Quantcast
PplWare Mobile

Misteriosos sinais de rádio estão a ser enviados do espaço profundo para a Terra a cada 157 dias

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Donadel says:

    Desliguem o micro-ondas…

    • Vítor M. says:

      Esse caso foi caricato 😉 mas não vão cair duas vezes no mesmo erro. Além desse, apareceu há uns anos um outro. Eras as paredes virtuais dos corta relvas da iRobot, perto de uma antenas, que emitiam um sinal que os deixou uns meses a anhar 😉

  2. saldoso says:

    Fantástico! Agora só falta o texto dar uma resposta às perguntas dos subtítulos… afinal de contas a Terra parece ser um planeta especial para receber tanta energia.

    • Vítor M. says:

      São as perguntas que são colocadas e que se espera que um dia haja a resposta. Tudo o que possa ilustrar uma espécie de resposta fica aquém de uma certeza. mas para lá se caminha… espera-se!

  3. Rui says:

    eles veem ai, que medo

  4. Louco mas não Cientista says:

    O sinal foi convertido para audio mas não significa que seja audio certo? Será que poderia ser algo parecido com código binário por exemplo?

    • Vítor M. says:

      Vê o princípio do rádio que tens em casa, como é que ele recebe ondas rádio e as transforma em áudio.

      • RM says:

        Nas ondas de rádio/TV temos um sinal emitido/onda electromagnética de determinada frequência (portadora) modulada (modificada) com um sinal de áudio/video ou ambos e depois retira-se o que foi originalmente lá colocado.
        Agora o que vem do espaço, pode não ser o que parece.

    • Rui couto says:

      Não é código mousse.
      Hahahha.
      Isto é uma nave da terra que está no futuro que se perdeu.
      É um pedido de ajuda. Do futuro no ano 4000 e tal. Eles nem já se parecem com nós
      São mais parecidos com os Grey….. ️‍♀️‍♂️

  5. RR says:

    A pessoa que escreveu este artigo devia primeiro aprender a escrever.. nossa senhora!

    • Tiago E. says:

      Hehehe, vais levar ban 🙂

    • RM says:

      Não estamos numa aula de português, pois não !?
      E mesmo que haja algumas gralhas, dá para perceber o conteúdo!

    • Capitão ordinario says:

      Candidata te! Tenho a certeza que o pplware teria a ganhar com um erudito com um vasto e variado conhecimento do nosso português. Por favor pplware, contratem este senhor tao inteligente e super instruído cujo opinião sobre a formação gramatical é tão elevada e tao necessária de conhecermos através de um comentário tão importante e tão profundo… Nós não merecemos o ar que respiramos com esta criatura na terra!!!

    • Vítor M. says:

      Não vejo qualquer problema no texto. Podes dizer sff o que vês de errado? Pode-me ter passado algo. Por isso existe uma ferramenta no fim do artigo que as pessoas podem ajudar e avisar para a correção. Mas se puderes dizer o que poderá estar errado, agradeço.

      • C. says:

        Podiam pelo menos usar videos que funcionassem em todos os browsers, N vezes tenho que mudar de browser so para ver os vossos conteúdos (Safari)

        • Vítor M. says:

          Eu uso Safari no iPad e iPhone e funciona. Em que dispositivo estás a falar?

        • O "pilhador de lojas" says:

          O que eu me ri!

          Quando querem ser “da moda” gastam fortunas em equipamentos e nem um browser abre em condições…

          • ervilhoid says:

            “Quando querem ser da moda gastam fortunas”… és só ridículo..

            1º gasto o que eu quiser
            2º achas que coloco em causa tudo o resto por causa de uma incompatibilidade? que de certeza que o pplware consegue corrigir?

            na altura que usava Android uma das coisas que me surpreendeu foi um iPhone 4 com 5 anos abrir sem qualquer problema a página da sexta feira do pplware, quando comparado com “bons” androids de 2015..

            se gostas de Android continua, agora deixa de ser ridículo e deixa os outros usarem o que quiserem

      • RR says:

        Aqui ficam algumas sugestões:

        — Alternar entre “rajada rápida de rádio” e “FRB” no texto:
        O correcto seria usar a primeira vez a designação completa + sigla e daí em diante usar sempre a sigla (ou sempre a designação). Alternar entre uma e outra no texto só serve para encher e confundir.. nada mais. Convinha também colocar a designação original de FRB (fast radio burst).

        — “antes ficar quita”: quita ????

        — “são flashes extragalácticos de luz que envolvem um sério golpe”: ?? envolvem um sério golpe? isto significa realmente o quê? golpe??

        — “, e a causa destas erupções permanece indescritível quase uma década e meia depois.”: indescritível?? queres dizer que ainda não sabem a causa.. não tem nada a ver com ser “indescritível”.

        • Vítor M. says:

          Só vi uma gralha e depois dúvidas tuas sobre o texto. indescritível porque não conseguem descrever a causa.

          O sério golpe é explicado na frase seguinte, é ler tudo.

          O correto é usar rajada rápida de rádio, ou FRB para haver um paralelismo com o acrónimo usado internacionalmente nos textos científicos, por isso neste texto está a designação.

          O quite, efetivamente é quieta, a única gralha que vi. Obrigado pela correção. Afinal não tinha nada de tão “nossa senhora”.

    • Saqueador de bits lord says:

      Coitado deste RR deve estar amuado com o vírus. Se eu estivesse fechado em casa a saquear a 7Mbps com net da nos também ficava.

  6. Nando says:

    ja tou a espera de tudo em 2020

  7. Zé Duarte says:

    Esses aliens andam atrasados no tempo, aqui ja ninguém ouve rádio. Se querem comunicar mandem um vídeo do TikTok.

    Jk

  8. RM says:

    Um com muitos ecos 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.