PplWare Mobile

Irão os smartphones acabar com as máquinas fotográficas?


Autor: Pedro Pinto


  1. Tiago says:

    Isso agora tudo depende do que caracterizam como máquina fotográfica. Se for uma digital de 100 e poucos euros sim. Se for uma dslr, seja ela qual for esqueçam… a qualidade irá ser sempre superior. No entanto, sou da opinião que 90% não precisa de uma dslr e nesse aspecto uma camera como a do 808 é uma mais valia. Além de ter grande qualidade anda no nosso bolso a toda a hora.

    • Pedro Pinto says:

      Tiago, “..o segmento das máquinas fotográficas tradicionais “básicas e limitadas” Essas que custam cento e poucos euros e até menos 🙂

      • rui says:

        Podiam fazer um artigo sobre a nova e revolucionária Sony NEX-6.
        Uma câmara profissional dslr no tamanho de duma compacta.
        É só uma ideia.

        • diogo says:

          é tão revolucionária que a canon já tinha, e não estou a falar das powershots 😀

          (pedro pinto, eu sei que não fizes-te os histogramas, ou lá como se chama, mas a informação deles está muito mal feita, eu não sei o que querem com o primeiro)

  2. Joel says:

    smartphone nunca acaba com um valente canudo nas mãos para mim a sensação de pegar numa DSLR ou num smartphone quitado e muito diferente prefiro a DSLR sem a menor duvida

    • miguel says:

      nem mais
      DSLR é DSLR

      encosta qualquer telefone para um canto XD

    • Hugo says:

      Tudo depende do que se quer. Afinal há quem tire fotos com tablets, é suposto isso ser portátil????

      Uma dslr não para ser portátil nem ter no bolso.

      Ainda assim eu separo que quer tirar fotografias e quem quer fazer fotografia. Para mim é diferente.

      • miguel says:

        “Ainda assim eu separo que quer tirar fotografias e quem quer fazer fotografia. Para mim é diferente.”

        sim é verdade porque o que nao falta ai é pessoal com DSLR e so usa o modo auto

        simplesmente compram porque é cara e pensam que vao conseguir melhores fotos

        • Hugo says:

          Sim é verdade, nos últimos tempos houve um boom grande de dslr aí na rua, mas boa parte em auto. Para isso não vale a pena gastar muito dinheiro.

        • Joel says:

          e depois temos o tamanho do sensor numa DSLR e bem maior e até numa compacta o dito deve ser maior penso eu

          • Pedro Pinto says:

            Estou a ver que o segmento das câmaras fotográficas agrada a muitos. Alguem que queira produzir uns artigos sobre as tecnologias associadas ao mundo das câmaras fotográficas?

        • Sergio says:

          Não é bem assim. Uma DSLR em modo auto deixa a anos luz qualquer compacta. Claro que uma DSLR em modo manual fica a parsec’s de em modo auto. Mas não podemos criticar as pessoas por estarem a tirar as fotos em modo auto. Podem não tirar o potencial todo da máquina, mas estão a tirar muito melhor fotos de que com uma compacta. Tirar fotos em modo manual entra na categoria de arte. Eu infelizmente ainda não estou aí.

          • JJ says:

            A anos luz, também é um exagero. Tudo depende da lente que a compacta tiver. A maior desvantagem de uma compacta para uma DLSR é a possibilidade da troca de lente. Porque a nível de qualidade de imagem, se souber-se fazer uma boa comprar na escolha de uma compacta com uma boa lente. Ficamos com fotos a um nível muito elevado e não tão longe assim de um DLSR.

            Mas isto é como tudo na vida, vai depender da lente, da maquina em si, dos anos e claro de quem a usa. Talvez eu com uma compacta posso tirar melhores fotos que alguns com uma DLSR, como alguém com a mesma DLSR pode dar-me uma “tareia” a tirar fotos…

            Isso vai depender de muitos factores. Agora as compactas, depende dos modelos, não estão assim a tão longe das DLSR.

        • diogo says:

          há muito fotografo profissional que usa o modo auto muitas vezes, e simplemento não condeno, porque há situações em que uma pessoa não tem tempo para fazer regulações. Claro que depois sabem fazer tudo o que quiserem com modos manuais

  3. André Silva says:

    Respondendo à pergunta… Não.

    Haverá sempre mercado para as máquinas fotográficas. Haverá sempre possibilidades de efeitos e fotos que só com uma máquina fotografica são possíveis obter.

    No máximo, poderá afectar apenas as máquinas de gama baixa, mas mesmo essas continuarão a ser procuradas por todos que não têm possibilidade de dar 600 ou 700 euros por um smartphone(a grande maioria de nós, digo eu), pois só os smartphones dessa linha de preço podem competir com uma máquina fotográfica (que custa entre 100 e 200 euros).

  4. Sergio says:

    o artigo ao ser apresentado neste timing deveria fazer menção ao rumor que a Apple irá apresentar para a semana um acessório que irá porventura transformar o iphone numa quase máquina fotográfica. Diz-se que saltará para os 14MP. Como isso será feito não sei e não passa de um rumor. Mas o artigo aparece exatamente nessa altura, portanto, NA MINHA OPINIÃO, deveria se ter feito uma menção ao facto.

    Tenho uma DSLR. Mas desde que tenho o iphone ela começou a ser usada menos vezes. Claro que não tem comparação, mas faz perfeitamente o trabalho das compactas, nomeadamente no video. As DSLR terão sempre o seu mercado. E eu apesar de ter uma DSLR não tenho unhas para ela, mas continuo a tentar

    • Tiago says:

      14MP num iphone é tiro no pé… quantidade de MP em máquinas dessas significa grão a montes em resoluções altas. Tantas máquinas que estão no mercado que ficam com melhor qualidade quando baixamos a resolução… ai o marketing!

    • Vítor M. says:

      Sérgio, poderia mas não é um “acessório” Apple. Pelo menos não é isso que tenho ouvido, mas…

      Como ainda é um rumor e mesmo assim sem grande sustentabilidade, neste caso nem ficaria bem colocar… digo eu! Mas ainda bem que o mencionaste, pois poderá ser algo interessante, mesmo sendo um “particular” a lançar.

    • JJ says:

      Sergio… se em vez de ter comprado essa DSLR, tivesses comprado uma maquina compacta de gama alta, não dizias que o teu iPhone era mais pratico/utilizado. Pois a compacta iria fazer fotos com uma qualidade quase ao nível de um DSLR e principalmente muito superior do que as fotos do iPhone. E continuava a ser pratico a tirar fotografias.

      • Sergio says:

        Já tive muitas compactas. Neste momento ainda tenho uma olympus. Quando comprei a DSLR (porque queria aprender umas coisas de fotografia) lá em casa toda a gente me criticou. A DSLR deveria servir-me como hobby. Mas as mesmas pessoas que me criticaram (mulher e sogra) quando começaram a ver a diferença abismal, passaram a utilizar a olympus apenas por causa da portabilidade. Mas a portabilidade foi-se (pelo menos comigo).
        A DSLR para mim só teve um pequeno grande problema. Sou um fotografo muito fraquinho. Sou péssimo a escolher planos. Claro que isso tb é válidos para as outras fotos, mas o hobby está comprometido. Pode ser que a experiencia ajude.

        uma coisa tão simples como ajuste de profundidade de campo é muito dificil conseguir com uma compacta. Com uma DSLR até em modo auto consegues isso. Depois os objetos até parecem que saltam para a frente, tal é a forma como ficam bem focados e basta que o fundo fique uma nada desfocado (mesmo que quase impercetivel), para teres aquele uau. na minha opinião não há comparação. Claro que compactas tb se tiram excelentes fotos. E acima de é preciso ter máquina, mas muito mais importante é ter fotografo.

        As fotos do iphone são bastante boas, para fotos “normais”.

  5. QualquerUm says:

    Acho que isso acontecerá mais ou mesmo ao mesmo tempo que um ultra leve tiver o mesmo desempenho que um F16. E que um berbequim black and decker se equiparar a uma tuneladora, mais ou menos.
    Não se metam nisso, fiquem-se pelos smartfones.

    • M.Manuelito says:

      Achei interessante e divertida a primeira parte do teu comentário. No entanto a última frase “Não se metam nisso, fiquem-se pelos smartfones” já não concordo. Eu não me posso ficar pelo smartphone, preciso de algo com mais capacidade. Ficar-se pelo smartphone só mesmo para as pessoas que gostam de apontar e disparar 🙂

  6. DarkTux says:

    Acabar não digo, mas as quota de mercado das máquinas básicas deverá ter uma evolução inversa à evolução da quota de mercado dos smartphones.

    Isto é, penso que continuará a existir mercado para as máquinas fotográficas na mesma medida que/se continuar a existir mercado para os não-smartphones.

    • Joel says:

      não acredito por uma razão muito simples o preço de um smartphone anda por enquanto superior a uma compacta isto com as mesmas capacidades fotográficas

  7. Paulo Bastos says:

    NÂO, para as DSLR (as que se pode trocar de lentes e se pode controlar tudo, tipo exposição, abertura…) mas para as compactas SIM o fim pode estar para breve pois quem quer tirar fotos em automático e só quer clicar e disparar basta um telemóvel que tenha essa função. E já agora falo dos MP3 (Hardware) que ainda é pior, já não é necessário andar com 2 objectos no bolso e gastar mais dinheiro, basta ter um telemóvel.

  8. Pedro says:

    grande comparação de facto.. um telemóvel recente com uma maquina digital com quase 10 anos.

    • Nelson says:

      Mesmo…

      Já agora, e o factor mais importante? Lentes?

      É que o tlm não tem lentes amoviveis ou zoom… grande limitador…

      As lentes do telemóvel também estão muito mais propicias a se sujarem e riscarem, enquanto andam no bolso, desprotegidas…

  9. M.Manuelito says:

    Os smartphones poderão acabar com as máquinas compactas, não acabarão com as bridge (para utilizadores um pouco mais exigentes) e com as dslr (para amantes de fotografia)
    Os muitos megapixeis ou até mesmo uma boa lente num telemóvel, por si só não conseguem fazer milagres em fotografia, porque os automatismos típicos das compactas e dos telemóveis limitam o fotografo a expressar-se devidamente.
    Só o controlo manual, total ou parcial do equipamento, apenas permitido em algumas bridges e nas Dslr, permite ao fotógrafo ter uma ampla liberdade na exposição, na velocidade de disparo, na forma de medição da luz, entre outros parâmetros, que permitem ultrapassar as barreiras de uma boa fotografia, para uma fotografia de surpreendente.
    Claro está que não é a máquina que faz o fotógrafo, para se fazerem excelentes fotografias é preciso mais que uma boa máquina, é preciso um conhecimento considerável das técnicas básicas da fotografia que já existiam, muito antes do digital.

  10. Benchmark do iPhone 5 says:

    Há uns dias falou-se de que as câmaras digitais compactas estavam a morrer por causa dos smartphones (mas não as câmaras de topo, com objectivas destacáveis) a partir desta notícia):

    “Global shipments of digital cameras among Japanese firms tumbled about 42 per cent in September from a year ago to 7.58 million units, with compact offerings falling 48 per cent, according to the Association.
    Higher-end cameras with detachable lenses fell a more modest 7.4 per cent in that time, it said.”

    Também se diz que a quebra no consumo na Europa e a “guerra pelas ilhas Japão/China” que levou a um boicote de produtos japonese na China podem justificar parte da queda. Mas que a queda de 48% nas vendas de câmaras compactas num ano é um valente trambolhão é.

    http://www.news.com.au/business/breaking-news/smartphones-killing-digital-cameras/story-e6frfkur-1226521628992#ixzz2DQZdQeVJ

  11. Serva says:

    Boa tarde ,

    Artigo que nos faz reflectir sobre o que é um smartphone , de facto hoje com um equipamento de topo pode se conseguir melhor desempenho que uma compacta quer a fotografar quer a filmar , também é hoje possível obter igualmente uma qualidade de som que deita por terra os leitores de MP3 .

    Concluindo apesar de se continuarem a vender maquinas fotográficas compactas o seu preço reduziu drasticamente assim como os leitores de MP3 , não diria que os smartphones matem de vez esta categoria de dispositivos mas a sua venda está já a ser drasticamente afectada .

    Para quem gosta de fotografia a serio existe um mercado que fornece equipamentos muito competentes , mas será sempre um nicho de mercado , porque de facto as maquinas que mais se vendiam desde que foi adoptado o formato digital eram as compactas .

    Cumprimentos

    Serva

  12. Serva says:

    Boa tarde ,

    Muito mais haveria a dizer sobre os smartphones e respectivos equipamentos que pode substituir , desde logo as maquinas de calcular , relógios desportivos , gps , agendas electrónicas e convencionais , equipamentos de previsão de tempo e medição das condições atmosféricas e tantos outros equipamentos , hoje na verdade estes dispositivos com as aplicações certas fazem praticamente tudo , dou o meu exemplo praticamente faço tudo quando estou no exterior com o meu smartphone, com a integração hoje existente com a cloud é muito fácil aceder aos nossos dados , documentos importantes etc , para ser mais arrojado diria que outro segmento que está em risco são os notebooks e até os portáteis .

    Cumprimentos

    Serva

  13. Dc says:

    Eu acho que o titulo aqui deveria ser

    “Irão os smartphones acabar com as máquinas fotográficas de bolso?”

    Resposta: SIM!!!!

  14. i always win says:

    respondendo a pergunta… obviamente que sim, os smartphones vão acabar com o mercado das maquinas fotográficas em poucos anos, qualquer pessoa atenta vê isso…
    não é por acaso que as máquinas compactas têm descido de preço nos últimos anos, os próprios fabricantes sabem que têm os dias contados…

    vai existir sempre o mercado das dslr e as bridge para os amantes e profissionais dessa área, mas no geral já hoje a camera de um smartphone de topo, serve perfeitamente pra 80% das pessoas…

    pra que vou comprar uma compacta por 100e pra fotografar jantares e saídas com amigos se o meu smatphone faz isso e anda sempre no meu bolso???

  15. JP says:

    “Irão os smartphones acabar com as máquinas fotográficas?”
    Não.

    Agora que a funcionalidade de tirar foto apresenta uma excelente qualidade com imenso valor acrescentado (visto que via smartphone há possibilidade de ter integração de serviços e aplicações) não compensa comprar uma máquina fotográfica de baixa gama se o intuito é desenrascar umas fotos.

    “Irão os smartphones acabar com as máquinas fotográficas de baixo custo/rendimento?”
    Sim.

  16. David says:

    As máquinas fotográficas de pequeno calibre estão condenadas às férias e festas de aniversários, porque os smartphones cada vez mais são “a máquina fotográfica e video de ocasião”, e que cada vez mais e melhor articula o manuseamento e publicação das mesmas e com qualidade aceitável.

  17. Blind says:

    e as compactas com android?? como as vêm??
    a meu ver os smartphones são mais do que simples adversários dos seguintes equipamentos pois integram todos eles num único:
    – Telefone
    – Máquina fotográfica,
    – consola de jogos,
    – GPS,
    – lanterna,
    – bússola,
    – agenda eletrónica,
    – equipamento para testes de rede wifi e estruturadas..
    – pen …

    que outras funções tem o vosso smartphone aka canivete suiço eletrónico??

    http://tecnologia.uol.com.br/album/2012/10/12/gadgets-super-caros.htm#fotoNav=10

  18. Ruben says:

    Sabem se existe alguma objectiva para o Galaxy SII?

  19. TRC says:

    boas,
    aparecer um “estudo” benchmark que conclui que os actuais smartphones são superiores a algumas a muitas maquinas, concordo e pode ser facilmente comprovado pelos resultados obtidos por ambos… mas se uma powerchot g5 é uma top-of-the-line a minha cabeça é um martelo… a powerchot e as suas equivalentes não passam dos cavalos de força das marcas e algo vendido a quem pouco percebe de fotografia e apenas quer capturar os aniversários da família…

    concluindo e concordando com o que foi já dito, substituíram as maquinas mais básicas, mas uma dslr não tem para já substituto a altura e duvido que venha a ter…

  20. Milton Lima says:

    Acredito que smartphones e tablets tomarão o lugar das máquinas de pequeno porte mas as DLSR eles são apenas quebra galhos para um fotógrafo profissional

  21. JJ says:

    Acredito que o smartphone, gradualmente poderá fazer diminuir o mercado das “cybershots”.

    As maquinas compactas de gama alta, por norma tem uma qualidade muito elevada e estão perto da qualidade de uma DSLR. Tudo vai depender da qualidade da lente, sendo o único se não o facto de não se poder trocar a mesma.

    Dou o exemplo da minha maquina compacta, já tem uns 6/7 anos, e esta praticamente ao mesmo nível de muitas maquinas compactas hoje a venda.

    Outro factor que vai sempre manter o mercado das maquinas compactas, principalmente as de maior qualidade, é o facto de ser pratico. Conheço fotógrafos profissionais/artísticos, que diz, que nas ferias o melhor acaba por ser uma compacta, porque alem de ser mais fácil de usar, dispara-se mais depressa e não se perde muito tempo a fotografar os locais onde se esteve, pois as vezes o tempo é curto, sem dispensar a qualidade. Qualidade essa que um smartphone não tem.

    • i always win says:

      não tem mas não vai demorar a ter… e pra pessoas normais quase não existem diferenças numa foto tirada com uma compacta ou com um smartphone de topo…
      eu quando quero tirar uma foto de ocasião não vou buscar a minha compacta, vou ao bolso e em 2 segundos já “capturei” o momento, e o smartphone ainda faz upload da foto na cloud pra quando ligar o pc a foto já la estar…
      cada vez menos se usam as compactas… agora dslr terá sempre o mercado que tem hoje, o dos profissionais…
      também não estão a imaginar um fotografo a fotografar um evento com um gs3?lol

  22. The Man says:

    Vão e já substituem os dispositivos de gama baixa e media as chamadas “point and shoot”.

    Nota-se tanto nas vendas como na qualidade, a qualidade das fotos na web diminuiu drasticamente, porque até a bem pouco tempo toda gente tinha maquinas digitais de media gama que tiravam fotos bastante boas, agora e com o uso continuo de smartphones esse tipo de maquinas deixou de se vender e ser utilizadas.

    Mas vemos que a qualidade das fotos tambem tem diminuido em tudo que vemos. Tirando claro as DSLR do caminho.

  23. Nuno says:

    Em termos de pixeis e qualidade de imagem, os smartphones evoluíram imenso. Rivalizam e superam muitas câmaras fotográficas dedicadas. Contudo, não podemos pensar que um smartphone se pode fazer tudo o que uma câmara dedicada faz. Há limitações que têm a ver com as leis da física. Por exemplo, a profundidade de campo é dependente do tamanho do sensor. Assim, num telemóvel o sensor tem de ter dimensões muito reduzidas. Assim, não será possível obter os mesmos resultados “estéticos” (p. ex. bokeh) que numa câmara fotográfica de maior sensor.
    Não obstante, os telemóveis não deixam de ser excelentes ferramentas para “instantâneos” e que no futuro, talvez, substituam as câmaras “tradicionais”.

  24. DJ Horns (AKA Diogo da Fanny) says:

    Claro que sim…

    já existem planos para meter android nas máquinas fotográficas… mas certamente isto vai ser posto de parte e vão saír cada vez telemóveis mais compactos e com melhores câmaras fotográficas. O segredo NÃO está nos MEGAPIXEIS malta.. mas sim nas lentes… eu prefiro 1 megapixel e uma boa lente do que 100 megapixeis e uma lente da treta que nem consigo perceber o que tenho na foto.

    • Tiago says:

      Já foi apresentado pela samsung uma máquina fotográfica acopolada a um galaxy S3, só não faz chamadas.
      Portanto nesse aspecto já existe um produto que para mim não faz sentido mas para muita gente irá fazer.
      Quanto à questão dos megapixeis, isso sem duvida alguma que é verdade, sensor e lente fazem diferença. Muitos Megapixeis em sensores e lentes fracas é sinal de ruido e perca de qualidade nas fotos. Mas nestas coisas o que tem o coiso maior é o que vende mais lol

  25. J. Coelho says:

    Quando se fala em lente quer-se dizer LENTE ou OBJETIVA?

  26. Valente says:

    Mas afinal de contas já há Smartphones com Zoom óptico? Eu gostava de ver um com 60x de Zoom óptico como o da minha máquina!!!

  27. Pisca says:

    Smartphones com lentes/objectivas poderá ser, duvido um bocado, para mim uma coisa é um aparelho que possa fazer “um boneco”, para desenrascar, ou com caracteristicas semelhantes a uma câmara compacta de baixo custo, outra uma máquina capaz de de outras performances mais avançada, e nem precisa de ser uma DSLR, há as chamadas Bridge muito boas e com lentes/objectivas intermutáveis, tive uma Lumix FZ que tem uma lente Leica e um zoom fantásticos

    Agora 2 coisas são as mais importantes:

    – Os chamados “vidros”=Lentes/Objectivas que se usam, a sua qualidade é determinante

    – Saber OLHAR para “sacar o boneco”, quando não, tenha o que tiver na mão nunca será algo que valha a pena, nem que seja uma Leica M10 que custa uma fortuna

    Claro que convém saber algumas coisinhas de fotografia

  28. André Santos says:

    Gostei de ver o artigo a nível de curiosidade, mas comparar um smart phone com uma DLSR não tem nada a ver, em termos do mundo do computador estamos a tentar comparar um portátil com um servidor, e na comparação que usaram a D7000 é uma DSLR muito boa mas já em fim de vida e que não é full frame.
    É verdade que o smartphone tira fotos mas as semelhanças com uma DSLR acabam ai. O smartphone até é uma boa maquina fotográfica mas é muito limitado. Quem tem uma DSLR entrada de gama com a lente que vem no kit (normalmente 18mm / 55mm) e anda a fazer fotos em modo automático possívelmente fazia o mesmo com um smartphone e não notava grandes diferenças.
    Aspectos tecnicos que fazem a diferença entre smartphone e DSLR vou dar os 3 principais na minha opinião. Começando pelos sensores quanto maiores melhor é a captação de luz logo melhor será a qualidade da fotografia. Na minha opinião a diferença que afecta mais a qualidade das fotos dos smartphones é a lentes, até se podem ter sensores bons nos smartphones mas depois metem lentes de má qualidade as fotos sofrem por causa disso, e não estou a falar de lentes zoom estou a falar da qualidade das lentes. (a maior parte das boas lentes são mais caras que qualquer smartphone). Depois outra limitação dos smartphone é que não tem modo manual, mas isso só nota a diferença quem usa uma DSLR em modo manual, se usarem em modo automático não vão sentir falta desta funcionalida que é muito relevante.
    Os smartphones são máquinas fotográficas muito boas e que isso nunca sirva de desculpa para não se registarem momentos relevantes da nossa vida. Vejam os 2 videos que eu coloquei em baixo acho que ajuda a clarificar e muito.

    Videos muito interessantes para serem vistos.
    Comparação em situações mais ou menos reais entre uma DSLR com um smartphone.
    https://www.youtube.com/watch?v=qZMvJ5qFWlc&list=PLjFkHAvnEhAFiLjzs-_-Jx0UMmAhFaw2f&index=7&feature=plcp

    Video onde um fotografo profissional faz fotos com um smartphone, e como poderão ver as fotos finais são muito boas, o importante é ter ideias e inspiração para que o resultado final seja bom.
    https://www.youtube.com/watch?v=NGsmVw4tCWY

    • Janela says:

      D7000 em fim de vida?????????????? Uma maquina desta qualidade com dois anos em fim de vida?!! Produto Eisa 2011-2012!!! Bem, o que seria da D90 que já tem anos. Seriam precisos uns 100 galaxys S3 juntos para tirar Fotos coma qualidade da D7000! TENHAM JUIZO! É comparar um Ferrari com uma lambreta de 1970! por amor de Deus, falem do que conhecem!

      • André Santos says:

        Eu não meti em causa a qualidade da máquina, que é muito boa, estão a usar o topo de qualidade e o mais recente nos smartphones e a D7000 não é a das máquinas mais recentes no mercado.
        Não sei se sabe mas a Nikon está a renovar a linha de DSLR e a especulação/rumores é que está previsto o anuncio da substituta da D7000 no início de 2013. Pode ser meramente especulação e não vir a tornar-se realidade mas os rumores anteriores com a D4, D800 e D600 estiveram correctos. Por causa da possível substituição da D7000 é que estou a dizer fim de vida, não quer dizer que a máquina deixou de tirar boas fotos. Não sei o que entende por fim de vida, mas um produto que vai ser substituido não se pode considerar propriamente no pico de vida. No mundo da tecnologia é mesmo muito raro ou nunca aconteceu um produto com 2 anos de vida ser substituido. (É melhor dizer que a ultima frase foi em modo irónico porque senão ainda volta a dizer para falar do que conhecem, quando parece que algum desconhecimento é da sua parte).

        • Nelson says:

          Sim, mas a D7000 ainda tem melhor qualidade que qualquer APS-C Canon, por isso, não está nada em fim-de-vida ou ultrapassada. Senão, a Canon não vendia nem uma…

          • André Santos says:

            Eu nunca falei em ultrapassada, mas sim em fim de vida. Fim de vida de um produto neste caso é um produto que vai ser substituido por outro e deixa de ser fabricado. É como quando se vai ao continente e há la produtos mais baratos porque está a aproximar-se o prazo de validade, mas é vendido mais barato e o produto está bom. A D700 é uma máquina magnifica mas foi descontinuada agora quase ninguém compra uma a não ser que seja por um preço muito bom. Fim de vida de um produto, mas isso não quer dizer que quem tem uma D700 tem que ir jogar a máquina fora ela não morreu. É meramente questão de compreender o conceito de fim de vida.

  29. André Santos says:

    Esquecime de referir outro coisa importante, o formato das fotografias dos smartphones é JPEG e as DSLR permitem fazer RAW(RAW é o negativo digital).
    O RAW permite depois trabalhar em photoshop ou programas desse tipo uma data de opções que na época da fotografia analógia era feita em laboratório durante a revelação. O JPEG também é possível trabalhar no photoshop mas com mais limitações. Acredito que fazer fotos em RAW no smartphone não deve ser muito complicado mas é uma funcionalidade que a maior parte das pessoas não sente a falta e por isso é que nunca foi implementado mas de momento ainda é uma vantagem para as DSLR.

    • M.Manuelito says:

      Absolutamente de acordo, o RAW permite, em pós produção, fazer muito mais por uma fotografia do que o JPEG.
      E a pós produção de imagem é também uma área onde o pplware devia apostar, juntamente com um espaço dedicado à fotografia. A questão é saber quem tem condições e saber para abordar estes temas 😉

      • André Santos says:

        Penso que era interessante, numa vertente mais para o comum dos fotografos algo que seja compreensivel para qualquer pessoa, não fotografia tão “séria”, mas com qualidade. Não sei até que ponto é que isso se enquadra na filosofia e objectivos do pplware.

  30. Litlehouse says:

    Penso que haverá sempre lugar para ambas. No meu caso pessoal, que gosto da foto do momento, o Nokia 808 faz um trabalho brilhante e anda no bolso, além de fazem muito bem o papel de telemóvel. Para as fotos mais elaboradas e exigentes, a coisa aqui é bem diferente e não dispensa, mesmo para um amador e em automático, uma máquina fotográfica “decente”, no entanto, o seu preço pouco mais será do que o custou o 808 ou o Galaxy III, para não falar no iPhone.

  31. Nuno says:

    Tenho uma DSLR da canon e já atingi o ponto em que queria tirar um tipo de fotografias que não consigo, porque a máquina não me permite.

    Por exemplo, fotografias com condições de luminosidade extremas ou longas exposições.

    O que precisava era duma DSLR melhor e não de uma compacta… agora para fotografias tiradas em condições normais, apenas para ver no monitor e mostrar aos amigos, qualquer máquina de qualidade média serve…

    • André Santos says:

      Se disser que é possível ter melhor qualidade com uma DSLR nova acredito perfeitamente, mas agora dizer que a que tem não lhe permite tirar fotografias que quer…

      Não sei o que entende por condições de luminosidade extremas, vou supor que é pouca luminosidade, porque normalmente luz a mais nunca é problema acho que só pode ser problemático se se andar a tirar fotos ao sol. Fotos com pouca luminosidade pode ser problema da lente uma lente com uma abertura maior pode ajudar. A vantagem das máquinas novas é que permite aumentar o ISO e fazer com que as fotos não fiquem com tanto grão/ruido como uma máquina mais antiga. Agora para fotos de longas exposições não estou a ver qual é o problema qualquer DSLR tem essa função e nem necessita de aumentar o ISO basta aumentar o tempo de exposição, posso estar enganado mas acho que para longa exposição a sua máquina funciona perfeitamente.

      • Nelson says:

        Você acha que tirar fotos com luz a mais, não é problema, é porque não experimentou ainda 😉

        Por exemplo, de dia, utilizar aberturas grandes, é problema, porque fácilmente se passam dos 1/4000s que é normal nos obturadores da maioria das câmeras.

        Ou se utilizar flash, ainda mais. Por exemplo, se quiser utilizar um flash mais potente que o sol (habitual querer-se tal), é fácil ter de fechar demais a abertura para caber nos 1/200s que normalmente as máquinas oferecem com velocidade de sincronismo (podemos aumentar essa velocidade em máquinas modernas, mas perdemos potência, que é o que queremos em primeiro lugar).

        Então se quisermos os dois, ainda mais complicado se transforma, podemos utilizar filtros ND? Sim, podemos, mas depois para focar e mesmo para ver pelo OVF ou EVF torna-se muito difícil…

        • André Santos says:

          Se tivesse lido com um pouco mais de atenção tinha percebido que a minha resposta foi ao facto de uma camera antiga não permitir fazer algumas fotos, eu não falei em facilidade ou dificuldade de executar uma foto. Ou as máquinas novas resolvem os problemas que falou? Mas ainda mais ajuda a minha teoria que algumas vezes as limitações estão em quem comanda a máquina e não na máquina.

    • António Pereira says:

      A DSLR é apenas uma variável da equação. As lentes fazem toda a diferença. Andei durante algum tempo com as objectivas que faziam parte do kit vendido. Depois de experimentar uma objectiva da séria L da Canon, é que vi a grande diferença. Já tive inúmeros modelos mas apenas compro o corpo da máquina. As objectivas mantenho-as ao longo dos anos.
      e

  32. Rui C. says:

    Boas,

    Antes de mais…LOL..comparar um equipamento de 2012 com uma máquina de 2003, n me parece muito bem..é que já lá vão quase 10..podiam era comprar com a G15, isso sim. Mas pronto o telemovel n parece mau, mas uma máquina dedicada oferece muito mais funções.

  33. Nunca na vida substituirá uma reflex

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.