Quantcast
PplWare Mobile

Maioria considera que Portugal raramente valoriza os profissionais em tecnologia

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. J says:

    Acho que a questão devia ser para todos os profissionais.

  2. Guilherme Esteves says:

    Valorizar é um conceito abstracto. A maioria das pessoas valoriza um bom profissional em tecnologia, tal como o faz para um bom mecânico, cabeleireiro, enfermeiro… Bons profissionais são sempre valorizados. Já em termos de compensação económica, esse é um problema não exclusivo da IT (pelo contrário)

    • David Guerreiro says:

      Há bons profissionais que não valorizados, e há maus profissionais valorizados, em todas as áreas.

    • k says:

      Entendo os vários níveis a que isto pode ser avaliado mas quando se fala em valorização de forma profissional, acho que podemos inferir que será sempre de forma monetária. Quando o funcionário não é valorizado a nível de conhecimento ou profissional geralmente acaba despedido e a história morre aí. Mas se fores bom, ninguém te despede, pelo contrário. Especialmente se fores mal valorizado financeiramente.

      • Zé Fonseca A. says:

        Não concordo nada com isso.
        Primeiro, em IT não há despedimentos, não conheço ninguém em IT que não tenha contrato sem termo, ou seja, efectivo, é o standard de contratação, quando isso não acontece é porque o profissional prefere passar recibos para ter outros biscates por fora.
        Depois os profissinais de IT são mais bem remuneradores que em qualquer outra area, não existe nenhuma outra area a pagar tão bem por menos qualificações que em IT, valoriza-se acima de tudo a experiência.

        A valorização para um profissional de IT ocorre na progressão de carreira, não necessáriamente vertical mas sim horizontal, a busca por projectos onde o profissional de sinta motivado, depois disso vêm os fringe benefits, carro, combustivel, internet, bloco de incentivos financeiros como seguros de capitalização, PPRs, etc, trabalhar de casa, acesso a determinados “mimos” no escritório e work-life balance.
        Isto é o que profissional de IT vai olhar na altura de aceitar uma proposta, os valores de remuneração mensal são tipicamente bons e muito usualmente aliam-se a bonus anuais de produtividade também generosos. Nos dias que correm um bom profissional de IT em PT consegue um conjunto anual de salario + beneficios + premios acima dos 100k ano, quem não consegue é porque se encostou algures durante a carreira.

  3. Miguel says:

    Claro que o salario é um montante abaixo do merecido… trabalhamos em equipa, com Franceses, Suiços, Italianos, Alemães e etc.
    O software produzido gera dinheiro, todos colaboraram de igual forma e uns ganham mais que outros, disparmente….
    Não me venham com a história do custo de vida, façam as vossas pesquisas, cheguem às vossas conclusões e verão que com quaisquer variáveis estamos sempre abaixo da maioria dos países com o qual trabalham.
    Além do mais, vivemos numa União Europeia, que nestes assuntos é mesmo uma desunião.

  4. deeppurple says:

    IT Managers a ganharem 800€. LOLOL

  5. Nuno Palma says:

    Agora imaginem os que não são profissionais de tecnologia! Lol

  6. João M says:

    Uma coisa tenho reparado: Sim os profissionais de IT são mal pagos (na generalidade) comparativamente a outros paises (Tendo em conta o custo de vida) mas acho que o problema é maior do que apenas as empresas nao quererem pagar mais.
    – O custo do trabalho, em Portugal, é elevado. Um funcionário que ganhe 2000€ (em IT não é muito) custa à empresa 2600. Se o salário for de 4000€ já custa à empresa 5000€ e poucos. Nem todas as empresas IT têm condições para isto.
    – O mundo do IT evolve muito rápido e a estrutura (financeira e hierárquica) das empresas não acompanha. ISto é, uma empresa tem o seu payroll e hierarquias organizadas de tal forma que se um dia fazem um benchmarking ao que os seus colaboradores deveriam ganhar comparativamente com o mercado, a empresa não terá capacidade de pagar mais ou fica com engenheiros IT a ganhar mais que os próprios managers (o que vai implicar subir salários por ali acima). Conheço um caso em que uma empresa decidiu fazer um desses benchmarkings e quando viu o resultado desistiu. Deu uns aumentozitos mas nada comparável ao mercado.

    Um recrutador disse-me outro dia que, por causa desta grande necessidade de malta com experiencia em IT (depende da área mas acho que acontece em quase todas) quando se é chamado para uma entrevista o candidato tem, hoje em dia, maior vantagem e pode escolher onde quer trabalhar -> e isto ficou ainda mais claro com o conceito e alargamento do trabalho remoto. Tirando quem quer seguir carreira de “manager”, quem gosta de ser tecnico, para subir na vida terá de saltar de empresa porque, pelo menos por enquanto, as empresas naõ estão preparadas para valorizar carreiras técnicas; a nossa cultura (diria até global) sempre foi habituada a valorizar cargos de gestão.

    • Miguel says:

      Parece que trabalhas na minha empresa 😀
      “Conheço um caso em que uma empresa decidiu fazer um desses benchmarkings e quando viu o resultado desistiu.”

      O nosso problema também é impostos, mas não é justificação, pois em Bélgica são semelhantes ou maiores.

    • David Guerreiro says:

      Para ganhares 2000 líquidos, custa à empresa quase 3900€. Se ganhares 2000 brutos, custa à empresa os tais 2600, mas tu só recebes 1500. A fiscalidade em Portugal é arrasadora.

      • Miguel says:

        Compreendo, são efectivamente muito altos, mas compara com a Bélgica.
        Os impostos lá são mais altos, mas não é por isso que não têm um ordenado e regalias superiores a nós..

      • PeFerreira says:

        Tal como o Miguel disse. A fiscalidade na Belgica é superior.
        Há muita coisa mal contada nas empresas que não chegam aos ouvidos dos empregados.
        É muito dinheiro a fluir por detrás de bocas que dizem que não têm como pagar. Muito esquema com as “Ajudas de custo” etc. No entanto pagam valores absurdos por outsourcing…
        Há coisas mal contadas.

  7. Crow- says:

    Profissional de IT é muito vago, mas tipicamente há duas realidades conhecidas, consultoria e software houses. Nas segundas hoje em dia facilmente se arranja um contrato de pelo menos 60k brutos ano, sem ser grande expert. Mas há muita gente com contratos de 70, 80, 90k e mais.

    • John Doe says:

      “facilmente se arranja um contrato de pelo menos 60k brutos ano, sem ser grande expert” em Portugal? Mostra aí uma oferta de emprego dessas fáceis

      • João M says:

        Secretário de Estado ou ministro do novo governo 😀

      • Miguel says:

        CEO empreendedor de uma empresa de tecnologia

      • Crow- says:

        Posso-te dizer que pelo menos no Porto não consigo hoje contratar um frontend developer por menos de 60k + beneficios. Backend developers andam já nos 70k+. Designers que há poucos anos andavam nos 35/40k agora andam nos 60k+. E por aí adiante.

        • Miguel says:

          Deves ser HR com certeza, dada a quantidade de fala barato.
          Não vivo no Porto, mas existem ferramentas que mostram que estás errado.
          Não sei porque pessoas da mesma àrea tentam consistemente deitar-se abaixo umas às outras….

          https://www.glassdoor.co.uk/Salaries/porto-software-developer-salary-SRCH_IL.0,5_IC3183562_KO6,24.htm?clickSource=searchBtn
          Ou verifica no “Robert Walters Salary Survey 2020” página 42

          • Crow- says:

            lol Esses sites valem o que valem.
            Não sou de RH nem preciso de verificar reports nenhum. Lidero uma equipa de desenvolvimento no Porto. Estou-te a falar de experiência própria, se não estás a par da realidade é problema teu. Estou-te a falar dos valores com que trabalhamos, eu e muitas das empresas conhecidas no grande Porto. Tenho entrevistado dezenas de pessoas nos últimos anos, que saem da Blip, Mindera, Farfetch, etc, todos a apontar para 60k bruto mínimo. E muitos deles com 3/4 anos de experiência, nem estamos a falar de pessoal muito sénior. Dada a escassez de recursos é comum perdermos pessoal que está a ganhar na casa dos 60k para irem ganhar na casa dos 70k, e por aí fora. Há inclusive muito pessoal, em cargos mais elevados, a ganhar na casa dos 6 dígitos.

          • Zé Fonseca A. says:

            Isso é liquidos, faz as contas…
            Além que é relativo pessoas contratadas que devem estar estagnadas.

          • PeFerreira says:

            Se isso for salário líquido, yup esta quase lá. Dependendo da pessoa e do cargo claro (penso que isso sejam valores de Mid).
            Enfim, só vejo Heróis no chat. 3 anos 60k numa empresa tuga? Estamos a falar de uns meros 4k mês. Eu para arranjar esses valores só remote para fora. Hummmm. Pimenta na língua.

        • Toni da Adega says:

          60k são 2800€ por mes (limpos), conheço muito pessoal que não se importa de trabalhar por esses valores

          • Zé Fonseca A. says:

            A fazer contas assim estás tramado para arranjar trabalho, 60k são 2400€ limpos por mês, algo banal em Lisboa e Porto nos dias que correm, dentro de 2 anos o novo standard vai-se situar nos 3000€ limpos por mês.

    • Bruno says:

      estes comentarios parecem o facebook pessoal que nao faz a minima noção do que fala

  8. John Doe says:

    “Portugal” é o quê? Os portugueses? Todos?
    E “valoriza “em que sentido?
    A julgar pelos comentários, “Portugal “são os empregadores e “valorizar” é pagar bons ordenados.
    Graças à oferta/procura, são, nesse aspecto, valorizados uma vez que ganham acima da média e costumam ter regalias que a maioria não tem. Isto, comparando com outros profissionais em Portugal, não comparando com outros países, como estão a fazer. Se noutros países ganham tanto melhor porque não emigram? Porque, além de outras coisas, ganham o dobro, mas pagam o triplo pela habitação?
    Depois, vemos comentários a afirmarem como esses profissionais”facilmente “ganham de 2 a 5k por mês, num país onde o ordenado médio é de pouco mais de 1k. Em que ficamos?

    • João M says:

      É esse pensamento que nivela por baixo que faz com que as coisas nunca melhorem porque “podiam esta piores”. No entanto somos constantemente ultrapassados por paises da EU, incluindo os de leste.
      Se esta malta que ganha acima da média emigrar toda não vais ter quem pague os impostos. É isso que se quer? Quem ganha acima do salário médio é bombardeado com impostos e pouco mais de metade do que ganha chega à carteira. Depois tens os impostos indirectos, também altos, que afectam tanto quem ganha mais como quem ganha menos.. mas está tudo bem porque “ganhamos acima do salário médio” que é miserável.

      É preciso deixar de pensar “pequenino”. 2k-3k brutos não é muito e, comparando com outros paises (e sim, comparo com outros paises porque não vivemos numa bolha ) é pouco. Comparo com outros paises porque pagas impostos mais altos que muitos paises que para ai andam e o teu nivel de vida é dos mais baixos da europa. Mas está tudo bem porque 2000 é maior que 1000 .

      Valorizar não é apenas dar mais do que a média. A média é 1000€ e valorizar não é ganhar 1001€. Um empregado de uma fábrica não se sente valorizado quando o seu aumento salarial só acontece quando o salário minimo sobe por decreto (curiosamente, quando mais sobe, mais o minimo se aproxima do médio … já pensaste sobre isto?).

      O problema não é quem pode e quer ganhar mais de 4k por mÊs. O problema é o salário médio ser de 1000€ e nada ser feito para mudar isso. Talvez porque a malta se acomodou a pensar e a ser pequenino. Ganho acima do médio e não me sinto da classe “média”, tendo em conta todas as despesas que tenho… mas vá “ganho acima do médio e devia estar conformado com isso” dizem…

      Depois falam nas relalias, tipo serviço nacional de saude, que dizem ser “de borla” mas outro dia paguei uma taxa moderadora de 100 e tal euros para fazer um exame a pedido do publico no publico. Deve ser por ser “rico”…

      • Jane Doe says:

        O que faz as coisas melhorarem são esses pensamentos mirabolantes nas nuvens. Fazemos assim, montas uma empresa, pagas esses ordenados fantásticos e depois conta como correu, pode ser?

        • R says:

          Não desvalorizando os outros pontos de vista, é difícil valorizar salarialmente quando a carga fiscal sobre o trabalho é asfixiante. É um dos motivos porque se abusa das horas extraordinárias – consequência? Produtividade deixa de existir.
          E um ponto importante: despedir quem merece ser despedido tem de ser mais fácil.
          Com estes 2 pontos muito se poderia mudar em Portugal.

        • Zé Fonseca A. says:

          Trabalho há 25 anos no ramo, já tive emigrado durante quase 15 anos, hoje trabalho em PT a ganhar acima dos 10k, não só não é nenhum ordenado mirabolante como levo para casa menos de 5k liquidos, todos os anos poupo milhões em custos operacionais à minha empresa, se tivesse a trabalhar no mercado NY como já estive receberia facilmente 30-40k mensais e com uma fiscalidade na casa dos 19%. Neste momento valorizo mais a familia que o dinheiro, já estou velho para essas coisas.

          • Jane Doe says:

            “hoje trabalho em PT a ganhar acima dos 10k, não só não é nenhum ordenado mirabolante”
            Um ordenado quase 10x superior ao ordenado médio não é “mirabolante”, está certo. Um ordenado quase 10x superior ao de um professor com 20 anos de carreira, ou de um enfermeiro com os mesmos 20 anos de carreira, que arrisca a sua saúde, que tarbalha por turnos, de dia, de noite, fins de semana, feriados e festas, com uma licenciatura e mais 2 anos de especialização, “não é mirabolante”. Está certo.

          • Bruno says:

            Não não é alto, até é baixo… os restantes é que são extremamanente baixos!
            Não esquecer que vivemos numa União Europeia, onde não devia existir tantas desigualdades.
            Muito mais estando nas extremidades do continente…

    • Miguel says:

      Onde é que a habitação é cara? Suiça?
      Digamos que tens um ordenado de 8K (é usual por lá)….
      Dizes que a casa é cara, não sei o preço, mas suponhamos 4k mês (imagino que consegues mais barata).
      Imaginando que contas + supermercado serão 3K (tens de poupar um bocadinho? talvez, o Português tb….)
      Final das contas no final do mês conseguiste poupar 1K , em Portugal em média quanto conseguem poupar?

  9. Infinity says:

    Os profiisionais só são valorizados quando saem para outra empresa

  10. Alguém says:

    Sou designer 3D e técnico de impressão 3D a receber atualmente 710€ e nem me pagam subsídio de alimentação e ainda levo com bocas a dizer que o meu trabalho é fácil, é só carregar em meia dúzia de botões para a impressora imprimir ahahah vamos portugal ao menos estamos qualificados para o mundial que é tudo o que interessa!

  11. FAR says:

    Acho que a melhor resposta à pergunta lançada pelo artigo são mesmo os números do pessoal da área que mal tem hipótese vai trabalhar para fora.

    • Zé Fonseca A. says:

      Hoje em dia os que o fazem é pela aventura, por projectos de grande dimensão e bem mais aliciantes, eu fiz o mesmo quando ainda não era pai, passados 5 anos de ser pai comecei a repensar a minha vida e voltei.
      Mas se na minha altura o profissional de IT não era devidamente reconhecido em PT, hoje em dia isso não se verifica e para o custo de vida que temos até recebemos bastante bem.

  12. dude says:

    Desvalorizado?! O que eu faço é só carregar num botão e as coisas aparecem feitas. Ainda devia era oagar para trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.