Quantcast
PplWare Mobile

Humanos estão condenados à extinção… não há salvação!

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. SC says:

    Gostei do artigo, parabéns!!

  2. Manso says:

    Boa… E novidades, há?

  3. Leitor says:

    Gostei do artigo: didáctico, e com a apresentação de um ponto de vista novo sobre um problema que nos vais afectar num futuro muito próximo. Na verdade, será muito impactante já na próxima geração.
    Não seria de esperar menos de um editor da Nature. Dou os meus parabéns ao Vítor por trazer o tema para aqui.

  4. e.t. says:

    nada que não era espectável porque já sucedeu com outras espécies dominantes ;-P

    • cat says:

      Também é espectável levarmos com um meteoro de 2km porque já sucedeu a outras espécies dominantes. No entanto, a grande questão é saber quando e como. De resto, não vejo o que de especial tem o “espectável”… 😛

  5. Dinis says:

    Excelente trabalho Vítor! É diferente dos artigos normais, mas gostei, quero ver mais de vez em quando!

  6. Luis Henrique Santos Silva says:

    A ciência ainda tem de entender certas coisas, a Humanidade vai continuar vivendo e evoluindo como evoluiu até agora.
    Um dia vão perceber que a Humanidade não esta fadada à fatalidade de desaparecer.

  7. Carlos Sárria says:

    Reprodução artificial… Só não se faz porque não há necessidade. A tecnologia sobrepõe se sempre a natureza.
    humanitas aeterna

  8. Gomes says:

    Já ninguém quer estar preso a um corpo humano, venha o meta-verso!

    • iDroid says:

      O metaverso não resolve a questão de estar preso a um corpo humano.

      O “transplante” do sistema nervoso central humano para um corpo artificial poderá ser a solução (se alguma vez for viável), ou a transferência de consciênca para um sistema eletrónico (menos provável, até porque nem sabemos ainda definir o que é a consciência, nem se nesse hipotético processo se perde a chamada continuidade da consciência).

      • Luis Henrique Silva says:

        Nunca iria ser viável, porque não temos poder para isso.
        Aliás quer acredites ou não, já passamos de corpos para outros corpos, pois somos uma consciência, ser imortal a que chamamos de espirito.
        Apenas andamos a evoluir de corpo em corpo, por isso a humanidade ter vindo a evoluir e ainda vai evoluir mais.
        Há coisas que não teremos controlo pois assim estariamos a ser igual a Deus, e há só um e é unico.
        Há que esperar o tempo em que iremos aceitar a reencarnação e ai percebermos que já mais humanidade nenhuma se extinguirá.

        • Luís Lima says:

          Tal e qual, caro Luís Silva. Somente pessoas já despertas e tomando ciência do Ser Espiritual que somos em experiências na matéria, e reconhecendo a Lei da Reencarnação, bem como a Lei de Causa e Efeito, dizia, poderão ascender ao que chamamos de Saber Estar neste Planeta Terra Escola.
          Aprender a ver o outro como irmão em essência, aprender a respeitar tudo e todos, assim sim, estaremos a contribuir para a necessária elevação.

        • Joaninha says:

          Essa teoria é para quem é crente. Quem não é fica na mesma tal e qual… Bgda

        • Memória says:

          Tudo o que tem um princípio tem um fim. Ou não?

    • Memória says:

      Sabine Hossenfelder (não) tem a resposta

      Does Kirk die when he goes through the transporter?
      https://www.youtube.com/watch?v=oR9Na0Q0maQ

  9. Nokas says:

    Pouco prevesivel, una vez que o futuro da humanidade passa pelo ser humano deixar ser uma unidade carbónica.

  10. SANDOKAN 1513 says:

    Excelente artigo,sim senhor.

  11. Samuel MGor says:

    As únicas maneiras de existir a nossa extinção:
    1- Erupção da caldeira de Yellowstone
    2- Uma guerra nuclear
    3- Um LKA
    4- Perdermos por completo o Campo Magnético da Terra
    5- O Covid ter uma variante com 99% probabilidade de matar até os vacinados.

  12. Memória says:

    Interessante artigo, e o Vítor de parabéns 🙂

    Quanto à variabilidade genética, por vezes é maior do que pensamos em especial entre os portugueses.
    Eu só sabia de certeza que as famílias do meu pai e da minha mãe eram do Alentejo e do Ribatejo, é claro que cada família tem os seus mitos …

    Fiz um teste genético de uma popular empresa dos U.S. e descobri (com grande surpresa) que não eram só mitos, realmente havia além do DNA ibérico e do Norte de África uma não muito longínqua influência irlandesa (contrabandistas 😉 e italiana (mafiosos ;-).

    Até havia 2% de DNA nigeriano, LOL, e 0% de DNA judeu
    Há muitos portugueses que têm antepassados africanos sem o saber 🙂

    A minha percentagem de “european” não permitia (por enquanto) investigar a minha probabilidade de ter certos problemas cardíacos 🙂 .

    . . .Fiquei a saber de certeza que não tenho deficiência em Glicose-6-fosfato desidrogenase (G6PD), vulgar
    favismo que é hereditário em parte da minha família.

    Achei que foi dinheiro bem gasto …

    • Julião says:

      Boas. Que teste é esse e onde fazer? Fiquei interessado. Obrigado

      • iDroid says:

        Presumo que o Memória esteja a falar do 23andme, mas posso estar enganado…

      • Memória says:

        O teste que fiz foi o da MyHeritage. quando fizeram uma oferta especial (49$ penso eu)
        Acho que não é técnicamente o mais avançado, a especialidade é geneologia e a procura de “matches” pelo mundo fora.
        23andme no aspecto técnico parece-me melhor, talvez algum dia o faça também. gostava p.ex. de saber qual a “minha tribo” nigeriana 🙂

        • Joao P. says:

          Já pensei fazer isso também. depois li várias coisas sobre esse serviço

          After eleven years of genetic genealogy and as many genetic tests, I went straight to MyHeritage, the leader in DNA testing in France, when, in 2016, this start-up launched its first genetic tests. Their publicity is excellent, but dishonest. As for their results, they are inaccurate and incomplete. The following is a comparison of its strengths and flaws in relation to its main competitors.

          https://dna-pass.com/en/my-opinion-on-myheritages-dna-test/

          mas gostava de saber mais sobre a minha geneologia.

    • B@rão Vermelho says:

      @Memória, espero que não fique ofendido com a brincadeira que vou fazer, mas é melhor esconder os resultados, se por algum motivo um dos seus filhos nascer de cor diferente o seu cônjuge, pode sempre dizer que é pelos seus 2% Nigeriano 😉
      Mas é um facto talvez muitos dos racistas que nos rodeiam também eles partilham uma herança africana e nem sonham.

    • Samuel MGor says:

      O meu sem fazer o teste é 85% ibérico e 15% francês.

    • Joaninha says:

      Eu tenho antepassados judeus —de raça judaica — tanto do lado da Mãe como do pai… Aliás, o meu avô paterno tinha como apelido Ribeiro – novo cristão… Já a minha Mãe, tem no apelido Pinto—novamente novo cristão. Cá em Pt, somos uma miscelânea de misturas de raças, como é raríssimo em mais algum lugar… Bgda…

  13. Pensador says:

    Mas quem disse que somos humanos estamos aprender a ser… Quando uns tem tanto outros não tem nada, comida, saúde, educação que é a base de uma sociedade não há. Simplesmente estamos a construir o colapso, contra factos não há argumentos.

  14. Hugo says:

    Parece-me que não estão a incluir a população africana na categoria dos homo sapiens. Que a cultura e o povo ocidental esteja a desaparecer, basta fazer uma viagem pela França, Alemanha, Inglaterra (mas fora dos circuitos turísticos obviamente!) . O número de habitantes da população africana é 10 vezes superior hoje, em relação ao início do século XX. Segundo as previsões da ONU, em 2100 será 3 ou 4 vezes superior ao da de 2022. Basta consultar a taxa de natalidade média nesses países para se compreender que são um povo mais… “activo”, digamos assim

  15. Costa says:

    Apesar de causar muitos problemas ao planeta e a nós próprios o Homem nunca desaparecerá do planeta. Só quando o sol colapsar. A nossa inteligência permite a sobrevivência em ambientes super hostis. O que pode acontecer é a sociedade ficar caótica e diferente do que conhecemos hoje, sim isso concordo.

  16. nuno a says:

    Artigo top, bom trabalho Vitor M.

  17. antonio carvalho says:

    Só tretas sempre se viveu não julgue alguém que vai mudar o mundo com palavras negativas só há um que sabe se vai haver extinção ou não

  18. B@rão Vermelho says:

    A culpa da baixa natalidade é da televisão 🙂
    Nos tempos dos nossos avós como não havia mais distrações faziam-se filhos, agora ter filhos é caro, todos queremos dar o “melhor” aos nossos, seja roupa de marca, equipamentos eletrónicos de topo, o melhor carro e por ai fora, depois fazemos contas e só para as nossas vaidades quase que não chega quanto mais para os outros.
    Outros dos motivos como foi referido no artigo é as carreiras profissionais, cada vez mais temos de dar mais tempo ao trabalho e depois vai ficando adiado o “projeto” de ter filhos.

  19. Joaquim Sobreiro says:

    O meu agradecimento pela publicação de um artigo que apresenta uma forma de pensar aberta e honesta, a ser explorada.

  20. SteveRobs says:

    Tudo isto só prova que o facto de o ser humano se auto intitular de “espécie inteligente” é discutível!

    • Joao P. says:

      boa verdade essa.

    • Luis Borges says:

      Nao ‘e preciso muito para ser considerado inteligente 🙂

    • cat says:

      Eu acho que não é discutível. Somos, de facto, a espécie mais inteligente que alguma vez existiu no planeta. O que não é tão inteligente, são as nossas opções, as nossas escolhas e o sentido de responsabilidade que temos quanto a isso. De qualquer forma, não há outra espécie que as possa fazer por nós.

    • AlexX says:

      Sem dúvida. Começámos por estar em 1° lugar, passámos para terceiro, e creio sermos agora a oitava espécie mais inteligente, mas tenho mais que nunca a convicção que é a contar do fim. E não faço ideia que 8 espécies menos inteligentes serão essas que foram descobrindo ao longo dos últimos 100 anos.

  21. Joao P. says:

    Eh pá gostei do artigo parabéns. Quero mais deste material.

    Visto e dito dessa forma de facto a humanidade é um morto a caminhar.

  22. Serra says:

    Gostei do artigo , é pena que nao sirva pra nada…

  23. Micas says:

    Finalmente uma boa noticia para o planeta!

  24. Miguel F. says:

    Não se irá perder nada. Durante séculos, a única coisa que o ser humano soube fazer foi destruir, se chegar a sua vez de ser destruído, o planeta não irá perder nada
    De qualquer das formas, um artigo diferente.. muito bom

  25. Joaquim Sobreiro says:

    Já várias vezes fui titulado de defender teorias não científicas. Pois acredito tanto na ciência que lhe reconheço a ela o conhecimento para a sobrevivência da humanidade. Tudo depende da forma como for utilizado esse conhecimento.

  26. cat says:

    É um bom artigo, ao qual eu dou os parabéns. No entanto, quando à superpopulação, há que dizer que ela é também um dos culpados no decréscimo da variedade genética da espécie. O “mal” já foi feito logo após a segunda grande guerra. O crescimento da população continuou durante os anos seguintes com razões crescentes.

    O que levou a outro grande problema que é a exaustão dos recursos do planeta para manter biliões vivos. E digo “vivos” porque grande parte do planeta “sobrevive” tendo em conta os padrões de vida occidentais. Onde a riqueza e uso desses recursos mais se concentra. É impossível, com o sistema económico actual, dar esses padrões ao resto do planeta sem o destruir … ou sem mudar para um sistema económico baseado na gestão de recursos em vez do lucro sobre os mesmos.

    Sinceramente, acho que o sistema capitalista, tendo em conta a sobrevivência da Humanidade, deixou de servir os nossos interesses. Foi um sistema que nos deu muito durante muito tempo mas seria redutor pensar que não somos capazes de criar algo melhor e que nos consiga tirar deste caminho rápido para o precipício. Quais as alternativas ? Não sei ao certo mas começaria por um sistema que põem, em primeiro lugar, uma gestão global e estratégica dos recursos naturais. É claro que a malta começa logo a pensar em socialismos e comunismos e afins mas não falo disso. Falo de uma gestão supra nacional dos recursos. Por outro lado, a livre iniciativa, o privado, faz todo o sentido em qualquer outra actividade. Principalmente no que toca aos serviços e à criação de mais valias a nível intelectual, cientifico e tecnológico. Mas lá está … olha à volta e o que vejo é mais do mesmo. Todo o sistema actual tem uma grande resistência à mudança. E quanto mais devagar mudarmos, mais depressa vamos dar cabo disto tudo. Os desequilíbrios estão à vista: ambiente, demografia, recursos e somando isso tudo, o sistema económico.

  27. sed says:

    sinceridade, ta demorando ja. depois do sequenciamento do dna, pragas de 100 anos, mudaram para 10 anos, e agora de ano e ano.

    eu acredito na extinçao, mas torço que a humanidade se acerte, que os governos de 3o mundo lancem programas de populaçao, de que entendam o que se deve fazer.

    mas é dificil…todos so querem o mesmo umbigo rico

    • cat says:

      Há que perceber uma coisa. Aumentar mais a população não é uma solução. Só o é dentro do mesmo sistema económico que só consegue crescer com esse aumento. E não só cresce com esse aumento, como precisa desse aumento continuo para continuar a consumir recursos. Estes dois factores no sistema capitalista são intrínsecos “crescimento demográfico:crescimento económico”. Este é um paradoxo bem conhecido deste sistema. Aliás, é “O” paradoxo, na minha opinião.

      Aumentamos a demografia, precisamos de mais recursos. Atingimos a superpopulação, precisamos de mais recursos, damos cabo do planeta. Damos cabo do planeta, catástrofe, subpopulação. E este é um cenário onde nem sequer entra a condicionante genética mas é um cenário plausível.

      Das duas uma, ou encontramos, dentro deste sistema, um compromisso – não sei como – de criar novos bens e serviços com uma pegada natural bem menor ou então não estou bem a ver como resolver o problema.

      Por outro lado, uma demografia menor exigiria menos esforço ambiental. No entanto, este sistema económico é baseado no crescimento que só é possível com mais gente. É por isso que ficamos – alguns – todos contentes quando o país cresce, sem perceber bem que isso é feito à custa dos recursos finitos do planeta e do futuro da nossa espécie. Ainda pouca gente percebeu que este crescimento é como encher um balão de ar. Chega a uma certa altura que, simplesmente rebenta.

      Sendo assim, se a população continuar a crescer, sem mudar de sistema … malta, já devíamos estar a habitar outros planetas porque este não vai chegar para todos. Quer dizer, vai, o Homem vai continuar a existir, mas irá fazê-lo após uma catástrofe ambiental ou demográfica. A que vier antes. Após isso, vai haver menos gente mas não sei se lhe chamarão subpopulação … serão os que sobrarem.

  28. sórrir says:

    Mais um Apocalipse.
    É de esperar um declíneo a certa altura, mas ninguém diz que a curva descendente pode inverter. É o 8 ou 80 das observações simplistas, como sempre.

  29. ??? says:

    Mais uma espécie entre as muitas que já se extinguiram, por não terem resiliência para as mudanças…. só as espécies com mais “ferramentas” para as novas condições climáticas e edáficas sobreviverão… é o destino!

  30. AlexX says:

    Extinção humana não acredito. Há sempre quem sobreviva. A arqueologia contemporânea está continuamente desenterrando restos dum passado que não foi assim tão distante, e lá para 2200~2300 também estarão desenterrando o que sobrou desta civilização. O ser humano poderá nesse tempo ser maior ou menor em estatura mas a restante fisionomia será idêntica ao que é hoje. Excepto talvez para aqueles que concedam autorização à manipulação do seu ADN. Se já existiram noutros tempos sereias, minotauros, centauros, humanos com pés de bode ou cabeça de cão, sabe-se lá que tipos de manipulação genética andam agora a fazer. Mas tal como no passado, espécies de aberrações à criação divina terão sempre os seus dias contados.

  31. Roberto says:

    Vamos pensar um pouco, todos nós todos vocês, só existe uma verdade neste mundo que é Deus o Criador e o seu único filho Jesus Cristo a quem devemos adorar e amar com todo nosso coração por ter entregue sua vida por nós na cruz para nos salvar da morte que entrou na humanidade depois do pecado de desobediência a Deus quando disse do fruto da árvore do bem o do mal não devereis comer , nós não somos provenientes do macaco e fomos evoluindo até ficar homens como muitas histórias contam , a Bíblia a palavra de Deus é a única verdade que devemos acreditar Deus criou o homem a mulher e os animais a terra está nas suas mãos Ele é o dono de tudo do universo inteiro está tudo escrito no livro da vida Ele sabe quando o mundo tem que acabar só Ele conhece os tempos o fim tenham fé e acreditem porque vai ser tudo segundo a sua vontade e do seu espírito o mais importante da vida e andar nos seus caminhos praticar o bem à justiça por em prática seus princípios e seus mandamentos

  32. SS says:

    A espécie humana está condenada sim. O exemplo de Portugal um país de velhos. Cada vez adia-se mais. Não sendo homofóbico a culpa é desta sociedade. A ascensão dos LGBT. Imaginem que mais de metade da humanidade era gay/lésbica, estaríamos tramados. As fundações da família, sair mais cedo de casa, casar e ter filhos adia-se por falta de qualidade de vida, falta de emprego e de dinheiro. Cada vez há mais liberdade, mas menos humanidade. Vivemos constantemente ligados a redes sociais e telemóveis que promovem a distração com o entretenimento, e as traições e separações passam a ser também normais. Muita coisa está errada. Vamos acabar por ter aquilo que merecemos.

  33. Manel says:

    Ainda falta explorar o sistema solar…. Ngm está preocupado porque vamos importar água dos asteróides e vamos colonizar tudo. Pena que com esta mentalidade vamos ser gafanhotos mas enfim há mto para consumir

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.