Quantcast
PplWare Mobile

Doomsday Clock: o mundo está a 100 segundos do fim

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Ana Sofia


  1. SANDOKAN 1513 says:

    “Conceitualmente,o relógio representa o tempo que os humanos demorarão a destruir a Terra através de uma guerra nuclear.” // “Doomsday Clock mais próximo do que nunca da meia-noite” Se aquele doido varrido da Coreia do Norte se passa lá vamos todos pelo c****** numa III Guerra Mundial.Será o fim de tudo. 😐

  2. Kabindas says:

    Que parvoíce, durante a crise dos misseis de cuba na guerra fria, com americanos e soviéticos com dedos todos “nos botões” e as duas frotas no atlântico prestes a se confrontar este relógio não esteve mais próximo do está agora ? A serio ?
    Isto é mais bullsh%&it clock que Doomsday clock … :/

  3. ze says:

    Não vejo a hora de acertarem o ponteiro na meia noite.

  4. Joao says:

    Ainda não percebveramque o mundo ja acabou???Ou melhor o velho mundo….Desde Março que vivemos num mundo completamente diferente. Nova Ordem Mundial, Novo Normal………..enfim

  5. João M says:

    Este relógio não passa mais do que um “artigo de opinião” do que qualquer outra coisa. Então o relógio está mais perto da meia noite por causa das alterações climáticas do que quando foi a questão em Cuba, ou nos momentos até queda do muro de berlim?
    Acho que é apenas mais um ponto para que os “arautos da desgraça”, que já andam a profetizar que o mundo vai acabar desde que a roda foi inventada, tenham mais plataforma para falarem. Já chega de ouvir que isto vai acabar, que temos mais 40 anos (já nos anos 90 se ouvia que não se ia passar do ano 2000 ou que em 25 anos o mundo ia estar inundado).
    Atenção que isto não é ser negacionista, é apenas constatar um facto de que já cansa a quantidade de “profetas da desgraça” a falar. Gostava era de ouvir soluções práticas e possiveis de executar.
    Em vez de andarmos a juntar toda esta sapiencia e “brain power” humano a encontrar soluções exequiveis, andamos a perder tempo a dizer que vamos todos morrer e a dar protagonismo a malta que só sabe apreguar desgraças… Entretanto, continuam as pilhagens na Gucci em nome de Jorge Floyd e BLM. Andamos a gastar energias com “não temas” e politiquices de malta que só quer é poder (e só um tolo é incapaz de ver que está a ser usado como alavanca politica) do que a usar sábiamente esse tempo a pegar num quadro branco e resolver os problemas que realmente são importantes e ditam o nosso futuro como humanidade:
    – Fome no mundo e até no nosso próprio pais.
    – Crise económica e social mundial e local,
    – Crise de saúde publica (e não falo só da pandemia) – local e mundial.
    – corrupção ao nivel governamental e empresarial – seja local ou mundial,
    – falta de escolaridade em paises de 2º e 3º mundo. Até neste pais à beira mar sentado há malta que não sabe sequer a história recente, porque não está no youtube a toda a hora.
    Quando começarmos a ir para a rua por causa destes reais problemas, eu vou também ^_^

  6. xnelox says:

    Provavelmente o meu comentário já vem tarde demais, porque o fim do mundo já aconteceu, mas fica o meu registo: os humanos são mais resistentes que as baratas.

  7. AlexX says:

    Tudo aponta para que seja nuclear mas não tem nada a ver com o ser humano. Ou com IA, já agora. São ciclos e signos. Talvez alguns tenham percebido que o mundo dito civilizado enlouqueceu de vez, estes são os tempos antes do fim e o fim dita as revelações, onde alguns vão entender melhor a máquina onde vivem. São tempos fantásticos para viver, pois muitos estão esperando apoio que estiverem dispostos a dar.

  8. Minoria Silenciosa says:

    Guerras houve na Europa e no mundo, por territórios, e por riqueza, tais como o carvão e o aço, mesmo até a última Grande Guerra. Mas, hajam os arsenais atómicos que houverem, o dinheiro (a Economia), já há vários aos que “fala mais alto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.