Quantcast
PplWare Mobile

Investigadores descobrem que níveis de radiação na Lua são demasiado elevados

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. cm says:

    Isso são os chineses a a tentar ficar com a lua só para eles!!
    A lua tem pontos com campos magneticos fracos que são o suficiente para proteger o ser humano, depois quando esta na parte escura da terra fica protegida pelo campo magnetico terrestre.

  2. SANDOKAN 1513 says:

    “Nível de radiação da Lua é 200 vezes superior ao da Terra”. É estranho,no mínimo.Mas não quero fazer conjecturas nem entrar em teorias da “conspiração”,se me entendem. 😐

    • Toni da Adega says:

      Chernobyl também tem níveis de radiação elevados, no entanto é possível ir visitar o local. Tem tudo haver com o tempo. Pode ser elevado mas seguro durante um ou 2 dias, mas extremamente prejudicial se for mais que um x numero de dias/semanas/meses

    • Tadeu says:

      Porque haveria de ser estranho? A lua não tem campo magnético capaz de proteger de radiação ionizante vinda do sol e raios cósmicos, ao contrário da Terra

  3. Fulano says:

    acho que é a segunda opção mesmo lol

  4. Miguel says:

    Mas não tiveram tempo para descobrir estas coisas e mais gumas das vezes que lá foram?

  5. Nitrox13 says:

    Então conclui-se que ninguém pode por lá as patas.

  6. Carpen7er says:

    Mais uma prova, a juntar à destruição do módulo e à transmissão sem delay, de que nunca ninguém lá pôs os pés.

  7. Carpen7er says:

    Mais uma prova, a juntar à destruição do módulo e à transmissão sem delay, de que nunca ninguém lá pôs os pés.

  8. Beltrano says:

    Fica sempre a dúvida.

  9. Paulo Baptista says:

    Este artigo está cheio de imprecisões. Referir todas implicaria outro artigo. Vou apenas referir que, o nível de radiação existente na superfície da Lua, já tinha sido medido, durante as missões Apollo, como refere e bem o artigo agora publicado na Science Advances, mas nunca divulgados. Basta ler, está lá. Obviamente, não com a precisão e o rigor com que foram agora realizadas as medições. Tal como as saídas ao exterior da ISS, os astronautas têm tempos limitados de exposição (o máximo está em 8 horas) a todo o género de radiações e estão protegidos com fatos adequados a esse tempo de exposição. Na Lua, o limite de permanência foi de duas horas e meia, fora do veículo. E não, não existem astronautas que passem várias semanas na ISS, mas sim meses, mais concretamente de 14 meses de permanência, não na ISS mas na antiga MIR, por um cosmonauta russo.

    • Vítor M. says:

      Lê bem porque o artigo tem tudo bem explicado. Aliás, o que estás a querer fazer é um paralelo entre os valores captados nas missões Apollo, que não foram as primeiras, os russos já o haviam feito, com o que foi agora medido pela missão chinesa. Portanto, estás a baralhar os assuntos que estão retratados. Em lado nenhum é dito que estas medições são feitas agora pela primeira vez. Lê bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.