Quantcast
PplWare Mobile

Xiaomi HyperCharge a 200W carrega bateria até aos 100% em apenas 8 minutos!

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. AqueleAmigo says:

    Isto é de facto brutal mas a minha questão.. como fica a bateria ao longo do tempo?

    • MACnista says:

      … ora bem está tudo dito!!!!, quanto mais depressa carregar menor o tempo de vida da mesma!!!

      • Urtencio says:

        onde v.ex viu isso escrito?

        • jlxpmme says:

          É física simples. Mais energia significa temperaturas mais altas. Temperaturas altas é a causa #1 para degradação mais rápida das células da bateria.

          • Urtencio says:

            Percebo o que dizes! mas se fizerem uma simples pesquisa pelo google esse assunto está um bocado confuso! pois tens alguma informação a dizer que o carregamento rápido não afeta o desempenho da bateria a longo prazo!

          • JCS says:

            Depende também do material usado por exemplo as propriedades do grafeno demonstram que não é assim tão linear. É bom vermos a evolução da tecnologia e dar mérito a quem a procura.

        • MACnista says:

          o jlxpmme já disse tudo!!

          • scp says:

            Contratem-no para o departamento de inovação da Xiaomi! Urgente! Ele vai parar com estes processos inúteis que estragam a bateria. Ou então contratem-no para a DECO! Urgente! Precisamos todos de ofertas de tablets com 1GB RAM!

            Como é que os Cientistas da Xiaomi não pensaram que isto é apenas física simples, que temperaturas altas é a causa #1 para degradação mais rápida das células da bateria.
            Alguém pare os cientistas da Xiaomi, estão na dar cabo das nossas baterias!

          • Ricardo Campos says:

            Concordo plenamente. Eu pessoalmente tem um Xiaomi e não uso o carregador deles para carregamento rápido.

            Uso um carregador de baixa potência que demora mais tempo a carregar mas que não aquece a bateria, uma das principais causas de avarias nas baterias de aparelhos electrónicos.

        • André R. says:

          Assiste aos Webinar da ABB, que eles informam-te…
          O mesmo acontece quando deixas o tlm ao Sol… basta leres as instruções…
          Ou tens um brutal sistema de refrigeração nas baterias, ou elas degradam-se com o calor da transmissão de corrente.

        • Dc says:

          Não são teorias, o calor gerado pelo fast charging afecta o tempo de vida da bateria a longo prazo.

    • Filipe C says:

      Ainda é questao hoje em dia com a tech que temos?
      Desde há meia duzia de anos que os carregamentos sao mais e mais rapidos, muito mais rapidos. Antes demoravas 1h e tal para carregar uma bateria de 1200, agora demoras uns 50 min para carregar uma bateria 3 ou 4 vezes maior, notas grande prejuizo ao longo do tempo? Sentes que atualmente as baterias viciam tao rapidamente como antigamente?
      É que do que vejo, cada vez carregam mais rapido, sendo cada vez maiores, e cada vez se fala menos de baterias viciadas ou ”trocar a bateria” apos 1 ano como acontecia em modelo de ha meia duzia de anos.

      • FAR says:

        Isto é pessoal da velha guarda. Bateria é bateria, tudo igual. Se há 10 anos tinha um comportamento X porque é que hoje há-de ter um comportamento Y? Não pode. “No meu tempo (do nokia 3310) é que era!”
        /s

      • Hugo Nabais says:

        As baterias carregam mais depressa realmente, nisso concordo. Mas viciam de forma igual. Ou seja ao fim de 1 ano nota-se bem que já não aguentam o mesmo e ao fim de 2 anos ficam com autonomia muito mais reduzida que inicialmente, quase metade a menos.

    • Filipe says:

      Trocar de bateria (ou de aparelho) de 2 em 2 meses porque ela “viciará” ao fim de umas duas semanas.

  2. Tiago says:

    que relógio é aquele atrás, alguém sabe? Obrigado

  3. JCS says:

    Depende também do material usado as propriedades do grafeno demonstram que não é assim tão linear. É bom vermos a evolução da tecnologia e dar mérito a quem a procura.

  4. Pplmaca says:

    Mais uma tecnologia da Xiaomi que irá ser plagiada pela Apple

  5. kodiakshadows says:

    Eu nos anos 80, quando começaram a aparecer as baterias recarregáveis e que custavam um balurdio na época, eu por motivos de trabalho precisava de ter no mínimo 3 grupo de 4, para usar no meu flash Metz e para recarregar era um tempão já que só tinha um carregador e que o preço era bem salgado também. Um amigo meu, o Filipe “Eletrônico” de Santarém, para resolver o meu problema arranjou um esquema com um transformador e eu carregava em 2 min um grupo de 4 pilhas, resultado as baterias ao fim de 12 meses já não rendiam, mas o que eu ganhava justificava comprar outros grupos. Só para dizer que devido cargas, o aquecimento era bem notável ao toque e a duração das pilhas que deviam durar de 18 meses no mínimo, não passava de 1 ano. Hoje com a tecnologia aprimorada e outros materiais, não vejo encontrar os mesmos problemas como há 30 anos atrás. Com certeza que é seguro e mais durável.

  6. Silvio pinto says:

    Se o carregamento rápido fosse um problema, não havia Teslas nos países nórdicos com 1M de km. Acho que temos de deixar de ser quadrados e aceitar a inovação e admitir que há marcas menos cotadas no mercado a conseguir realmente inovar e cobrar o preço justo por isso.

  7. Luis Henrique Silva says:

    Isto de carregar rápido as baterias vqi detiorar mais depresa a bateria.

  8. IKAROS says:

    Isto parece-me também que a Xiaomi já não sabia o que fazer para sair nas notícias, por isso nesta geração optaram por criar carregamentos cada vez mais rápidos para continuarem a ser notícia.

    Quero ver o que é eles vão inventar a seguir para continuar na boca das pessoas…

    • scp says:

      Quem devia seguir as pisadas era a apple.. estou farto de ver pessoal com 10% de bateria e a pedir cabos ou carregadors de iphone. Davam-lhe jeito carregar totalmente o seu iphone em 10min.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.