PplWare Mobile

Cientistas chineses desenvolvem arma sónica que faz vibrar o cérebro e provoca dor intensa


Imagem: USArmy

Fonte: SCMP

Autor: Vítor M.


  1. anon says:

    Tem utilidade 0 nos motins visto que os que estão por perto vão sofrer da mesma forma. Só mesmo nos países sem direitos humanos.

  2. João M says:

    acho que já vi isto na série NINE-NINE!!

  3. Cristiano Quintela says:

    Alguma ligação com aqueles ataques em Cuba de algum tempo atrás? Será?

    • MMendez says:

      Em Cuba o problema estava relacionado com o uso de pesticidas para tratar o mosquito zika e não com qualquer arma.

    • JP says:

      Pensei o mesmo e vindo de um país comunista, onde a ditadura impera, não me surpreende. Os ataque à embaixada dos EUA, ao que parece, com o que partilham, terá sido com frequências impróprias para o ser humano.

    • Pedro says:

      Poderá ser uma arma política – não deixa marcas no corpo, mas as pessoas ficam com problemas cognitivos para o resto da vida (leia-se danos nos orgãos e os problemas que os diplomatas tiveram ao nível cerebral). Possivelmente no futuro poderá ter o mesmo nível de critério que certo tipo de armas que hoje são ilegais.

  4. ToFerreira says:

    Precisamos cá disso em Portugal para fazer vibrar o cérebro deste povo que assiste constantemente (e há anos) a casos de roubos e corrupção do seu governo, impávido e sereno, na melhor das hipóteses acena com a cabeça e muda o canal para o futebol ou a novela.

  5. jaugusto says:

    Ouço heavy metal todos os dias isto já não me afeta!!…

  6. mlopes says:

    gostei da classificação do artigo: gadgets 😀

  7. eu says:

    A primeira imagem creio que seja do filme do Hulk.
    Pediram autorização para usar esse recurso ?

  8. Toni da Adega says:

    “Cientistas chineses desenvolvem arma sónica que faz vibrar o cérebro e provoca dor intensa ”

    Nem sei para que tanta coisa.
    Basta comecar a falar mal do iOS/Android e temos o mesmo resultado, fica tudo cheio de dores 😀

  9. Batman&Robin says:

    E se tapar os ouvidos?

  10. AlexX says:

    Não precisavam assumir que têm disponível o que já sabemos há muito tempo. E os estudos são muito anteriores a 1940, isto foi usado na guerra de 14-18. É usado actualmente em muitos cenários mas em altas frequências, o que limita muito mais o espaço que abrange e os efeitos secundários revelam-se mais tarde mas isso depende da potência utilizada porque também podem fritar um cérebro em segundos. Duvido que usem esta, teria demasiados danos colaterais.

  11. sakura says:

    Bem, a China desmonta 1 microndas e aponta o magnetron a população. (não evidencia de crime).

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Magnetron
    O que é igual a 1 smartphone de 1000W.

  12. sakura says:

    Lol, sónica vem de som ….. >= 1.5Ghz tem que por uma antena seletiva e direcional para apontar ao trump_aka 1000W chega. para fazer o claculo
    https://www.qsl.net/5b4az/
    E sim no lab os ratos ……rip.

  13. AlexX says:

    A arma é portátil. Dispara um beam acústico, ou seja, desloca-se à velocidade do som. Não é uma torre de subwoofers mas uma onda P abaixo da frequência audível que pode destruir órgãos internos sem que todos na trajectória da onda oiçam o que seja. Problema aqui é que ondas infrasonicas atravessam massa e atingem longas distâncias.

  14. LA says:

    Só têm é ideias de me***. E que tal usarem a tecnologia apenas, para o bem do planeta e das espécies que nele habitam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.