PplWare Mobile

Vacina contra a COVID-19 vai enfrentar um “obstáculo final”. Será que vai ter sucesso?


Autor: Vítor M.


  1. R says:

    E tem razão. Quando a ignorância se torna uma epidemia, a desinformação toma conta.

  2. saldoso says:

    Será um obstáculo, mas um também muito grande é que mesmo com a produção a ser iniciada no final do ano demorará muitos meses, se não mais do que um ano, a ter o número de vacinas necessário para toda a população mundial, isto sem falar na logística de vacinação em larga escala.
    Se não se tentar vacinar em todos os países, é fácil voltarem a aparecer novos casos no futuro.

    • Matiofsky says:

      A produção, distribuição de uma vacina nunce teve tanta procura, qualquer empresa com estas capacidades deverá estar disposta a contribuir para que seja associada a irradicação ou diminuição do impact da COVID-19. Este passo pode mudar o mundo no sentido de aprovar-se politicas de saúde publica e relação que tornem obrigatório em caso de necessidade que isto aconteça por ordem de governos.
      Arrisco-me a dizer que talvez iremos estar perante uma mudança, á muito adiada, de tornar OBRIGATORIA a vacinação de acordo com programas nacionais de vacina, sendo que o incumprimento desta obrigação retire direitos aos cidadãos e caso seja detetadas falsificação de prova disto mesmo, que esta pessoas incorram em multas ou cadeia, pois o comportamento de uns não pode por em causa a vida de outros.
      A grande questão será na capacidade de as vacinas (é expectável que várias cheguem ao mercado) em combater o virus, o que pode obrigar a que cada Pais tenha agencias de monitorização de doenças existentes e novas, que façam análises de despiste em áreas onde existam trafego inter-locais/regionais de pessoas, animais, produtos alimentares… tanto para fazer nestas áreas, mas que devido a este vírus tem agora justificação, todos nós agradecemos.

  3. Sr. Atenção says:

    Dado o número de gente que já morreu por hipercitocinemia, é muito normal que muito boa gente, como eu, não vá querer tomar a vacina.

    • Luís Costa says:

      ” é muito normal que muito boa gente, como eu, não vá querer tomar a vacina.”

      a resposta ao Sr. Atenção estava no post anterior do Matiofsky por isso foi só transcrever .

      Matiofsky – ” tornar OBRIGATORIA a vacinação de acordo com programas nacionais de vacina, sendo que o incumprimento desta obrigação retire direitos aos cidadãos e caso seja detetadas falsificação de prova disto mesmo, que esta pessoas incorram em multas ou cadeia, pois o comportamento de uns não pode por em causa a vida de outros.”

      calculo também que com a quantidade de gente que já morreu em acidentes de viação o “Sr. Atenção” não saia nem de casa .

      • Bibop says:

        Agora pergunto eu! Onde esta a liberdade?
        Se uma pessoa nao quer tomar a vacina nao toma, penso que esta no seu direito de sofrer ou nao as consequencias, os outros que tomarem a vacina estarao protegidas contra aqueles que nao querem tomar.
        Onde esta o problema aqui?
        Agora forçar a tomar uma vacina que nao se tem a certeza do que vai la dentro é que nao.
        Pra nao falar que o Sr Bill tem como objectivo reduzir a populaçao mundial.
        se nao acreditam informem-se.

        • mlopes says:

          a liberdade de não tomar uma vacina é uma coisa fantástica num mundo em que estás rodeado de pessoas vacinadas.
          aliás o argumento anti-vaxxer já foi cientificamente desacreditado há imenso tempo sendo que o seu resurgimento se deveu em grande medida às redes sociais.
          mas para quem não quer tomar vacinas a pandemia que agora decorre é uma excelente oportunidade para demonstrarem o seu ponto de vista. insiram-se voluntáriamente em grupos contaminados, organizem anti-vaxxer parties com 50/50 de contaminados e adotem todo o tipo de comportamentos de risco que ponham exclusivamente em causa a sua pessoa, etc!
          se de facto as vacinas são o que os anti-vacinas dizem ser, decerto nada lhes acontecerá de mal e provarão o seu argumento de forma definitiva.
          agora quererem a liberdade de não se vacinarem mas quererem que todos os outros à sua volta estejam vacinados é muito “engraçado” para não dizer idiota!

        • Schmit Jvg says:

          De onde tirou que o Bill quer reduzir a população mundial irmão?

  4. Alpha says:

    “Se for uma ótima vacina, incluindo o bloqueio da transmissão, todos se beneficiarão do facto de 70 a 80% das pessoas tomarem a vacina.”

    Ainda andamos neste discurso da treta dos 70-80 quando como todos os outros coronavirus, a imunidade cruzada é norme!

    • Antonio Silva says:

      Se fosses estudar e ler um pouco não dizias asneiras.
      Conheces uma doença chamada sarampo?
      Esteve quase erradicada mas com a vossa mania de não dar as vacinas aos putos está a voltar em força…. esperemos que não infecte muitos dos vossos putos.
      Curiosamente este discurso da treta dos anos 70 não existia. Era obrigatória a vacina contra o sarampo e pronto. Nem sequer te matriculavas na escola se não a tivesses.
      Nos outros Coronavirus como a SARS e a MARS tivemos a sorte de não se ter espalhado tão rapidamente e ter ficado confinada a algumas zonas.

      • Sujeito says:

        E se o António fosse estudar melhor, não dizia esses disparates.

        O Sarampo não foi nunca erradicado, tal como a gripe nunca o foi. A história do Sarampo e das vacinas é muito mais complexo do que aparentemente você pensa, em que a dita doença foi segmentada em várias designações, umas desapareceram outras não. E a estatística e a propaganda entraram em força para dar uma ideia errónea dos efeitos das vacinas nessa altura, juntamente com a obfuscação dos efeitos colaterais que foram mais do que o Sarampo em si.

        É só ir estudar. Mas melhor desta vez.

        • Antonio Silva says:

          Erradicada na Europa…. e agora está a voltar. Não sou médico e por isso sarampo é sarampo, mas você parece ser um entendido que por acaso parece ser anti-vacina o que será um contra-censo.
          Era bom que fosse ver os dados.
          During 2000- 2018, measles vaccination prevented an estimated 23.2 million deaths making measles vaccine one of the best buys in public health.

          https://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/measles

          Fonte OMS.
          Erradicada foi a varíola em todo o mundo, e como alguém já escrever demorou cerca de 200 anos e porque todos foram tomando a vacina.

          • Bibop says:

            Acreditar na OMS é como acreditar no pai natal.
            Como diz o SUJEITO, acho que vai ter muito que estudar sim sr Antonio Silva.

      • Backonline says:

        Antônio eu tive sarampo nos anos 80/90 por isso nunca teve erradicado

  5. Rodrigo says:

    Mesmo sem já estar a frente da MS, este tipo é uma mafioso de primeira. Investiu em diversos estudos relativamente à vacina nos últimos meses, através da fundação que tem como a mulher, mas pede 70% do lucro que cada uma dessas vacinas aos laboratórios, caso venham a ter sucesso. Para um tipo que diz que se preocupa muito com a humanidade e que está a tentar salvar o mundo de doenças infecto-contagiosas, de humanitário este sr não tem nada.

  6. Luisão says:

    Concordo com o Bill, quando diz que o problema será convencer as pessoas e não a distribuição. Este vírus trouxe a verdade da mentira. Muita desinformação, fake news e notícias especulativas, nomeadamente de laboratórios que aninciavam uma data para lançamento de uma vacina. Há uns anos e não muitos atrás, a ciência lutava contra a igreja, que esta tinha a informação privilegiada e o conhecimento, mas que não permitia que houvesse desenvolvimento. Hoje temos acesso à informação, conhecimento e desenvolvimento científico. Problema são as pessoas mal informadas que lêem tudo o que há na internet.
    Há-de sair uma fake new que a vacina tem chips para nos controlar, ou a vacina está programada para nos matar ou algo do género.
    Só espero que a vacina saia rapidamente e que seja o mais eficaz possível e deve-se de preparar uma ordem de vacinação. Na minha opinião deveriam de ser os primeiros: idosos, pessoas em grupos de riscos (doenças imundo depressivas) e profissionais de saúde. Entretanto e enquanto não sai, queria deixar uma palavra à navegação. Fiquem em casa sempre que possam evitem contactos desnecessários, todos queremos conviver e estar com a família e com amigos, todos queremos ir à praia, deitarmo-nos na relva, estar numa esplanada ou simplesmente passear. Mas se não nos protegemos a nós próprios, também não estamos a proteger os outros. Este vírus veio mostrar o nosso egoísmo e egocentrismo Humano. Este vírus não acabou e ainda está longe disso, se nas melhores das hipóteses sair a vacina no final do ano, ainda muitas pessoas poderão ser infectadas.

  7. Fulano says:

    E para quando um post sobre o Avifavir?
    Ao que parece este medicamento Russo funciona bastante bem.

    • Jose Alves says:

      Está muito cru, acreditas em tudo o que te contam, conheces a medicina da doença por acaso sabes o que é ?
      O triste é termos cada vez mais ignorantes que pensam que sabem alguma coisa completamente formatados ,fico cada vez mais cansado que tentar abrir os olhinhos a alguns e eles não querem ver completamente iludidos, um médico famoso e cada vez são mais disse a medicina está capturada pela economia pelos laboratórios os povos estão completamente envenenados pelos laboratórios ,mas temos aqueles que pensam que não , idiotas, não sabem o que é mundo dos laboratórios.

    • Vítor M. says:

      Ainda há muita coisa a explicar. Algumas delas fundamentais, pelo que li. Mas estamos a acompanhar.

  8. Silva says:

    Tinha um medico conhecido que me dizia
    quando um medicamento é bom o laboratório deixa de o fazer e substitui por outro que não faz nada.
    e tem razão conheço alguns medicamentos que eram bons acabaram com eles.

  9. Pedrinho says:

    Se a vacina não tivesse sido inventada (Edward Jenner, 1789) ainda andávamos agora a morrer de varíola. Mas estes putos nem sabem o que isso é porque quando nasceram já a doença tinha sido erradicada do planeta. E porquê? Porque outros, antes deles, se vacinaram. Entre a descoberta e a erradicação passaram dois séculos! Parece incrível!…

    • Joaquim Sobreiro says:

      Como já aqui foi muitas vezes escrito a questão está principalmente no conteúdo de coadjuvantes das vacinas.
      Acrescento, a dúvida que ainda não consegui ver esclarecida: quais os mais saudáveis, vacinados ou não vacinados?

    • Luisão says:

      Bem dito Pedrinho! Entre dois séculos onde dantes tinhamos a igreja contra a ciência, hoje temos a ignorância e a contra-informação contra a ciência.
      Vi recentemente a serie The Great que fala de vários temas da época da Catarina da Rússia, século XVIII. Entre esses temas abordados encontra-se a ciência e a varíola que matou muitas pessoas na Rússia naquela época. Recomenda-se

  10. Euéquesei says:

    Parece que lá pelas Coreias do Norte o número de infectados é baixíssimo ou mesmo nulo.
    Alguém sabe que vacina estão a dar ao pessoal nesse sítio?

  11. Joaquim Sobreiro says:

    Até poderia aceitar a vacina se Bill Gates e seus defensores aceitarem ser vacinados com uma vacina de um lote de fabricação comum. Será que ele aceita?
    Será que a vacina que venha a ser aprovada/testada em massa será de patente livre?
    Quem ficará com a responsabilidade economica e criminal dos possíveis efeitos secundários?

  12. BlackFerdyPT says:

    Imunidade de grupo só será (ou poderá ser) atingida quando a esmagadora maioria da população já tiver apanhado esta doença e, no caso de quem é mais novo e saudável, tiver sobrevivido à mesma – pois, o que mostram as estatísticas honestas (https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9302.msg325254#msg325254) é que, a única maneira de uma pessoa desenvolver anticorpos contra uma doença é efectivamente apanhá-la – e não uma versão modificada da mesma.

    E, tal como no caso da gripe (https://www.sciencedaily.com/releases/2009/05/090519172045.htm + https://www.youtube.com/watch?v=PDqzHQKhPzE), preparem-se para assistir a pessoas à vossa volta que foram vacinadas e que, mesmo assim, apanharam a doença em causa – e preparem-se também para as desculpas dos média de massas controlados de que “Ah, foi o vírus que mutou…” etc.

    O obstáculo de que Bill Gates fala muito provavelmente nunca será ultrapassado em países culturalmente desenvolvidos, como os EUA, onde um grande número de pessoas já sabe a verdade sobre as vacinas – e é possível que neste país o número chegue a até metade da população que irá recusar esta vacina: https://www.prisonplanet.com/ny-times-worries-half-of-americans-will-refuse-to-take-coronavirus-vaccine.html

    E, reparem em quem é que anda a defender vacinas…

    Não é o mesmo Bill Gates que defende uma drástica redução no número de pessoas no Mundo? E, não é o mesmo Bill Gates que já disse numa palestra (https://www.youtube.com/watch?v=JaF-fq2Zn7I#t=4m19s) que as vacinas ajudam a atingir tal objectivo? (E, quer isto dizer que as vacinas salvam ou ajudam a tirar vidas?)

  13. E Holz says:

    É incrível como em 4 meses o mundo todo tirou diploma de virologia e sabe exactamente como tudo vai correr! Nem a ciência tem a certeza de tudo mas alguns insistem em dizer que é deste jeito e ponto. Enquanto não houver tratamento efetivo ou vacina precisa haver prevenção! E sim quando sair um ou outro, todos devemos tomar! Se esqueceram o do que passou-se na Italia? Pessoas morrendo em casa pois não haviam vagas no hospital, médicos escolhendo quem vive ou não? Achas que quem trabalha em laboratórios para avançar com as vacinas, a correr o risco enorme de se expor ao vírus e expor a sua família vai trabalhar “feliz” em fazer uma “vacina mortal”? Há que ponto chega a humanidade? Há de se pensar nisto, certo?

  14. Valdeci Elias says:

    Há mais de 30 anos, no aguardo da vacina pro HIV, que provoca AIDS .
    Covid-19 detectada em janeiro de 2020, e em junho de 2020, já estão discutindo os problemas de quando a vacina for feita . Ainda não sabe direito oque é a doença, seus efeitos e causas, más já discutem sobre a cura.

  15. Joaquim Sobreiro says:

    Ter a liberdade de vacinação parece ser um direito de quem se sente bem sem o medo de ser infectado. Penso que é uma atitude de autoresponsabilidade. Ser vacinado também é um direito que assiste a qualquer cidadão que o desejar e logicamente deve ficar confiante e sem receios com essa decisão. Os não vacinados mudariam de opinião se fossem menos saudáveis. Também não reconheço qualquer interesse economico para expor essa opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.