Sim, verdade. Talvez seja um bocado por culpa do Leaf ou do i3. Os protótipos deste género costumam ser um tanto quanto exagerados. Talvez aqui o contraste face ao modelo clássico da Pão de Forma tenha causado maior estranheza 🙂

  1. 10 de Janeiro de 2017

    […] ID Buzz – Pão de Forma da Volkswagen está de volta e é eléctrico […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.