Quantcast
PplWare Mobile

O início do Universo nunca existiu? Mas… então quem nos enganou?

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Imf says:

    Sempre foi uma teoria… e uma teoria nao deixa de ser so uma ideia.
    Muito mal explicada, o bigbag.
    Mas sempre houve outras teorias, a do bigbang era so a mais aceite, internacionalmente.
    Basicamente tinham de contar uma história…mas ao menos foi bem mais plausível que “Deus”

    • ToFerreira says:

      Entre uma entidade superior que criou tudo e tudo ter sido criado a partir de uma explosão gigante de uma partícula minúscula, de massa infinita… Qual será mais plausível? 😀
      É preciso muita fé para acreditar em qualquer uma das duas.

      • Eu says:

        Então de onde “apareceu” essa entidade superior? E o que existia antes da entidade superior criar o universo? Existia onde?

        • zé touche says:

          Este história que tudo que existe foi criado por alguém e que Deus criou Deus (ou a si próprio) a partir do nada não tem nem pé nem cabimento :p

        • Hugo says:

          Essa entidade sempre existiu, pois ela não é afetada pelo tempo, ao contrário de nós
          Racionalmente, não temos capacidade para entender isso
          A meu ver, foi Deus que fez com que o big bang acontecesse, pois não é possível a natureza ser tão perfeita sem uma inteligência superior

          • Jose says:

            Se aceitarmos que tempo é mais uma dimensão (como muitos se referem à 4ª dimensão), podemos dizer que ao serem criadas todas as coisas, o tempo também foi criado, logo esse problema não se coloca.

    • André R. says:

      Ele só criou o Mundo em 6 dias e depois descançou até hoje…
      Nós continuamos a criar durante 5 dias e descansamos 2… e o ciclo recomeça todas as semanas…
      Injusto…

    • Miguel Ferreira says:

      talvez fosse bom estudar um pouco de ciência para perceber o que “teoria” significa num contexto científico. A teoria go Big Bang, acoplada à teoria da inflação, é a única teoria que explica a evidência existente. As outras teorias praticamente morreram com a descoberta da radiação de fundo cósmica e nunca conseguiram explicar a abundância relativa dos elementos químicos no cosmos. Há, de facto, coisas que não são perfeitamente compreendidas no contexto do big bang, mas essas mesmas coisas também não eram explicadas nas outras teorias. Como processo evolutivo físico, o modelo ∧-CDM está estabelecido. Se é a origem do universo ou um ponto de flexão de um cenário maior é uma questão que transborda o estrito sentido científico, sendo até mais ver uma questão metafísica. A especulação de base física é útil e até necessária, mas não pode ser posta no mesmo patamar de uma teoria científica, que é um esquema lógico-matemático que relaciona evidência experimental numa narrativa explicativa coerente e com poder de predição. Uma teoria física não é “só uma ideia”, e muito menos pode ser “muito mal explicada”. A matéria e energia escuras, presentes no modelo, até poderão não existir, mas isso significa que a teoria da relatividade geral precisa de ser modificada, o que até agora não é exigido pela evidência existente.

  2. UNKNOWN says:

    Mais uma Teoria sem sentido. O criador Deus, Bal, criou tudo e todos e faz mas sentido que estas teorias pseudociência.

    • Tadeu says:

      e quem é que criou Deus?

      • iDroid says:

        É tudo deuses por aí abaixo (referência à teoria das tartarugas infinitas que sustentam a Terra)…

      • Zé Fonseca A. says:

        Ele próprio, através de nada

      • Luis says:

        Já pensou na numeração. Qual o primeiro e último número? Somos ensinados que a numeração vai de menos infinito a mais infinito. Compreendemos? Não totalmente, mas no entanto aceitamos, aliás toda a nossa vida é regulada por números, pela matemática. Por isso repudiar a ideia de um criador sem provar que tal ideia está errada, é puro preconceito!

        • Tadeu says:

          O errado é achar que uma discussão sobre um ser sobrenatural consegue ser elevada a uma discussão científica que requeira provas da sua não existência!
          Nada no mundo do sobrenatural consegue ser distinguido da mera subjectividade opinativa dum ser humano.

        • RicM says:

          Não entende mesmo como funciona o ónus da prova, pois não?. Veja aqui: https://dicionario.priberam.org/%C3%B3nus%20da%20prova
          Quem afirma que algo existe é que tem que prová-lo. E mais, se acha que é permitido afirmar que algo existe sem provas (um livro “sagrado” não serve de prova), também tem que admitir afirmar o oposto sem provas.

          Os cientistas que defendem a teoria atual mais aceite do início do universo fazem-no baseados em dados recolhidos através de observações científicas. Os crentes baseiam-se num livro escrito por “sua” ordem em que diz que “ele” próprio existe; que conveniente.

        • Nuno Palma says:

          É fácil rebater a teoria do criador. Não há qualquer prova que a sustenha, ao contrário das restantes e foi inventada numa altura que nem se sabia que a terra girava em torno do sol.

          • Curioso says:

            Não se sabia? Curioso…
            Se vale alguma coisa para si, deixo esta citação: “Ele estende os céus do norte sobre o vazio, Suspende a terra sobre o nada…”
            Isto “só” foi escrito há 3500 anos..

          • FAR says:

            @Curioso a demonstrar ipsis verbis o chamado salto quântico 😀

          • JJ_ says:

            A prova é aquilo que te rodeia e a tua própria existência. Analisa ao detalhe a complexidade do ADN, de uma célula, do cérebro, dos olhos e de mais um numero enorme detalhes do corpo humano.

            Analisa o detalhe e tira as tuas conclusões, se essa complexidade surgiu do nada ou se foi criada.

            Muitos cientistas acreditam em Deus e não é por isso que tem menos credibilidade.

          • AlexX says:

            @JJ_
            Uma curta história para corroborar esse comentário, vale o que vale
            youtube.com/watch?v=sPF6az2BlxE

    • zé touche says:

      Pois, esta história que tudo que existe foi criado por alguém e que Deus criou Deus (ou a si próprio) a partir do nada não tem nem pé nem cabimento :p

    • Miguel Ferreira says:

      O deus Bal criou balidos, compreensíveis e atraentes apenas para cérebros de ovelha, incapazes de compreender ciência.

  3. Dinis says:

    Sinto que este comentário devia ser eliminado. É publicidade

  4. dude says:

    Faz mais sentido um ser imaginário, que nos criou, todo poderoso, que nos observa e nos deixa viver na mer**, só porque sim.

    • neo says:

      E se não passarmos apenas de uma simulação feita numa banal experiência cientifica esquecida num “computador” qualquer de outra dimensão…

      • iDroid says:

        O cenário da simulação é o mais provável, segundo muitos cientistas.

      • Zé Fonseca A. says:

        Ou seja, um dos piores filmes de sempre tornado realidade? Já chega ter se levar com mais um matrix e o reavivar dos fanboys de gabardine preta.

        • Filipe says:

          Acho que estás a confundir com a squid game.

          • Zé Fonseca A. says:

            Olha, venha o diabo e escolha, pelo menos squid game tem um seguimento logico e sangue, bem mais entertaining, embora ambos maus.

        • iDroid says:

          Estás a dizer que o Matrix se compara ao Sharknado? Há cada um que parecem dois…

        • Luís Costa says:

          Um dos piores filmes? Parece-me que tens algum problema psicológico com homens de gabardine preta.. fizeram te mal foi? tadinho

          • Zé Fonseca A. says:

            Achar que os Matrix são bons filmes é não perceber nada de cinema.
            Vi umas 3 a 4 vezes cada um, e gostei muito, numa altura que era um adolescente e a minha compreensão cinematografia não ia além do entretenhimento, hoje em dia facilmente posso recordar os filmes com saudosismo e com capacidade de abstração desse sentimento para me recordar a porcaria tão grande que ele é, não só como filmes mas como filme de ficção, mau plot, maus dialogos, efeitos especiais medianos para a altura e o roll de actores do pior que já vi, principalmente o Keanu Reeves e a sua mono expressão.

    • Roberto says:

      Segundo a bíblia , ele não nos está a deixar viver na “mer**” só porque sim. A bíblia explica que surgiu uma rebelião contra o governo de Deus no Universo que levantou muitas questões, e a Terra e os humanos ficaram diretamente envolvidos nessa questão.

      Tudo o que tem acontecido desde o início da civilização humana até aos nossos dias está a “provar” ou a responder as questões levantadas nessa rebelião, e tudo o que está a acontecer com a humanidade vai ser usado como referência ou prova final e eterna para que nunca mais aconteça com ninguém, nem nunca mais se questione o direito de Deus governar o universo e os seres inteligentes

      • Filipe says:

        Mas sabes que uma obra de ficção quando é escrita e rescrita por muitos autores ao longo do tempo, vai ficando cada vez mais confusa. E tu já apanhaste um desses livros mais recentes que já teve manipulações e adições em relação ao original.

      • Abreu says:

        O antigo testamento e uma cópia dos livros dos mortos

  5. scp says:

    Mas o big bang não foi provado com o bosão de Higgs? Alguém pode esclarecer.

    • iDroid says:

      O bosão de Higgs está relacionado com a massa das partículas; uma partícula com massa tem que ter o bosão de Higgs (algo que os fotões não têm, por exemplo).

      O bosão de Higgs foi nos media referido como a partícula de Deus, e nada tem a ver com Deus nem está diretamente ligado ao big bang.

    • Zé Fonseca A. says:

      Não, foi provada a formulação de matéria através de dark matter e com isso se teoriza que o universo teve lugar, prová-lo só daqui por uns 1000 anos, isso se a teoria estiver certa. Acredito que tudo tenha iniciado com a tao afamada partícula de Deus, no entanto duvido que tenha sido um “Big Bang”.

  6. Ricardo says:

    Não tarda vão dizer que são os negacionistas do Big Bang.

  7. Samuel MG says:

    O que os cientistas chamam de Big Bang é na verdade mais um dos vários que já existiram.

  8. Luís Silva says:

    Seja o que isto for, a nossa consciência não consegue conceber alguma coisa que seja ilimitada e/ou que não tenha principio e fim

    • Luis Costa says:

      Estou contigo, o tempo de universo está para além da nossa imaginaçao. É so aceitar que ele sempre existiu e que sempre esteve em turbulência

  9. Nick says:

    A teoria do Big Bang e’ irracional. O Universo, ou seja, todos nós mais o meio envolvente e’ composto por elementos químicos e energia. Não pode haver início nem fim do Universo, mas sim interações entre estes elementos químicos, muitas vezes acionadas pela energia.
    Não faço ideia porque se fala no início. Isto e’ como a religião, uns acreditam porque sim e outros não.

  10. Joao Ptt says:

    Tudo teve de ter um início, como é óbvio.
    Este Universo é “recente” e ainda nem sequer fechou o seu círculo contínuo oval, embora esta parte do Universo esteja na parte que vai entrar pela primeira vez na existência deste Universo na sua decomposição, voltando a matéria à sua forma original para depois ser então unida em novas formas.
    Este Universo não existe por tanto desde sempre. Aliás nem esta criação existe desde sempre.

    • Nick says:

      “Tudo teve de ter um início, como é óbvio.”
      Então qual o início do Oxigénio, do Hidrogénio, do Carbono, de todos os elementos da Tabela Periódica? Não sabes, mas acreditas que tudo tem de ter um princípio, estás a confundir tudo com a vida, essa sim tem princípio e fim.

      • Joao Ptt says:

        O início está nos elementos básicos, que são unidos pelos seres da natureza de tal forma que se transformam nesses elementos todos, e que eventualmente se irão decompor novamente nos elementos básicos originais para recomeçar o círculo mais tarde, unidos em novas formas.

  11. George Orwell says:

    “Mas… então quem nos enganou ?”
    Aparentemente, Lemaître, Hubble, Hawking e mais alguns, embora eu não esteja nada seguro disso porque, na minha modesta opinião, penso que estes estão mais próximos da realidade do que os mentores desta nova teoria a que chamam de teoria do conjunto causal.
    Se por esta nova teoria, de um conjunto causal irá crescer um átomo de cada vez, ou seja, não em simultâneo, então que variável separa os átomos pré-existentes do novo senão a variável t = TEMPO. Einstein partiu da premissa de não haver interações instantâneas para formular a relatividade geral. E não há volta a dar, o tempo tem de fazer parte a equação, tempo que pode contrair ou expandir em consonância com uma curvatura de espaço – tempo, realidade que os relógios atómicos já demonstraram. Aliás, esta teoria pretende substituir uma singularidade por um conjunto causal pelo que sempre se questionará sobre o que causou esse conjunto causal, ou seja, a causa primeira.
    Mas ambas as teorias – big bang e conjunto causal – deixam sem resposta uma questão primordial : mesmo chegados à conclusão de que o Universo partiu do nada, num dado momento quais eram as condições iniciais que então prevaleciam? Aparentemente poucos cientistas podem ou querem teorizar sobre isto, só têm respostas para o momento depois e não para o momento zero.
    Querem sim fazer crer que tudo aconteceu aleatoriamente e toda a simetria cosmológica é produto de um acaso ou caos que, pasme-se, produz um universo organizado por leis para deleite dum minúsculo ser humano abrigado algures num minúsculo ponto azul, como se antes do ser humano ninguém tenha criado coisa alguma, pelo que o homem seria o único ser conhecido dotado de consciência finalística.
    Na verdade, um universo organizado por teorias científicas é um mistério bem superior à existência de um caos à toa.
    Ora, o universo não pode ter uma explicação sem uma entidade que seja a causa de si mesmo, o que não é o caso do ser humano que a ciência dá como um produto de uma evolução. E a matéria como realidade em si é uma realidade que é determinada por outra a existir e a produzir um efeito de maneira certa e determinada, por exemplo a poeira estelar, não tem a potencialidade de gerar constantes e formas matemáticas perfeitas como por exemplo a equação de primeira grandeza da onda relativística descoberta por Paul Dirac, pelo contrário sofre destas formas matemáticas que na concepção de Pitágoras, Platão e Galileu, só para citar estes, transcendem o ser humano, organizando e regulando o universo, conferindo-lhe uma ordem não resultante de um acaso ou caos.

    Assim, urge por a tónica maior numa consciência independente de outra qualquer realidade, não limitada por outra do mesmo género e que não requeira o conceito causal de uma outra coisa da qual tenha que ser formada, um ser absoluto infinito e eterno por oposição a um ser humano limitado e que não existe por si mesmo.

    Resumindo, a ciência pode descrever química das tintas ou pigmentos e a escala da pintura do universo, mas nada nos diz ou pode dizer sobre o pintor, apenas se preocupa com “the day after” e chega a afirmar que basta a pintura ou até que foi a pintura que criou o pintor.

  12. Tadeu says:

    “Mas… então quem nos enganou?”
    só alguém que não entende o que é a ciência e o que é uma teoria, é que poderia sentir-se enganado

  13. Vasco says:

    Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, Antoine-Laurent de Lavoisier. Eu penso que a noção de princípio e fim é apenas cerebral. Faz sentido para nós porque delimita quantidades de informação gigantescas num quadro (ou matriz, conforme quisermos) limitado, finito, essencial para podermos sobreviver. Foi útil, evolucionariamente, criarmos conceitos como os de início e fim, apenas.

  14. Curioso says:

    “Mas quem nos enganou??!”
    Não é preciso ter um doutoramento para entender este provérbio: Quando um cego guia outro cego, ambos caem no buraco…

  15. Há cada gajo says:

    O que é o principio e o que é o fim ? e onde estão estas entidades ? Tudo tem principio e tudo tem fim, mas tudo é relativo. Qual a dimensão do nosso principio das coisas ? E onde vai ser o fim ? Raio do fim-de-semana…tenho de largar o vicio…

  16. Luis J.A. de Sousa says:

    Depois de ler todos os comentários à um que me despertou a atenção: a do Neo que entre outras coisas afirma que ” somos uma simulação feita numa banal experiência cientifica” …eu diria que somos ou existimos dentro de um corpo/organismo (universo) as proporções e escalas provam que somos ridiculamente pequenos e insignificantes e que ainda não descobrimos ou compreendemos o porquê da nossa existência à qual estamos muito limitados (tempo) como também a capacidade de preservar a raça (humana) começa a questionar-se cada vez mais…átomos (matéria) versus pixels (imagem) tipo rewire life coaching não poderá ser a solução final esta passa inequivocamente por uma palavra de 4 letras: AMOR

  17. Sardinha Enlatada says:

    o principio e o fim nunca existiu na consciencia de Deus, por essa razao nos passamos por varias Eras para ficar escrito no universo a consciencia dessa Era, e a vida segue. Por isso que cada vez mais as pessoas estao a conseguir diferenciar o bem do mal. E nao, nao e nada relativo na vida. So pessoas de mente aberta e que conseguem entender as coincidencias da vida. Existem algumas por esse mundo fora.

    • Há cada gajo says:

      As pessoas estão a conseguir diferenciar o bem do mal ? Em que mundo paralelo é que isso está acontecer ?

    • Vasco says:

      Bem e mal são conceitos válidos às escala humana e nesse sentido o homem é a dimensão de todas as coisas… As que conhece, acrescentaria. Quando uma estrela se transforma em supernova ou quando um gama ray burst destrói um sistema de planetas com vida nascente, ou até vida inteligente, estamos perante um acto que não pode ser avaliado através das nossos conceitos. Da mesma forma, quando o nosso corpo elimina uma célula cancerosa, estamos perante uma defesa da vida uns layers acima da vida celular… Penso que o bem e o mal são verdades, válidas mas apenas relativas às nossa própria moldura cognitiva.

  18. Duarte says:

    Assim do nada todos os comentadores do PPLWARE viraram PhD em física teorica eheh.

    • Miguel Ferreira says:

      Especialistas-minuto! A web está cheia deles… tão inconscientes que não conseguem perceber a sua própria ignorância.

      • RJ45 says:

        Calma, Miguel, se chegamos até aqui foi porque muitos ignorantes conseguiram evoluir e compreender o passado. O que é difícil para muitos especialistas é saber o que é a energia, e como e quando esta evoluiu para dar origem à massa. Curvaturas para estes especialistas são as femininas, mas com calma chegam à curvatura do espaço-tempo.

  19. AlexX says:

    Muitas pessoas (mesmo sendo minoria) nunca acreditaram na teoria do big bang, ou na forma como esta é contada. Os que acreditaram foi porque assim escolheram e quem se sente enganado, a ser justo só pode apontar o dedo a si próprio. Agora foi apresentada mais uma teoria (que nem surge duma ideia nova), nada de mais. E ainda não se sabe no que vai dar. Caso seja revisada, a teoria agrade e avance com muitas publicações, entrevistas e livros que vendam bem, é só descartar a teoria actual e acreditar na nova. Haver um português na equipa até é boa notícia.

    Quem sabe dentro de um par de anos voltem a apresentar outra teoria onde defendam que afinal estamos imóveis e no centro do universo. O nosso universo. E cada um de “outros mundos” quiçá inalcançáveis no estado físico possa ter o seu próprio universo.

    Enquanto as pessoas procurarem por respostas para as quais a ciência não pode ter a humildade de responder “não sabemos”, não faltará quem esteja disposto a saciar-lhes a curiosidade com mais uma teoria fundamentada por conceitos matemáticos avançados.

  20. DOMINGOS RIBEIRO VELOSO says:

    O Universo infinito = Infinito Universo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.